RSS contos eroticos

Conto Erotico Viajando com o colega de trabalho

Olá a todos,
Este conto é real e aconteceu comigo a 3 semanas, no final de novembro de 2013.
Primeiramente, deixe eu me apresentar, me chamo Marcelo, trabalho em uma grande empresa aqui no Rio de Janeiro, sou casado, 29 anos, moreno de praia, 1,82al, corpo atletico e confesso que sempre tive atração por homens e por mulheres.

Desde que comecei a trabalhar nesta empresa, devido a terem pouquissimas mulheres e a maioria já coroa, observo mais atentamente os homens. Devido a ser uma industria, tem muitos coroas, mas tem alguns garotões com seus 20 e poucos anos e adoro quando da a hora de ir embora, ver aqueles garotões fortes e com suas pirokas a mostra me deixa excitado. A maioria das vezes vou tomar banho quando todos praticamente já foram embora pois tenho medo de alguem perceber minha ereção, mas pra minha sorte, tem um rapaz cujo nome é Pedro que sempre toma banho mais tarde, pois ele pega meia hora mais tarde e vai tomar banho exatamente na hora que estou no banheiro. Ele tem 22 anos, malhado, moreno, 1,75al e uma piroka que mole já é grande.

Eu sempre tentava puxar assunto, sobre como foi o dia, etc... mas nada além disto.

Como ele entrou na empresa na mesma semana que eu, marcaram uma integração de 02 dias com o pessoal da filial de São Paulo e fomos justamente eu e ele.
Chegado o dia, a secretária da empresa havia marcado o voo e reservado o hotel. Fui direto pro aeroporto e encontrei ele lá. Pegamos o vôo, com ele sentado do meu lado e na minha cabeça pensando um monte de besteiras, mas o medo de ele não curtir e ainda espalhar era muito grande.

Chegamos no hotel, a secretária havia esquecido de mencionar que era pra ter 02 camas de solteiro no quarto. Com isso o quarto reservado só tinha uma cama de casal e como teríamos a integração logo após o almoço, não daria pra ficar procurando outro hotel. Perguntei a ele se tinha algum problema e ele disse quer não, então subimos e na minha mente algo me dizia que tudo conspiraria a favor. Chegamos no quarto e fui desfazer minha mala, colocar o notebook pra carregar e ele foi logo tomar banho e deixou a porta entre aberta. Como ele estava demorando um pouco, resolvi entrar no banheiro como se fosse fazer barba, só que como entrei de repente, peguei ele tocando uma punheta e ele rapidamente parou e ficou sem graça. Eu disse que ele podia continuar, pois sou homem tb e sei como é e que também tava louco de vontade de bater uma, pois minha mulher não tava comparecendo a uma semana, pois estava menstruada. Ele disse que desde que a noiva dele terminou com ele a 01 mês que ele não fudia ninguém e que só uma água gelada pra ver se acalmava.

Nós dois rimos e ele já mais descontraído com a situação, voltou a se ensaboar e pude perceber que a piroka dele continuava dura e que ele queria continuar a punheta, mas estava com vergonha.

Não sei o que me deu nesta hora, mas perguntei se ele já tinha feito com homens. Ele levou um susto e disse de bate-pronto que não e que ele não era viado e me perguntou por que eu tava perguntando isto.

Como já tinha começado, agora iria até o fim. Disse pra ele que já tinha feito e que era muito bom. Disse que também não era viado. ele disse que nunca iria fazer, que não tinha preconceito, mas que não rolaria com ele.

Falei que ele não sabia o que estava perdendo pois se não tivesse tanta neura na cabeça, não estaria a ponto de estourar de tanto tempo sem fuder. Mas que já que ele não curtia, que tava tudo tranquilo.

Virei de costas pra ele e de frente pro espelho pra fazer a barba. Estava só de cueca box e como tenho uma bunda redondinha e o corpo sem pelo nenhum, percebi que ele estava se ensaboando e olhando pra minha bunda.

A isca já havia sido lançada, agora era só questão de tempo. Estava fazendo barba normalmente e ele pergunta. Pow brother, se eu topasse, tu faria comigo? Mas tem que ser no sigilo, pois gosto muito de buceta, seria só pra me aliviar mesmo.

