RSS contos eroticos

Conto Erotico DESCOBRINDO OUTRO SEXO

Sou um gordo bonito, cabelos pretos, rosto bem barbeado, peito e costas com pelos medianos, pau de tamanho normal, mas grosso e cabeçudo. Vivo há 10 anos com minha companheira, mulher morena, bonita, de cabelos encaracolados e corpo magro, porém coxas grossas e seios médios. Nossas trepadas sempre foram muito gostosas, sua buceta sempre esta lisinha, muito úmida (muito mesmo) e sempre quentinha.. Algumas vezes me presenteava com seu cuzinho bem apertadinho, mas raras eram essas vezes, pois dizia que meu pau grosso a fazia sentir dor, mas mesmo assim de vez em quando liberava aquele buraquinho delicioso pra mim. Sinceramente, sempre tive aversão ao homossexualismo, nunca me imaginava fazendo isso. Mas como tudo na vida não é pra sempre, um dia isso mudou... Tudo começou quando estava de férias, minha esposa estava trabalhando, por isso ficava o dia todo em casa sozinho alternando entre televisão e computador. Por indicação de um amigo, entrei em uma sala de bate-papo pela primeira vez só pra ver como elas funcionam. Acabei entrando em uma aqui da minha cidade, e depois de um começo só observando, eis que alguém com o apelido de “ CD Novinha” me cumprimenta e pergunta se podemos “conversar”. Por educação e curiosidade, digo que sim, podemos conversar. Ela me faz uma porção de perguntas, se sou casado, que bairro moro, no que trabalho, coisas bem gerais. Achei um pouco estranho todo esse questionamento, mas sem dar detalhes fui respondendo a todas perguntas. Em seguida, começou a fazer questionamentos mais profundos, como quanta vez transava com minha esposa, como era o sexo, tamanho do meu pau, coisas assim. Sem hesitar fui respondendo, afinal de contas não tinha nada pra esconder. Ai aconteceu o fato que iria mudar minha vida para sempre... Ela me disse que tinha muito tesão em gordos, adorava transar com gordos, pois tinha muito o que pegar...Comecei a sentir um pouco de tesão ao ler suas mensagens contando suas trepadas com gordos. Depois ela me questionou se eu sabia o que significa CD, eu lhe disse que não, e ela me perguntou se eu estava pensando que ela era uma mulher; respondi que sim e ela me disse que era um jovem que gostava de se vestir de mulher. Naturalmente no mesmo instante tive vontade de encerrar a conversa mas ela me pediu por favor para não fazer isso, que pelo menos lhe concedesse alguns minutos de conversa. Aceitei e ai que veio o fato estranho: quando ela começou a se descrever pra mim dizendo que tinha o corpo lisinho, sem pelos, voz afeminada e me contando como era suas fodas com gordos, comecei imediatamente a ficar de pau duro, quando mais eu lia mais ele endurecia. Passado alguns instantes, ela me perguntou se eu estava com raiva dela e eu disse que não, que na verdade eu estava com tesão. Era tudo que ela queria ouvir ... me perguntou se eu estava no trabalho e eu disse que estava em casa sozinho, então ela pediu se poderia me ligar para conversarmos um pouco. Aceitei , passei meu numero e ela me ligou. Conversamos um pouco sobre generalidades, mas depois ela passou a brincar comigo. Perguntou se estava de pau duro e eu disse que sim, então , com uma voz ainda mais afeminada começou a sussurrar, , dizendo que queria chupar meu pau todinho, que queria que eu a fodesse de quatro com muita força , mesmo que seu cu sangrasse um pouco. Nesse momento não agüentei, comecei a bater uma punheta e rapidamente enchi meu lençol de porra. O mais curioso é que o tesão não passou, ao contrario, aumentou. Disse isso a ela e ela me disse que então só tinha que ser de um jeito : ao vivo. Relutei um pouco, mas disse que sim, mas sem compromisso de realimente fazer alguma coisa, já que aquilo era muito novo pra mim. Combinamos para daqui a uma hora numa esquina não longe de minha casa. Liguei pra minha esposa e disse que um amigo me convidou para ir com ele a uma cidade próxima, e que só voltaria a noite. Ela aceitou sem problemas, pois sempre confiou cegamente em mim. No