RSS contos eroticos

Conto Erotico Roberta, a Loura Evangélica!

Olá, boa tarde á todos, me chamo Ricardo, 32 anos, moreno jambo, alto(1.85cm de altura), corpo definido, simpático, sou casado á 3 anos com Julia, uma mulata de 29 anos, 1.63cm de altura, 55 quilos, cabelos cumpridos, olhos cor de mel, seios médios, cintura fina, quadris largos, coxas grossas e como toda boa mulata, uma bunda de se fazer inveja...enfim, sempre leio esse site, e hoje decidi relatar o que me aconteceu á cerca de 2 anos... Tenho uma irmã evangélica casada e lider do grupo de casais em sua igreja, em toda oportunidade Carla, minha irmã, nos convidava á mim e minha esposa á irmos conhecer a igreja que ela frequenta, claro que eu e Julia sempre arrumavamos uma desculpa, até que um dia, para que Carla parasse de nos importunar sempre com o mesmo assunto, resolvemos aceitar o convite e ir ao culto; Era um sábado, por volta das 18 horas, como de costume em igrejas evangélicas, muito barulho, povo gritando, cantando...bem diferente da igreja católica, á qual, somos frequentadores....ao final do culto, minha irmã veio nos perguntar o que achamos:”bom, foi diferente” eu respondi com um sorriso meio sem graça no rosto, oque mais tarde gerou uma briguinha besta com a Julia (pra variar).... Enquanto nos despediamos, uma mulher loura nos interrompeu: ”irmã Carla, desculpe mas preciso falar com a irmã, um assunto muito pessoal...” e minha irmã, como sempre, muito educada, nos apresentou: ”irmã Roberta, esse é o meu irmão caçula, Ricardo e sua esposa, Julia, vieram visitar a nossa igreja hoje....” Depois das devidas apresentações, Carla me disse que a tal irmã Roberta, morava sentido o mesmo bairro que eu, na zona norte, tucuruvi...por educação, ofereci-lhe uma carona e também por educação, Roberta recusou, mas minha irmã, juntamente com minha esposa, insistiram, pois já passava das 21 horas e pelo que percebi, Roberta havia ido sozinha (o marido não era do tipo que acompanhava a esposa á igreja); Deixamos que Roberta conversasse com minha irmã e aguardamos no carro, 15 minutos depois, ela entrou no carro meio ruborizada, se desculpando pela demora, eu disse que não tinha problema e perguntei onde era sua casa, pois não deixaria a mulher andando sozinha aquela hora na rua, enquanto ela respondia, pude prestar mais atenção nela e em sua voz, vi pelo sotaque que Roberta era carioca, loura, cabelos cumpridos, meio cacheados, olhos verdes brilhantes, bronzeado natural, aproximadamente 1.65 de altura, usava aparelho ortodontico, aparentava uns 35 anos pelas roupas longas que usava, não pude ver bem seu corpo, mas mesmo assim, parecia ter seios fartos, e uma bunda grande, pois mesmo com o vestido que usava, dava pra notar a circunferência...enfim, chegamos ao local e pra minha surpresa era a mesma rua que eu trabalhava.... nos despedimos o mais formalmente possível e fiquei acompanhando com o olhar enquanto ela ia entrando em sua casa e fomos embora..... No dia seguinte fiquei pensando em Roberta...imaginando aquela carioca falando 1001 putarias no meu ouvido com aquele sotaque safado que só as cariocas possuem, imaginando-a sem o vestido....e claro...me chupando com aquela boca gostosa que ela tinha.....; trabalhei normalmente na segunda feira e na saída do trabalho pra minha surpresa, vi Roberta saindo de uma padaria que tinha na rua, estava completamente diferente do que vi no sábado, com uma blusinha azul, regata, com um generoso decote, ali pude ver bem melhor seus belos e fartos seios, que acompanhavam umas sardas, o que me deixou ainda mais afim de ver aquela mulher nua, usava um shorts jeans branco e os cabelos amarrados em um coquê, não lembrando nem de longe a evangélica que vi no sábado ... ela me viu e abriu um sorriso meio timido: "- Está me seguindo rapaz?? Olha que sua esposa não vai gostar disso hein...", disse ela, rindo meio sem graça, me mantive na mesma: "- imagina, eu trabalho aqui, estou arrumando as coisas para ir embora..." "Então tá certo, nós vemos por ai...fica com Deus e até logo" disse ela, indo pra sua casa...