RSS contos eroticos

Conto Erotico Flagrei minha esposa com garoto de programa

Pode parecer mais um dos contos inventados pela mente criativa dos internautas, mas esse caso é verdadeiro e gostaria de contá-lo à vocês porque isso ainda me excita demais.

apesar da minha pouca idade eu sou um funcionário bem colocado em uma multinacional e por motivo de negócios viajo pelo brasil todo e américa latina em busca de melhores resultados para todas as filiais brasileiras e sul-americanas. casei cedo com minha namorada, por causa de uma gravidez precoce, ela loira, 1,70m, cabelos longos e lisos, 62kg, seios médios, pele clara, e o melhor e mais inacreditável nela, uma cinturinha finíssima com um quadril enorme. minha esposa de costas pode ser nomeada de oitava maravilha do mundo. é simplesmente inacreditável, ver o conjunto de um cabelo liso, loiro e brilhante, com sua cintura de menina e aquela bunda maravilhosa (acreditem se quiserem 112 cm parecem muito mais quando a cintura é pequena). e como se não bastasse, seu rosto é angelical, traços finos e bem definidos de uma pessoa que recebe elogios andando, sentada, deitada e até mesmo quando está ao volante onde só seu rosto aparece. sou um homem de muita sorte.

planejamos e executamos o casamento muito rapidamente. isso porque meu pai e o pai dela nos ajudaram muito. mas o fato é que ainda não estávamos prontos para assumir um casamento. um namoro talvez, mas um casamento é algo muito mais sério. morar com alguém que veio de uma família diferente da sua, com hábitos e costumes diferentes dos seus é uma tarefa não tão simples de ser concluída. apenas em um momento nos dávamos bem, no sexo. o sexo era tão bom quantos nos tempos de namoro, e apesar da gravidez ele não atrapalhava no tesão da cama. posições, lugares, formas, meios, acessórios, tudo fazia parte desse momento áureo.

cheguei mais cedo de uma breve viagem que fiz ao país do presidente hugo chávez, minha esposa não estava. ah sim, esqueci de dizer, ela é formada e educação física, a barriguinha dela é demais, aliás ela não tem barriga é uma chapa de carne reta que desce do contorno dos seios até a vagina, não tem nem uma dobrinha pra contar a história. voltando, fui para o computador, como não tinha nada para fazer fui ver putaria. vi alguns velhos sites, que não via desde o tempo de namoro, e existe um site americano que mostra apenas mulher com bundas enormes, elas até passam uma fita métrica para mostrar que efetivamente seus rabos são grandes. e tinha uma delas que de costa parecia-se muito com minha esposa, de frente nada haver. mas a visão daquele rabo enorme, de costas para a câmera, sentada num pau enorme me deixou com muito tesão. entrei aqui no site de contos e procurei todos os contos relacionados com esposas, traição, e afins. fiquei doido para ver outro pinto nela. entrei em um site de sexshop e comprei um pinto de borracha. fiquei com tanto tesão de pensar nela com o pinto que resolvi mandar um motoboy entregar. se passaram três horas e o pinto chegou. abri rápido pois ela já estava pra chegar da academia e escondi o pinto debaixo do travesseiro. ela chegou, passou por mim (eu estava vendo tv nessa hora) e foi tomar um banho. quando ela saiu do banho eu nem esperei ela se secar direito e já dei um beijo em sua nuca. ela deu um sorriso e de costas passou a mão na minha nuca, e continuou se secando. encoxando aquela bunda maravilhosa, passei as mãos em suas pernas e fui subindo, passando pela sua barriguinha agora um pouco saliente da gravidez, e repousando nos peitos dela. acariciei-os fazendo movimentos repetitivos e circulares, ela jogou a cabeça para trás e a deitou em meu ombro. virei-a de frente e passei a chuper seus seios com muit tesão. meu pinto estava quase estourando a braguilha da minha calça. joguei ela na cama e chupei todo seus corpo. cada pedacinho, cada detalhe tudo. dei maior atenção à sua bucetinha, que nessas horas estava molhada, não sei se pelo banho, pelo tesão dela, ou por minha língua que entrava e saía rapidamente. minhas mãos acariciavam seus peitos enquanto eu me deliciava na buceta dela. quando ela estva excitada o suficiente, falei: - hoje eu quero ver outro pinto de comer! - ela me olhou assutada e eu retirei o pinto de debaixo do travesseiro. eu estava estourando de tesão, ela olhou e falou: - eu prefiro o seu! - quase brochei, mas já estva a no clima mesmo e coloquei meu pinto na vagina dela. mudamos de posição e ela ficou deitada em meu pau, ainda na vagina, e eu sentado com as costas na cabeceira da cama. tentei novamente, peguei o pinto e coloquei na entrada do cú dela: - já imaginou dois pintos te fodendo ao mesmo tempo. - já que ela não abria mão do meu eu ia dar para ela dois. ela não disse nada, mas percebeu minha frustração, agarrou o pinto de borracha e comeceu a chupá-lo, aquilo meu deu muito, mas muito tesão. e o sexo foi ficando melhor, mais quente, os movimentos mas gostosos, e a partir de um momento eu percebi que ela gostou e começou a esfregar o pinto no rosto, no queixo: - isso esfrega esse pinto sua gostosa! - eu disse. ela desceu e passou em seus seios passando a cabeça nos seus mamilos (que estavam um pouco maiores pela gravidez) e depois de esfregá-lo perto de onde meu pau estava ela enfiou com muito cuidado e dificuldade no cú. - você quer dar para outro pinto não quer? - eu quero! - ela disse! - quando? - perguntei. - quando você quiser. - ela disse. - vamos para a internet!

