RSS contos eroticos

Conto Erotico A amiga da minha esposa

Certa noite após o trabalho, chego em casa e vejo a amiga da minha mulher aos prantos no sofá e minha mulher junto com ela. Passo, digo boa noite e vou para o quarto e me preparo para tomar banho. Minha esposa vem até a mim e fala: -Querido, a Márcia está com problemas no casamento e eu a convidei para passar uns dias aqui. Não gostei muito, mas como minha irmã também precisou passar uns tempos na minha casa, então não fiz objeção. Márcia era uma morena, baixa, olhos negros cabelos encaracolados e de certa forma bem gostosinha, mas eu não a olhava muito. Ela passou uns dias em minha casa e o meu diálogo com ela era: -Boa noite Márcia...Tchau Márcia. Não passava disso, até que um dia pela manhã minha esposa me acordou e me disse que iria consultar e que eu fizesse sala para sua amiga. Eu apenas gesticulei que sim, pois estava morrendo de sono. Quando acordei, nem me lembrei do recado de minha mulher, levantei, tomei um banho e sai do quarto, de short e sem camisa. Encontrei Márcia sentada na sala assistindo tv e eu disse:- Bom dia Márcia, tudo bem. Ela me respondeu e eu fui até a cosinha, eu fiquei meio sem jeito pois, não estava bem vestido. Tomei o café na cozinha e voltei pra sala. Assistimos tv calados e ela puxou assunto: -Deve ser um incômodo pra vc minha presença né? Fiquei meio que sem entender aquela pergunta mas respondi prontamente que não que era bom ter a presença dela em casa. Márcia disse que sentia-se aliviada e começou a falar muito. -Nossa fico melhor ao saber disso, pensei que estava incomodando você afinal, estou invadindo sua casa né!? Sorrimos e disse mais uma vez que não estava incomodando e que era bom ela estar ali para fazer presença para minha esposa. Passamos boa parte da manhã conversando, falamos sobre casa, filhos, sobre o casamento dela e também sobre sexo, ela falou muito sobre a vida sexual dela. -Minha vida sexual com meu marido tinha se tornado rotineira, quase não transavamos e quando acontecia era sem muita emoção. Eu disse que a minha era diferente, porque sempre fiz questão de um sexo com muito prazer e qualidade. Ela me disse que sabia disso porque Marina, minha esposa, sempre dizia estar satisfeita sexualmente. Era chegada hora de eu ir trabalhar, confesso que o assunto me deixou excitado , mas eu tinha que me arrumar, expliquei para Márcia a situação e me levantei, percebi na hora que ela viu o volume do meu short eu sai e fui trabalhar. Cheguei em casa, fiz como faço todas as noites, vi minha esposa e sua amiga conversando, disse boa noite e fui tomar meu banho. Minha mulher veio se deitar mais cedo e nessa noite trepamos a noite toda. Nessa foda que tive com minha mulher, Márcia estava na minha cabeça. Na manhã seguinte minha esposa saiu novamente, dessa vez foi levar a mãe dela para fazer umas coisas, e novamente me deixou recomendado para que eu cuidasse de sua amiga. Me levantei, tomei meu banho e novamente sai do quarto sem camisa e de short. Fui para a sala e vi Márcia sentada, só que dessa vez bem menos acanhada, de shortinho curto e uma blusinha decotada. Desejei o bom dia costumeiro e fui tomar café. Voltei a sala e comecei a ver tv com ela. Começamos a conversar novamente, falamos de várias coisas de novo. Só que dessa vez ela ficou emocionada e chorou ao falar de seus problemas. Eu me levantei e a abracei de leve. Ela me agradeceu e abraçados começamos a falar e ela me falou: -Ontem eu ouvi a Marina gemendo, percebi que vocês estavam transando. Eu respondi