RSS contos eroticos

Conto Erotico Chupei e comi gostoso a irmã sem saber...

Sou moreno alto, 1,80, corpo atlético, triatleta, olhos verdes, cabelos pretos, 28 anos. davi é o nome que vou usar.
tenho mais dois irmãos, uma de 21 e um de 19. somos todos muito parecidos inclusive na questão da sacanagem, já peguei conversas no telefone do meu irmão e irmã que fiquei de cara...
somos muito safados, acho que é de família. desde cedo todos já começaram com putaria. sei que meu irmão comeu a empregada de casa com 12 anos, e minha irmã deliciosa perdeu seu selinho com 14 anos. mas nossos pais nem sonham com uma coisa dessas!
meu irmão tem um corpo mais forte que o meu mas é mais baixo, olhos azuis, cabelos castanhos, minha irmã, loira, olhos verdes também, 1,69, corpo bem malhado, bundinha durinha por causa das diversas horas de ginástica localizada, seios empezinhos, do tamanho que cabe na palma da mão, pare ce uma pêra... todos nós sempre fizemos muita ginástica quando crianças, então temos o corpo bem desenvolvido e trabalhado.
a história começa assim:

éramos amigos, 7 no total, jogávamos futebol toda quarta-feira a noite, sempre o mesmo time contra outros amigos menos chegados.
sempre uns e outros levavam suas namoradas e depois íamos para um barzinho para comemorar, quem perdia pagava a conta. sempre com muita descontração.
depois de um tempo, as namoradas mudaram e eram outras, mais gostosas, menos gostosas, as idas ao barzinho iam diminuindo pois a “reciclagem” de namoradas era rápida então depois do jogo cada um pegava a sua e ia para casa, motel, namorar no carro, etc.
então tivemos uma idéia, depois do jogo cada uma pegava a sua e íamos para a casa do junior, amigo nosso que tinha uma mansão de 4 quartos com suíte na zona sul. os pais dele eram donos de uma empresa de exportação e viviam viajando.
ficou certo, 4 quartos e 5 casais, um sempre ficava na sala, geralmente o que perdia no par ou ímpar.
mas a sala também era maravilhosa, tinha dois sofás que davam uma foda sensacional, cadeiras largas, mesa de madeira com tampo firme, lareira, jardim de inverno, etc.
sempre que chegávamos, já íamos cada um para o seu quarto com sua namorada, muitas vezes nem víamos quem era a mulher do outro, só queríamos chegar e ir logo pra os quarto meter gostoso...
depois de um tempo, num certo dia, na hora da metelância a luz apagou, tudo bem, já estávamos dentro dos quartos, era só continuar a meter no escuro, é a mesma coisa! a chupada tem a mesma sensação!
então depois de umas duas semanas a luz apagou novamente na hora h e nem demos bola, na hora de sair, cada um saía quando queria, não era preciso nos encontrarmos para irmos embora.
depois fui saber que o safado do junior que apagava a luz de sacanagem, para saber se alguém estava de luz acessa.
e a rotatividade das mulheres ia aumentando às vezes, dado esse que no jogo de futebol era computado, todos fazíamos faculdade, éramos ma maioria pequenos empresários, mas tínhamos um círculo muito grande de amizades profissionais, um era dono de uma locadora de vídeo de tamanho médio, outro dava aula de tênis num clube grande, outro era representante de produtos de limpeza, um era filhinho de papai e tinha tudo na mão, só estudava e o último era eu que sou fazendeiro, vivo nas feiras agropecuários e vendo produtos do setor.
nossas idas à casa do junior já tinham rendido muitas fodas, todo mês era quase uma mulher diferente, mas tava ficando monótono, então tive uma idéia.
como ninguém namorava sério para casar, só aquele namoro de ir ao shopping, curtir, cinema, praia, então bolei:
porque não fazemos o seguinte: mandamos as mulheres para os quartos antes de nós e ficamos esperando sem nem ver quem é, e pra que quarto foi, quem pegar pegou e na hora de sair também, assim ficamos sabendo que comemos a mulher do amigo mas não sabemos quem comeu a nossa! genial, todos gostaram menos o filhinho de papai, então ele se foi, só jogava bola e depois ia embora pra casinha do papaizinho dele.