nós dois ainda estávamos nus, excitados. ela sentou no meu colo e buscámos sites de relacionamentos adultos. procuramos no orkut em comunidades de swing, e até chegam,os a cogitar ir para um swing club de moema. por não achar nenhum canditado que ela gostasse, abir um site de acompanhantes masculinos. os olhos dela brilharam, dei o mouse para ela e disse, escolha o que você quiser. ela olhava, lia o que eles falavam em sua descrição, e demorou até ela gostar de um. um rapaz jovem, forte, com um pinto proporcional ao seu corpo sarado, e de muita boa aparência. resolvemos ligar, mas o celular estava ocupado. passaram-se 15 minutos e nada. o tesão acabou esfriando e minha esposa reconsiderou o fato: - não posso fazer isso, eu estou grávida! - correu para o quarto e foi dormir, ou pelo menos fingir. passaram-se alguns meses e esporádicamente ela aceitava o pinto em nossas relações. mas por um complicação na gravidez ela teve um aborto natural. o médico falou que isso era muito comum na primeira gestação. um ou dois meses se passaram disso, e eu precisei viajar novamente para a venezuela. mas dessa vez graças a uma intervenção do governo norte americano, de onde minha empresa é, o problema foi resolvido com 5 dias de antecedência. voltei para casa mais cedo e é aqui que você entenderá do porquê o título dessa confisão.