que tinha transado a noite toda e que tinha sido muito bom. Ela me falou que pelo gemido da minha mulher percebeu que a foda tinha sido gostosa mesmo. Não me contive e apertei Márcia sobre meu corpo, ela comeu a sentir o meu pau nela e suspirando forte me disse: -Eu sei que é errado, mas to morrendo de tesão por você. Logo após ouvir isso, não pensei duas vezes, beijei Márcia na boca. Ela pediu para que parasse, mas senti o tesão dela e continuei e ela permitiu. Como sabia que minha mulher não demoraria muito a chegar, tirei o short dela e coloquei minha mão na bucetinha dela e comecei a massagear. -Seu louco, Marina é minha amiga, não posso fuder com o marido dela. Eu respondi.: -Você pode e você vai, você é safada e está doida pra ser fudida, seu marido te come mal e eu vou comer você bem gostoso, vou fazer um trabalho muito bom em você. Márcia ficou louca com o que eu disse e tirou meu short e também colocou os seios pra fora. Enquanto ela batia uma punheta pra mim, eu socava meu dedo na bucetinha dela e chupava os peitões gostosos dela. Joguei Márcia no sofá, tirei sua calcinha e comecei a chupar a buceta cabeluda dela, confesso não gostar de bucetas cabeludas, mas a dela estava bem cuidadinha e cheirosa. Chupava a buceta dela, apertava um dos seios e passei meu dedo no cuzinho dela, ela tirou meu dedo e eu falei para ela relaxar e aproveitar. Ela seguiu e gozou, eu me sentei no sofá, ela ficou de quatro e começou a chupar meu pau e me pediu: -Enquanto eu chupo esse pau gostoso e grande, passa do dedo no meu cuzinho vai, passa vai. Ela caiu de boca na minha rola e eu passei meu dedo no cuzinho dela. Foi um dos melhores boquetes que recebi. Depois de chupar muito meu pau, ela foi para o chão e começou a se masturbar, abriu as pernas e pediu pica: -Vem me fode, quero pica, quero ser bem comida. Fui igual a um foguete e soquei sem dó, eu sabia que aquela bucetinha estava sendo mal comida, então comi muito, soquei com força e ela gemia bem alto: -Ai que pau gostoso, não para, me come, me fode eu sou sua. Sentei e mandei ela sentar no meu pau, eu disse que queria ver do que ela era capaz. Ela se levantou, e ao invés de sentar ficou foi agaixada, encaixou meu pau na buceta e ficou num vai e vem gostoso. Dessa vez foi eu que gemi e disse:-Puta que pariu, que buceta gostosa do caralho, fode no meu pau minha puta, vai sentar sua piranha, agora você ta tendo o que merece, vai fode. Márcia ficou louca e fudeu muito. Ela tinha uma grande energia e também gostava de ser tratada na cama igual a uma puta, coisa que o marido dela n fazia. Coloque Márcia de quatro, passei o dedo no cuzinho dela e soquei meu pau. Ela gritava, eu batia nela, passava o dedo no cuzinho, puxava os cabelos, enfim fiz tudo para que ela enlouquecesse. Percebi que ela tinha gozado quando ela gritou, eu a levantei e a levei para a cozinha, coloquei ela em cima da mesa, abri suas pernas e meti nela. Comi ela em cima da mesa, as vezes ela fica de bunda pra mim, as vezes de frente. Quando chegou a hora de gozar eu tirei meu pau e bati até gozar, gozei na cara e nos peitos dela. Nos limpamos e ficamos no sofá nos beijando. Depois ela ficou de um lado do sofá e eu do outro, minha mulher chegou, falou com a gente e foi tomar banho. Eu fui até Márcia, dei um beijo na boca dela, enfiei meu dedo na buceta e disse que iria come-la sempre que ela quizesse e que estava na hora dela perdoar o marido. Márcia aceitou e ficou por mais uns dias e foram dias de muita foda para Márcia e também para mim.

Gostou? Então Compartilhe!