RSS contos eroticos

Conto Erotico Surpreendido pelo amigo hétero e pelo ex.

Primeiramente vou me apresentar: meu nome é Frederico, tenho 21 anos, atualmente resido em SP, sou alto, moreno e de olhos claros (verdes). Segunda-feira chuvosa, típica de São Paulo. Acordei, com aquela vontade de voltar à cama, e me arrumei rumo ao cursinho... Dia normal, como qualquer outro. De volta para casa, já umas 16h da tarde, resolvo verificar minhas mensagens no Whatsapp, dar uma espiadinha no Facebook, quando me deparo com a seguinte mensagem, inesperada, daquela amizade que você almeja que vá além, dizendo: "bora sair hoje! Terminei com a minha namorada e quero beber para esquecer". Fiquei estático, pois o namoro era tão sólido que foi difícil cair à ficha. Mas daí lembrei de seu corpo atlético, seu sorriso sacana, sua felicidade após aquela pelada de toda terça e acabei resolvendo, por já estar mal intencionado, aceitar o convite irrecusável de meu amigo. E que amigo... Henrique tinha um jeito sedutor, uma cara de macho, que me tirava do sério. Sempre me imaginava trepando com ele nas posições mais brutais, pois ele deixava evidente que era um bom metedor e que sua piroca continha 20cm. Já no bar à espera de Henrique, fui bebendo minha cerveja. Até que me deparo, acidentalmente, com o Gabriel (meu ex-ficante). Papo vai e papo vem, pensava que o Henrique tinha esquecido de nosso encontro, e me deixei levar pelas cantadas do meu ex. Bebemos muito e consequentemente precisavamos ir dar aquela ida ao banheiro. Fomos os dois juntos, e já pode-se imaginar o que ocorreu. Banheiro vazio, várias cabines, e optamos pela de deficiente, por ser mais espaçosa. Nós trancamos, nos beijamos, nos acariciamos... Roçava minha mão em seu cacete por cima da calça, mas já o queria em minha boca. Rapidamente abri a fivela de seu cinto, abri sua calça, e modiscava seu pau que ainda estava dentro da cueca. Resolvi abrir para relembrar os bons tempos, e confesso que estava com saudades daquele caralho rosadinho, médio, e muito grosso. Lambia tanto, e me vinha à boca aquele gosto de homem, aquele gosto específico de rola suada; que por fim resultou em jatos de porra em minha garganta. Saí primeiro, e o deixei se recompondo no banheiro. E quando me deparo, felizmente, com o Henrique, já no bar, bebendo todas. Me juntei com ele, conversamos muito. Ele chorou, e acabei o levando para minha casa para bebermos mais. Chegando à minha residência, abrimos uma tequila, vimos um filme aleatório, e já juntos no sofá, me deitei um pouco encostado a ele. Henrique todo macho retrucou, dizendo que era para eu me afastar, porque ele não queria nada e o assunto dele era mulher. Logo fiz um carinho em sua coxa, apertei sua pica que já estava meia bomba, e sussurrei em seu ouvido: "me deixa ser sua putinha, só hoje". Ele recusou muito, mas acabei ganhando pelo cansaço. Me ajoelhei no meio de suas pernas grandes e voluptosas, tirei sua calça e sua cueca de uma vez. E de fato, aquela piroca tinha 20cm e era muito grossa, mas não tanto quanto a do Gabriel. Beijei seu corpo todo, paguei um pouco de boquete, e fiz questão de dar meu cuzinho para ele. Fiquei de quatro no sofá, ele prontamente colocou uma camisinha e já sabia o que tinha que ser feito. Sentia cada metida, cada estocada, ele era agressivo, mas ao mesmo tempo carinhoso; pois era muito experiente (como já tinha citado) e sabia o que estava fazendo. Me dava tapas, e urrava. Depois de uns 20 minutos de muita foda ele disse que queria gozar em minha boca. Gozou tanto, mais tanto, que logo pensei que aquela sua ex-namoradinha não estava dando conta era do recado daquele machão. Lambi até a última gota. Henrique colcou seu mastro pra dentro da calça, agora sem cueca, abotoou sua camisa e jogou em minha cara sua cueca e disse: "fica de presente, putinha, quando sentir falta, fique cheirando para sentir o cheiro do seu homem". E foi embora, me deixando pelado, gozado, em meu sofá. fredericobsneves@hotmail.com
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.