mas as mulheres pediram que fosse no escuro pois a vergonha era muito grande. para não perder uma foda com uma das 4, disse que topava e todos gostaram!
então ficou assim, depois do jogo elas já sabiam onde era a casa e iam pros quartos, tudo arrumado, elas ficavam no escuro, esperando quem seria o premiado, foi sensacional, muito divertido e gostoso pois tínhamos que entrar, no escuro, apalpar, acariciar e meter gostoso sem saber direito com quem era, mas era bom demais!!! a minha segunda vez que fizemos isso, foi uma das melhores, ela era saborosa, deliciosa, boqueteira da melhor qualidade e metia como ninguém, recatada no começo mas uma vadia depois de um tempo, mas não dava para ver direito, lógico que depois de uns minutos no escuro sua visão se acostuma e você vê alguma coisa, mas só silhueta!
mas o bom era isso mesmo, meter e nem saber com quem é, até pegar a mesma ou a sua de novo!
e o gostoso é que várias vezes trocávamos de namorada antes de levá-las para a casa do junior, então quando menos se esperava tinha carne nova no pedaço, aliás no quarto!
mas a melhor das melhores foi uma que peguei, uma morena que depois vim a conhecer...
ela foi a melhor, dançou pra mim no escuro, via somente as curvas dela na penumbra. ela tinha uma boca sedosa, parecia veludo, as mãos eram de seda, que pele macia, beijava muito gostoso, seios durinhos como se tivesse 16 aninhos, sabia conduzir uma foda...estava muito rouca então sua voz saía de forma mais sensual ainda!
então depois da dança ela veio chegando devagar e foi sentando lentamente no meu colo, que sensação, o gostoso de uma boa foda no escuro é que suas sensações aumentam pela falta de visão, então outros órgãos aguçam a sensibilidade....fora o perfume que ela usava, era conhecido de alguma mulher do círculo de amizades.
ela rebolava antes de chegar no final da minha vara dentro dela, ia descendo e rebolando ao mesmo tempo, quando chegou no final que ela literalmente sentou e se encaixou ela disse: que caralho gostoso, quero ver ele pulsar, latejar e explodir dento de mim até eu não agüentar mais, e disse mais, eu sei quem é você e você já vai saber quem sou eu, na hora fiquei com medo de ser umas das minhas ex-namoradas certinhas que tinham passado pela minha vida, mas nem imaginava quem poderia ser, quando depois de muita rebolada, sentada e gemendo muito gostoso, ela gemia como se estivesse chorando...dava um tesão louco, tinha as vezes que pensar em outra coisa para não gozar logo, mas no escuro é meio difícil.
então ela se levantou do meu cacete, ficou em pé na minha frente e disse, chupa, chupa gostoso, mete a língua bem dentro dela, mas antes passe no meu grelinho que está piscando de tesão, passe a língua de um lado para outro, de cima para baixo e de baixo para cima, faça sua cadelinha gozar muito na sua boca, eu quero gozar bastante e quero que tome todo meu gozo, quero te beijar depois e sentir meu gosto na sua boca...
meu pau quase explodiu quando ouvi aquelas palavras roucas na minha frente, quando comecei, ela quase me arrancou as orelhas, puxava com força, puxava o cabelo também, pedia, chupa, mete a língua, enfia ela na minha bucetinha quentinha, me dá sua língua, lambe sua buceta gulosa...
eu quase não respirava e minha língua nunca viu nada igual na vida.
ia me acabando, chupando, lambendo, sugando aquele grelo durinho e quente...
aí ela num gesto de fúria deu um tapa na minha cara e disse, vou gozar seu puto, chupa, chupa que vou gozar na sua boca, continua, vai, vai, ta chegando e com a mesma força deu outro tapa no meu rosto e gozou simultaneamente, ela estava toda arrepiada, tremia todinha, balançava a cabeça pra frente e pra trás, juntava minha cabeça na buceta molhada e gozada dela, e dizia chupa que tem mais, vou gozar de novo, não para, chupa cachorro, seu puto, me faz gozar, quero sentir sua língua na m......e de novo outro gozo fenomenal, nunca vi nem em filme um gozo desses...tô gozando, tô gozando, chupa, chupa maninho a sua irmã, chupa a bucetinha rosada, macia, quente e gostosa da sua irmã que fode como uma putinha...chupa, enfia a língua, passa ela no grelo, roça ela no meu grelo que ta explodindo em você....
