RSS contos eroticos

Conto Erotico Currado por 2 caminhoneiros dotados

Bem antes de tudo deixa me apresentar, me chamo Bruno (nome fictício) tenho 25 anos 1,80m 70kg, moreno bronzeado, marca de sungão, olhos castanhos claros, cabelos curtos, corpo liso e super discreto, sou de Brasilia, mas resido em João Pessoa. Sou um cara cheio de taras e fantasias, nunca pude realizá-las pois de fato são um pouco fortes e devassas, mas quem sabe um dia eu consiga tal façanha, então o que postarei nada mais é do que uma de minhas fantasias das quais eu gostaria de realizar, espero que gostem. Nas minhas férias de meio de ano resolvi dar um de mochileiro, me aventurar em lugares onde não conheço e procurar viver emoções diferentes, então decidi ir na BR e tentar uma carona com esses caminhoneiros que viajam pelas estradas desse Brasil, fui para um posto de gasolina que fica na saída da cidade e fiquei ali pedindo carona, depois de alguns minutos para uma carreta dessas grandes uma Scania 113 vermelha, muito bonita, a porta se abre e vejo dois homens, o motorista um homem branco de uns 1,85m 90kg braços fortes todo parrudo que tinha aproximadamente 42 anos, e um morendo de 1,82m 80kg também forte porém mais novo de aproximadamente 35 anos, o motorista perguntou para aonde eu iria, então eu respondi: Para onde o vento me levar, o moreno olhou para o motorista e sorriu e me disse, entra ai! Parece loucura mas a maneira como eles me olharam me deu um certo arrepio, mas fiquei na minha, perguntaram a minha idade, o que eu fazia e pq estava pedindo carona, expliquei que estava estressado da rotina e queria fazer uma coisa diferente, me aventurar por alguns dias. O motorista se apresentou, disse se chamar Pedrão e o moreno Douglas, me apresentei eles estavam transportando medeira, iriam para o sudeste, o papo vai fluindo o Pedrão disse ser divorciado que mulher é complicado d+, o Douglas disse ser noivo, me perguntaram se eu era casado ou tinha namorada, respondi que não, que era solteiro, eles se olharam novamente, e o Pedrão deu um sorriso safado para o Douglas, meus olhos percorriam discretamente o corpo dos caminhoneiros, o Pedrão vestia uma camisa regata branca e uma bermuda folgada e o Douglas camisa azul e uma bermuda jeans pude ver o quanto eles eram fortes acho que os corpos trabalhados devido a força que devem fazer por transportar cargas pesadas, perguntei como eles faziam para dormir, se ficavam em moteis na beira da estrada ou se dormiam no caminhão, foi então que Douglas me mostrou que na parte de trás dos bancos tem tipo uma cama, eu nem tinha percebido o quanto era grande e espaçosa a boléia, me virei para trás para ver, ele disse que eu poderia deitar se quisesse, mas eu disse que estava tranquilo, que gostava de olhar a estrada, num dado momento Pedrão entrou no assunto de sexo, disse que estava há muito tempo sem transar, que estava com um tesão acumulado e que teria pena de quem ele pegasse, o Douglas foi logo dizendo, ele não se chama Pedrão a toa, e riu, eu dei um de doido e perguntei: Por que ele se chama Pedrão? Douglas sem cerimônia alguma disse, cara ele é um jegue o pau dele é muito grande e grosso, e ele começou a rir, fiquei sem graça pois notei que Pedrão estava ficando exitado, eles perceberam minha vergonha, Pedrão disse para mim, pois é Bruninho o Douglas não fica pra trás não ele fala que sou jegue mas ele também tem um pau super grosso, não é grande feito o meu não, mas é grosso também, fiquei bobo como eles falavam de sexo sem pudores, eu fiquei super sem graça a ponto de ficar vermelho e minha exitação foi inevitável, e como eu estava sentado no meio deles pois quando entrei o Douglas ficou na janela, Pedrão sempre dirigindo mas sempre me olhava então o Douglas disse, olha Pedrão, o Bruninho ficou vermelho e tá de pau duro, então o Pedrão pegou e colocou a mão na minha perna, putz que mão grande ele tem, forte dedos grossos, fiquei trêmulo imaginado o pau dele. Então sem meias palavras o Pedrão disse, cara eu adoro cú de homem, me acabo quando como um, porém tem muito tempo que não arregaço um, o Douglas também gosta mas a noiva dele não libera o reguinho dela nem a pau, Douglas disse também ser tarado por cú, mas que também fazia muito tempo que não comia um, eles começaram a me alisar, Pedrão pegou minha mão e levou até o pau dele como a bermuda era de tak tel de tecido fino pude sentir aquela tora, ele estava sem cueca quando tatei o pau me assustei e puxei a mão e perguntei: