RSS contos eroticos

Conto Erotico O Lekinho do Metrô

Tenho 30 anos, 1,90 e sou ativo. Certa vez o metrô tinha parado na estação Ana Rosa em horário de pico e daí o vagão ficou muito lotado. Notei que havia um moleque de aproximadamente 22 anos que, sutilmente, fazia com que sua bundinha se esfregasse bem devagar na minha coxa direita, quando o metrô dava aquelas paradinhas bruscas aí ele forçava mais. Aquilo estava começando a me excitar e então eu fazia com que minha perna direita ficasse no meio da bundinha dele, não demorou muito e fiquei encaixadinho atrás dele e de pau já latejando, o que eu queria mesmo era pegar naquela cinturinha (ele devia ter uns 1,72) e chupar aquele pescocinho, mas me contentei em ficar pulsando meu pau na bunda dele e, antes de descer, ele pegou o celular e digitou o número dele pra eu anotar, fiz um sinal que havia registrado o número e então ele deu uma apertadinha de leve no meu pau e ali terminou com um olhar safado de "quero mais". Mais tarde telefonei pra ele e conversa vai, conversa vem, marcamos num motelzinho ali perto do Tatuapé. Quando já estávamos no quarto, envolvi-o por trás e dizia "agora você é meu", comecei pegando-o pela cintura e chupando o pescocinho dele, sussurrando coisas do tipo "lekinho gostoso do caralho, vou foder bem gostoso", ele me retribuía com uns gemidinhos e dizia que era meu putinho e faria tudo que o macho dele quisesse, aquilo me deixou louco de tesão, tirei a roupa dele e coloquei-o de quatro, daí comecei a chupar aquele cuzinho e a punhetar o leke. Ele dizia pra eu parar porque ele não aguentava de tanto prazer, eu dei um tapinha na cara dele e disse que ele só iria gozar quando eu mandasse. Depois de muito chupar aquele cuzinho, sentei na cama e dizia que agora ele iria mamar o macho dele, cara... aquele leke parecia que tinha veludo na boca, pois ele sabia mamar de tal modo que me deixava nas nuvens e me fazia gemer de tesão, salivava bastante no meu pau, depois disso eu coloquei ele de ladinho e fui metendo bem devagarinho, quando aquele cuzinho apertado se acostumou, comecei a meter de moto mais intenso, daí eu o segurava forte e dava tapa cada vez mais forte na cara dele, dizendo que ele era meu putinho, o leke dizia pra eu foder ele mais forte e mais gostoso. Depois coloquei ele de quatro e enterrei sem dó, puxando o cabelo dele e metendo forte, até a hora que ele não aguentou e gozou intensamente. Assim que ele gozou, eu o coloquei de joelhos e fiquei batendo com meu pau na cara dele, daí o leke fez cara de putinho que queria leite, acabei gozando na boquinha dele. Depois dessa putaria toda, a gente tomou banho na hidro e lá ficamos uns 40 minutos conversando antes de irmos embora, sei que depois a gente repetiu a dose umas duas vezes.... porém acabaou que cada um foi pro seu canto, quem sabe o que o próximo metrô cheio pode me reservar...
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.