RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha Esposa Foi Pega Roubando

Minha linda esposa, Rachel, cometeu um grande erro que nos levou a vivenciar uma experiencia sexual bizarra. Apesar de ser rica, Rachel tem o hábito de roubar, algo do qual eu só me dei conta recentemente quando ela foi pega em flagrante. Nós tínhamos passado o dia na praia e estávamos voltando para casa quando paramos numa pequena loja de antiguidades. Enquanto eu olhava uma imensa coleção de espadas e facas, Rachel ficou passeando pela loja. Quando a ouvi discutindo com alguem, eu fui verificar o que estava acontecendo. Eu a encontrei com o dono da loja, um negro corpulento e com um forte sotaque jamaicano. Ele segurava minha esposa com uma mão enquanto com a outra ele discava no telefone. Quando eu exigi que ele a soltasse, ele me informou que a tinha visto roubando um objeto da sua loja e que iria chamar a policia. Rahcel rapidamente tomou o telefone da sua mão e começou a implorar para que ele não chamasse a policia. Ela parecia apavorada quando disse, "Por favor, senhor, não chame a policia. Eu sinto muito. Por favor, eu faço qualquer coisa!". Ele ficou olhando para ela por alguns instantes e, em seguida, colocou o telefone de lado, mas sem soltar o soltar o braço dela. Rachel ofereceu-lhe o dobro do valor do anel que ela havia pego, mas ele rispidamente respondeu, "Não! Eu não quero o seu dinheiro. Você é uma garota mimada e precisa aprender uma lição. Se você deixar eu te punir do jeito que eu quero e me mostrar o devido respeito quando acabarmos, então eu acho que posso deixar a policia fora disso". "Minha esposa não é uma ladra. Você deve ter se enganado! Eu insisto que você chame a policia imediatamente. E solte-a!", eu disse com raiva. Rachel virou-se para mim e disse baixinho, "Querido, ele não está enganado. Por favor deixe-me cuidar disso". Então, ela disse para ele, "Nós não precisamos envolver a policia, senhor. O que você tem em mente?". Eu nunca tinha visto minha esposa tão submissa e isso meio que me surpreendeu. Diante do seu comentário, ele virou-se para trancar a porta de entrada da loja e, em seguida, praticamente arrastou-a para uma salinha que ficava nos fundos. Eu os segui de perto e ouvi quando ele perguntou a ela, "Qual o sue nome, garota?", depois de ouvir a sua resposta, ele continuou, "Bem, Rachel, você pode me chamar de Sr. Smith. Agora tire suas roupas para que eu possa te ensinar uma lição". Eu tentei protestar contra aquilo, mas ele me interrompeu dizendo, "Cala a boca e senta aí, ou então vá esperar no carro. Isso é entre eu e sua mulher". Eu olhei para Rachel, que parecia estar prestes a cair no choro enquanto dizia, "Por favor, Tom, faça o que ele disse. Não me deixe sozinha com ele". Me sentindo totalmente humilhado, eu me sentei num pequeno sofá enquanto Rachel desabotoava seu vestido. Só para constar, Rachel tem 24 anos, 1,68 de altura, 49 kg e um corpo perfeito. As suas melhores características são seus seios grandes e durinhos, sua bunda perfeita e seu longo cabelo loiro. Sr. Smith, ao contrario, tinha quarenta e poucos anos, era baixo, gordo, feio e possuía uma pele bastante negra e oleosa. Ela tirou seu vestido de seda e fou ali parada, vestindo apenas sua pequena lingerie. Então, ela abriu seu sutiã e expôs seus deliciosos seios para aquele negão. Seus grandes mamilos rosados estavam duros, talvez mais por medo do que excitação. Então, ela ficou de costas para ele e tirou sua tanguinha, expondo seu traseiro para ele e, em resposta, ele murmurou, "Bom, muito bom, minha querida". Rachel deixou que a calcinha deslizasse por suas pernas e caisse aos seus pés, antes de ficar de frente para aquele negão que, naquele momento, tinha total controle sobre ela. Sr. Smith caminhou lentamente em volta dela, apreciando aquele jovem corpo enquanto Rachel olhava para os seus pés, incapaz de olhá-lo nos olhos. Em seguida, ele ergueu o queixo dela e olhou profundamente em seus olhos verdes enquanto dizia, "Você foi uma garota muito má, Rachel. Você sabe o que acontece com garotas como você?". Rachel balançou a cabeça e murmurou, "Não, senhor". Pela primeira vez eu o vi sorrir enquanto dizia, "Bem, minha cara, elas levam umas palmadas no traseiro. Você alguma vez apanhou?". Seu corpo inteiro ficou tenso e ela apenas balançou a cabeça. "Como eu pensei. Pois