RSS contos eroticos

Conto Erotico HISTÓRIAS SECRETAS 12

Olá leitor, como sempre antes de começarmos, alguns esclarecimentos. Próximo ao final do ano a direção da escola do GUTO me chama para saber se ele estaria liberado para participar de uma olimpíada de química (no primeiro semestre), e outra de biologia (no segundo semestre) no ano seguinte, pois como ele era bom aluno e o primeiro do colégio. Eles estavam apostando todas as moedas nele e isso me deixou quase sem pisar no chão de tanto orgulho. Cheguei em casa e outra surpresa. - Caio é a Hilda no telefone – me diz a Aparecida. - Oi meu amor, como está a criatura mais meiga que eu conheço? - Ah! Caio para com isso, afinal você é mais que suspeito pra dizer isso. – e caímos no riso. - Diga Hilda. - Caio tem algum problema o GUTO cantar na abertura do nosso congresso na quinta-feira da próxima semana? Não te preocupa, vai ter cachê. - Como é que é Hilda? O mano já tá cantando profissional? – Me assustei. - Calma rapaz, não é isso não. É por que estamos precisando de uma atração especial no congresso e todos do curso concordam que é ele. Já meio bobo e mais orgulhoso ainda perguntei: - Co... Como assim Hilda? - Menino, pede pra ele cantar no violão Straight From The Heart do Bryan Adams(ah! Se ela soubesse do meu aniversário). Caio é lindo cara, eu chorei ouvindo. E London, London?E do Chico? Do Caetano? Da Bethânia? E o monte de MPB? Meu filho você tem um artista dentro de casa e não sabia? Não sei nem o que ele quer com Medicina... E o pior é que ainda vai passar, pois minha prima me disse que ele além de ser o melhor do colégio, ainda ensina os outros. Bonito, gostoso, inteligente, educado, bondoso. Poxa! Se eu não fosse amiga de vocês... Ai, ai eu não responderia por mim. – Começamos a rir novamente - Hilda eu vou perguntar se ele quer. Pois só vai depender dele, por mim tudo bem. E você como está na enfermagem? - Estou bem, como você sabe. Continuamos nosso papo por um tempo e depois fui tomar banho pra almoçar. O GUTO chega, o cubro de elogios pelo colégio, lhe dou alguns conselhos e falo da proposta da Hilda, ele sorri e aceita. Em seguida me puxa pro “nosso quarto”, chegando lá me encurrala na porta e pergunta: - Tá orgulhoso de mim, meu ídolo? - Muito, você não sabe o quanto. - Faço tudo isso pra você – ele me fala com os olhos rasos d’água. Não resisto e o beijo na boca, mas somos interrompidos pela Aparecida nos chamando pra almoçar. O resto da semana transcorreu normal, o GUTO se apresentou e eu infelizmente não fui, embora ele quase me implorasse para eu ir. Mas com certeza não daria certo, pois eu começaria a chorar e ele também e isso levantaria suspeitas. Então de comum acordo, dei minha câmera para a Hilda e ela gravou a apresentação toda (E hoje posso garantir que não daria certo mesmo, pois ao assistir a gravação chorei que nem um condenado e ele ali do meu lado chorando junto comigo). Enfim chegaram as férias e fomos para o interior, logo que chegamos lá minha Mãe determinou que eu fosse para a clínica da outra cidade no dia seguinte, para me tornar a par das coisas, o GUTO disse que ia junto, ela cortou logo ele, dizendo que ele iria para a fazenda, pois já estávamos grandinhos e precisávamos entender os negócios da família. Caro leitor, sabe aquela famosa “cara de cachorro que caiu da mudança”, estávamos os dois assim, ele quis chorar e eu disse: - Segura a peteca. Ela tá certa. - Mas como é que eu vou ficar longe de você? - Façamos o seguinte: Eu levo a camisa e a cueca que você tá usando hoje e você