RSS contos eroticos

Conto Erotico A sobrinha desejada

Meu nome eé flavio, esta historia que vou contar aconteceu realmente a um tempo atraz, foi um acontecimento inusitado mais que proporcionou muita satisfação e prazer, pelo fato de ter acontecido num momento que eu estava carente. na época eu tinha 24 anos e de fisionomia magra mais atraente , já me conciderava bem dotado pelo menos as meninas que já tinha comido falavam isso de meu penis gtrande e grosso. minha sobrinha acompanhei o crecimento dela pois morava perto de minha casa e quase sempre ela estava passando o dia e voltava pra casa a noite pra dormir quando os pais chegavem do trabalho desta forma a vi crescer e nunca olhei a adri como vou chamar com outros olhos alem de sobrinha, eu a observava brincar, desde pequeninha, até que um dia me peguei um dia que ela chegou la em casa já nos seus 11 anos mais ou menos toda produzinda de blusinha branca nunca esqueço da cena e uma sainha jens curtinha que me chamou a atenção mais me comportei da mesma forma de antes procurei tirar aquilo dos meus pensamentos o tempo passa, e quando já com 12 anos muito mais gostosinha gostava de usar sempre sainha curta e eu uma vez ou outra ficava olhando ela brinca com minha prima que alias eu conversava muito e agente era muito liberal um com o outro a ponto de termos trocado beijos e outras que não vem ao caso em outra ocasião contarei. então vamos ao fato.
certo sabado chegando do centro da cidade por volta das 14 horas entro em casa e vejo la minha adri como sempre toda linda e gostosinha na garagem la de casa brincando sozinha, entro vou a geladeira e notou que não tem ninguem em casa, mais volto e pergunto a adri onde foram todos ela responde sairam pra fazer compras e eu fiquei pra tomar conta da casa e atender o telefone quando tocar, pois bem tomei, naquele momento nada por miha cabeça e nem outro momento me passou nada além de so olhar e observar a adri brincado crescendo ficando gostosinha e saborosa, netão tomei um copo de suco e subi pro meu quarto, sempre deixo a porta meio aberta já quase ninguem sob e tava muito calor, então tiro a roupa e fico so de cueca e deito na cama e começo a me lembra de uma amiga que tinha visto pela manha que me chamou atenção de tão gostosa, e comecei a me acariciar e imaginar ela ali comigo e eu comendo a bucetinha dela o cursiho etc, e nas minha imaginações tiro minha zorba já que eu tava no quarto e continuei a me acariciar sem pensar nem tão cedo gozar, depois de uns 15 minutos eu já estava distraido com meus pensamento me viro e vejo uma sombra na porta do meu quarto, fico surpresa e vem na minh acabeça minha sobrinha adri pois so ela estava em casa e não tinha ouvido barulho de carro mesmo com minha distração me masturbando me viro mais e vejo adri toda desconfiada já descendo a escada do meu quarto, ai num relance chamo, - adri que foi vem cá, noto que ela para e torno a chamar – vem adri , me levando vou ate a porta pego na mão dela e levo ate perto da cama, ela toda desconfiada, pergunto – que fazia tempo que vc tava ali espiando, ela fica ruborizada – respode adri não tem medo nem verginha - voce tava curiosa né, ela balança a cabeça confirmando, um fogo sob no meu corpo meu coração dispara me encho de tesão, então pergunto se ela quer ficar ali comigo- ela balança a cabeça novamente confirmando- então eu falo – vai ser noss segredo e posso matar sua curiosidade mais tem que prometer e a única pessoa que pode falar isso é aninha a prima que falei a voces no inicio, faço ela prometer. nisso olho pro rostinho dela, vou baixando a visão e olho para os peitinho dela pequeninhos durinhos ainda não a tinha olhado desse cheito e começa a medar muito tesão desço mais o olha e vejo suas coxinhas nesse momento coloco minha mão entre saua coxa ela ali em pé perto da cama eu seme deitado mando ela se aproximar e fico alizando suas coxas lenvando minha mão como que quanse tocando na sua calcinha, meu pau cresce mais ainda, mando ela senta na beira da cama tiro o lençol que me cobriu e coloco as suas vista meu pau e mando ela olhar – olha adri minha menina pego a mão dela toda encabulada e levo ate ele e aperto a mão dela sobre ela isso me excita mais ainda, entãi eu falo pega com força amor é gostoso, vou te ensinar umas coisa gostosas fazer voce ir nas nuvens, agora que vc já viu meu pau tocou nele, quero ver sua bucetinha, fica em pé em cima da cama, mando ela ficar em pé na cama vislmbro sua bucetinha do alto e mando ela tirar a saia, mando ela tirar a blusa que ela tira toda encabulada fica so de calcinha e fico obsrvando aquela bucetinha linda pequininha sob sua calcinha branca, mando ela tirar sua calcinha e faço depois sente no meu torax