RSS contos eroticos

Conto Erotico Estrupada pelo velho horrendo

Estuprada pelo velho horrenndo
meu nome é clara tenho 19 anos e o que vou contar é verídico , vou começar me descrevendo. sou morena clara cabelos pretos e lisos abaixo dos ombros, olhos castanhos claros, seios médios no entanto durinhos, bunda média e empinada, afinal sou bastante gostosa, pois malho muito para manter minha boa forma e percebo os olhares de desejos dos homens nas ruas e o olhar invejoso das mulheres.
sou de são paulo porém vim morar em santos para fazer faculdade, moro em um apartamento junto com duas amigas, que cá para nos são umas verdadeiras putas afinal foi com elas que realizei uma das minhas primeiras loucuras, quando dei pra um negão em uma boate foi uma maravilha mas também so foi dessa vez pois arrumei um namorado e então essas loucuras ficam apenas nos meu sonhos.
indo ao que interessa, a algum tempo havia chegado um homem no prédio , segundo informações tinha uns 50 anos e que era rico, que tinha vindo não sei de onde.
então em um dia tive o prazer, ou melhor o desprazer de conhecer esse senhor, quando saia do prédio para ir a faculdade lá estava ele no balcão da recepção , tinha os cabelos brancos que ia até os ombros e que estavam amarrados, um rosto maquiavélico tinha uma tatuagem no braço direito em fim ele era horrendo, parecia nojento não sei bem o que mas me deu arrepios de nojo em ver aquele homem. quando me percebeu passou a me olhar de cima abaixo com aquela cara de cínico. desde este dia peguei antipatia por aquele homem, não so eu, mas outras mulheres no prédio também sentia o mesmo que eu.
um dia eu e minha amigas voltando da praia chegamos em frente ao prédio elas subiram e fiquei a conversar com meu namorado, ao entrar no elevador logo atrás veio o tal homem, ficou atrás de mim e me olhava com um ar de tarado pois estava com uma minisaia e uma blusinha mostrando a barriga de tal forma que deixou ele bastante excitado pois percebi o volume que seu pau fazia em seu short ao sair do elevador, assim foi durante alguns dias ele sempre me olhando e eu morrendo de raiva, porque algumas vezes me dava umas cantadas descaradas, aquele velho horrendo.
em um fim de semana então as meninas resolveram sair para uma festa, eu decidi ficar em casa para estudar para uma prova que iria fazer na próxima semana, meu namorado então foi me fazer uma visita e na ida resolvi acompanha-lo ate a porta do prédio, era uma 10:00 hs da noite, quando subi novamente, não havia nenhum movimento no prédio, ao chegar em frente ao meu apartamento o tal velho me agarra por trás imobiliza meus braços, pedia preá que ficasse calada se não seria pior , e eu aos choros pedi para que não me machucasse, me levou para seu apartamento e em seguida para seu quarto, foi so então quando me soltou. cai de joelhos para que não me machucasse, me levantou puxando os meus cabelos e colocou de costas e começou a chupar meu pescoço e orelhas ainda chorando tentava sair me debatendo mais aquele velho era forte no qual ficava impossível. estava com um vestido curto, ele ia passando a mão pelas minhas pernas e ia levantando-o, quando o levantou ate a cintura puxou me quadril para trás encaixando minha bunda em sua virilha para que sentisse o seu pau e dizia-sente vagabunda, viu como você me deixa excitado? fica calminha que hoje seu corpinho e todo meu. aos poucos comecei a sentir prazer com aquele velho horrendo., me virou de frente me deu um sorriso, aquela boca ressecada com dentes fora do lugar e me deu um beijo ardente, sentia aquela língua passando pela minha e fui me deixando levar.
depois de tirar toda minha ropa, caiu de boca nos meios seios, chupava de tal forma que nunca havia chupado um, mordiscava os biquinhos em sem querer eu soltava uns gemidinhos. foi me chupando toda ate chegar na buceta, ele abriu os lábios e passa a língua, depois a enfiava toda, já não agüentava mais me contorcia na cama, não imaginava que aquele velho pudesse me dar tanto prazer quanto estava me dando. tirou então o seu short e sua camiseta, me deparei com uma pica enorme cheia de veias e com uma cabeça enorme e brilhante, era muito grande devia ser maior do a do meu namorado que tinha 20 cm. não pensei duas vezes e comecei a mamar aquele kcte loucamnete, passava a língua pela cabecinha e descia ate as bolas, ele forçava minha cabeça de tal que seu pal ia ate minha garganta. bruscamente me puxou pelos braços e me jogou na cama, mais uma vez me deu um beijo e enquanto me beijava colocava seu dedo em minha buceta . aos poucos forçava a cabeça de sua pica na entrada da minha gruta e tirava e assim foi por alguns minutos, já não agüentava mais-mete logo vai seu velho, mete. ele sorria ao me ouvir falar aquilo em de uma so vez enfiou tudo, aquele pau era muito grande para minha xoxota, doeu um pouco no começo mas depois foi melhorando eu gemia alto como se fosse uma cadela no sio ele metia violentamente e rápido , durante aquele movimentos frenéticos havia gozado umas três vezes e ele não.
me colocou de 4 e mais uma vez lambia minha xoxota-ai que buceta gostosa, vai sua putinha geme. assim dizia ele, depois de chupar ele mais uma vez metia na buceta e segurava meus quadrinhos, ele também soltava alguns gemidos e eu adorando aquilo tudo, quando senti sua porra invadindo minha buceta escorrendo pelas pernas, ficou ali alguns momentos a pincelar meu cuzinho com aquela porra toda-agora vou mete no seu cu vadia-. fiquei um pouco assustada pois nunca tinha dado o cu, logo ele começava a enfiar o dedo no cu e outro na xoxota e novamente começava a gemer baixinho era uma sensação alucinante ate me esqueci que iria meter no cu. então começou a forçar a cabeça da pica na entrada comecei a sentir dor, tentei sair debaixo dele mas ele se curvava em cima de mim e não deixava, comecei a chorar e dizer que estava doendo e ele ria, derrepente de uma so vez meteu tudo , começou um vai e vem ate que a dor foi se tornando em prazer, quando percebeu que não doía mais começou a acelerar os movimentos e meter mais fundo, gemia feito uma louca quando em diminuiu os movimentos e jorrou sua porra dentro de mim e assim desfalecemos na cama, me vesti e fui embora, então sempre faço umas vistinhas para ele.