RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha mulher com o amante

Meu nome é Jorge, tenho 47 anos e sou um industrial de SP. Sou casado há 3 anos com Claudia, uma loura linda de cabelos compridos, 1,75 de altura, 25 anos, olhos azuis, pele branquinha e seios médios e durinhos. Seu corpo é super bem definido, mas o que mais gosto nela mesmo são suas pernas de coxas grossas e roliças e sua bundinha redondinha e arrebitada que deixa qualquer homem doido. Quando nos conhecemos, foi amor à primeira vista e logo nos casamos. No inicio do casamento o desejo explodia intenso em nossa cama e transávamos com doidos. Porém, hoje sinto que não sou mais o mesmo. Talvez a preocupação com os negócios que progridem dia após dia tenha esfriado um pouco o desejo em mim. Sinto que não a satisfaço com antes. Claudia nunca reclamou, mas percebo que ela ainda queima de desejo depois que eu gozo e fico satisfeito. Eu bem sabia que mais dia, menos dia ela arrumaria um amante, pois gostosa como ela é, não faltariam pretendentes. Foi então que tive a idéia que, hoje confesso, me deixou super excitado pois descobri um lado voyeur em mim que até então nunca havia experimentado. Eu propus a Claudia que se ela encontrasse alguém com quisesse se relacionar, eu o aceitaria como uma terceira pessoa em nosso relacionamento, pois sabia que não estava mais correspondendo como antes na cama e não era justo que uma mulher linda e gostosa como ela ficasse insatisfeita. - Que absurdo, Jorge, você quer que eu arrume um amante? – Disse ela atônita com minha proposta. - Não, meu amor, eu só estou propondo que tenhamos um relacionamento aberto e que ,se você quiser uma aventura com outro homem eu gostaria de participar. – Devo confessar a vocês leitores, que a idéia de ver outro homem comendo minha mulher me excitava demais. Claudia ficou indignada com minha proposta. Disse que me amava e nem em sonho queria outro homem, que eu estava louco, etc... Mas depois de eu muito insistir, ela prometeu pensar no caso. Dois meses se passaram, até que, certa noite, após transarmos, Claudia aninhou-se em meus braços e disse. - Jorge! Aquela proposta sobre uma terceira pessoa em nosso relacionamento ainda está de pé? - Claro que está, querida. Por acaso você achou alguém? - Sim! É um cara que conheci no face. Ele achou minha foto do perfil linda e pediu-me para adiciona-lo e desde então, nós conversamos todos os dias e trocamos e-mails. Estamos super atraídos um pelo outro. Eu falei sobre sua proposta sobre uma terceira pessoa no nosso casamento e ele ficou louco pra ser esta pessoa. O que você acha, Jorge? - Você é quem sabe, querida, você quer transar com ele? - Não sei. Na verdade eu gostaria de conhece-lo pessoalmente e se pintar uma química entre a gente, pode até rolar alguma coisa. Tremi naquela hora com um misto de ciúme e tesão mas consenti. O Beto é um jovem negro de 21 anos e com físico de atleta( a Claudia me mostrou as fotos dele no face). Combinamos então de passar o final de semana em nossa chácara no interior, ele nos encontraria lá. Partimos na sexta à noite, pois o Beto chegaria de manhã e queríamos deixar tudo preparado para recepciona-lo. Na manhã seguinte, eu já estava acendendo a churrasqueira e a Claudia tomava sol à beira da piscina quando ele chegou em seu carro. Fomos recebe-lo e, depois de devidamente apresentados, lhe mostramos a casa e o deixamos à vontade para trocar de roupa. Depois que colocou a bermuda., Beto veio até à churrasqueiro onde eu preparava a carne. - Bonito lugar. – Disse ele puxando assunto comigo. - É! Dá pra passar algumas horas.