Eu sem falar nada, tirei a cueca e entrei no box, cheguei perto do ouvido dele e falei baixinho, "o que acontece na viagem, morre viagem" e ja fui pegando no pau dele e alisando bem devagar. Pedi pra ele pegar no meu também e ele relutou mais aceitou.
Ficamos nos acariciando até que puxei ele e dei um beijo em sua boca que foi correspondido. Depois fui beijando e mordiscando sue pescoço, seu peito, sua barriga, até que cheguei em seu pau. Cai de boca e chupava, deixava entrar até quase engasgar, voltava, chupava suas bolas sem pelos, a cabeça e ele me segurou pelo cabelo e começou a fuder minha boca. Sem anunciar, gozou e gozou muito na minha boca e eu engoli tudo, deixando limpinho. Ligamos o chuveiro novamente e pedi pra ele me chupar, mas ele não queria então pedi pra ele tocar uma punheta pra mim e eu gozei muito.

Terminamos o banho e fomos nos arrumar para almoçar e ir pra integração. Perguntei se ele tinha gostado e ele disse que sim, mas que tava com a consciencia culpada e eu disse pra ele parar de grilo, pois ninguem nunca iria saber.

Fomos para a integração e ao voltar pro hotel a noite, jantamos e fomos pro quarto.
Como o hotel é dentro do complexo de um shopping, resolvi dar uma volta pra esparecer um pouco. Quando resolvi voltar, ele já havia tomado banho e estava deitado na cama com o lençol até a barriga.

Peguei uma cueca e fui tomar banho, quando sai e fui deitar, quando levanto o lençol, vi que ele estava pelado, mas não falei nada. Deitei e ele falou que só consegue dormir como veio ao mundo. Eu disse que não tinha problemas e como estava com um pouco de sono, virei de conchinha, de costas pra ele e disse que iria dar uma relaxada. Deixei a bunda bem empinada e em menos de 05 minutos ele disse que iria dormir tb pois o dia foi cansativo. Ele deitou e senti que ele tb havia deitado de conchinha e foi se chegando aos poucos cada vez mais perto até que senti sue pau encostar na minha cueca e sua mao começar a alisa-lá. Fingi que estava dormindo e ele continuou e foi colocando a mão por dentro da minha cueca e senti seu dedo procurando meu cu. Quando ele achou, foi brincando na abertura e tirou e cuspiu e voltou a colocá-lo, só que desta vez tentou enfiar ele e quando conseguiu começar a enfiar, meu pau já tinha dado sinal de vida e ele chegou no meu ouvido e disse: "eu sei que você está acordado e doido pra dar pois seu cu está piscando", e começou a morder meu pescoço e eu não aguentava de tesão falei, hoje você vai tirar o atraso e vai fuder.
Levantei e fui até minha mala e peguei um tubo de KY e dei pra ele, tirei a cueca e voltei a deitar. Ele lambozou a piroka e encostou no meu cu. Levantou minha perna e começou a forçar pra entrar, mesmo com o KY a cabeça precisou de uma estocada mais forte pra entrar, pois a pika dele é 19x7 (bem grossa) e depois o restante foi deslizando. Ele começou a bombar rápido e eu estava adorando dar pra ele. ele meteu e mandou eu ficar de 4. Fiquei e empinei bem a bunda na beirada da cama e ele em pé começou a me fuder denovo e desta vez ele tinha o controle da situação. Me segurava pela cintura e me puxava contra seu pau e eu sentia que estava sendo rasgado ao meio e ele me bombou por uns 10 minutos e tirou o pau e sentou na beirada da cama e mandou eu cavalgar de frente pra ele.
ele sentado e eu no colo dele, com a pika atolada no cu e beijando sua boca, enquanto ele me chamava de viado safado, de putinha, e dizia que eu seria a escrava dele. Meteu muito e encheu meu cu de porra. Quando ele gozou, eu sai de cima do pau dele e senti meu cu todo aberto. Mas estava realizado. Ele caiu na cama e eu cai ao seu lado, mas com a pika ainda dura.
Ele levantou e sem dizer nada, caiu de boca no meu pau e começou a mamar, me levando a loucura. Não demorou muito e gozei enchendo a boca dele de porra e não é que o safado bebeu tudo.
Quando terminou, ele deitou do meu lado e disse que fazia tempos que não tinha uma transa tão gostosa e que me mamar era o mínimo que ele podia fazer pra retribuir o sexo tão gostoso.
Nos beijamos e fomos tomar banho. Eu tava todo ardido, mas ambos satisfeitos e de saco vazio. No banho ainda nos beijamos e rolou umas caricias até que um tocou punheta pro outro e gozamos. Quando deitamos, ele perguntou, se um dia ele tivesse vontade de dar o cu, se eu comeria, pois ele ficou com curiosidade pois me viu super excitado dando o cu. Eu disse que comeria sem problemas, mas isto é papo pra outro conto.
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.