RSS contos eroticos

Conto Erotico Esposa aproveitando as ferias na praia

O domingo amanhece cedo em Ubatuba e o sol banha o céu azul com seus raios calorosos. O verão nessa região é sempre muito quente, eu quase não consegui dormir na noite passada, estava muito inquieto e curioso com o que poderia acontecer na praia. Quando acordei Dani já estava ajustando seu pequenino biquíni preto em frente ao espelho, ela ficava absolutamente deliciosa . Perguntei para ela onde íamos e recebi como resposta a informação que passaríamos na casa de um amigo, onde ele já nos esperava. Levantei-me da cama, fui ao banho, coloquei a sunga e estávamos prontos para sair. Chegamos na casa do amigo e lá estava ele, no portão nos esperando. impressionei-me com sua beleza e inicialmente fiquei com muito ciúme de Dani, pois o amigo era um rapaz moreno alto com cabelos negros e lisos na altura do ombro e um corpo atlético, percebi que minha esposa tinha segundas intenções. No carro começamos a discutir qual praia seria o nosso destino, o amigo informou que havia uma praia legal e tranqüila, entramos em consenso imediatamente. Chegamos na praia que para nossa surpresa estava vazia, era tranqüila mesmo, providenciei o guarda sol, Dani tirou a canga e o amigo começava a alongar o corpo preparando-se para entrar no mar. Minha esposa estava com uma saia curta por baixo da canga, ela sabia que eu adorava vê-la tirar a roupa e não me decepcionou, fiquei alucinado de tesão olhando-a tirar a saia, mexendo o quadril de um lado para o outro, mostrando pouco a pouco o seu bumbum gostoso, e percebi, meio distraído, que o seu amigo a olhava com uma certa volúpia, fiquei enciumado e quase pergunto o que ele estava olhando, mas me acalmei. Chamei o amigo para sentar-se à mesa e iniciarmos uma cerveja bem gelada, que havíamos levado no isopor. No tempo em que brindávamos, Dani colocava uma espreguiçadeira bem a nossa frente de forma que pudéssemos olhá-la sem que um estivesse numa posição mais privilegiada que outro e se deitou sedutoramente de pernas abertas. Dani tinha uma xaninha grande, carnuda, depiladinha e que chamava muita atenção, ela estava de óculos escuros e nós não conseguíamos ver em que direção olhava. A praia estava muito gostosa e nós não parávamos de conversar e beber cervejas, todos já estavam bem a vontade a cerveja estava fazendo ficarmos muito solto, Dani então pediu-me para passar bloqueador em seu corpo. Esse era o SINAL! Começaria a sessão sacanagem!!! Fiquei muito excitado. O amigo de nada sabia, sentei ao lado de minha esposa que estava de frente para o seu amigo e comecei a passar a mão pelo seu corpo, passava suavemente as mãos por cima dos seus seios, escorregava pela barriga e massageava suas coxas e virilha, enquanto Dani mordia os lábios de tesão, o amigo tentava não olhar, puxava conversa, mas não conseguia tirar os olhos de minha esposa que gemia discretamente e, não suportando mais o tesão, pegou minha mão e apertou contra seu corpo. Percebi o que ela queria e comecei a acariciá-la colocando seu biquíni para o lado e enfiando o dedo em sua xaninha totalmente molhada de tesão, nesse momento percebemos que o amigo não estava mais em seu estado normal, seu pênis parecia não caber na sunga, estava querendo pular pra fora de tão duro. Dani ficou admirando e então me beijou e pediu que seu amigo continuasse a sessão de bronzeamento, ele, encabulado e sem entender, não aceitou, me olhou e eu assertivamente lhe fiz sinal, nessa hora já estava morrendo de tesão e não via a hora de ver minha esposa safadinha aproveitando. O tesão se sobrepôs a timidez e ele começou a massagear os seus seios, xaninha e a passar os dedos nos lábios de minha esposa, Dani estava fora de si, e com habilidade apertou a pica de seu amigo, eu olhava excitadíssimo minha esposa se deliciar com carícias de outro homem, mas não queria ficar de fora e sugeri um banho de mar, em comum acordo, fomos todos rapidamente se banhar. Não sabíamos como começar, então Dani tomou a iniciativa, ficou entre mim e seu amigo e começou a tocar uma dupla punheta, meu pau latejava de tesão era a realização de um sonho, adorava a cara de safadinha dela em segurar duas picas, ela suspirava de tesão. Democraticamente um era beijado por Dani, enquanto o outro chupava seus seios lindos e duros, o pudor nos deixou absolutamente e começamos, os três, a se tocar por baixo d’água. ninguém sabia em quem estava tocando, mas todos se tocavam avidamente. Dani tirou o biquíni, estava toda arrepiada, gritou querendo que nós