RSS contos eroticos

Conto Erotico Comendo o primo e a tia.

Com meus 12 anos tinha um corpo de 16 e era entre a molecada da minha idade; o mais forte. Nunca tirei proveito disso pra bater em ninguém; mas, quando passei a ir nadar pelado num riacho nos fundos de uma fazenda e vendo as bundinhas de outros garotos, passei a sentir um desejo incontrolável... Dentro da água, comecei a passar a mão na bundinha de um e de outro e até agarrar por trás pra ficar sarrando. A maioria não gostava; mas percebi que alguns tinham medo de mim e acabavam deixando ficar passando meu pau na sua bundinha. Foi aí que comecei a comer alguns cuzinhos... Uns; confesso que foi meio à força; mas outros gostavam e ainda me chamavam pra me dar o cú. Com 14 anos, já tinha perdido a conta de quanto cuzinho eu já tinha comido; quando a mãe de um moleque me pegou cravado na bunda do seu filho. Só sei que o moleque levou uma surra; e eu, devido a mulher ter contado pra minha mãe, apanhei tanto de chibata que fiquei uns quatro dias sem poder sentar direito. Mas já tinha me transformado num viciado em cú... Não demorou pra voltar pra ir pro meio do mato e meter em alguma bundinha. Com meus 16 anos: magro; 1,70 mts e 60 kgs; corpo já bem cabeludo; fui surpreendido pelo meu primo Zeca de 12; que simplesmente veio me perguntar se eu gostaria de comer sua bundinha. Foi o primeiro que tentei recusar; mais por medo de alguma coisa sair errado e minha mãe vir a saber... Ela seria capaz de me capar. Mas Zeca, dizendo que sabia que eu andava comendo alguns garotos insistiu que queria me dar a bundinha. Durante aqueles três a quatro anos, descobri o melhor viadinho de todos... Zeca foi o primeiro a mamar na minha caceta e apesar da pouca idade, rebolar gostoso e ficar fazendo seu cuzinho morder minha piroca enquanto eu socava... Gamei no priminho que passou a ser meu viadinho predileto. Dois meses depois, achando que estava tudo sob controle e que jamais alguém descobriria que eu andava comendo o Zeca; minha tia Iolanda; mãe de Zeca e Irmã da minha mãe; dentro da minha casa, me segurou pelo braço e falando baixinho:
- Eu sei que você anda fazendo sexo com meu filho!
Minhas pernas tremeram e gaguejando tentei negar. Ela demonstrando não estar nem um pouco nervosa:
- Não tente negar... O Zeca já me contou tudo!...
Acho que todo meu sangue gelou e muito assustado:
- Você falou alguma coisa pra mãe; tia?
- Ainda não; mas você vai ter que ir lá na minha casa amanhã pra termos uma conversa!
Quando Zeca me viu chegando na sua casa, arregalou os olhos e demonstrou estar muito nervoso. Mas só mais tarde é que Zeca foi me contar que sua mãe desconfiou por ele deixar suas cuecas sujas de esperma. Tia Iolanda chegou e mandou que Zeca fosse dar uma volta e retornasse pra casa somente depois de uma hora.
Nunca, jamais e em hipótese nenhuma, poderia imaginar o que viria acontecer. Tia Iolanda me fazendo sentar no sofá:
- Deixa eu ver seu pênis; põe ele pra fora!
- Mas tia... Pra quê?
- Tira logo Gilson... Deixa eu ver o que você anda enfiando no meu filho!
Naquele momento achei que minha vida não estava valendo um centavo... Tremulo, abri minha bermuda até ter meu pinto “mole” à vista da minha tia. Ela, ainda muito séria, passou a mão e balançou-o:
- Hummmm... Deixa eu ver se faço ele ficar duro!
Eu estava mais brocha do que um velho de 70 anos... Mas ela reclinando sobre meu colo:
- O Zeca já chupou seu pênis; Gilson?
- Na... Nãaaaa... Não tia!... (menti).
Achei que meu coração fosse parar quando ela abocanhou meu bilau e começou a mamar... No início, meu medo foi dela morder e arrancar meu cacete com os dentes. Mas tia Iolanda chupou tão gostoso que não consegui evitar de ficar com ele muito duro... Ela sorrindo e me punhetando de leve:
- Safadinho heim? Já tem um pintinho bastante grandinho!...