bem, isso vai ser uma experiencia incrivel para você. E sua bunda é tão perfeita, o que vai tornar tudo ainda mais divertido. Agora chegue mais perto para que eu posso posicioná-la". Ele colocou sua mão na parte inferior das costas dela e levou-a até uma cortina que estava pendurada no canto da sala. Ele puxou a cortina e atras dela havia uma armação de madeira muito parecida com alguns objetos de tortura que existiam na idade média. Rachel quase desmaiou quando viu aquilo, mas mesmo assim não fez nenhum esforço para se afastar daquele negro desgraçado, nem mesmo quando ele começou a apalpar sua bunda. Eu fiquei louco de ciumes ao ver aquilo, mas lutei para controlar a minha raiva. "Essa é uma peça original da Jamaica e eu acredito que minha tatatataravó passou algum tempo presa nisso. Sendo chicoteada por seu mestre branco, claro. E agora é a vez de Rachel sentir-se da mesma forma. Suba na plataforma para que eu possa te prender". Rachel, obedientemente, fez o que ele pediu e colocou as mãos no lugar indicado antes de dizer ao Sr. Smith, "Por favor, não me machuque". Ele riu maliciosamente e empurrou sua cabeça para baixo, pressionando seu pescoço esguio contra a madeira. Enquanto colocava a barra superior no lugar, ele disse, "Oh, isso vai doer, minha querida. Você vai odiar no começo, mas depois eu tenho certeza que você vai adorar. Algumas mulheres ficam bastante excitadas com umas boas palmadas e se eu não estiver você é uma delas". Então, ele deu um passo para tras e olhou para minha linda esposa, que estava totalmente presa e à sua mercê. Ele virou-se para mim e disse, "Por que você não senta nessa cadeira aqui, senhor?! Assim eu posso ficar de olho em você e você poderá ver como sua mulher responde às minhas caricias. Eu sei que é dificil não prestar atenção em seu lindo traseiro, mas observe seu rosto com atenção. Eu quero que você veja o exato momento em que ela começará a gostar da dor. Esse será um momento especial para todos nós". Eu fiz o que ele pediu enquanto murmurava, "Que cara doente!", mas ele me ouviu e disse sorrindo, "Talvez, mas esse cara doente está prestes a dar umas belas palmadas no delicioso traseiro da sua mulher e você não pode fazer merda nenhuma! Agora, sinta-se a vontade porque nós vamos começar". Depois, ele tirou rapidamente a camisa e as calças. Quando ele se virou, eu vi o seu pau, que mesmo estando mole ainda era maior que o meu quando duro. Ele me pegou olhando e provocou, "Sim, eu fui abençado com um pau grande, como a maioria dos meus irmãos. E ele fica ainda maior quando estou excitado!". Racheal se remexeu impacientemente, tentando em vão olhar para ele, aparentemente interessada naquele pau grande e escuro. Sr. Smith notou o seu interesse e ficou do meu lado para ela pudesse vê-lo enquanto ele acariciava o seu membro, fazendo-o ficar cada vez maior. "Olhe, Rachel", ele riu, "Você já viu algum assim? Eu aposto que seu marido aqui não chega nem perto. Eu estou certo?". Rachel ficou olhando para seu pau enorme com uma mistura de medo e admiração enquanto balançava a cabeça em resposta à sua pergunta. "Bem, eu estou vendo que você está interessada nele, mas primeiro eu tenho que te ensinar uma lição". Ele se posicionou atras dela e parou por um instante para apreciar a sua beleza. Com a cabeça inclinada para baixo e as mãos na altura da cintura, sua bunda acabou ficando na posição perfeita para ser espancada. Ele colocou as mãos na parte superior das suas costas e massageou a sua pele até chegar em suas nádegas. Ele as apertou gentilmente e, de repente, deu-lhe um tapa. Ela gemeu baixinho e ele sussurrou, "Ah Rachel, que bunda maravilhosa". Eu percebi que seu pau havia crescido ainda mais e que ele estava sentindo prazer com aquilo tudo. A cabeça do seu pau era enorme e inchada, da cor e do tamanho de uma grande ameixa. Ele começou a acariciar suas bunda novamente, só que agora suas mãos passeavam pela parte inferior das nadegas e acariciavam ocasionalmente seus lábios inchados. Quando ele tocou sua buceta pela primeira vez, ela tentou se afastar e ele rapidamente lhe deu alguns tapas fortes antes de voltar a acariciar seu labios expostos. Rachel estava ficando louca de tesão, rebolando e gemendo a cada tapa que ele dava, mas ao mesmo tempo tentava se afastava quando ele se aproximava da sua buceta. Sr. Smith