RSS contos eroticos

Conto Erotico Montado pelo montador

Na ultima semana mudei de casa e aproveitei pra comprar um dormitório novo, já que o meu guarda roupas estava bem danificado.
fui até uma loja e efetuei a compra e fiquei aguardando a entrega. essa aconteceu dois dias depois da compra, muito mais rápido que o esperado e prometido.
depois dessa entrega fiquei aguardando ansiosamente a vinda do montador, para ver como ficaria o novo dormitório na casa nova.
três dias após, pela manhã ligou um rapaz dizendo que estaria indo montar meu move e perguntou se teria alguém na casa pra recebê-lo.
eu estava tirando um soninho de costume depois de almoçar e o cara tocou a campainha e eu desci pra atender.
só não me atentei ao fato de que estava de cuecas e fui abrir a porta. quando dei de cara com o garotão alto e de corpo escultural. tinha os olhos castanhos claros e uma bunda fora do normal.
suspirei e o chamei pra entrar e fui atendido prontamente.
perguntou onde era pra montar o móvel.
pedi que subisse, pois o dormitório estava no piso de cima onde ficavam os quartos.
entrou no quarto e começou o serviço.
fui até o outro quarto e sorrateiramente, tirei minha cueca, peguei uma bermuda e voltei pro quarto onde ele estava e passei pra ir tomar banho, já que o banheiro fica dentro do quarto.
já com segundas intenções, peguei uma toalha e não enrolei na cintura, passei por ele pelado e fui tomar meu banho e disse pra ficar a vontade.
o banheiro do quarto não tem porta e de onde ele estava se quizesse poderia me ver tomando banho.
percebi que ficou meio desconcertado ao perceber que não tinha nenhum pudor em estar ali pelado tomando banho diante de um estranho.
fiquei uns 30 minutos no chuveiro. aproveitei pra fazer a barba e tudo que tinha direito e observava ele montando meu dormitório e as vezes ele retribuía com um papo e outro e uma olhada meio sem querer. principalmente quando estava de costas, percebia através do espelho que ele ficava olhando minha bunda.
desliguei o chuveiro, me enxuguei e voltei pro quarto.
fiquei conversando com ele até que disse que era dono de uma video locadora e no meio do papo ele assumiu que só ia à locadora pra alugar filmes pornôs.
aproveitei pra dizer que tinham vários e coloquei um no aparelho pra passar enquanto continuávamos o papo.
percebi que ele não estava mais trabalhando no ritmo anterior e a cada parafuso parava pra olhar o filme e fazia comentários do tipo:
- porra, o cara ta judiando do rabo dela, mano – parece um cavalo!!
aos poucos fui ficando excitado com aquela situação e lancei a idéia:
- deixa-me ir me vestir, nem posso ficar olhando pra esses filmes que já fico animado – to no maior osso!
- eu também cara, faz dois meses que não fodo ninguém.
sai e fui colocar a bermuda e voltei pra lá.
quando cheguei de volta o cara tava parado olhando o filme e esfregando o pau.
- quer que deixe você ai sozinho pra se aliviar? perguntei maliciosamente.
- nada, irmão, quando to doidão bato uma até na rua se deixar.
- então fica a vontade, não se sinta envergonhado!
sai do quarto e fui à cozinha fazer um suco pra oferecer pro boy quando terminasse o serviço. acho que demorei uns 15 minutos.
voltando ao quarto tomei um grande e agradável susto. o cara estava se punhetando na maior moleza encostado-se a umas das caixas de papelão.
- opa! desculpa cara, não quero atrapalhar.
- fica de boa que não tenho vergonha, já disse.
- nada, vou sair – já que não posso ajudar, também não quero atrapalhar!
- ajudar? se você não fosse homem até aceitaria uma ajuda mesmo, mas não esquenta, só quero aliviar um pouco – o filme é bom pra caralho!
fiquei calado por uns instantes e ficava só esfregando minha bermuda e olhando pra ele ali se masturbando sem que ele percebesse. estava louco pra poder colocar minha boca naquela vara de cano curto, mas grossa o suficiente pra encher minha boca sedenta por rola branca e veiuda.
até que não agüentei mais e me aproximei dele e sem dizer nada, levei minha mão até seu cacete. ele deu um puxão pra trás e empurrou minha mão.
já que a situação estava formada voltei a me aproximar e peguei novamente no seu pau. dessa vez melhor sucedido. ele nem titubeou e simplesmente tirou suas mãos e deixou que eu lhe tocasse aquela punheta.
- bate uma bronha no meu cacete então mano, mas nunca diga isso pra ninguém que é embaçado ser tocado por outro cara.
- relaxa montador que ninguém te conhece e nunca vou dizer isso pra ninguém.
- e sua mulher? que horas ela chega?
- não sou casado, moro só com um amigo!
- amigo? ele também gosta de pinto?
- gosta!
- e você o come ou ele come você?
- os dois!
- ah é! então gosta de dar o rabo!
nesse momento percebi que o cara estava gostando da situação e a cada bombada que dava com minha mão em seu cacete ele desferia um gemido em meio às bobagens que estava me perguntando.
não demorou muito e eu me ajoelhei entre suas lindas pernas, agora desnudas de sua calça e enfiei seu pau inteiro na boca de uma só vez e pude ver o quanto estava agradando com meu carinho em seu membro.
- meu! que delicia de boca – quente – como você chupa bem mano! não para não ta muito bom cara!
fiquei ali chupando até que ele abaixou perto do meu ouvido e pediu pra eu dar o cuzinho pra ele.
- deixa-me colocar ele no seu rabo! deixa-me foder seu traseiro.
puxou-me e começou a passar a mão na minha bunda.
cada vez que encostava minha boca perto da dele, ele se afastava.
- beijar minha boca não quero cara – nunca beijei outro cara!
- e já comeu outro cara? – perguntei!
- também não – se você quiser vai ser o primeiro que vou foder!
diante da situação e daquele homenzarrão, não podia negar o pedido e fui à gaveta pegar um preservativo e me posicionei.
o safado parecia treinado no assunto, cuspiu na mão e untou meu cuzinho de saliva e começou a empurrar sua vara pra dentro.
- vai devagar cara, faz tempo que não dou meu cuzinho!
- então vou fazer bem gostoso pra você comprar vários móveis pra eu vir montar pra você e em você.
pediu que eu ficasse de quatro pra poder socar o pau inteiro e foi feito. seu saco batia na minha bunda a cada bombada que dava dentro de mim. uma trepada ótima.
parecia que nunca ia gozar. ficamos um tempão na foda até que ele tirou o pau de dentro de mim e disse que ia gozar.
tirou a camisinha do pau e daí começamos a bater punheta juntos até que gozamos, quase que ao mesmo tempo.
inauguramos o colchão novo e fiz um grande favor para o rapaz sedento por sexo.
espero poder comprar tão logo outros vários móveis pra que ele venha montar!