Ela ficando de pé na minha frente, levantou a saia e foi tirando sua calcinha me deixando ver seu bucetão que tinha poucos pentelhos (depilada):
- Hoje você vai experimentar botar na bundinha da titia; ok?
Eu, apavorado fui sentindo que meu pau começava a amolecer... Mas, quando ela virou aquele rabão pro meu lado:
- Gosta do traseiro da titia; Gilson?
Meu Deus! Aquele bundão fez com que meu pau desse um pulo e ficasse mais duro ainda:
- É muito bonito; tia!...
Ela ficando de joelhos sobre o sofá menor que ficava logo de frente:
- Vem então; vem!!!! Enfia esse seu pinto no traseiro da titia...!
Minha tia já tinha lá seus 40 anos e uma mulher inda muito bonita... Tinha um corpo, apesar de não ser magrinha; bem certinho. Eu estava meio que perdido; mas quando me aproximei da bunda da tia, tomei coragem e fui passando saliva e encostando no seu cú... Enterrei até o saco e rapidamente comecei a socar:
- Ai ai ai... Que pau gostoso... Mete com força Gilson... Mete!...
Eu que já tinha bastante experiência em cú, fiquei socando por vários minutos enquanto ela ficava com a mão na sua própria buceta e gemendo muito... Tia Iolanda parecia uma alucinada e ao mesmo tempo que gritava que estava gozando:
- Goza Gilson... Goza na minha bunda; goza!...
Só tirei meu pau do cú da tia, quando despejei minha última gota de porra. Ela segurando sua calcinha contra sua bunda, virou me dando um beijinho da boca:
- Adorei seu safadinho... Mas isso vai ter que ser um segredinho nosso; combinado?
Ela voltando do banheiro e me fazendo sentar novamente no sofá, explicou que ia conversar com Zeca e deixar que continuássemos a fazer sexo; mas voltou a pedir segredo do que tínhamos feito... Jamais o Zeca poderia ficar sabendo.
Passei a frequentar constantemente a casa da tia Iolanda e trancado no quarto do Zeca; tudo com o consentimento da tia, meter no cuzinho do viadinho... Adorava saber que minha tia estava dentro de casa e sabia o que eu estava fazendo como seu filho... Só que eu andava louco pra pedir pra tia deixar meter sua bunda novamente.
Fiquei maluco quando num final de semana, tia Iolanda me ligou e pediu pra que eu fosse até sua casa explicando que Zeca tinha ido com o pai assistir um jogo no maracanã... Pela distância da nossa cidade, eles só retornariam à noite.
Cheguei, e tia Iolanda me recebeu vestindo um roupão de banho... Pelo perfume; realmente ela tinha tomado banho a poucos minutos. Ela me levou pro seu quarto e primeiro me fez ficar totalmente nu pra depois tirar o roupão e me mostrar todo seu corpo... Realmente, ela estava uma coroa muito gostosa.
Eu que sempre fui logo pros finalmente (comer logo o cú), tia Iolanda me pediu pra deitar com ela na cama e mamar nos seus peitos... Ela estava me ensinando coisas diferentes. Adorei mamar nos seus peitões e ficar chupando aqueles bicos grandes e duros como se fossem uma chupeta... Tia Iolanda me dando vários beijos na boca:
- Quer meter na buceta da titia; quer?
Era uma experiência que eu estava louco pra aprender... Fiquei alucinado:
- Quero sim tia... Eu quero... Eu quero!...
Ela veio com a chantagem:
- Mas primeiro você vai ter que passar um pouco da sua língua nela!...
Tive que aprender a chupar a buceta da tia... Adorei o gosto da buceta que lambi até fazer tia Iolanda ter um escandaloso orgasmo. Mas o melhor foi poder enfiar minha piroca na buceta quente da tia e ficar socando até gozar gostoso dentro dela. O fanatismo por futebol do meu tio; que passou a levar constantemente o Zeca pro maracanã, me proporcionou dias de muito sexo com minha tia... Mas não abria mão de continuar metendo no cuzinho gostoso do meu viadinho Zeca. Hoje, sou um homem casado; Zeca um gay assumido que mora com seu macho, e tia Iolanda ainda anda traindo meu tio com outros homens... Principalmente com rapazes bem jovens.



Gostou? Então Compartilhe!