RSS contos eroticos

Conto Erotico MOTORISTAS DE ÔNIBUS

Fevereiro de 2011. Viagem até Foz do Iguacú. Ônibus lotado na partida e poucas pessoas chagando em Santa Catarina. Quando entrei no ônibus me deparei com um belo exemplar de motorista. Cara grande, calvo e lindos olhos azuis. A viagem é longa e algumas vezes eu ia à cabine para jogar conversa fora com o profissional da direção. Soube que eles trocavam de motorista no meio da viagem, mas naquele dia ele ia seguir como passageiro dormindo um pouco na poltrona de exclusividade deles, bem escondidinha onde cabiam perfeitamente duas pessoas. Conversa vai conversa vem, começamos a falar sobre sexo e as mulheres, preferencia dele. Entramos também no papo sobre veados. Ele disse que nunca tinha feito sexo com um, mas até que gostaria de experimentar. Ficamos amigos e ele me olhava de modo estranho talvez por eu bonito. Notei que ele me reparava quando nas paradas do ônibus. Na rodoviária de Carazinho, ele foi ao banheiro e eu fui junto com outros homens. Fiquei ao lado dele quando fomos desaguar e pude ver seu belo pau. Ele percebeu que olhava e me pareceu que ele gostou. Terminamos o xixi e ele se virou de frente para guardar aquele mastro. Notei que ele demorou um pouco para guardar. Saímos de volta ao ônibus e eu segui até na lanchonete. Quando voltei ele não me viu, mas ouvi ele dizer para o outro motorista que ele ia se dar bem por que tinha certeza de ter encontrado um veadinho no ônibus. Quando entrei no ônibus ele disse que ia deitar e o outro motorista ia seguir viagem. Até disse para ficar a vontade e conversar com seu colega. Por volta de 2 da manhã o sono já estava me pegando e o motorista disse que poderia deitar na cama/poltrona pois havia 2 lugares. Perguntei se não haveria problemas pois era estranha a situação. O motorista piscou para mim e disse para mim deitar por o outro estava esperando, pois tinha percebido que eu era frutinha. Entrei no local e deduzi que ele gostou. Quando deitei percebi que ele aproximou seu corpo na minha bunda. Neste momento não resisti e coloquei a mão no pau dele. Aquela situação me deixou excitado e percebi no escuro que o pau dele crescia bastante. Cabia dois na cabine para era um tanto apertado, quando ele me pediu para tirar a bermuda. E me deu um beijo molhado na boca. Me contorcendo me virei e pude abocanhar o pau dele dando-lhe uma bela mamada. E ele enfiava dois dedos no meu cuzinho preparando uma possível enrabada. Mas de tanta tesão ele acabou gozando na minha boca e eu tive que engolir toda a porra dele, mesmo no escuro. Então ele me disse que no fim da viagem ele queria me comer no alojamento deles em Foz. Fiquei calado e as palavras não saiam da boca, fiquei pensando como seria bom. Me enchi de coragem e falei: - como vamos fazer ? Ele disse para mim descer do ônibus como passageiro normal e fosse ao banheiro. Ele ia me pegar lá, para sairmos juntos e ir ao abatedouro. Depois de bem sequinho o pau dele saí da cabine e fui tentar dormir nos bancos de trás, pois o ônibus já estava bem vazio. Nem dormi direito só pensando na foda com ele. Chegando fiz o que prometi e me desloquei até o banheiro. Chegando lá troquei de roupa e coloquei uma calcinha por baixo do short e esperei meu motorista. Para minha surpresa ele chegou acompanhado com o segundo motorista do ônibus que também era gostosão. Eles disseram: Vamos putinha, hoje tu vai dar o cu como nunca veadinho. Pensei comigo: dois motoristas na minha bunda. Que delícia. Chegando no alojamento ele mandou entrar. Então eles me levaram para um dos quartos. Logo ele tirou a cueca e ficou balançando o pau só para me provocar. Ele me agarrou por trás na porta do quarto e começou a beijar meu pescoço por traz, aquilo me arrepiou todinho e ele foi colocando a mão dentro do meu short e apalpou minha bundinha. Em seguida Otávio (o primeiro motorista) me empurra para a cama e me mostra o pau colocando em direção a minha boca. Chupa veadinho, foi a ordem dele. Caí de boca, lambi o saco e subia até a cabeça e abocanhava mamando como um bezerro desmamado e passando a mão naquele saco. Não me segurei quando Ernesto encostou seu pau na entradinha do meu cuzinho. Ernesto tirou a roupa também e me virou de bruços e passa a língua por toda minha costa até chegar na bunda, abre minhas pernas e começa a lamber meu cu, em dado instante ele enfia a língua no meu cu, e a sensação foi indescritível, me arrepiei todo Ele pega um travesseiro alto coloca em baixo do meu quadril, pra minha bunda ficar empinada. Ele me manda ficar quieto, pra minha surpresa a posição era pra ficar melhor de lamber meu cu, ele disse que adorava fazer aquilo, e com minha bunda carnuda era melhor ainda, ficou fazendo isso uns minutos e pagou uma pomada e untou o pau e devagar foi forçando a entrada do meu cu. Eu de quatro fiquei dominado por aquele motorista. Quando me dei senti o gosto da porra do Otávio que estava gozando na minha boca. Ele ajeitou o travesseiro de novo colocando minha bunda mais empinada e então enterrou aquele mastro todinho no meu cuzinho. Nisso percebi que entravam no quarto mais dois caras, um deles um