continuou alternando, dando tapas em sua bunda e acariciando a sua buceta, até que Rachel começou a reagir de uma forma estranha. De repente, ela não estava mais evitando a sua mão, em vez disso, ela tentava ir de encontro, procurando as suas caricias. Sr. Smith começou a provocá-la, gentilmente tocando seus labios inchados e depois se afastando quando ela tentava aumentar o contato, para logo em seguida lhe dar outro tapa. Rachel estava em frenesi, tentando desesperadamente fazer com que ele acariciasse sua buceta enquanto submissamente aceitava a surra brutal que ele lhe dava. Suas nadegas estavam vermelhas e as marcas das mãos dele em sua pele cremosa eram visiveis, mas pela forma como ela estava respirando e rebolando era óbvio que estava mais excitada do que nunca. Eu senti uma onda de vergonha por estar permitindo isso e fiquei com um pouco de ciumes pelo fato de outra homem estar excitando a minha linda esposa. "Por favor", ela gemeu e Sr Smith riu antes de dizer, "Por favor o que, minha querida? Você quer que eu te coma?". Enquanto dizia isso, ele esfregava a cabeça inchada do seu pau enorme contra os labios molhados da sua buceta. Rachel ofegou e disse, "Não! Isso não!", o que fez com que ele lhe desse um tapa forte na bunda. Então, ele enfiou um dedo em sua buceta molhada e perguntou, "Você quer que o negão aqui te arrombe essa bucetinha gostosa?" Rachel rebolou contra a sua mão e gemeu, "Não, só me toque desse jeito, por favor!". Na verdade, eu ouvi seu dedo deslizar para fora da sua buceta molhada e também ouvi seu gemido frustrado quando ele lhe deu outro tapa. Ele estava conseguindo enfraquecê-la e ela continuava a rebolar e implorar para que ele a deixasse gozar. Eu não podia acreditar não quão facil foi para ele transformar a minha esposa teimosa em uma mulher submissa, louca para gozar. Pela primeira vez, ele voltou sua atenção para os seus seios fartos, apalpando sua pele macia e beliscando os seus grandes mamilos rosados. Enquando acariciava os seios dela, ele continuava deslizando seu pau grande e grosso entre suas nadegas. "Eu disse a você que ela iria gostar", ele disse de forma ironica, "Agora, se ela me pedir para comê-la, eu vou satisfazer seu desejo e nós estaremos quites. Mais uma vez, minha querida, você quer o meu pau na sua bucetinha apertada?", ele disse, enfiando o polegar em sua boceta molhada. Rachel hesitou antes de responder, rebolando desesperadamente contra o seu polegar, mas, finalmente, ela respondeu gemendo, "Não, por favor, seu pau é grande demais! Me deixe gozar, por favor". Sr. Smith tirou imediatamente o seu polegar e deu vários tapas na bunda da minha esposa, alguns deles acertaram os seus labios inchados e sensiveis. Essas ultimas palmadas a deixaram completamente descontrolada e ela começou a chorar de dor e frustração antes de finalmente ceder, "Tudo bem, tudo bem, me coma! Eu não me importo mais, eu só quero gozar, por favor!". Sr. Smith lhe deu um ultimo tapa antes de se aproximar dela e agarrar com força os seus quadris. Ele olhou ligeiramente para mim e disse, "Eu falei que ela ia implorar. Agora veja o negão aqui arregaçar a sua mulher com esse pauzão. Ela vai adorar!". Eu queria mandá-lo para o inferno e empurrá-lo para longe da minha esposa, mas já era tarde demais e eu assisti em silencio enquanto ele esfregava a cabeça inchada so seu pau nos lábios inchados da buceta de Rachel. Ela rebolou contra ele e forçou a entrada da cabeça em sua buceta molhada. Grunhindo como um animal, Sr. Smith empurrou seu pau grosso para dentro da sua bucetinha, fazendo-a ofegar em voz alta e gemer, "Ai, você é tão grande! Por favor, vai devagar!". Ele riu e enterrou o seu pau ainda mais fundo em sua bucetinha apertada, fazendo-a gritar de prazer. Ele começou a fodê-la lentamente, movendo seu pau para dentro e para fora, e a cada estocada o seu pau enorme ia mais fundo. No começo, ela estava chorando e gemendo de dor, mas assim que a dor inicial passou, o tesão tomou conta dela. No momento em que o pau dele conseguiu preenchê-la completamente, Rachel começou a rebolar, indo de encontro com as suas estocadas. Se não bastasse vê-lo fazer aquilo com ela, eu ainda tinha que vê-la corresponder às suas investidas, saber que ela estava adorando sentir aquele pau enorme entrando em sua bucetinha apertada, me humilhando ainda mais. Com cada