RSS contos eroticos

Conto Erotico 90 HOMENS

Hoje, 15/10/2011, completei 90 homens que usaram minha bundinha para descarregar suas necessidades de macho. Desde 37 anos, o mais novo, até 63 anos o mais velho. Foram muitas trepadas onde levei muito leite na boca e no cuzinho. Algumas dessas picas eu já contei, outras tantas contarei à medida que o tempo passar. Como deu para notar tenho paixão por maduros, pois tenho 19 anos e dia dezenove de novembro farei meus 20 aninhos. Obviamente que conheço mais paus, pois comecei a chupar os paus dos meninos com 12 anos. E foram muitas chupadas nessa fase, até os 15 anos quando um senhor maduro me comeu a primeira vez. Lembro cada um deles, alguns verdadeiros machos no sentido da palavra. Caras potentes e que gozaram muitas vezes no meu cuzinho e na minha boca. Nunca sofri violência no sentido de apanhar ou ser espancado. Se falarmos em violência, podemos imaginar espancamento, mas o sentido de violência imagino outro tipo, pelo tamanho das picas que já me comeram. Alguns verdadeiros mastros em comprimento e grossura. Alguns me penetram sem dó me arrombando, às vezes quase a seco, por que antes costumo chupar e molhar bem. Uso o gel KY, mas alguns não dão tempo, chegam e já querem logo enfiar suas varas. Vou contar de um negão pedreiro, um verdadeiro guarda-roupa pela altura e pela sua caixa do tórax. O pau tinha pelo menos 24 cm ou até mais e o diâmetro era enorme. Me perguntam como eu encontro essas maravilhas de homem. Não faço propaganda, mas quem me come acaba contando para um amigo. E meu homem seguidamente trás seus amigos para me comer. Isso forma uma bola de neve. Penso se esses 90 caras contarem para mais 4 amigos, por exemplo, serão mais 270 paus no meu cuzinho. Rs rsrsrsrs... Esse negão, de nome, Luiz Carlos, trabalhava num prédio que ainda estão fazendo aqui perto de casa. Ao passar em frente à obra vi ele de macacão de trabalho. Me impressionou o tamanho de suas mãos e logo imaginei o tamanho da pica dele. Me deliciei com isso e a tesão falou mais alto. Como estava passando por ali, ele me cumprimentou e eu educadamente respondi. Como tinha que ir mais longe, passei rapidamente, mas voltei eram quase 6 da tarde. Recordei que sempre soube o que queria desde criança e escancarei as portas do meu armário aos 15 anos. Adoro maduros. Ele estava parando o serviço e observei melhor aquele macho. Para me aproximar falei com ele e perguntei se eu podia tomar água na torneira na obra. Eu estava usando uma bermuda baixa e ao ficar de cócoras meu cofrinho ficou aparecendo. Ele falou: - ei, garoto você não usa cueca ? Disse: - não, gosto assim, fica mais fácil de ficar pelado... Ele sorriu de modo estranho...e ficamos nos olhando olhos nos olhos. Ele rompeu o silencio: - você é veado, né garoto... Quer experimentar uma pica negra ? Balancei a cabeça afirmativamente e ele entendeu a dica... E completou: - vamos subir no quinto andar que já apartamentos prontos e mobiliados... Entramos e eu não pude resistir e acariciei muito o tórax dele, beijei e cheirei o pescoço, chupei e lambi os intumescidos bicos de seus peitos, lambi seu umbigo e, finalmente libertei um dos paus mais lindos que já tinha visto até então. Tinha pelo menos uns 24cm, grosso e cheio de veias, duro como um mármore e empinado feito a tocha da estátua da liberdade. Não tive um pingo de dúvida e abocanhei aquele nervo duro em questão de segundos e chupei muito até meu maxilar ficar dormente. Ele disse: - não seja guloso, vou tomar banho e depois você vai me dar o rabinho garoto... Enquanto ele tomava banho eu comecei a arrumar a cama o nosso ninho de amor... Ele veio de toalha mas não tinha como esconder o volume do pau... Não resisti e comecei a explorar com a boca cada parte do corpo dele... Quando passei a mão na bunda ele reagiu: - aí não garoto... sou espada... Ele calmamente lambuzou seu pau com um gel, e começou a bolinar meu cuzinho com os dedos me deixando bem lubrificado com aquele gel. Pedi para ele que me comesse... Então sinto pincelar a cabeça do pau no meu cuzinho e devagar e firme começou a enfiar aquela maravilha dentro de mim. Desconforto a parte pelo tamanho do mastro, eu já incendiava de tesão e quando senti ele me preencher comecei a “mordiscar” seu pau duríssimo com minhas pregas, dando a ele a bandeira livre para bombar a vontade. E assim ele me comeu: enfiava tudo, tirava até a portinha do meu cu, bombava forte, enfiava carinhoso, voltava a bombar... enfim ele demorou para gozar e quando gozou me senti como uma panela pois ele tinha muita porra... delíciaaaaaaaaaaa... Assim, ele logo se recuperou e continuou me fudendo com uma máquina de sexo... nas duas semanas que restou para completar a obra ele me fudia todos os dias... Até que ele foi transferido para outra obra em outra cidade... Sinto até hoje saudades do pau dele... Foi inesquecível.



Gostou? Então Compartilhe!