leva a camisa e a cueca que eu tô usando hoje. – Rimos da situação e assim fizemos. Estranho foi passar o dia inteiro de camisa, pois tava um pouco de calor, mas era por uma boa causa. Acordamo-nos cedo, nos despedimos e partimos cada um para o seu destino é claro cada um com seu “pacote de lembrança”. Ambos tivemos problemas e em conseqüência disso tivemos de ficar mais um dia. Ele chegou mais cedo que eu e obrigou a cozinheira a fazer as costelas de porco assadas que tanto gosto, mesmo o jantar sendo outra coisa. - Menino, tu acha que teu irmão ainda vai chegar hoje? – Perguntou minha Mãe um pouco irritada. - Se ele não vier, eu vou. - Meu filho que ligação tão forte é essa com teu irmão? Olha isso às vezes me assusta! - Ô MÃE, ele é o único irmão que eu tenho e foi sempre tão legal comigo. O que custa dá um apoio a ele? - É meu filho... Na verdade antes de tudo eu sou mãe e vocês dois me orgulham muito... Mas vamos deixar, pois o tempo sempre se encarrega de tudo. Terminaram a conversa os dois abraçados no sofá ele cheirando ela, como sempre muito carinhoso. Eram dez e meia quando eu cheguei, estavam todos dormindo, menos uma pessoa e adivinhem quem. Ele correu para o carro e me falou de pertinho: - Entra logo e vai tomar banho e jantar, senão eu te agarro aqui mesmo. - Calma AMOR, temos a noite toda. – Falei sussurrando. - A noite toda é pouca pra saudade que eu tô sentindo. - Tá bom, deixa eu cuidar então. – E me apressei em entrar em casa. Estou no banho quando ele entra se molha e me agarra ali mesmo, começou a me chupar feito um louco. Eu o puxo pelos cabelos e ficamos nos beijando, ele abre o box e me joga molhado na cama, nos atiramos num frenesi de tesão e paixão e logo eu o estava penetrando. Com ele estava de costas para mim e deitado, aproveitei para ficar fazendo “apoio”, deixando-o sentir apenas a penetração do meu pau sem o contato do meu corpo. - Não faz isso comigo não, te quero colado em mim. Te amo. – disse ele irritado Obedeci, me abaixei e comecei a mordiscar suas costas enquanto ele arrebitava mais a bunda pra mim e virava o pescoço para o lado buscando meu beijo. Ficamos nessa posição algum tempo quando... - Ai amor não para...Ai Caio enfia. - Pera. Vamos mudar de posição. – E mudamos para “tesoura”, ele fica de lado e abre as pernas flexionando a de cima, de modo que eu me encaixo no meio de sua perna sobre a cama. Começo a penetrá-lo ele puxa meu lençol e coloca ali perto, começando a se masturbar. Sinto o cu dele mastigar meu pau. - Enfia... Hummmm. Arrebenta com meu cu vai. – E começa a gozar fartamente e eu o acompanho gemendo baixinho também. Ficamos agarrados um pouco, então sinto o pau dele endurecer de novo. - Amor você me enlouquece... - Loucura é ficar longe de ti. Começo a chupá-lo e a chupar seus peitos, nos beijamos e digo a ele: - Me fode de quatro. Assumo a posição e ele me pega por trás, a penetração é macia e voraz, eu estava com fome daquela pica. Como ele tinha atirado fora o lençol sujo, eu puxo o outro. Empino mais a bunda, pois eu queria mais, e então o gozo começa a vir. - Ai mano arregaça vai, enfia... mete. Oh! Oh! – E abro uma torneira de esperma sobre o lençol, sentindo ele vibrando dentro de mim para em seguida cairmos desfalecidos na cama. Me viro e ficamos nos beijando, ele se levanta bruscamente me encara e diz: - Vamos cuidar? Afinal tu comeu a sobremesa antes do jantar. – Falou entre risos. - Ih! Amor. Pensei que fosse a entrada. - Rimos juntos Levantamo-nos, ele foi mais rápido que eu e foi para a cozinha. Quando chego