(tenho certeza que ela percebeu que eu ficaria olhando pra sua bunda, pois começou á rebolar mais do que o normal) Os dias foram se passando, e sempre no mesmo horário, religiosamente as 17:00, Roberta estava lá, voltando da padaria, cada dia com uma roupa mais provocativa...não sabia se ela fazia aquilo por minha causa, ou se queria seduzir o coitado do padeiro, só sabia que a cada dia que se passava, eu sentia mais tesão por Roberta... Enfim chegava a sexta feira, o dia mais esperado da semana, e eu particularmente, estava exausto, não via a hora de chegar em casa, pegar a Julia e ir pro interior dar uma boa descansada..., na saída do trabalho, como de costume, vinha Roberta, mas dessa vez estava diferente, o olhar, o jeito de andar, não sei, estava mais tesuda que o normal, usava um vestido branco, quase que transparente, pouco acima dos joelhos, aparentemente sem sutiãn, e uma calcinha bem pequena, preta, pois mesmo com o vestido, consegui ver, aliás, não só eu,..muitos homens que estavam na rua, dificilmente conseguiam desviar o olhar daquela mulher...estava com os cabelos soltos, baton claro nos lábios...sabia que iria despertar o desejo de muitos por onde passasse, inclusive o meu.... "- Olá amigo" ela disse sorrindo pra mim..."que calor hoje não??" "Sim, hoje está bem quente, estranho, pois estamos em julho, bem no meio do inverno e essa semana esquentou todos os dias" eu disse, tentando iniciar uma conversa... "ainda bem que esquentou" ela respondeu, "sou carioca, amo o calor, assim posso ficar mais á vontade, amigo, vou indo, até logo..." e Roberta se foi, andando calma e devagar, rebolando, mas, mais safada dessa vez, exibindo seu belo corpo...e aquela calcinha...nossa... Naquela sexta feira, cheguei em casa e fui tomar banho, lembrando do meu breve papo com Roberta que acontecera a pouco..."amo o calor, assim posso ficar mais á vontade.." aquelas palavras, aquele sotaque, não saiam da minha mente, bati uma gostosa e demorada punheta, gozando como á tempos não gozava, quando saí do chuveiro, encontrei minha esposa na cozinha arrumando umas coisas para levarmos, ela usava um vestido curto, com a bunda quase aparecendo, estava com uma fio dental vermelha, bem socada, do jeito que eu gosto, Julia, mesmo com seus 29 anos, ainda faz inveja á muitas meninas de 19... A peguei ali mesmo na mesa e fizemos amor, como á muito tempo não faziamos, eu chupava ela e ela me chupava em um 69 frenético e muito gostoso depois transamos de quatro, de lado, de tudo quanto é jeito...oque a deixou bem excitada, e naquela noite, fizemos amor até ficarmos exaustos...e não fomos viajar; Sábado, como de costume, tomamos café, fomos á feira, Julia preparava o almoço enquanto eu lavava o carro, quando minha irmã Carla me liga, Julia me levou o telefone com a cara de descaso que fazia sempre que isso ocorria: "- toma, é sua irmã..., aff, lá vem ela nos chamar pro culto de novo..."; e foi o que aconteceu, aceitei o convite.... Julia ficou com raiva e disse que não ia, pois daqui a pouco estariamos virando evangélicos sem nem saber, disse que ia na casa da mãe, pois estavam recebendo uma prima do Paraná que havia vindo passar uns dias em São Paulo, eu falei que tudo bem, estava louco pra ver a Roberta novamente, e sem a Julia, seria a oportunidade perfeita para que eu avançasse um pouco o sinal..... Saí de casa, estratégicamente, uns 30 minutos antes do culto começar, fui passando pela rua da casa da Roberta bem devagar, na esperança de vê-la andando á caminho da igreja, e pra minha sorte, lá estava ela, usava uma saia jeans cumprida com um camisete branco e um casaco de malha fina, cabelos alisados, amarrados com rabo de cavalo, maquiagem