- Respondi. Enquanto conversávamos no kiosque da churrasqueira, Claudia, de bruços, tomava sol na beira da piscina, usando seu biquininho azul e bem cavadinha emoldurando sua bunda perfeita que queimava ao sol. - Ela é linda, não é? – Disse eu a Beto que a olhou, mal conseguindo disfarçar seu desejo. - Sim! É muito linda. – Falou ele, quase babando. - Então, Beto, você está aqui hoje por que ela te escolheu, ela gostou de você, ela sente tesão por você e o fato de você ir para a cama com ela só depende de você. – Disse eu enfático - Eu sei, Jorge, eu e ela temos que nos conhecer melhor né? - Então o que você tá esperando? Vá até lá e conquiste-a Ele me agradeceu com um sorriso, tirou a camiseta e a bermuda ficando só de sunga e correu até ela. Beto sentou-se ao lado de minha esposa que tomava sol de bruços e começaram a conversar. De longe eu os observava enquanto punha a carne praassar na churrasqueira. Não conseguia ouvia o que falavam mas percebi que estavam se entendendo bem pelas gargalhadas gostosas de Claudia que ecoavam no ar. Beto estava conseguindo conquista-la. A certa altura, os dois pularam na piscina e brincaram feito crianças e pelas suas risadas, percebi que Claudia estava gostando. Depois de algum tempo, eles saíram da piscina e, de mãos dadas, foram at´r a varanda da casa onde se sentaram no banco, juntinhos um do outro. Claudia estava linda com as pernas cruzadas realçando sua coxa maravilhosa. Seus cabelos molhados escorriam até aos seios enquanto seus olhos fitavam com interesse o macho que tentava seduzi-la. A tudo eu observava da churrasqueira onde eu estava.Distrai-me por um momento olhando a carne e quando voltei a observa-los os dois já se beijavam apaixonadamente sentados naquele banco da varanda. Claudia correspondia a seus beijos e acariciava seu rosto enquanto a mão dele percorria toda a extensão da coxa de minha mulher. Percebi que ele a havia conquistado. Eles transariam naquele dia. Quando a carne ficou pronta, toquei o sino e os dois vieram abraçados como namorados. Beto não escondia o enorme volume que se formara sob sua sunga. Claudia me abraçou e beijou enquanto Beto foi ao banheiro. - E aí! Está gostando dele?- Perguntei - Estou adorando. Esta noite promete... Depois do almoço eu disse que iria até a casa tirar um cochilo e os deixaria à vontade. O quarto para onde fui, tem uma enorme e antiga janela de madeira que dá para a varanda e, apesar de fechada, possui frestas por onde pode-se enxergar lá fora. De dentro do quarto eu podia ouvi os dois se beijando e cochichando na varanda. Não resisti e fui espiá-los pela fresta da janela. Claudia, em pé, tinha Beto que, abraçando-a por trás, beijava sua nuca enquanto sua mão enorme acariciava a bocetinha de minha mulher por cima do biquíni. De repente, ela se vira de frente e pos se a beija-lo na boca e a esfregar-se com desejo nele que estava com o pau quase estourando a sunga de tão duro. As mãos dele amassavam com volúpia a bunda de Claudia. Sem poder agüentar mais, ele abaixou a sunga e encaixou aquele pau enorme e grosso entre as pernas de minha esposa e ficou fazendo movimentos de vai e vem, esfregando aquele pintão na bocetinha por cima do biquíni até que, sem poder segurar mais, Beto ejaculou um rio de porra lambuzando minha mulher com seu esperma. Percebi que ela também tinha gozado e, depois de um longo beijo, ela foi para o banho e ele foi para a piscina dar mais um mergulho. Naquela noite , Claudia estava linda usando um vestidinho preto de alcinhas bem curtinha realçando suas pernas maravilhosas. Depois do jantar, fomos para a sala. Eu coloquei uma música romântica e Claudia e eu começamos a dançar enquanto, Beto nos observava do sofá. Foi pintando um clima e nos beijamos. Escorreguei minha mão até a bunda de minha esposa e levantei seu vestido revelando o traseiro de Claudia recortada pela minúscula calcinha branca. Com um gesto de mão, chamei Beto para que se juntasse a nós e ele veio sem demora e pos se a encoxar minha mulher ao ritimo da música. Nessa hora, meu celular tocou e tive que atender, pois eram negócios urgentes. Claudia passou a dançar com o rapaz que a beijava sem parar. Eu ainda estava ao telefone quando a música acabou. Claudia e Betoforam para o quarto. Acenei dizendo que iria logo. Quando consegui me livrar do incomodo telefone e fui para o quarto, os dois já estavam ajoelhados no centro