lá ele está acabando de retirar o porco do microondas. Dois pratos na mesa, um suco de maracujá. Enfim ele ia jantar comigo, então se aproxima de mim e diz baixinho: - Sexo dá uma fome... – Eu o abraço e o cheiro no pescoço, ele me corresponde. Quando estamos terminando, nossa MÃE entra, para, olha pro GUTO e diz: - Menino será possível? Tu tá jantando de novo só pra acompanhar o outro? - Ô MÃE, é que vendo ele comer deu vontade... – Disse ele com ar de chateação. - Ô MÃE deixa o GUTO em paz. Se não come a senhora acha ruim. Né? Ela se dirige à geladeira, pega um copo com água e senta do meu lado, começando a perguntar que horas eu havia chegado e como estavam as coisas por lá. No meio dessa conversa o GUTO anuncia que vai se deitar, retira tudo da mesa e sai. - Bem meu filho, chegamos aonde eu queria. - O que MÃE? - Ficar a sós com você. Então ela me contou a situação e a conversa que teve com o GUTO no começo da noite, olha para a pia e diz achar estranho como ele me pressente e me lembra as situações da gravidez, da fase de amamentação e da infância (HISTÓRIAS SECRETAS 1). Eu apenas abaixo a cabeça, pensando no que vinha por aí. Ela me segura o queixo, vira meu rosto e me encara. - Seja franco comigo. O GUTO tem namorada?- Poucas vezes vi minha MÃE tão séria. - Ah! MÃE eu não sei. Ele é um garoto que não dá problema e se isso for um problema é dos menores. Dê tempo ao tempo – Respondo tentando passar irritação - Acho que deve ter. Afinal já foi até especialmente convidado para fechar a abertura do Congresso de Enfermagem agora esse mês. - Como é que é? – Perguntou surpresa Contei a ela sobre a apresentação e que tinha trazido para ela ver, ela me disse: - Olha se ele for bom mesmo quero que ele cante no meu aniversário mês que vem. Pronto deu certo, pelo menos por alguns momentos ela esqueceria aquela conversa. - Posso ir me deitar? - Que é isso menino? Sei que você tá morrendo de cansado. Quando cheguei ao quarto, meu AMOR tá me esperando com um sorriso lindo e de braços estendidos para mim, fecho a porta e corro pro seu abraço. Conto-lhe tudo da conversa. E quando falo da festa lhe recomendo para não cantar a música do meu aniversário, pois isso despertaria desconfianças de novo. - E agora? – me pergunta ele preocupado - Calma, só temos que ser mais cuidadosos. E por falar nisso... Levanto-me, vou até a gaveta da mesa de estudos, pego umas revistas e pergunto: - Já desfez a mala? Tirou o kit lembrança? - Não. Tá bem aí do lado. Abro e coloco as revistas no fundo por baixo da roupa, tiro o kit lembrança e volto para a cama. - Caio. – Ele me encara com os olhos lacrimejantes. – Não me deixa não. Pelo amor de Deus, fica comigo. - Eu já te disse agora nem a MÃE separa nós dois. As lágrimas rolam em seu rosto eu também me emociono e o beijo com todo meu carinho, ficamos ali agarrados e dormimos assim. No dia seguinte, me acordo primeiro e coloco um vídeo pornô antigo que eu tinha. Faço um teste, vejo que ainda está bom e deixo lá. O GUTO acorda. - O que é isso? - Um plano. Se te perguntarem sobre umas revistas pornôs, veja o que vai falar. Mas confirme – Respondi com firmeza. - Ah! Era isso que você estava fazendo ontem? - Era sim. O plano deu certo, minha MÃE foi informada dos lençóis sujos, e achou o vídeo pornô. A empregada achou as revistas e falou pra ela. Recebemos um senhor sermão. “Deviam ter pelo menos usado papel higiênico”, foi o que minha MÃE disse no final. Enfim, conseguimos contornar a situação. Caro leitor, ficamos por aqui e dependendo de vocês... Até a próxima.