bem leve... encostei o carro ao lado dela, e perguntei se ela queria uma carona...e ela, muito educada, respondeu: "Oi amigo...não se preocupe, vou caminhando até lá, não quero lhe tirar de sua rota..." e eu insisti: "- imagina, será um prazer imenso ter a sua companhia, e eu também estou indo pra igreja, a Carlinha me chamou pra ir hoje de novo..." Começamos á conversar no caminho, ela achou engraçado eu chamar minha irmã de Carlinha, pois minha irmã era muito séria...e logo perguntou de minha esposa, eu disse o que tinha acontecido, e meio que o assunto morreu, até que eu perguntei sobre o marido dela, ela meio sem graça me disse que era um sujeito muito fechado, que mal o via, e que mesmo assim o cara era muito grosseiro com ela, aqueles tipos matutos mesmo, ela me disse que trabalhava de manhã em um laboratório hospitalar e o marido era porteiro e trabalhava a noite em um condominio na zona leste, o que dificultava ainda mais o contato entre os dois, e que estava orando muito para que o casamento não acabasse...eu ouvia tudo aquilo com muita atenção, mas não conseguia deixar de imaginar que era a brecha perfeita..... O culto foi tranquilo, diferente do sábado passado, quando acabou, fui me despedir da minha irmã e vi que Roberta estava conversando com ela...assuntos sobre a crise no casamento... Me despedi de Carla e ela me disse pra esperar para que eu desse uma carona á Roberta, respondi com a cabeça que sim e que estaria esperando no carro (não quis transparecer a alegria de poder levar Roberta de volta) enquanto estava no carro esperando Roberta, Julia me ligou, dizendo que iria dormir na casa da mãe, pois minha sogra não estava muito bem de saúde, eu concordei...feliz da vida por ter a noite livre, esperei Roberta, que entrou no carro e com o mesmo sorriso timido disse: "- Ai Ricardo, não vou te atrapalhar mesmo?? Sei lá...você deve estar cansado e com vontade de ir pra casa ficar com sua esposa..."; e eu disse: "- imagina, sua casa é caminho pra minha, e outra, a Julia vai dormir na minha sogra hoje, então meu unico compromisso da noite é com a tv..."; ela riu e disse que estavamos na mesma situação, pois o marido tinha ido trabalhar..., ainda no carro, comecei á puxar papo...perguntei se ela tinha filhos, ela disse que não, mas que sempre quis ter uma menina, mas quando casou, o marido não quis, pois já tinha 3 filhos do primeiro casamento, ...e assim, foi se abrindo, disse que o marido era 12 anos mais velho e que já estavam casados á 20 anos....me disse que já pensara em se separar pois tinha 37 anos e sempre foi muito fogosa antes de se tornar evangélica, mas com o passar do tempo o casamento foi esfriando...e que á cerca de 2 meses não tinha relações sexuais, fiquei um tanto intrigado com aquela conversa e Roberta percebeu, pois ficou muito vermelha e pedindo desculpas por estar falando aquelas coisas....eu disse pra ela não se preocupar, que não havia problema algum em nos conhecermos mais...foi ai que eu aproveitei a chance e disse: "- Olha Roberta, me desculpe a sinceridade, mas não entendo porque você ainda está com esse cara... afinal de contas, você é uma mulher muito atraente e tenho certeza que qualquer homem nessa terra, se sentiria muito sortudo em tê-lá como mulher, a única coisa que você está fazendo com seu marido, é perder seu tempo, você não tem filhos, e é uma mulher linda...deve buscar sua felicidade, independente do que digam..."; Nisso Roberta abriu um sorriso, mas nada timido, um sorriso sacana, como criança prestes á aprontar: "- Então quer dizer que você me acha atrante Ricardo??" Eu ri e respondi que sim, que a achava muito atraente, elogiei seus lindos olhos verdes, sua bela e carnuda boca, disse que apesar de ser casado com uma mulata, sempre tivera uma queda por louras, aproveitei o gancho pra falar de seu belo corpo, elogiando suas pernas, disse que aquele