RSS contos eroticos

Conto Erotico Comendo o cuzao da minha irmã

Essa história é verídica e começou a 26 anos atrás. nessa época minha irmã tinha 11 pra 12 anos e já tinha um corpo delicioso. peitinhos grandes, coxas grossas, bundão. ela é loira dos olhos verdes, 1,70m de altura e lembra muito a maitê proença. eu tinha uns 17 anos quando comecei a brincar com ela de fazer massagem um no outro. eu perguntava: onde você quer ser massageada? nas costas? nas pernas ou na bunda? ela dizia: na bunda! ela sabia que eu adorava massagear a bunda dela e eu sempre dava um jeito de massagear o cuzinho dela chegando a bucetinha... um dia chamei-a para tomarmos um banho, dizendo que eu iria mostrar o que é que os adultos faziam quando estavam pelados. já estando no box pelados, eu comecei a chupar os peitinhos dela e a passar as mãos na buceta e no cuzinho dela. ela ficava calada e deixava que eu fizesse tudo o que vinha em minha cabeça. ela tava num tesão total e eu sugeri que ela ficasse de costas para mim para eu poder fazer com ela o que os adultos faziam. ela prontamente me atendeu e virou. eu pus meu pau entre as bochechas da bunda indo até a bucetinha e voltando. gozei e ela perguntou: o que é isso? porra! eu disse... ela suspirou e disse: credo!!! fez uma carinha de quem tinha gostado, passou a mão na minha porra, cheirou, passou a ponta da língua e disse: hummm... é amargo! isso se repetiu algumas vezes e daí comecei a pegá-la em todos os cômodos da casa. o meu preferido era a cama de nossa mãe. lá é que começou essa história de massagem. era uma cama de casal grande, com colchão de molas. ela ficava deitada de barriga para baixo, eu colocava o meu pau entre as bochechas da bunda e começava a meter fora mesmo, já que ela não me deixava por dentro nem fudendo (literalmente...). passaram-se os anos e eu sempre metendo entre as coxas ou entre as bochechas da bunda até que ela começou a namorar com um careta. um dia vi que ela havia chegado já a um tempão e resolvi descer para chamá-la para subir com o pretexto de que minha mãe havia chamado. quando cheguei, flagrei o namoradinho dela chupando os petinhos dela. eu finji que não vi e chamei-a com voz de quem estava ordenando. ninguém reclamou e ela subiu na mesma hora. chegando dentro de casa, eu fui logo pegando nos peitinhos dela e ela não fez a menos resistência, pois ultimamente ela andava me evitando. comecei a chupar os peitinhos dela com secura e ela pediu pra eu ir devagar... começamos a conversar e ela me disse que já não era mais virgem. isso me deixou maluco. pedi pra ela ir trocar de roupa e voltar pra gente meter. ela foi e voltou 5 minutos mais tarde com um babydoll curtinho, deixando a mostra aquelas coxonas maravilhosas. deitamos no sofá e eu tirei a calcinha dela, como fazia sempre. comecei a esfregar a pica no cuzinho e na bucetinha dela e aos poucos fui enfiando a pica naquela bucetona deliciosa. ela começou a arfar e pedia pra eu não fazer aquilo com ela. ela dizia: não é porque eu não sou mais virgem que você pode colocar aí dentro. mas eu não quis saber e enfiei até o talo naquela buceta deliciosa. daí a pouco ela começou a me dar bundadas de forma que a pica entrava com mais força. nessa hora eu ouvi um barulho vindo dos quartos e falei -putz! é nossa mãe! ela retrucou: então enfia tudo e fica quieto.. aquilo foi demais pra mim! eu dei umas 3 estocadas e gozei feito um cavalo... isso virou uma rotina. sempre que ela chegava da rua a noite nós dávamos uma boa trepada. um dia eu pedi pra comer o cuzinho dela. ela disse: tá bom, mas se doer você vai ver! eu comecei a chupar o cuzinho dela, coisa que até aquela data nunca havia acontecido. ela ficou maravilhada com a minha língua tentando entrar dentro do cú dela a ponto dela gozar feito uma vagabunda... aproveitei, passei um pouco de saliva no meu pau e comecei a enfiar no cú dela. lá pelas metades, ela começou a reclamar que tava doendo. eu me toquei que era porque a saliva tava secando e falei pra ela continuar naquela posição (ela estava deitava no sofá, de frente para o encosto de forma que a bunda dela ficasse para fora do sofá na altura perfeita pra eu meter no cu dela ajoelhado no chão) que eu iria na cozinha e já voltava. fui até a cozinha e não tive dúvida, coloquei um pouco de óleo de soja na mão, passei no meu pau e voltei com a mão toda lambuzada de óleo. comecei a enfiar um dedo no cuzinho dela e depois dois. ela estava a-d-o-r-a-n-d-o. quando senti que já era hora, peguei minha pica e comecei a enfiá-la naquele cuzinho rosado e fui até o talo de primeira. ela soltou um aaaaaiiiiii.... que delícia... me promete que você vai comer o cuzinho da ssssuuuaaa irrrmmmãazinha ttoodoo diaaaa... gozando feito uma puta vagabunda. eu continuei metendo e socava cada vez com mais força até que gozei dentro do cu dela enchendo os intestinos dela de porra.. quando tirei o pau vi um vestigiosinho de merda e só aí tive a certeza absoluta que eu havia mesmo comido o tão cobiçado cuzão da minha irmã. hoje ela tem 38 e continua gostosa pra kct. na última quinta-feira (18/04/2002) ela veio a minha casa com a desculpa de vir pra conversar comigo sobre seus filhos e marido e como sempre, acabamos a conversa em minha cama com o meu pau enterrado no cuzão dela. ela diz que o cú só eu como... sei lá se é verdade, mas digo a vocês uma coisa, o cu da minha irmã é o melhor cú que eu já comi em minha vida nesses últimos 26 anos! esse relato é absolutamente verdadeiro. eu já a comi mais de uma centena de vezes e já fizemos de tudo. as vezes, ela mesma lubrifica o cu, senta na minha pica e ficamos conversando por horas deitados no sofá, eu com o pau dentro do cuzão dela, dando umas bombadas de vez em quando até que não consigo segurar e encho o cuzão dela de porra. antes de terminar, deixa eu dizer aqui uma frase que ela me disse um dia: "ai... você tá fazendo o meu cuzinho virar um cuzão!!" hehehehehehehe... e fiz messss!!! :)
hum dia que eu tiver mais saco, eu escolho uma dessas trepadas e a descreverei aqui nos mínimos detalhes.
caso alguém aí queira escrever-me para trocarmos nossas experiências o meu email é: zekaceta@bol.com.br