a tocássemos em todas as partes possíveis e num súbito suspiro pediu que amigo a penetrasse ali mesmo, em pé. Seu amigo lhe atendeu prontamente e sem mais me olhar para pedir permissão. Em seguida pediu que eu fosse para trás dela e começasse a roçar a pica em sua bunda, ela estava com muito tesão e pedia para ser comida, o amigo sem perdão estocava a pica em sua xaninha chupando seus seios, ao passo em que ela me beijava a boca e masturbava, ficamos por um tempo curtindo, mas não estávamos muito a vontade ali e decidimos voltar para a praia. Dani sentou-se do meu lado e de frente para nosso novo amigo, começou a passar a mão em minha pica e com o pé na pica do amigo com uma cara bem safada, tomada pelo tesão, ela perguntou se queríamos mais? A resposta foi un nime, queríamos sim! Resolvemos terminar aquela aventura e outro local, com mais liberdade, nos vestimos e fomos. Entramos no carro e nos dirigimos para casa, pois o tesão era enorme, enquanto dirigia o carro, tocava uma siririca em minha esposa que me retribuía com um gostoso boquete. O amigo excitado se masturbava sem parar e passava a mão nos seios de Dani. Chegamos na portaria do prédio em que morávamos e o porteiro nos recepcionou com surpresa ao ver que Dani estava com as pernas levemente abertas, de saia, mas sem calcinha, inicialmente não entendi o que o porteiro tanto olhava, mas ao olhar para minha esposa percebi o motivo de sua paralisia. Colocamos o carro na garagem que, infelizmente, era aberta e nos dirigimos para o elevador aos beijos, masturbações e palavras sacanas. Dani dizia que queria chupar os dois, beijei ela e disse que ela estava me fazendo o marido mais feliz do mundo, estava adorando ver ela bem solta e safadinha era tudo o que sempre sonhei. Entramos no elevador e assim que a porta se fechou, minha esposa se ajoelhou e começou a chupar minha pica, o amigo não suportou, colocou a pica para fora da sunga e pediu para ser chupado também, alternava a chupada com punhetas, ora um era chupado e o outro recebia uma punheta, ora o inverso, as vezes ela tentava por os dois paus na boca, foram os dez andares mais gostosos da minha vida. Chegamos em casa nus, sem nos importar com os vizinhos, fechamos a porta e logo fomos transando, deitei minha esposa no sofá e comecei chupar sua xaninha enquanto amigo, em pé, oferecia seu pênis para ser chupado por ela que estava impossível. Mudamos de posição, eu sentei no sofá e Dani no meu colo de costas para mim e chupando seu amigo que lhe acariciava os seios, estávamos todos prestes a gozar quando minha esposa pediu para que eu invertesse a posição com o amigo. Ela cavalgou habilmente como uma amazona na pica de seu amigo e quando ele estava preste a gozar pediu para colocar o pau em sua boca, jorrando muito leite, escorria pela boca e alguns jatos foram parar em seu rosto, Dani me olhava e espalhava o esperma em todo rosto, com aquele cara de safadinha, me chamou, ficando com as pernas abertas, que cena maravilhosa, eu entendi o sinal e comecei a enfiar em sua xaninha, ela me puxou e começamos a nos beijar.,sentia seus lábios quentes e melados, estava atingindo o clímax e gritava muito, a noite era mesmo de minha esposa, ela era o show, depois que fez seu amigo gozar lhe informou que ele permaneceria apenas olhado a transa. por um momento .Ela ficou em pé, apoiou-se no braço do sofá e empinou a bunda me pedido para que eu a comesse, não perdi tempo e comecei a fuder sua bunda com veemência. Dani rebolava, empurrava o quadril contra o meu corpo e gritava que adorava me dar a bunda. não estava mais suportando, Dani percebeu e gritou querendo uma gozada em sua bunda. gozei muito e gostoso. Amigo queria mais, minha esposa disse pra ele meter nela com força, ele obedeceu e gozou muito dentro de sua xaninha e logo após foi para o chuveiro, enquanto amigo tomava banho, minha esposa me chamou para o banheiro, abriu a porta do box onde seu amigo estava, sentou na pia e pediu que eu a chupasse, obedeci na hora, agachei e comecei a chupar a xaninha de Dani, que passava a língua nos lábios e olhava seu amigo se banhar. Dani gozou em minha boca, pois sabia que eu gostava. Enfim, tomamos banho. Deitamos na cama e falamos ao mesmo tempo – por incrível que isso possa parecer – se não poderíamos nos encontrar com suas amigas e o amigo na semana seguinte, ficamos pensando em como seria um bacanal gostoso e adormecemos abraçados. Se você tem a mesma fantasia com sua esposa/namorada mande um e-mail pra gente trocar idéias: noivofantelagozada@hotmail.com