RSS contos eroticos

Conto Erotico Virei o viadinho do meu tio.

Natal de 2010, meu pai resolveu alugar um sítio pra reunir a família que era muito grande. Entre avós, tios, primos e agregados devia chegar a umas 50 pessoas. Estava com 16 anos, e apesar de ter muitas amizades e inúmeras paquerinhas nunca tinha tido nenhum tipo de intimidade com nenhuma menina... Nunca nem tinha beijado na boca. Dia 24, estávamos num churrasco à beira da piscina quando chegou meu tio Renato: 31 anos; solteirão; engenheiro químico; bonitão; musculoso e extremamente simpático. Quando ele apareceu de sunga na piscina; notei que todas as mulheres; sem exceção, desde minha irmã que tinha apenas 10 anos até minha avó de quase 70, todas ficaram olhando por um bom tempo pra figura do meu tio... Eu que não via meu tio Renato a mais de três anos, fiquei de boca aberta ao ver seu peito musculoso e sua barriga tanquinho; provavelmente ele fazia academia. Ele entrando na piscina onde tinha poucas pessoas; inclusive eu, ele olhando pra mim: - Não vai me dizer que você é o Claudio? - Sou eu sim tio! Ele chegando e me abraçando: - Caramba; como você cresceu... Está um belo rapaz! Fiquei um pouco acanhado por ter várias pessoas vendo meu tio me dar um abraço; mas ao mesmo tempo senti uma coisa totalmente diferente e gostosa agitar dentro do meu corpo. Horas depois, ele ficou um bom tempo sentado do meu lado puxando conversa... Até que ele me fez com convite: - Ficaria contente se você fosse me fazer uma visita; normalmente eu fico sozinho em casa vendo algum filme em DVD!... Eu já sabia que ele morava num prédio luxuoso no centro da cidade; mas nunca imaginava que um dia ia frequentar... Ele passando um braço pelo meu ombro e me dando um aperto meio que de lado: - Vai lá num sábado; meu apartamento é o 1011! No dia seguinte, na hora de todos começarem a voltar pra suas casas, tio Renato me passando um cartão com seu telefone: - Pode me ligar Claudio... Mas vê se vai lá; ok? No dia 8 de janeiro de 2011, foi a primeira vez que entrei no apartamento do meu tio... Parecia coisa de cinema de tão chique e de bom gosto. Ele me tratou muito bem; me deu lanche; assistimos filme em DVD numa tela digital que mais parecia um cinema. Ao me despedir, ele me deu um abraço e um beijo no rosto... Achei estranho; mas no outro final de semana ele me recebeu do mesmo jeito: um forte abraço e um beijo no rosto. Acho que ele, de propósito, foi me conquistando aos poucos... Primeiro ele começou a ficar bem a vontade comigo em seu apartamento; trajando apenas short´s bem pequenos e apertados que passei a ver nitidamente até o contorno do seu pênis. Tio Renato resolveu me mostrar um álbum de fotografias tiradas em suas várias viagens de férias; por várias partes do mundo. Várias sozinho e algumas com outro rapaz (por sinal também muito bonito)... Curioso: - Quem é esse tio? - Ah... Esse é o Gabriel... Ele estudou comigo e depois moramos juntos por um bom tempo! Continuei olhando e ele: - Sabe que eu e o Gabriel chegamos a ir até numa praia de nudismo? Fiquei calado; e ele: - Quer ver algumas fotos que tiramos nessa praia? Tio Renato veio com outro álbum e sentando do meu lado foi ele mesmo virando as paginas. Realmente era de uma praia de nudismo; ele e o tal de Gabriel apareceram logo nas primeiras fotos pelados... E veio a pergunta: - Você não acha que o Gabriel é bonito? - Acho sim... Mas você também é muito bonito tio!... Mesmo sendo em fotos, estava adorando ver meu tio pelado... Ele parando de virar as páginas: - Nunca mostramos esse álbum pra ninguém... Mas como eu gosto muito de você; vou te mostrar até o fim!... A próxima foto, era dele e do Gabriel pelados e abraçados sobre uma cama... Ele olhando pra mim e sorrindo: - Acho que você está entendendo tudo né Claudio? Outra foto deles se beijando na boca e mais umas três em seguida onde tio Claudio aparecia comendo a bunda do Gabriel: - Caramba tio... E o Gabriel; onde ele está? - Faz uns dois anos que ele foi morar nos Estados Unidos... Sinto muitas saudades dele! Fiquei sem saber o que dizer, e o tio encostando seu corpo no meu e me abraçando de lado: - Ficamos juntos por 5 anos; mas ele foi o único homem com quem tive relações desse tipo! Rapidamente comecei a entender aquela repentina vontade de me ter sempre ali no seu apartamento; e olhando em seu rosto: - Porque ele foi o único tio? - Um dos motivos é que nunca quis me expor socialmente; e outra, foi que ainda não tinha encontrado outra pessoa de quem eu gostasse de verdade! Meu coração batia acelerado e lhe lancei um sorriso nervoso... Tio Renato segurando meu rosto com suas mãos: - Você gosta de mim Claudio? - Gosto tio... Mas... Mas eu nunca... Nunca...! Ele aproximando seu rosto do meu: - Eu sei Claudio... Mas você gostaria de tentar? - Tenho medo tio!... Ele aproximando lentamente seus lábios dos meus: - Relaxa Claudio... Deixa as coisas acontecerem! Foi meu primeiro beijo na boca, e rapidamente estava adorando ter a língua do meu tio brincando de encostar na minha. Depois, ele beijando meu pescoço foi abrindo os botões da minha camisa e beijando meus peitos e minha barriga. - Vamos lá pra minha cama!... - Não tio... Hoje não...! - Ok... Não quero forçar nada... Vou deixar que você peça; tudo bem? Ele voltou a me beijar e instantes depois estava me fazendo botar a mão no seu pênis que ele tinha colocado pra fora do short... Segurei sentindo a dureza e a grossura e fiquei acariciando percebendo ao deslizar minha mão que não era nada pequeno; e ele: - Estou louco pra te ver peladinho na minha cama... Mas como disse; vou esperar sua vontade! Ainda com minha mão segurando, olhei e vi pela primeira vez o pênis do meu tio ao vivo e a cores... Enorme, grosso e com uma cabeça roliça e rosada. Por instinto, quase que eu abaixei e botei minha boca naquele lindo pinto... Nervoso; pedi para que ele me deixasse ir embora. Fiquei duas semanas numa dúvida cruel se deixava meu tio me comer ou não... Mas bastou ele ligar pro meu celular: - Estou com saudades... Não precisa ficar com medo; eu só quero ficar abraçadinho com você! - Eu também estou com saudades!... - Então vem pra cá; vem! Nem bem entrei, ele me abraçando e me beijando: - Que ficar no sofá ou ir lá pro meu quarto! - Pro quarto tio... Mas eu não sei se vou conseguir deixar! Ele me puxando pela mão na direção dos outros cômodos da casa: - Não vou forçar nada Claudio... Só vai acontecer se você quiser! Ele ficou totalmente nu na minha frente e deitando sobre a cama... Tio Renato parecia mais um Deus do Olimpo com aquele seu corpo sarado: - Deita aqui comigo; deita!... Tirei minhas roupas, e ainda muito acanhado subi na cama só de cueca. Tio Renato beijando muito minha boca foi empurrando minha cueca até que eu mesmo tomando coragem acabei de tirar. Ele passou a beijar todo meu corpo; inclusive meu pênis que estava durinho ele deu algumas chupadas; e me fazendo virar de bruços foi com a boca nas minhas nádegas... Quando ele começou a passar a língua sobre meu ânus; senti um prazer tão grande que acabei pedindo: - Mete