da cama king size, um de frente pro outro ( Beto nu e Claudia só de calcinha), se beijando e se acariciando mutuamente. Despi-me e sentei-me na poltrona aos pés da cama para apreciar a cena. Seus beijos eram estalados e as mãos de Beto não desgrudavam da bunda perfeita de minha mulher. Claudia, por sua vez, acariciava aquele membro enorme e negro enquanto se beijavam. Suas mãos delicadas envolviam aquela tora negra punhetando-o bem lentamente. Da poltrona, eu com o pau super duro a tudo aobsevava. Lentamente, Claudia se abaixou sobre ele que continuou ajoelhado, e pos se a chupar seu cacete. Como ela estava linda de quatro sobre. Sua bundinha ficou provocantemente arrebitada.Não resisti. Fui até lá e puxei sua calcinha de lado e comecei a lamber sua xoxota cheirosa e seu cuzinho lindo enquanto ela mamava na vara do negão. Sua bocetinha já estava super molhada e percebi que ela esava no ponto para ser penetrada. Voltei para a poltrona, pois estava louco para ver o Beto meter gostoso naquela xoxotinha apertada. Claudia se livrou da calcinha e deitou-se de pernas abertas oferecendo sua fendinha para aquele pau enorme. Beto colocou a camisinha e se ajeitou entre as pernas dela, acariciou com a cabeça do pau a bocetinha e foi atolando bem devagar. De onde eu estava sentado dava pra ver perfeitamente aquele cacetão negro entrando na xoxotinha lira e cheirosa de Claudia que gemia com louca tend aquele negão entre as pernas lhe comendo num gostoso papai e mamãe. - Assim, Beto, me come vai, me come gostoso. Atola este pau todo em mim,- dizia ela entre gemidos e o rapaz a obedecia metendo com vigor seu pau grosso e comprido que a preenchia toda. - Nossa,como é apertada, - dizia ele quase gritando de prazer. – Você é a mulher mais gostosa que eu já comi. -Deixa eu ir por cima um pouco, deixa, Beto. – Pediu ela, pois era sua posição favorita . Beto se deitou e Claudia veio por cima dele enquanto eu assistia a tudo da poltrona aos pés da cama. Ela se ajeitou sobre aquela tora e foi sentando bem devagar. Fiquei com muito tesão ao ver a bocetinha loira de minha mulher ir engolindo aquele mastro enorme. - Que delicia... Como tá duro, - dizia ela gemendo freneticamente. Com movimentos compassados, Claudia o cavalgava fazendo com que aquele mastro enorme entrasse e saísse gostosamente enquanto Beto gemia em delírio e apertava sua bunda gostosa. Seus movimentos aceleraram e agora o cacete entrava e saia freneticamente da bocetinha. - Eu vou gozar ...- Gritou, Beto enquanto Claudia rebolava em cima dele que gozou gostoso em minha mulher. Ela também gozou e os dois se largaram exaustos na cama. Eu que assisti a tudo, estava morrendo de tesão e com o pau duro . Não agüentei e fui para a cama com eles onde minha esposa estava deitada de bruços. Comecei a beijar sua nuca enquanto acariciava sua bunda deliciosa. Beto se levantou e foi ao banheiro tirar a camisinha e tomar um banho. - Curtiu, amor, ver sua mulherzinha dar pra outro cara?- Perguntou ela entr risinhos enquabnto eu chupava sua nuca. - Adorei e estou morrendo de vontade. Olha como meu pau tá duro! - Quer me comer também, meu gato? - Quero comer seu cuzinho. Você dá ele pra mim? - Claro, querido, você merece tudo por ser tão maravilhoso. Então ela puxou o travesseiro pra debaixo de sua barriga fazendo com que sua bundinha arrebitasse enquanto eu lambuzava o caralho de lubrificante. Ela abriu as pernas e eu fui por cima e atolei bem devagar em seu cuzinho gostoso e apertado. - Aiii...Hummm...Haaá – Gemia ela enquanto eu metia com vontade em seu traseiro e quando estava pra gozar , tirei o pau pra fora e ejaculei em sua bunda. Depois fomos para o banho. Foi maravilhoso aquele encontro e metemos a noite toida, eu, Claudia e o Beto. Nossas vidas nunca mais foram as mesmas, pelo contrario, mudaram pra melhor e até hoje organizamos encontros com outros homens. Gostaríamos de receber emails comentando. Chfjunior.ferreira@gmail.com
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.