RSS contos eroticos

Conto Erotico Ilustre desconhecida

Verão combina com cachoeira, certo? Pode ser perfeito. Afinal, estávamos entre as festas de fim de ano e resolvemos conhecer as maravilhosas quedas localizadas na Estação Ecológica da Jureia, em Peruíbe. Um lugar fantástico e totalmente privilegiado pela natureza e pela visita de belas e deliciosas mulheres que visitam o local. Jackeline, ou Jack, me acompanhava junto com mais alguns amigos. Tive a sorte de estar com uma das mulheres que mais chamavam atenção justamente por seu porte físico destacado por um biquíni que a deixava ainda mais gostosa. Não era vulgar, mas a combinação agradou até dos homens (vale ressaltar que mulheres, definitivamente, se vestem para outras mulheres...rs). No entanto, como nossa noite já tivera sido muito bem aproveitada, seguimos pra cachoeira com a libido bem tranquila. Subimos às quedas para aproveitar o local, que já estava bastante movimentado. Trilhas, quedas, cachoeiras. Muita gente se divertindo nas águas frias que se tornavam refrescantes para o dia de sol pleno. Nossos amigos desconheciam o destino, assim como Jack. Eu tinha visitado recentemente. Chegamos a cachoeira principal e logo pulamos na água. Bastante diversão e logo uma moça me chamou atenção. Fui discreto, passei a observá-la aos poucos. Era recíproco. Seu acompanhante estava bastante descontraído e por diversas vezes a deixava sozinha para saltar das pedras. E nossos olhares receberam a companhia de alguns sorrisos. Jack estava encantada pela paisagem. Tirava fotos e se distraía ao postá-las pelo Facebook. Enquanto isso pensava numa forma de conseguir o contato daquela beldade, mas, seria muito arriscado. Só por esse motivo a situação já me excitava. Acredito que meu tesão tivesse ficado exposto no olhar, pois, aos poucos, a admirável banhista começou a se exibir de forma cada vez mais acintosa. Olhava e virava para que observasse seu gostoso corpo. Seu minúsculo biquíni atraía olhares diversos, que alternavam entre Jack e ela. Duas deliciosas que complementavam aquela beleza natural. Então resolvi provocá-la também. Coloquei Jack a minha frente e logo ela sentiu minha excitação. Questionou-me discretamente sobre minha empolgação e defendi que o clima era agradável. A estranha gostou e continuou sua exibição. Saiu da água e sentou em uma pedra mais que estava mais próxima a nós. Pouco além de um metro. Também encostei a pedra e puxei Jack para disfarçar minha rola que já fazia volume na bermuda. Nossa amiga notou e fazia caras e bocas. Minha preocupação passou a ser o corno do namorado dela, que havia desaparecido. E fui surpreendido por Jack. Ela começou a se esfregar em meu cacete, disfarçadamente. Disse-me que estava com vontade de ir ao banheiro. Comentei que só teria banheiro na entrada do parque e que a acompanharia. Avisamos a todos, deixamos nossos pertences e saí de onde estávamos encarando meu flerte. Ao se distanciar do povo, Jack insinuou que um perdido ali ficaria registrado para sempre. Entendi fácil sua intenção e desviei o caminho para uma parte mais isolada e alta de onde todos estavam. Entramos por algumas frestas e nos envolvemos em um longo beijo. Automaticamente abri minha bermuda e coloquei meu cacete pra fora. Sua xoxota estava deliciosamente molhada, seria fácil e precisaria ser rápido. Aquela tensão causada pela sensação de ser pego nos deixou eufóricos. Jack não hesitou e o engoliu com vontade. Chupava-o com vontade para que ficasse o mais duro possível. Apoiei-me em uma pedra e desfrutei daquele maravilhoso boquete por alguns momentos até notar que estava sendo observado. Ela, dedicada, não percebeu e fiquei em dúvida sobre avisar ou não. Pra ser bem sincero queria avisá-la de que aquela estranha da cachoeira estava se masturbando enquanto observava aquelas deliciosas chupadas. Puxei Jack e a virei de costas pra mim. Apenas coloquei seu biquíni de lado e ela já segurou meu caralho para colocá-lo em sua xoxota. E assim aconteceu. Ela deslizou por minha pica até acomodá-la e começou a sentar de modo que entrasse por inteiro. Não resisti: - Meu amor, tem uma pessoa nos olhando. Jack se assustou e quase tirou meu cacete de sua boceta. Porém, ao notar que a menina estava se divertindo, começou a se empolgar. Pensei que iria convidar ‘nossa’ amiga para participar, então fiz questão de virá-la de frente pra mim. Comecei a chupá-la para ver se comunicavam, mas a espectadora estava muito acelerada em seus momentos. Jack, então, se empolgou e começou a gemer e logo vi que gozaria rapidamente. E elas gozaram ao mesmo tempo, foi incrível. A estranha levantou-se e desceu correndo. Jack voltou a me beijar sem deixar de segurar meu caralho. Olhou-me nos olhos com a cara mais safada do mundo e perguntou como eu gostaria de minha recompensa. Pedi que ficasse de quatro, pois se continuasse me encarando logo saberia que aquela gozada seria uma homenagem àquela ilustre desconhecida.
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.