RSS contos eroticos

Conto Erotico Comida pelo gostoso na academia

Olá, meu nome é Giovanna, hoje to aqui pra contar a melhor transa que eu já tive. Sou loira, seios grandes,bunda grande, barriguinha sarada, e umas pernas de dar inveja em qualquer mulher. Trabalho em uma academia, convivendo sempre com muito homem gostoso, o que, de fato, me alegra muito!Há duas semanas um cara novo começou a malhar comigo, e sempre senti vontade de dar pra ele, mas achei não rolaria por ele ser casado.
Pois bem, sexta de noite, mais ou menos 22h eu estava fechando a academia para ir embora. Fechei tudo, apaguei as luzes, e quando ia saindo pela porta, sinto uma mão me puxando pela cintura, e a outra tapando minha boca. Então alguém fala em meu ouvido: “não grita, é o Andrei (nome ficticio), calma.” Ao ouvir sua voz, minhas pernas estremeceram, acho que mais do que se fosse algum bandido. Ele então me soltou e eu perguntei: “o que você quer?”, ele, sem se dar o trabalho de responder, me puxa ao encontro do seu corpo, e me beija. Seu beijo era selvagem, demonstrava excitação, suas mãos percorriam meu corpo, mostrando o desejo. Ele de repente para de me beijar e diz: “eu quero você, assim como eu sei que você me quer!”
Ele estava apenas de short, e eu, com um mini short, e uma blusinha que só tampavam os seios. Minha roupa foi literalmente arrancada, e ele tirou rapidamente o short, dizendo: “chupa aqui, vadia”. Ajoelhei-me e comecei a punhetar sua pica. Era grande, devia ter uns 23cm, e bem grossa. Exalava cheiro de sexo, e isso me deixava louca, enfiei tudo na boca.
Colocava na boca e tirava, chupava só a cabecinha, passava o dente por todo o pau, e ele gemia, gemia feito um louco!Dizendo: “Você é muito gostosa, minha mulher não sabe me deixar louco igual a você!”.
Chupava ele o olhando com cara de safada, e isso o deixava com muito tesão. Comecei a mexer no meu grelhinho enquanto o chupava, por que eu também não estava me agüentando.
Quando ele viu isso, me levantou, me deu um beijo, enquanto engatava a mão na minha buceta. Ele mexia no meu clitóris com um dedo, e ameaçava enfiar o outro no meu buraquinho. Aaaaai, que delícia de homem. Pedi então que ele chupasse minha bucetinha, ele rapidamente me pegou no colo, minha buceta esbarrava em sua pica dura, o que me deixava doida. Me sentou no balcão da recepção e caiu de boca na minha buceta.
Sua língua era ágil, ele circulava meu clitóris com a língua e descia com ela ate a buceta, começou então a enfiar a língua ali, na minha bucetinha. Eu me retorcia toda de tesão, empurrava sua cabeça, abria mais as pernas, e gemia, gemia muito.
Ele então me desce do balcão e me coloca no chão. Me abraça por trás, levanta minha perna esquerda e começa a passar o pau na entrada da minha buceta, sem enfiar, só pra me excitar, eu implorava pra ele me comer, e ele dizia: “puta tem que sofrer,ainda vou te torturar muito!” de repente ele enfia de uma vez só. Dei um grito, era muito grossa, mas o tesão era maior. Ele metia em minha bucetinha, enquanto uma de suas mãos segurava minha perna, e a outra, mexia no meu clitóris. Eu rebolava gostoso enquanto ele me comia.
Ele então falou que queria comer minha buceta de quatro. Eu que adorava essa posição, abaixei, sem tirar a pica dele de dentro de mim, firmei meus braços no chão, enquanto ele metia freneticamente. Dava pra ouvir o barulho das suas bolas batendo... Que delíiiiiiiiiiicia de homem!
Resolvemos então mudar um pouco de posição, ele deitou no chão e eu subi em cima do seu pau, de frente pra ele, enfiei a cabecinha, e fui descendo bem devagarzinho, agora eu estava no comando. Comecei a rebolar lentamente, até que resolvi aumentar o ritmo, quicava sobre sua pica, rebolava de uma forma que nós dois, gemíamos de prazer. Enfiava a pica até o talo, tirava toda e descia de novo, rebolava, quicava. Ele me chamava de cachorra, puta, e eu, adorando aquilo, pedia pra ele dizer o quanto que eu era melhor do que a chifruda da mulher dele.
Sai de cima de sua pica, deitei no chão abraçando as pernas perto da barriga e pedi pra ele me comer daquele jeito, a famosa posição “frango assado”. Ao ver aquilo ele ficou louco. Bombava com seu pau na minha buceta, até que eu gozei.
Ele ainda não havia gozado, resolvi então dar uma coisa que todo homem adora, o cu! Virei para ele e falei: “amorzinho, como meu cuzinho, vaaai?”
Na mesma hora ele me fez ficar novamente de quatro, e começou a lamber meu cu. Eu adoro dar o cu, acho que dá um prazer enorme. Enquanto ele lambia meu buraquinho, enfiava 3 dedos na minha buceta, e eu rebolava muito. Começou então a “pincelar” meu cuzinho com o seu mastro, e enfiou tudo de uma vez só! Nooooooooossa, que delícia.
Sentia meu cu ardendo, mas isso me dava muito tesão.
Ele enfiava no meu cu o pau com toda força que podia, batia na minha bunda, me chamava de piranha, e eu, ia a loucura! Até que ele gozou dentro do meu cuzinho. Era muita porra, muita mesmo. Me levantei e chupei o restinho de porra que sobrava no seu pau, por que eu adorava, e então ele me chupou também, até eu gozar, o que não demorou muito. E assim acabou nossa maravilhosa transa, pretendíamos passar a noite juntos, mas a otária da mulher dele ligou, então me contentei em encontrar com ele no outro dia, que também foi uma loucura, mas isso eu conto depois!
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.