negão tipo guarda-roupa. Com cara de safado vi ele colocando a camisinha naquele pau gigante. Ernesto então deu estocadas bem rápidas e gozou muito no meu cuzinho. Fui ao delírio. Nem tinha me recuperado o negão falou: - Veadinho, agora é a minha vez de comer esse rabo de puta. O pau dele era grande e grosso, pensei que não iria aguentar. Ele me virou me colocando de frango assado erguendo minhas pernas no ombro dele deixando meu cu totalmente livre para ele. Então ele enfiou o mastro todo no meu cu e me ordenou que eu falasse bastante. Eu dizia: ai que pau gostoso... me fode... vai porra... fode tua putinha... rasga meu que é todo teu... cada palavra que eu falava ele bombeava cada vez mais rápido até que jorrou porra que escorria pela perna. Ele saiu e dei o lugar a outro pau que havia entrado com ele no alojamento. E foi metendo o pau na minha bunda sem dificuldade, pois meu cuzinho já estava alargado. Eu gemia e dizia: me come... me rasga... que pau gostoso... quero ele todinho no meu cu... quando ele ia gozar ele me mudou de posição sem tirar o pau e me colocou de 4... ele me pegou e fez encostar minha bunda nos pentelhos dele. E fazia o vai e vem bem rápido. Então senti seu pau pulsando e ele gozou lá dentro, bem fundo que pude sentir o leite quentinho no meu canal. Em nenhum momento eles foram violentos, mas me xingavam bastante me chamando de putinha, vagabunda, cadela, piranha. Então fiquei deitado quando ouvi a voz do Otávio que me disse: - agora vai tomar banho putinha e vai dormir um pouco para descansar que te chamamos para almoçar. Depois vou comer teu rabo gostoso. Você tá me devendo o cuzinho né... só gozei na tua boca vagabunda... Fui para um banho para me limpar de toda a porra e eles mandaram deixar a porta aberta para eles verem um veadinho tomar banho. Fui dormir e eles me acordaram quase uma da tarde. Otávio perguntou se eu queria sair. Disse que minha viagem era ir comprar alguma coisa no Paraguay. Então ele disse: te levamos até a ponte aí você vai lá e volta. Me deram minha identidade e meu cpf e a grana. Ficaram com o resto das minhas coisas... mochila... era para garantir que eu voltava e deram risada... voltei quase 6 da tarde e quando estava no Brasil um cara me abordou dizendo que era para acompanha-lo até o alojamento dos motoristas. Obedeci e segui o cara devia ter uns 40 anos mais ou menos. No trajeto ele me disse que o serviço de me buscar era para eu pagar com o rabinho. Dito e feito, ele me levou para um lugar afastado onde esperava mais 2 colegas dele. E me fizeram chupá-los muito e todos enfiaram suas varas no meu rabo gozando bastante. Então finalmente eles me levaram de volta para o Otávio. Quando eu cheguei ele me falou: - deu o rabo de novo, vagabunda ? E completou: Agora vou descontar em você todas as fodas que fez. Hoje você vai ser minha a noite toda, piranhuda. Todos caíram na gargalhada e pude compreender que o Otávio sabia de tudo, pois ele que me ofereceu as 3 picas dos colegas dele. Então Otávio me mandou tomar banho que ele ia me levar a um motel. Entramos normalmente e o cara da portaria me olhou e conferiu a identidade. Tudo certo e comentou com o Otávio: - Arranjou terneiro novo ? E fomos para o quarto, amplo, com dois ambientes. Cama redonda e espelhos no teto e nas paredes. Uma luz roxa dava o toque na tesão. Logo Otávio ficou atrás de mime me colocou no encosto do sofá com a cabeça para baixo e abriu bem minhas pernas deixando minha bunda empinadinha. Ele ainda afastou minhas nadegas deixando o cuzinho todo aberto para o pau dele. Ele colocou dois dedos no meu cu me massageando com uma pomada/gel que deixou meu cuzinho bem aceso e com tesão. Então ele disse, pede e implora meu pau vadiazinha. Falei: - me fode vai meu macho, me arregaça todo, tira os dedos e coloca o pau vai, rápido, quero sentir de novo essa tora dentro de mim... ele colocou a cabeçona do pau na portinha e começou a roçar no meu cuzinho me deixando loca de tesão. Aí ele abriu com os dedos a portinha e enfiou o pau de uma vez só enterrando todo até eu sentir os pentelhos deles na minha bunda. Eu gemia e dava gritinhos de prazer... ai, ai, ai, ai, em cada bombada que ele dizia: sou teu macho vadia... de repente ele aumenta a velocidade do vai e vem e logo começou a gozar... me inundando de porra quentinha lá dentro do meu cuzinho... e o safado nem se deu ao trabalho de tirar o pau... só tirou quando amoleceu... quando saiu o pau saiu porra por todos os lados molhando o lençol da cama... então ele mandou eu lamber tudinho... me limpei no banheiro... e o resto da noite ele deu mais 4 gozadas em mim no cuzinho e duas na boca... de manhã comentei com ele: Otávio, não imaginava que seria tão bom assim, tu fode como um macho insaciável... Em seguida vestimos nossas roupas e saímos do motel 9 horas da manhã. Então ele me levou na Rodoviária e me deu a passagem de volta gratuitamente. Fomos no banheiro da rodoviária e dei uma chupadinha no pau dele para ele não esquecer de mim. Na viagem de volta o motorista comentou com um sorriso: - Tá arrombadinho cara ? Uma hora dessas também vou querer...



Gostou? Então Compartilhe!