RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha cunhada, safada.

Pra começar vamos deixar bem claro....a cidade é Uberlândia, não Berlândia como dizem por ae.....Namorava uma gata que acho que era de familia pois a mãe não ficava pra trás. Gostosíssima. Não foi só uma ou duas vezes, que ajeitei a sogra pra alguns amigos meus. Gostosa com força. Mas essa história se passa mesmo com a delícia da minha cunhada Paula. Novinha, 18 aninhos, Paulinha tinha uns peitinhos de matar qualquer cristão. Vivia me testando com aquela cara de lerda. Sentava na minha frente sem calcinha, enquanto assistia tv com a irmã. Nem conseguia olhar na tela. Só naquela bucetinha que insistia em mandar beijinhos. Tínhamos altas brincadeiras de segurar na marra. Adorava abraçar e sentir aqueles biquinhos durinhos esfregando em mim. Conversava com ela no msn cada maluquice, que assim que desligava o computador tinha que me aliviar pensando na marvada. Até criar coragem de intimar, comi a namorada pensando nela um monte de vezes. Sacanagem.  Comecei mandando uns mangás de sexo(desenho japonês de sacanagem) ela pirava. Até que incentivá-la a um motel foi um passo. Pronto, estava aberta a porteira. A maluca adorava o sexo. Dava a tarde, de dia ou a noite. Comia minha cunhadinha até em quanto a irmã tomava banho na minha casa. Ficavamos ouvindo o chuveiro e metendo no quarto. Levava minha namorada pra trabalhar, e junto levava a cunhada pra fazer compania. Na volta, metia nela dentro do carro. Metia mais na Paulinha do que na namorada. Tava tarado nela. E ela em mim. Comia o cuzinho e gozava lá dentro. Ela era completinha. Até começar a dar zebra....arrumou um nomorado e não dava valor no cara. Desfazia do coitado até em festas de familia. O garoto queria ir embora, e ela mandava ele ir sozinho. Ela dava pro cara, e dava pra mim assim mesmo. Já não tínhamos mais medo. A gente transava em qualquer lugar. As transas eram as mais loucas. Até convidar um amigo; pois ela queria experimentar dois de todo jeito. Isso foi fácil. Enquanto ela me chupava, meu amigo fodia sua bucetinha com gosto. Dava porque gostava. Igual dizem por aqui: Dava pra ver o pau entrar.   Comecei a viciar ela a foder a três. Ae ela queria mais privacidade. Queria só comigo. Foi onde começou a lascar o meio de campo. Num determinado dia, enquanto metiamos, ela olhou nos meus olhos e disse: Te amo.      Numa ida em uma boate, eu minha namorada, ela com o mauhumorado  dela, a maluca chapou o melão misturando bebida, e começou o fiasco. Pegava na minha bunda, e dizia: te quero, gostoso...e eu só dando risinho amarelo. Ela tava possuida nesse dia. Tivemos que levar a doidinha pro UAI (HOSPITAL PÚBLICO) pra tomar uma glicose na veia. Desse dia em diante nossos encontros foram diminuindo até parar de vêz. A última vês que ficamos juntos foi só pra despedir. Foi uma metida gostosa, na hora do almoço....ela não queria transar comigo mais, pois, já tava apaixonada pelo namoradinho. Mas resolveu me dar esse presente de ``vai com Deus´´.  Viramos amigos, mas não nego que quando a vejo, tenho vontade pegar ela de novo.  Tá mais gostosa do que antes.     Ah... e só pra constar nos autos....a sogra continua uma belezura. Uuuuuui.     P.s: Paulinha, se um dia ler este relato, tenho certeza que vai saber e lembrar de quem esta escrevendo.    F.