de frente pra mim de modo que sua bucetinha fica próxima de miha boca. mando ela segurar no espelho da cama e trago ela de modo que sua bucetinha sente minha lingua bolinar no seu clitori, com pouco tempo sentii uns gemidos dela pois sua bucetinha já tava molhadinha ela se solta cada vez mais e não para de xupa-la ela experimenta um gemido mais forte eu digo pra ela se soltar liberar porque estavamos sozinhos e continuo xupando desejava faze-la soltar gemidos gritos e cada vez eu contimuava e de repente sinto que vem uma gozada forte ai seguro com mais vigor miha boca na sua bucetinha e ela vai ao extase. suada, com ar de cançada me sento de forma que adri fica sentada no meu colo. pergunto se ela gostou ela sorrir agora mais solta e fala, foi gostoso demais tio, nunca tinha gozado e com voce xupando minha bucetinha foi demais então ela sorrir e arremeso um beijo de leve na sua boca ela coresponde meio sem jeito então volto a beija-la naquela boquniha cheia de tesão ensinando ela a beijar xupava sua lingua com muito vigor ela correspondia, foi então que perguntei se ela queria que eu xupasse mais sua bucetinha ela confirma, desta fez eu a deito na cama abro sua coxas introduso minha lingua com tesão na sua bucetinho toco seu grelinho e sutento com se estivesse chupando um pirulito sugando onde logo logo ela começava a gemer se contorcer de modo que tive que inpor mais força pra segura-la pra não fugir da minha boca senti ela gozar forma pois dar um supiro forte continuo a xupa-la com vigou e depois de uns 5 minutos ela solta um grito não aguentou de tanto tesão nesse momento subo em cima dela e abraço beijando ela forte, dizendo – minha sobrinha gostosinha do seu titio deixa beija-la xupar sua linguinha deixa, eu a beijo tanto que fica sem folego e meu tesão não para pois não queria ainda gozar so dar prazer a adri, foi então que faço um pedido pra ela, - adri deixa eu comer seu curzinho não quero comer pelo menso não penso comer tua bucetinha mais deixa comer teu curzinho, ela olha pra mim sorrir toda encabulada e balança confirmando, então eu dico que vai doer muito da primeira vez que ela pode até chorar mais eu ia botar devagarinho até ela aguentar, ela ficou surpresa e disse – to com medo tio da dor, eu falei – eu faço com carinho confiam noseu tio...então botei ela de quatro ensinei ela a brir um pouco as pernas lubrifiquei seu cursinho molhei meu dedo e introduzi disendo que era pra ela se acostumar, qdo ia entrando meu dedo ela deu um gritinho de dor penetrei maisi devagar pra ela se acostumar e fiquei no vai e vem eu já tava com tesão com isso, durou uns 5 minutos foi então que me preparei pois não aguentava mais, e comecei a colocar a cabecinha de meu pau forçando entra um pouco ela geme, aiiii tio ta doendo, eu falo relaxa amor abri mais as pernas, quando eu mandar respira fundo, tiro a cabeça e começo a empurrar nisso mando ela respirar fundo e relaxa, forço e coloco minha cabecinha ela dar outrao grito aiiiiiiiiiiiiii ta doendo pra um pouco,, eu deixei a cabecinha e parei fiquei acalmando ela foi então que com uma mão abri pra ver se elastecia seu cursiho e penetrei mis um pouco ela griltou aiiiiiiiiiiiiiiiiii, uiiiiiiiii devagar tio...não to aguentando, eu dizia espera um pouco amor ai tirei de novo do seu curzinho..deixei ela relaxar e foi então que resolvi continuar sem parar até onde ela aguentasse. respira amor e forcei a cabecinha ela relaxoquando ela relaxou eu empurrei mais ela gritou aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii uiiiiiiiiiiii bercebi uma lagrima descendo seu rostinho, eu dise calma amor
já vou mandar vc deitar pra ficar mais confortavel não vou colocar toda nõa você não aguentaria e eu já estava muito cheio de tesão foi então que por pirraça e tessão eu empurrei mais um pouco no cursiho dela ela grito ais demorardo, pronto amor deita segurei meu pau pra não sair segurei o ombrodela ate ela deiatar, ela tava chorando mais quetinha e isso me dava mais tesão e so com um pouco mais da metede no curziho dela mais fui beijando o pescoço dela sem forçar
fazindo carinho por baixo com o dedinho na bucetinha dela que acendeu o fogo dela mais uma vez
foi então que comecei a fazer movimentos que me dava tesão ela gemia de dor eu jatava perto de gozar, introduzri mais um pouco pra aumentar o prazer. terminado tirei o pau do seu cursinho virei ela fiquei consolando, não resiti e beijei e ela respondeu já estava totalmente solta comigo . recompomos ela foi por chuveiro vestiu a roupa e desceu eu tambem me vesti. fiquei uns cinco minutos deitado e desci pra tomar um suco que tava com sede. ela tava na garagem e chamei pra tomar um suco comigo conversamos e com pouco tempo o pessaol chegou.