sotaque era algo que me deixava doido e que sempre tive o desejo de ter uma carioca na cama...Roberta ficou um pouco sem jeito, mas como eu esperava, ela foi se abrindo...conversamos mais sobre diversos assuntos, até que chegamos em sua casa... "- pronto, chegamos ", ela disse meio apreensiva... "- pois é, chegamos" eu disse, como alguém que espera a conclusão de um capitulo de um bom livro.... "Você não quer entrar Ricardo? Podemos pedir uma pizza, sei lá, afinal de contas, ambos estamos sozinhos hoje..."; Aceitei o convite sem cerimônias, eram umas 21:30 e a rua estava meio deserta, estacionei o carro na rua de trás, para não dar bandeira, e me dirigi para a casa dela, o portão estava semi aberto, entrei, logo estava na sala, parado e excitado como um adolescente antes da primeira transa... "senta Ricardo, vai ficar ai parado igual um vaso de planta é?" Roberta disse e riu..., logo me sentei em seu sofá amplo e bem confortável enquanto Roberta me disse para aguardar pois iria vestir algo mais suave para ficar dentro de casa, lá eu estava, pensando em tudo aquilo e meu pau ficando cada vez mais duro sempre que eu imaginava aquele tesão de mulher entrando na sala com "algo mais suave".... Roberta voltou vestindo uma camisola branca transparente, bem curta, com uns detalhes em renda na altura dos seios, com uma micro calcinha branca, que parecia que seria sugada por aquela bunda enorme... "tudo bem com você Ricardo? Você parece meio tenso...quer um copo d'água?" disse ela rindo, não parecendo em nada com a moça evagélica que eu havia conhecido no sábado passado; "sim, aceito uma água...de repente, fiquei com um calor..." Rimos, e ela foi á cozinha buscar a água, claro que foi bem calma e rebolativa, ainda com os cabelos amarrados em rabo de cavalo...o andar daquela mulher, nossa, estava me deixando maluco... Quando ela voltou, se sentou meio de lado, exibindo as pernas, bem á minha frente....tomei a água e perguntei onde poderia colocar o copo, ela disse que eu podia colocar na cozinha mesmo, em cima da mesa, me levantei e vi que os olhos dela cairam em cheio na minha calça, que mesmo sendo jeans, apresentava um belo volume, pois eu estava excitado desde a hora que tinha entrado em sua casa... Quando voltei pra sala Roberta estava sentada no outro sofá, de frente pra mim, e com uma cara de puta safada me chamou só com o dedo, e disse com aquele sotaque safado: "hoje tu vai matar tua vontade, vai comer uma carioca bem puta, seu sacana" fui em sua direção, com a pica cada vez mais dura, á ponto de gozar na cueca... Roberta ficou de joelhos no sofá e começou á abrir minha camisa, e eu ficando cada vez com mais tesão, ela começou á beijar e lamber meu peito: "- nossa Ricardo...que delicia, seus pelos são lisinhos, adoro" e eu morrendo de vontade de beijar aquela mulher, agarrei-a pela cintura, levantando sua camisola e apalpando aquela bunda deliciosa com as duas mãos enquanto nos beijavamos, um beijo longo e gostoso, bem molhado e cheio de tesão, enquanto eu a beijava, percorria seu corpo todo com as mãos, dedilhava sua buceta lisinha e bem gordinha...bem molhada, apertava com força aquela bunda e apalpava muito aqueles seios enormes...Roberta abaixou minha calça, minha cueca e disse: "nossa Ricardo, que pica linda, grande, grossa, cabeçuda...humm que vontade de mamar esse cacete bem gostoso" Aquilo me deixou á ponto de bala, quase gozo só com a voz daquela safada olhando pro meu pau, Roberta chupava igual uma esfomeada, não parava por nada, lambia a cabeça, passava a rola na cara, se deliciava e se lambuzava com minha pica, punhetava e chupava ao mesmo tempo....eu já não estava aguentando de tanto tesão quando falei: "Porra Roberta que boca gostosa....eu to quase gozando nessa boca minha putinha safada"... Na mesma hora, Roberta, ainda me chupando, olhou nos meus olhos com uma carinha de vagabunda e disse: "goza meu gostoso, enche a boca da sua puta de porra vai...goza cachorro..." não aguentei e gozei...gozei demais ...muito gostoso, Roberta, sem deixar escapar uma gota se quer, lambia e queria mais...sentei no sofá completamente nú, Roberta parou á minha frente.....tirei sua calcinha e ela subiu no sofá, tirou a camisola, ficando toda nua, aqueles seios lindos na minha cara....Roberta apoiou as mãos no encosto do sofá e colocou aquela buceta deliciosa na minha boca, comecei á chupar, lamber, mordiscar...e Roberta ficando louca, gemendo dizia: "isso gostoso, faz sua putinha gozar faz...quero que você sinta o meu gostinho"... Ver e ouvir aquela mulher daquele jeito me dava um tesão incontrolável, em poucos minutos, estava de pau duro de novo, mas fiz Roberta gozar muito na minha boca...depois fomos para o quarto...na cama dela....Roberta me sentou na cama e se sentou em meu colo de costas pra mim, fazendo meu pau sumir todo dentro daquela buceta maravilhosa, meti enquanto Roberta rebolava e dizia: "fode meu macho, fode sua putinha fode...faz comigo tudo oque vc não faz com tua mulher" Fiquei com um tesão que eu nunca havia sentido antes, e meti com força, Roberta sentiu e gozou novamente, apertando meu pau com sua buceta carnuda..., eu estava louco pra gozar, coloquei Roberta de quatro, e puxando seus cabelos, fodi aquela buceta, muito, gostoso, com força, Roberta sentia minhas bolas baterem em sua buceta e urrava de tesão...comecei á por o dedão em seu cuzinho enquanto metia naquela buceta linda, quando meu dedo entrou, falei pra Roberta: "tenho um puta tesão nesse teu rabo, loura" "então vai meu macho, come o cuzinho da tua puta, me rasga, quero sentir tua rola me arrombando..." Coloquei a rola devagar até a cabeça passar, depois comecei um vai-e-vem desenfreado naquele rabo..."me fode...aiiii...issooo, vaiiiii mete tudo..." Roberta dizia totalmente extasiada de tanto tesão... "Vou gozar" eu falei...Roberta se virou com velocidade e a habilidade de uma verdadeira atriz porno, abocanhou meu pau e chupava gostoso...sem falar nada, enchi sua boca de porra novamente....caimos os dois na cama, e ali mesmo pegamos no sono... Acordei as 04:00 da madrugada, com o toque do celular, era a Julia, pedindo que fosse buscá-la, sai sem fazer barulho, para não acordar Roberta, mas mesmo assim ela acordou, me despedi com dois beijos no rosto e um na boca, Roberta deitou novamente, me pedindo segredo absoluto sobre o que havia acontecido, e claro que eu disse que sim, e pedi o mesmo á ela; fui em casa, tomei um rápido banho e fui buscar Julia, chegando na casa da minha sogra, Julia já estava no portão me esperando, junto com ela, uma garota meio fofinha e uma mala de viagem : "Ric, essa é a Karina, minha prima, lembra dela?" "E que prima"...., pensei comigo, tinha visto Karina uma unica vez quando fomos ao Paraná, na época eu ainda namorava com a Julia, e confesso que na época, era uma menina gordinha mimada, filha unica e bem chatinha, muito diferente daquele tesãozinho que estava á minha frente..... Karina, diferente de Julia, havia herdado a parte européia da família, mais ou menos 1.70cm de altura, branquinha, olhos escuros, traços europeus, nariz fino e pontudinho, e uma boquinha pequena, mas ao memo tempo muito sensual, cabelos lisos e bem cumpridos, até a cintura, parecia uma bonequinha de porcelana, era um tanto gordinha, mas nada que tirasse sua beleza, pelo contrário, Karina já possuia belos seios fartos e mesmo gordinha, tinha uma cintura fina e uma grande e redonda bunda..., nem preciso dizer a felicidade que fiquei quando Julia me deu a seguinte noticia: "Ela acabou de completar 20 anos, vai passar uma semana com a gente...ainda bem que você vai entrar de férias essa semana né amor??"disse Julia com uma felicidade inocente..... "Sim amor....ainda bem.....".
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.