RSS contos eroticos

Conto Erotico Exibicionismo sem querer

Meu curso na faculdade era frequentado na maioria por mulheres. No primeiro semestre tive que apresentar um trabalho sozinho na frente da turma. Nesse dia saí atrasado e no caminho caiu uma chuva forte, tive que correr e cheguei molhado na sala. Quando chegou minha vez, fui até a frente da turma. Nesse dia só tinha meninas e quando comecei a apresentar notei que elas olhavam não muito direto pra mim, e cochichavam entre elas. A professora, uma gostosa de uns 28 anos, também me olhava meio diferente, parecia meio excitada. Quando terminei, voltei pro meu lugar e ouvi 2 gostosas falando baixinho: "Acho que ele colocou um cano no lado da perna..." e riam baixinho. Foi aí que notei: sempre ando sem cueca pra não apertar o pau e quando corri pra chegar na aula, ele saiu do lugar. A chuva tinha colado um pouco a calça em mim, parecia que tinha mesmo um cano grosso do lado da minha perna esquerda. Era bem fácil de notar o pau mole, dava pra ver até o contorno da cabeça. Não me importei e quando terminou a aula, e todos tinham ido embora, a professora me chamou: "Jaime, você podia fechar a porta? Queria falar com você." Fechei a porta e fui até ela. A gostosa falou mais ou menos assim: "Gostei do seu trabalho, você se saiu bem. Mas não quero falar sobre isso." Perguntei o que ela queria e ela disse: "Bem você é um dos poucos homens no curso, essa sala só tem meninas, não acho que o que você fez foi certo." Disse que não entendia o que ela queria dizer e ela falou: "Aqui não é lugar de exibicionismo. Você viu como algumas meninas ficaram..." Então ela deu uma olhada rápida pro pau. Disse que agora eu entendia, mas não tive intenção. Ela continuou: "Você sabe, algumas mulheres tem essa fantasia..." Então perguntei se ela também tinha essa fantasia e ela falou: "Não devo falar isso com você, aqui não é o lugar, mas confesso que sim..." Então ela deu outra olhada pro pau, mais demorada dessa vez. Perguntei se ela queria ver pra matar a curiosidade e ela falou: "Espero que isso fique só entre nós, mas aqui não é o lugar ideal... " Então arrisquei e abri a calça, soltei o pau e deixei bem na frente dela. Ela se assustou um pouco com minha atitude, mas falou: "É grande mesmo e que grosso!" Perguntei se ela queria segurar, ela segurou, foi sentindo o pau e apertando enquanto ele crescia. Depois ela lambeu a cabeça umas vezes, foi punhetando o pau e ela falava coisas como "Nem imaginava que ia ver um desse tamanho." Ela começou a punhetar com mais força e chupava a cabeça do pau cada vez mais rápido, parava e lambia da base até a ponta da cabeça. Ela punhetou, lambeu esfregou o pau no rosto sem parar. Na hora de gozar, coloquei tudo que coube na boquinha dela e segurei ela com força. Comecei a esguichar a porra com força nela. No começo ela gostou, gemia alto, depois começou a escorrer porra pelo canto da boca. Vi que ela começava a se engasgar, ela não aguentou e me empurrou. Continuei esporrando no rosto dela até acabar. Ela tinha gostado, acho que gozou quando sentiu toda aquela porra. Ela falou: "Quanta porra tinha nesse pauzão! Que banho gostoso!" Ela continuou lambendo e segurando ele, ela queria continuar, mas ouvimos barulho de gente por perto e paramos. Guardei o pau, ela se limpou com um lenço, nos despedimos e fomos embora. E depois em outro dia, a gente acabou o que tinha começado no apartamento dela. Pras gostosas que gostam de pau grande e querem saber e ver mais jaimecavalo@bol.com.br
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.