na hora tive um choque, não sabia o que fazer, não sabia o que estava ouvindo, ela ria, me olhava e dizia, que língua maravilhosa meu irmão tem....eu não sabia se continuava ou se parava, ela esfregava minha cabeça na sua buceta toda lambuzada do seu próprio gozo e ria como uma criança safadinha, com a cara mais lavada e contente, disse; chupa sua maninha, ela gosta da sua língua mágica....
eu sabia que era você maninho, uma amiga disse que tinha metido com você e te achou um tesão aí como eu não valho muita coisa, resolvi experimentar....entre irmãos é mais gostoso, aprovei por enquanto, mas quero mais para saber se sabe o resto...
venha, quero mais! quase sem saber o que fazer e aonde ir fui seguindo ela da cama até o banheiro, chegando lá ela, com a luz apagada, bebeu algo e colocou uma bala na boca que não sei qual era, se sentou no vaso e disse, quero sentir você, venha me dê o que eu quero!
eu ainda passado, fui pra frente e dei meu cacete duro, latejante, pulsante, nunca tinha visto aquilo antes, ela abocanhou de uma vez, quase tive um enfarto, era halls, a filha da puta (no bom sentido!), tinha bebido água e colocado halls na boca, quase fui a loucura, e ela chupava, lambia, babava os meu ovos, engolia a cabeça grande e grossa que eu tenho, mergulhava ele para dentro de sua boca gulosa, eu sentia com se fosse um pano de seda passando por ele e pensava, onde esse mulher foi aprender isso? eu via estrelas, ela fazia de propósito, parava e me olhava na penumbra do quarto, dizia: gostoso o pau do meu irmão, gostoso chupar o pau que tantas vezes vi e cobicei, aí minhas fichas caíram, quando éramos menores e ela me olhava, reparava, mas eu sempre achei que fosse coisa de mulher, até mesmo com 15 anos ela às vezes entrava no quarto e ficava olhando de canto de olho pra mim, agora sei!
então depois de uma maravilhosa e divina chupeta ela me pegou pela mão e me conduziu até o quarto, lá me jogou na cama de barriga pra cima, foi lambendo meus pés, canelas, joelhos, coxas e chegando ao cacete que já nessa hora, tinha o batimento cardíaco todo nele, parecia que ia explodir de tão duro e teso. logo ela subiu para minha barriga, peito, pescoço e boca, enquanto beijava, mordia meus lábios, sentava levemente e descia na minha vara....pouco o pouco eu sentia ela envolvendo meu cacete duro.
quando chegamos ao fim dessa maravilhosa descida, ela se sentou em mim e disse: agora vou cavalgar meu irmão, e começou a subir e descer, de primeiro devagar e logo depois mais rápido e depois mais rápido ainda, então sentia aquela bucetinha quente, molhada subindo e descendo com rapidez, era apertadinha, justinha, ela disse que iria gozar, então esperei aquele tapa no rosto mas ele não veio, e ela gozou, gemeu forte, me chamou de irmãozinho tesudo e continuou a gozar diminuindo as subidas e descidas, gemia, tremia e me chamava de irmãozinho gostoso....
sua bucetinha além de pequena, era justa e pra dentro, parecia que tinha 14 anos, em formação, dava um ar de teen..
caiu de lado e ficou toda jogada na cama para se refazer, eu queria muito ver seu rosto de satisfação naquele momento, mas trato era trato!
então depois de uns minutos ela pediu para eu meter nela de frente, queria sentir meu peso, me beijar enquanto metia, morder meu peito e os bicos dele. dito e feito, enfiei meu cacete nela e a cada momento que a rola entrava ela gemia e se contorcia, eu ia devagar exatamente para fazê-la sentir essa sensação...ia entrando devagar até entrar todo, ela lambeu meus lábios e disse: agora fode sua irmãzinha igual se fode uma putinha carente de caralho! fode, acaba comigo, me realiza maninho!
mais que rápido comecei a bombar gostoso com os braços levantados para ela sentir meu corpo, passar as mãos nos meus peitos, enfiar os dedos na minha boca, às vezes me puxar e morder meus lábios...