momento marcado eu estava numa esquina aguardando quase tremendo de tanta ansiedade. Em poucos minutos parou um carro diante de mim perguntado se eu era o Pedro (fictício). Respondi que sim, entrei no carro : quem dirigia era um rapaz com rosto de moça, absolutamente lisinho e bonito; ao seu lado , uma belíssima loira , mas que logo desconfiei ser uma travesti. Chegando no motel, o rapaz , que daqui por diante chamarei de Lindinha, correu com uma bolsa até o banheiro e a loira se sentou ao meu lado na cama. Perguntou se gostaria que ela me fizesse algo e disse que sim, que queria muito chupar aquela boca deliciosa e acariciar aque corpo escultural. No beijamos muito, na verdade chupamos um a boca do outro, enquanto eu passava minha mão nos seus seios grandes e com bicos muito duros. Nesse momento delicioso eis que surge lindinha, vestida com uma mini saia e uma blusinha bem curtinha, peruca de cabelo chanel, toda maquiada. Senti um tesão enorme, larguei a boca da loira e passei apara a boca de lindinha. Que delicia de boca....chupei muito. A loira travesti, começou a chupar meu pau freneticamente, e em menos de um minuto eu estava inundando sua boca de porra... As duas se olharam surpresas pois eu já tinha gozado, e nesse momento senti um tesão como poucas vezes em minha vida. Continuei beijando lindinha e a língua de loira veio se misturar as nossas...era muita saliva junto. Coloquei a loira de quatro e soquei meu pau sem do no seu cu, no que ela gritou de prazer. Continuei bombando seu cu, enquanto lindinha chupava minha língua com tanto gosto que chegava a babar Resolvemos trocar, tirei meu pau do cu da loira e enfiei sem do no cu da lindinha, ela também gritou de prazer mas pediu para que eu fosse mais devagar, pois eu cu não era arrombado como o da loira. Atendi seu pedido, mas continuei bombando no seu cu e ela gemendo. Enquanto isso, a loira veio me beijar eu não passei vontade : peguei seu pau e comecei a bater uma punheta pra ela. Era a primeira vez que pegava em outro pau que não fosse o meu e a sensação foi deliciosa, continuei punhetando com muita vontade e quando ela disse para parar senão ia gozar eu acelerei mais e ela deu um banho de porra nas costas da lindinha. Tirei meu pau fora do cu dela, lambuzei naquela porra e enfiei de novo...A loira me perguntou se eu queria ser comido e disse que ainda não, no futuro talvez., mas que queria experimentar outra coisa : chupar seu pau. Ela adorou a idéia e ficou de pe na minha frente com as pernas abertas encima da lindinha e enquanto meu pau entrava no cu de lindinha , a pica da loira chegou pertinho da minha boca ! Fiquei um pouco indeciso, mas o cheiro do pau com aquela porra por cima me deu muito tesão e abocanhei a cabeça...no começo chupei um pouco sem jeito, afinal era apenas a primeira vez que fazia aquilo. Mas em pouco tempo peguei o jeito e chupei muito gostoso. A loira anunciou que queria gozar e eu disse que não queria na boca, mas poderia gozar no rosto. Ela tirou o pau da minha boca e lambuzou minha cara. Imediatamente gozei no cu da lindinha de tanto tesão, mas não agüentei, acabei lambendo aquela pau cheio de porra e deixando a porra que esta escorrendo no meu rosto entrar na minha boca. O gosto embora um pouco amargo, era gostoso. Tomamos um banho os três juntos, jantamos e fui embora. Chegando em casa minha esposa perguntou da viagem eu disse que foi tudo bem e que provavelente iria outras vezes com eles... Ela acreditou numa boa e mais tarde quando me procurou eu disse que estava com uma dor de cabeça, por isso não transamos. Não por falta de vontade, mas é que ela iria perceber que quando eu gozasse pouca porra, pois costumo gozar bastante e já tinha dado a maior parte da minha porra para as duas deliciosas...no dia seguinte trepamos gostoso. Na próxima eu conto sobre minha suruba com uma cd e duas travestis, até xixi rolou... Estou aberto a contatos de travestis e cds, moro na região de campinas : Angelogordo77@hotmail.com.



Gostou? Então Compartilhe!