estocada ela soltava um grunhido, como se estivesse doendo, mas quando ele fez menção de se afastar, ela soltou um gemido de frustração. Ao perceber isso, ele começou a tirar completamente o pau da sua buceta e provocá-la, esfregando a cabeça inchada do seu pau ao longo dos labios inchados da sua xoxotinha. Então, ele brutalmente voltava a penetrá-la e a enterrar seu pau profundamente em sua buceta quente e molhada. Seu pau agora estava completamente molhado, e apesar do tamanho descomunal, ele conseguia penetrá-la facilmente. Ele estava arrombando a sua bucetinha e eu provavelmente vou sentir a diferença quando fodê-la com o meu pau mediano, o qual estava duro como pedra nesse momento. Me incomodou o fato de eu ficar excitado ao ver a minha esposa ser fodida por aquele negão pervertido, tanto quanto o fato dela estar gostando disso tudo. Me sentindo completamente humilhado, eu comecei a me masturbar enquanto via o negão comer a minha mulher. Sr. Smith viu que eu estava me masturbando e começou a me provocar, "Ei cara, você está gostando de me ver comendo a tua mulher? Quem é o doente agora? Isso é bom, porque eu também estou gostando de arregaçar a sua mulherzinha. Ela é muito apertada e a bucetinha tá bem molhadinha. Eu acho que vou fazer isso mais vezes!". Seus comentarios me deixaram furioso e eu rebati, "Só em seus sonhos, idiota!". Ele riu e começou a foder Rachel com força, fazendo-a gritar de prazer. Então, ele tirou todo o seu pau da bucetinha dela e ficou passando a cabecinha por seu labios molhados e inchados enquanto me provocava, "Diga a ele, Rachel! Diga a ele o que você quer". Rachel olhou para mim, desesperada, e disse, "Me dá, por favor". "Você quer que eu te dê o que?", ele perguntou. "Me dá o teu pau grande e grosso! Por favor, me come", ela implorou e ele respondeu lhe dando algumas estocadas profundas. Então, ele se afastou novamente, deixando à mostra seus labios rosados pressionados contra aquele enorme mastro negro, e disse, "Assim?", ela respondeu, "Sim, me arregaça". "Se eu fizer isso, você vai voltar aqui para que eu possa te comer novamente?", ele perguntou e ela praticamente respondeu aos gritos, "Sim, sim, faça o que você quiser, me come, me come agora!" Sr. Smith olhou para mim e quis tirar aquele sorrizinho do seu rosto, mas eu tive que admitir que ele tinha o total controle sobre a situação e a minha querida esposa. Ele começou a beliscar seus mamilos sensiveis enquanto a penetrava com força. Ele aumentou o ritmo, enfiando rapidamente seu pau grande e grosso para dentro e para fora da sua bucetinha. Eu podia ouvir seus grunhidos enquando ele a fodia e o barulho do seu pau penetrando sua buceta ensopada. Mas o que mais me chamou atenção foram os gemidos de Rachel e a forma como ela implorava por seu pau. Eu vi seus musculos ficarem tensos quando ela empurrou a bunda para tras enquanto suas mãos negras masseavam os seios dela e beliscavam seus mamilos rosados. Soltando um grito intenso, o corpo inteiro de Rachel estremeu com a força de um poderoso orgasmo. Poucos segundos depois, Sr. Smith soltou um grunhido alto e enterrou seu pau profundamente em minha esposa enquanto a enchia de porra. Suas nadegas se contraiam enquanto ele jorrava leite quente dentro da sua bucetinha. Quando finalmente acabou, ele se afastou e seu pau deslizou para fora dela soltando um ruido molhado, então eu vi uma enorme quantidade de leite grosso deslizar por entre seus labios inchados. Depois de recuperar o folego, ele soltou Rachel e ajudou-a a levantar, mas então ela fez algo surpreendente. Ela caiu de joelhos e beijou seu pau mole e molhado, "Muito obrigada, Sr. Smith. Eu tenho roubado há anos e sempre fiquei excitada com a possibilidade de ser pega. Eu não posso dizer que isso foi um sonho que se tornou realidade, mas eu sempre imaginei como seria ser pega e punida por isso. Meu traseiro está bem dolorido, mas valeu a pena". Em seguida, ela olhou para mim e disse, "Eu sinto muito que você tenha passado por isso. Mas eu posso ver que você também ficou excitado, como Sr. Smith falou. Eu te amo tanto, mas eu tenho que ser honesta, se Sr. Smith me quiser, eu não vou recusar. Eu espero que você entenda". Seu comentário me incomodou e foi aí que eu percebi que nosso casamento nunca mais seria o mesmo.
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.