Quanto mede isso, ele disse com o maior orgulho do mundo, tenho 25cm de comprimento por 18cm de circunferencia, nunca tinha visto um pau tão grande e grosso, ele disse que o pau do Douglas era grosso como o dele também, o Douglas sem nenhum pudor colocou o pau pra fora e pude ver também, era muito grosso também ele disse ter 20cm porém tinha a mesma espessura do pau do Pedrão, meu pau dava pulos de tão duro que estava, acho que devido ao tesão que estava tão grande tive um momento que tremi, de imaginar e o Douglas disse, para o Pedrão ele tá tremendo não sei se de medo ou de tesão, então Pedrão disse, cara vi que vc é um tesão, pude ver que vc é um cara bem gostosinho e adoraria fuder vc gostoso eu e o Douglas adoramos um carinha assim do teu tipo, magrinho, gostoso, nisso as mãos do Douglas percorriam meu corpo, ele pediu que eu ficasse de ladinho pois queria sentir minha bunda, nisso Pedrão me abraça com um dos braços e me puxa para junto do corpo dele me fazendo quase que deitar no seu corpo deixando minha bunda virada para Douglas que prontamente apalpa minha bunda e diz para Pedrão: Cara ele é magrinho e bundudo, tem uma bunda empinada, macia, nisso Pedrão cheira meu cabelo e acaricia meu peito e minha barriga por debaixo da camisa e diz, e ele tem a pele macia e tem cabelos cheirosos, ele parece ser um cara bem limpo, a gente tem a idéia de que todo caminhoneiro é rustico e fedorento, mas eles não, a boléia do caminhão era bem limpa, organizada, o local que era tipo uma cama atrás das poltronas do caminhão era super limpa, e organizada, e estar ali junto do corpo de Pedrão, com minha cabeça deitada no seu tórax forte exalava um cheiro de limpeza, e um perfume de homem porém suave, nisso acariciei o abdomem de Pedrão e sem medo peguei no seu pau, pude sentir o tamanho e a expessura, mais uma vez me assustei pois minha mão não fechava nele a chapeleta era enorme e rosada, parecia um cogumelo, nisso ele disse para Douglas, ele tem uma mão gostosa, quente, nisso Douglas fala, vem cá, quero sentir seu cheiro, e me puxa contra seu corpo, também toco o pau dele, super duro o corpo do Douglas também era forte, então Pedrão disse cara vc vai ser nosso, eu disse que achava eles um tesão mas que nunca tinha visto pau tão grande e grosso como o deles, e que não aguentaria, foi então que o Douglas falou, cara não tem jeito, vc vai ser nosso enquanto estiver viajando com a gente, nisso Pedrão fechou as janelas do caminhão que tinham isofilme e ligou o ar condicionado, e Douglas me disse, vai ali pra trás e tira a roupa, quero ver vc nú, então Pedrão disse! Ei, não vai comer ele não, quero participar da farra também, então Douglas disse, não vou comer ele não, só quero ver ele nú, mais tarde quando formos parar a gente procura um motel e ficamos por lá durante a noite, fazer essa parada vai ser por uma causa nobre. Nisso eu vou para a parte de trás dos bancos e fico só de cueca, fico meio envergonhado, e Douglas fala, cara vc é um tesão, magrinho lisinho e bundudo, tá ferrado na nossa mão, vai ter dois machos sedentos que não transam há 3 semanas, Douglas pede que eu tire a cueca, eu prontamente atendi, quando ele viu minha marca de sungão disse! Puta que pariu Pedrão que bunda do caralho ele tem, nisso Pedrão dá uma olhada para trás e diz, caralho, vou atolar meu pau nesse cuzinho, ele falou Bruninho, vc vai sair todo arregaçado, vc vai ver o que são machos de verdade, nisso meu pau já estava estalando de duro então o Douglas disse, Pedrão ele gosta tá até de pau duro quando vc fala. Eu disse que nunca tinha ficado com homens do porte deles e que eles eram dotados d+ que não sei se aguentaria tudo não, então o Douglas disse, cara somos fudedores vc vai viciar no nosso pau, nisso ele me chama para sentar entre eles novamente, porém pediram que eu ficasse só de camisa e cueca, seguimos viagem e sempre era acariciado por eles até que Pedrão decide parar, tinha um ponto de apoio de caminhões onde eles disseram ter um restaurante muito bom, me vesti, jantamos descançamos e conversamos enquanto assitiamos a TV do restaurante, nisso o Douglas olha o relógio e diz: Pedrão são 19 horas, vamos parar, vamos ficar nesse motel daqui que é bem limpo e tranquilo, ai a gente pode relaxar e nisso Douglas pega minha coxa por debaixo da mesa e Pedrão responde: Boa idéia! Meu tesão estava a mil, eu tremia não sei se de tesão ou de medo pelo que eu teria que encarar, Pedrão foi no motel enquanto pegavamos algumas coisas no