quando a coisa começou a esquentar de novo, ela me xingava de cavalo selvagem, de meu leão, perto de eu gozar ela olha pra mim mais de perto, acho que querendo me ver, fecho os olhos e apenas sinto o imenso e delicioso tesão em meter na minha irmãzinha deliciosa...entâo vem o inesperado, um tapa no rosto com o pedido, goza em mim, goza na sua irmã, esporra nela, me da seu gozo, quero sentir as golfadas, aí nem preciso dizer muita coisa, naquela altura o jato veio com tanta força que ela sentiu os espasmos dentro dela, dois, três, quatro jatos, urrei de prazer, gozei fundo e forte, ela ria e pedia, goza mais, goza tudo...então caí em cima dela e beijei sua boca agora com muito carinho, chupei sua língua, fiz carinho nos cabelos dela, beijei seu rosto todo e disse que nunca tinha imaginado que aquilo poderia acontecer...
ela então disse ainda não acabou, sua irmãzinha quer te dar mais presentinho, o rabinho lindo dela, e tem mais não é qualquer um que mete aqui não, você será o terceiro, seu cuzinho era bem apertadinho mesmo, todo lindo, lisinho, sem pêlos, então capricha que quero a melhor metida no rabo que já tive. ela ficou de quatro e me pediu, venha, sua irmãzinha espera sua vara dentro do meu cuzinho quente, mas antes uma lambidinha bem no buraquinho, mas tome um gole d’ água e chupe essa bala (halls). fiz o que me pediu, nunca vi uma mulher pular tanto durante uma chupada no rabo, ela gritava de prazer, se torcia toda, gemia de tesão mas falava, não para, continua, lambe, chupa, enfia a língua, depois de um bom tempo assim, a bala acabou e ela pediu, agora quero vara, cacete dentro da maninha, me posicionei e fui forçando a cabeça, foi devagar mas foi entrando, e cada centímetro que entrava ela ria e dizia, que delícia, vai, não para, assim, continua...e foi assim até entrar tudo, quando ele entrou todo, ela averiguou com a mão o saco junto ao rabinho dela e pediu, agora fode, fode como nunca fodeu ninguém, mete pra valer, esquece que sou irmã e me fode como uma égua no cio!
mandou, obedeci, comecei a entrar e sair, primeiro de leve e depois com mais força, chegou num momento que eu batia com tanta força nela que a cama, a cabeça dela, tudo balançava, ela gritava, vai meu cavalo, mete nessa vaca, mete fundo, come o seu cuzinho, mete nele e se jogou de cara na cama para poder deixar as mãos livres e assim poder abrir mais ainda sua bunda, a pau entrava e saia com muita rapidez, quando eu não estava mais agüentando e dizendo que ia gozar no rabo apertado dela, ela saiu, pegou meu pau e punhetou até o jato bater no rosto dela, minha espinha dorsal, quase teve um troço quando veio o gozo, dei uma jorrada no seu rosto, espirrou porra no nariz, olhos, boca, cabelos, ela chupava, mamava, e eu gozava imensamente e intensamente, ela me chupou todinho, meu saco, a cabeça do pau, as mãos...deitou sua cabeça na minha barriga e me disse que nunca tinha dado o rabinho para ninguém eu era realmente o primeiro, só tinha dito aquilo para você meter com força sem dó e nem pena...
fomos tomar um banho depois dessa foda maravilhosa e no banheiro ensaboei todo aquele corpo macio, cheiroso, dei um abraço nela e disse que nunca tinha metido daquele jeito e com alguém tão gostosa. no banheiro ainda rolou um belo boquete, uma chupada minha no grelinho lindo e delicioso da minha irmãzinha, mas agora com carinho, pois sei que mulher também gosta de um carinho depois da putaria selvagem...

estamos querendo ampliar o círculo de 4 para 8 casais, quem tiver uma namoradinha que goste de ser comida sem saber por quem, e gosta de comer a namorada do amigo, minha irmã pode participar!!! mande foto dela para relaxaqueencaixa@bol.com.br
o sigilo é total.
já pensou um clube desses por todo o país, clube dos 8, em cada estado poderíamos fazer franquias......