RSS contos eroticos

Conto Erotico Comida por um negrão dentro do trem


sou morena pele clara, 28 anos, casada, advogada, cabelos castanhos escuros, olhos castanhos escuros, 1,72m, 57kg, seios pequenos e durinhos, bumbum grande e toda raspadinha.
sempre fui muito fiel ao meu marido, mas adoro usar roupas muito provocantes, porque gosto de ser palco da atenção dos olhos cobiçosos dos homens em geral, seja no serviço, nas ruas, nos restaurantes, em todos o lugares adoro que me desejem.
estava terminando meu curso de direito em mogi e era véspera de feriado, sempre me troco quando ia para lá de trem (calça jeans e camiseta), mas aquele dia estava muito atrasada, eu vestia uma mini saia preta, blusa preta transparente que dava para ver perfeitamente os bicos grandes de meus seios, uma tanguinha preta e salto alto preto.
quando entrei no trem totalmente lotado, fiquei meio num canto que não era passagem mas comecei a ser espremida por 3 homens, um negro enorme e dois mulatos, comecei a sentir o pau dele pulsando em meu bumbum e os outros dois um de cada lado me encoxando também.
comecei a sentir a respiração já meio ofegante do negro no meu ouvido e me disse bem baixinho, vou te fuder aqui mesmo, fique quietinha viu? senão já sabe sua puta...
começou a passar uma das mãos em minha bundinha baixou minha tanguinha e tirou seu pau e senti chocada seu pau tocando em minha bundinha por trás. aí ele me disse: “relaxa que eu vou te fuder gostoso agora”.
o trem estava tão cheio que ninguém podia ver cercada por esses três homens selvagens. parecia que o tempo havia parado ali e eu não podia fazer nada, se gritasse poderia talvez ser esfaqueada ou pior, resolvi fazer o que ele me disse, ficar bem quietinha...
o negrão começou a procurar minha xaninha com seu pau enorme e pediu que eu abrisse um pouco as minhas pernas.
eu estava molhada acho que era apreensão, senti o pau grosso dele iniciando a penetração e com uma das mãos tocava meus bicos dos seios, que me deixando louca de tesão, abri um pouco mais as pernas e comecei a sentir aquela tora entrar com muita virilidade e comecei a gemer bem baixinho, fechando meus olhos...
o negrão começou a me foder com força e falava ao meu ouvido “puta gostosa vamos gozar juntos” apertando o meu seio direito, os dois bicos estavam durinhos de tesao, eu não agüentei e gozei antes dele, gemendo baixinho, e de repente senti o primeiro jato de esperma, o segundo e o terceiro com muita, muita força dentro de minha xaninha arrombada pelo pau enorme e gostoso dele. o seu esperma foi tanto que escorreu pelas minhas pernas até o tornozelo.
ai que coisa deliciosa eu tinha sentido naquela noite...
o pau dele ainda ficou dentro de mim por algum tempo, ele se recompôs e o guardou dizendo com palavras suaves e com tom de satisfação “amei te foder toma o meu telefone, se quiser ser minha puta predileta me liga sua safada”.
segurei o papel com o número do celular dele, acho que era o chefe dos outros dois, bastou um olhar para eles que estavam muito excitados me espremendo e também me queriam, para saírem de perto e foram embora os três.
depois de tudo isso voltei para casa, chorei muito ...
passados uns quinze dias, contei para uma amiga, que disse que queria um negrão desses...rsss
comecei a pensar naquela trepada deliciosa e senti falta daquele pau e da gozada que dei junto com meu negrão, lembrei dos apertos nos meu seios com suas mão e liguei para ele, que me chamou de “putona de preto do trem”, saímos agora quinzenalmente sem meu corninho saber claro....rssss
agora quero ser chamada sempre por ele de “putona de preto do trem”....rsss