caminhão, quando Pedrão voltou disse, vamos pernoitar numa suite, já está tudo certo, já paguei vamos lá, quando entramos pude ver que era uma suite legal, tinha TV, som, DVD uma cama grande de casal, uma banheira grande. Nisso que entramos Pedrão me puxa e me dá um bjo, ele me segurava forte, contra seu corpo quase me sufocando do arroxo, e Douglas me abraça por trás, sarrando meu corpo, lambendo meu pescoço enquanto sou beijado por Pedrão, minhas mãos percorrem as costas largas de Pedrão, as coxas grossas e fortes, nisso Pedrão diz, vamos para o banheiro, vamos tomar banho, nisso Douglas diz, vamos para a hidro é melhor, então enquanto Douglas coloca a hidro pra encher Pedrão com uma voracidade animal me arranca a roupa me deixando nú em um piscar de olhos, quando Douglas volta esta nú também, ai pude ver que homão ele era pois temos a verdadeira noção quando se vê sem roupa, ele era todo forte, eu disse, putz que tora de homem é vc, e ele sorriu, vc não viu o Pedrão, nisso Pedrão começa a se despir, então fiquei maravilhado, em ver um homem de 42 anos que mais parecia um colosso, todo grande, parrudo, forte, os pelos na medida certa e um pau que mais parecia um tronco de arvore de tão grosso e grande, nisso ele me puxa novamente contra seu corpo só que me colocando de costas para ele, ele sarra meu corpo, o pau dele roçando minha bunda e no meio das minhas coxas, nisso Douglas vem e me beija, putz que beijo gostoso, não beijava como Pedrão que parecia ter uma fome, o beijo de Douglas era mais calmo, carinhoso apesar dele me apertar forte a ponto de doer, num supetão Pedrão me pega no colo e me leva para a hidro, fico no meio dos dois acariciando os paus enormes e duros feito rocha, Pedrão fica apertando minha bunda enquanto chupa meus mamilos e nesse momento Douglas atola o pau dele na minha boca, eu tento impedir mas ele vai até minha garganta e segura minha cabeça com força, tento sair mas não consigo, Pedrão chupa meu peito com tanta força que chega a doer, então começo a sufocar com o pau do Douglas na garganta e ele diz é melhor ir se acostumando pois o Pedrão é bem maior, Douglas fudia minha boca como se fosse um cachorro que tenta engatar uma cadela no cio, nisso Pedrão começa a chupar meu cú, eu empino mais a bunda então Pedrão tá um tapa forte na minha buda me deixando com a bunda dolorida e vermelha, nisso eu dei um gemido isso parece ter sido música para os ouvidos deles pois eles ficaram calados e se olharam, o pau de Douglas pulsava na minha boca, e parece que ambos foram possuídos por mil demônios, eles já tinham um ar de dominadores natos, acho que isso é da personalidade deles, mas naquele momento se tornaram extremamente putos, dominadores e sádicos pouco se importando com o que eu estava sentindo, meu cú já todo chupado e lubrificado de tanto Pedrão meter a língua, quando menos espero sinto um dendo tentar me penetrar, ele metia forte, mas eu travava pois ele tinha um dedo grosso, pois Pedrão me puxou os cabelos tirando minha cabeça do pau de Douglas enfiou o dedo na minha boca para eu lubrificar e disse, abre o cu senão vai ser pior pra vc, nisso Pedrão cospe no meu cú e mete o dedo indicador de uma vez, dou um grito, Douglas tapa minha boca, enquanto Pedrão mete outro dedo em mim, e fica rodado o dedo no meu cú, doia mas estava ficando gostoso, meu rabo se acostumando com os dois dedos de Pedrão, foi então que ele fala para Douglas, abre esse cu com teu pau e prepara ele para mim, nisso Douglas me puxa para fora da hidro e Pedrão se apoia na pia do banheiro, ele puxa minha cabeça contra aquela anaconda tentando me fazer engolir ela toda, eu sufoco tento sair mas sou segurado por ele, enquanto Douglas chupa meu rabo lubrificando ele todo, Douglas mira aquela pau grosso e de uma metida só atola no meu cú, tentei gritar mas fui abafado pelas mão de Pedrão, perdi as forças nas pernas e fiquei tonto da dor, e Douglas laçou minha cintura com os braços dele e ficou mentendo, enquanto Pedrão me dava tapinhas na cara para voltar quando abri os olhos sentia como se um ferro estivesse me invadindo, Douglas metia forte fundo enquanto Pedrão socava o pau na minha boca, por mais que ele tentava não entrava tudo na minha boca pois não conseguia ficar com aquele pau na boca por muito tempo pois além de grande era muito grosso, depois de uns 5 min bombando forte Douglas goza dentro do meu cú senti o pau dele inchar e ele pulsar e jogar dentro de mim aquela gala quente, niisso ele fala para