resolvi fazer surpresa para minha esposa, passei em uma floricultura a caminho de casa e comprei rosas colombianas brancas, as preferidas dela. era noite de terça-feira, mais ou menos 9 horas, quando o táxi me deixou na portaria do prédio. subi, de elevador e procurei minhas chaves mas tive dificuldade em encontrá-la. pensei ter ouvido algo dentro de minha casa, e resolvi abrir a porta com cuidado quando achei o molho. as luzes da sala estavam acessas, mas a do pequeno hall não. é um corredo que dá para a sala e para a entrada da cozinha. espiei pela cozinha que tem american bar, e estava apagada o movimento da casa. vi uma camisa masculina, que não dava pra distinguir se era minha ou não no braço do sofá. tireir os sapatos e deixei a mala e as flores na cozinha mesmo. entrei sorrateiramente como um ladrão. meu coração batia acelerado, subi as escadas para o segundo andar de meu apartamento onde ficam os quartos e no meio da escada ouvi um gemido. era de minha esposa, a porta parecia estar aberta. ouvi a voz de um homem. andei mais cautelosamente ainda e não podia acreditar no que estava ouvindo, minha esposa gemia e falava não tão alto: - vai mete, me come. me come de verdade, você não disse que eu era uma princesa, então come a princesa. - fui até a porta do quarto e pela beirada observei uma cena que mudou minha vida pra sempre. minha cama, com um edredon branco e macio em cima, roupas espalhadas pelo chão, e minha esposa e um homem forte, muito forte pelas costas musculosas, metendo nela. fiquei hipnotizado como se tivésse vendo algum filme. sentei no corredor dos quartos e quase chorei. fiquei revoltado e resolvi acabar com aquela palhaçada em minha casa. mas então, antes que eu pudésse levantar, lembrei-me das fotos da internet e todo o ódio se tranformou em um incontrolável tesão. voltei e continuei assistindo a cena, o cara tinha levantado minha esposa e feito ela sentar em seu pau, muito semelhante à posição euq eu vi na net. a bunda dela maravilhosa, subia e descia, equanto o pau dele com uma camisinha rosa, entrava e saía do seu cú. ela jogava o cabelo de um lado para o outro, e rebolava no pau enorme. com as duas mãos ela acariciava os peitos sarados e enormes do garoto enquanto suas mãos másculas quase se encontravam ao segurar sua cinturinha. - que cú deliciosos! rebola princesinha, rebola na espada do seu príncipe. - ela deu um gemido ao ouvir isso e pulou com mais força. ele novamente a levantou, colocou ela de quatro e começou a meter novamente no seu cú. ver aquele homem enorme em cima dela, degurando-a firme com seus braços bem definidos era demais. mas ver o rosto de minha esposa (ele a deixou de lado, a parte esquerda do corpo dos dois voltada para onde é a porta). ela mordia o lábio inferior com os dentes e fazia uma cara de dor, mas ao mesmo tempo de prazer. muito safada. eu estava batendo punheta ali mesmo. o sexo deles ficou mais forte, e bem mais rápido, o rapaz começou a reduzir a velocidade das estocadas. minha eposa que estava num tesão só falou: - contiua, não pára! agora não não pára! pode gozar, goza no meu cú. goza nessa bunda! - falando isso o rapaz ainda segurou um pouco os movimentos, e minha esposa começou a fazer ela mesma os movimentos de ir e vir com a bunda no pau do cara. ele não aguentou e gozou, deitou seu forte e grande corpo nas costas da minha esposa. (eu não o condeno pois são necessário muito tempo de prática pra aguentar um cú daquele). e eu ao mesmo gozei, limpei rápido meu gozo na parede e chão com a manga da camisa logo que ouvi minha esposa falar que queria aumentar o tempo de programa e tomar banho de banheira com ele. desci rápido mas sem fazer barulho, porque ela mencionou ir buscar mais dinheiro. e eu sei onde minha esposa guarda o dinheiro, na sua bolsa, que sempre fica no balcão da cozinha.

peguei minhas coisas sem deixar vestígios, e saí de casa. peguei um táxi e voltei apenas no dia em que eu estava programado para retornar. fiquei trabalhando com as roupas que estavam na mala e mandando-as para lavanderia. batia punheta todos os dias imaginando o que ela estaria fazendo. naquela noite ainda falei com ela, já eram 11:30, ela disse que estava cansada pois tinha feito uma maratona na academia. ela disse que era para ficar mais bonita pra mim quando eu retornasse. (vadia pernsei eu). durante os outros dias ainda liguei para ela, pra tentar ouvir alguma coisa. na quinta-feira ela atendeu no mesmo horário que eu a flagrei na terça, e disse que estava deitada e com dor de cabeça. sua respiração estava forte e disse que estava cansada demais, precisava desligar. quando voltei, oficialmente, nosso sexo tomou outras proporções, e agora nosso sexo está fantástico.

obrigado por ler todo o relato. só me dei ao trabalho de escrevê-lo porque precisava contar para alguém, mesmo que esse alguém eu não conheça. se quiserem podem me escrever. por motivos de segurança e privacidade fiz um e-mail novo, casado21sp@yahoo.com.br

forte abraço