na minha bunda tio... Mete!... Ele pegando uma bisnaga sobre o criado mudo: - Tem certeza que quer; Claudio? - Tenho sim tio... Mas você vai ser o único homem que vou deixar fazer isso comigo! Ele começou a passar uma espécie de gel sobre meu ânus e até na borda introduzindo a ponta do dedo: - E você vai ser o único pra mim também... Ninguém vai precisar ficar sabendo sobre a gente! Ele me puxando pra ficar de quatro e se ajeitando atrás da minha bunda: - Fica com suas pernas bem abertas... Vou só enfiar um pouquinho; ok? Aquele gel oleoso fez com que a cabeça do seu pinto logo entrasse pra dentro do meu ânus que minha vontade foi de sair da cama... Ele me segurando pela cintura e ficando parado: - Isso é normal Claudio... Mas logo essa dor vai passar! Descia até lágrimas dos meus olhos; mas o estranho é que rapidamente comecei a sentir um desejo enorme de ter aquele pau todo dentro de mim: - Pode enfiar tudo tio... Eu vou aguentar... Eu vouuuuuuuu... Aaaaaiiiiii... Aaaaiiii... Meu rabo parecia que estava pegando fogo... Eu virando o rosto o máximo pra trás: - Me beija tio... Me beija!... Ele reclinou sobre minhas costas e me beijando na boca ficou dando leves socadinhas com seu pinto no meu cuzinho... Quando ele voltou pra sua posição e me segurando com as duas mãos foi aumentando o ritmo das socadas; eu gritei de prazer em estar sendo fodido pelo meu gostoso e lindo titio... Ele encheu meu rabinho de porra. Me lavei, voltei pra cama e abraçado com meu tio: - Agora eu sou viado; né tio? Ele me beijando na boca: - Ninguém precisa ficar sabendo disso... Você vai ser viadinho só pra mim! Uma hora depois, ainda estávamos na cama abraçadinhos, quando vi o pinto do tio começar a querer se levantar... Levei a mão fazendo um pouco de carinho e olhando pro tio: - Posso chupar tio? Você deixa? Ele rindo: - Claro que eu deixo; só estou surpreso por você ter essa vontade! - Eu já passando a língua e esperando que ele ficasse mais um pouco duro: - Sei lá tio... Só sei que senti vontade de saber como que é!... Engoli a cabeça e chupando fui ouvindo do tio como eu deveria fazer... Logo eu estava mamando gostoso aquela piroca que tinha um sabor delicioso... Ele encheu minha boca de porra que fiquei sem saber o que fazer... Acabei que engoli tudo. Praticamente todos os sábados eu ia pro apartamento do meu tio e ficava o dia inteiro sendo o seu viadinho... Até roupas de meninas (calcinha; blusas; minissaias; meias e sapatinhos) ele comprou pra eu me vestir e ficar na cama com ele. Tinha prometido em ser o viadinho só pra ele, mas aconteceu que acabei não resistindo a um outro macho... Meu professor de matemática: Xavier que tinha uns 55 anos. Tudo começou por acaso; dentro da sala de aula, ele se aproximou pra me ensinar a resolver um problema e sem querer encostei meu ombro onde estava seu pinto... Levantei a cabeça e olhando pra ele sorrindo: - Desculpa professor; foi sem querer!... Ele chegando bem próximo do meu ouvido: - Eu não ligo; e até gosto disso!... Ele voltou pra posição anterior e ele mesmo encostou novamente no meu ombro... Forcei meu ombro e senti (ele estava usando um jaleco) que foi ficando grosso e duro. Ele percebendo que eu estava gostando de me esfregar no seu pau; voltou a chegar bem próximo ao meu ouvido: - Quer conversar comigo depois da aula? - Quero sim professor!... Esta é uma outra história que eu pretendo contar... Não consegui ser fiel ao meu tio Renato, e acabei que estou tendo um caso com o professor Xavier até hoje.



Gostou? Então Compartilhe!