Pedrão, pronto, tá lubrificado pra vc, Pedrão me pega por trás e vai beijando meu corpo morde minha bunda e me leva pra cama me coloca debruçado deita o corpo sobre o meu, mete a lingua na minha orelha, morde meu ombro na parte de tras, enquando aquela tora roça na minha bunda toda gozada por Douglas, nesse movimento todo o pau dele encontra o buraco e sem dó ele enterra aquele pau enorme e grosso em mim, dou um grito pois senti como se chegasse no meu estômago, a dor era tamanha que perdi os sentidos por um instante, ele meteu fundo e de uma vez e ficou lá dentro parado, até eu acordar, quando eu consegui falar pedi para que ele tirasse de mim, parecia que eu estava sendo rasgado de dentro para fora, uma sensação de evacuar muito forte, nesse momento ele começou a movimentar, a cada medida dele eu via estrelas, aquele homem parrudo me pegando por trás, com todo seu corpo sobre o meu, com um pau de jegue atolado dentro de mim, eu chorava, minhas lágrimas escorriam pelo rosto, eu pedia para parar, mas nada, acho que ele ficou nisso por uns 30min metia forte fundo, o som dos estalos na minha bunda parecia bateria de escola de samba, quando ele via que ia gozar ele parava de meter e ficava fundo parado, depois começava de novo, depois de um tempo a dor foi passando, minhas mãos já acariciavam os braços dele, ai ele sussurrou no meu ouvido, tá gostando né putinha, sabia que ia gostar, nisso tirou a mao da minha boca, passou puxou minha cabeça para trás e me deu um beijo só que dessa vez mais calmo , ele sem tirar de dentro me colocou de frango assado ai voltou meu sofrimento pois ele começou a bombar forte e na posição de frango parece que vai mais fundo ainda, mas aguentei sem reclamar, só fazia gemer ele beijava minha boca, meu pescoço, me chamava de gostoso e nisso o Douglas se punhatando do nosso lado, quando sentir o Pedrão meter mais rápido e fundo ele disse que gozaria logo, nisso Douglas pede que eu chupe ele enquando Pedrão mete, nisso Douglas goza na minha boca me fazendo engasgar com tanta gala, nunca imaginei que um homem pudesse gozar tanto na segunda vez pois era muita gala, e Pedrão deu uma socada forte e funda, senti seu pau pulsar e jatos quente de porra me invadindo por dentro, Pedrão jogou seu corpo sobre o meu novamente todo suado, e ficou dentro de mim eu sentindo o pau dele dar pulsadas pós gozo até amolecer, e mesmo assim ele continuou dentro, Douglas me deu um beijo na boca, começou a me acariciar de maneira carinhosa, Pedrão saiu de dentro de mim, me abraçou de conchinha, me fazia carinhos também, fiquei sendo abraçado por trás por Pedrão e abraçado de frente com Douglas, Pedrão me fazendo muito carinho sussurrou a meu ouvido me pedindo desculpas por ter sido tão bruto e rude comigo, Douglas disse que também não queria ter sido bruto, mas que como eles estavam sem transar há muito tempo o tesão descontrolou eles e que eu era muito gostoso, eu não tinha forças para nada, quando tentei me levantar para ir ao banheiro pude ver que o lençol da cama estava sujo e tinha muito sangue, então Douglas olhou e disse, Pedrão, acho que pegamos pesado demais, olha quanto sangue, Pedrão me viu ficando pálido e correu e me segurou nos braços pois eu ia desfalecendo, me levaram para a hidro, Pedrão me abraçando dentro da água me fazendo carinhos, enquanto Douglas vem com um copo de suco para me dar para beber, eu disse que estava sentindo um dor forte então Douglas me deu um comprimido para dores e tomamos banho os 3 juntos, só que agora tudo com muito carinho e afeto, ligaram para a recepção pediram outro lençol de cama e pediram refeições, comemos e quando vi a hora vi que já passavam das 2 horas da madrugada, então que tive a noção do tempo, eles passaram mais de 5 horas me currando, dormi no meio deles, acordei as 8 horas da manhã com Pedrão falando ao telefone dissendo que teve problemas no caminhão e que não chegaria na data estipulada, mas que chegaria a tempo de não causar transtornos, então ele desligou e voltou para a cama, então perguntei o que tinha acontecido com o caminhão pois eu não tinha visto problema algum, então ele disse, que não tinha problema algum com o caminhão, é que ele tinha conversado com o Douglas e decidiram que queriam ficar comigo mais um dia no motel e que dessa vez seriam carinhosos, então foi o que aconteceu, passei 3 dias viajando com meus caminhoneiros e o que aconteceu nos outros dois dias conto em outra ocasião! Meu e-mail e msn é brunojordao23@hotmail.com