RSS contos eroticos

Conto Erotico De sogra mandona a coroa submissa

Estou casado há 11 anos, minha esposa é uma loira de olhos azuis entre 35 e 40 anos temos uma vida sexual muito ativa onde procuro satisfazer todos os desejos da minha esposa, adoro chupar os seios siliconados dela, e pega-lá em quase todos os cantos da casa. Adoro jogar o seu corpo sobre a maquina de lavar e por trás beijar e morder a sua nuca enquanto enfio a piroca na sua buceta suculenta, ou ir a noite na nossa varanda de frente para o mar e na madrugada comer ela na espreguiçadeira que nos temos perto da piscina da nossa cobertura. Mas nem tudo são flores, minha esposa é uma famosa arquiteta e levamos uma vida regada de muito luxo e prazeres, mas junto com a minha esposa veio também uma sogra muito arrogante e mandona, que quase todos os finais de semana esta na nossa casa, e vive dando ordens aos nossos empregados, tirando as coisas do lugar onde colocamos e algumas vezes querendo mandar ate mesmo nas minhas atitudes e da sua filha. Dona Celia é uma mulher de 60 anos, loira, com o s seios enormes e uma bunda descomunal. Sempre que esta na nossa casa estamos sempre brigando e muitas das vezes discutindo porque minha esposa nunca deu um chega para lá na sua mãe, e algumas vezes ela passa dos limites e reclama comigo que eu ganho menos que a sua filha e que ela deveria procurar uma outra pessoa de outro nível, lógico que também não deixo barato, falo um monte para ela, dizendo que é mal amada, que como já esta viúvo a mais de 4 anos, deveria procurar um namorado para resolver o problema dela, e ela furiosa acaba chorando e falando com a filha um monte de coisas que depois vem conversar comigo e acabamos resolvendo tudo no nosso quarto depois de uma bela chupada naquela xoxota lisinha e vermelhinha que ela tem, deixando a minha sogra puta da vida. Em um determinado sábado de manhã chega a minha sogra e eu estou tomando café como de costume, a nossa empregada abre a porta e ela já vem falando no corredor e assim que nos vemos na cozinha aviso para ela que a sua filha só estaria em casa no domingo a noite porque tinha viajado para Brasília onde iria participar de um congresso de arquitetura. Ficamos conversando amigavelmente algo pouco comum entre nós e tentando melhorar a nossa relação convidei a minha sogra para passar o final de semana comigo até a sua filha voltar, ela com cara de poucos amigos concordou e ainda falou que ficaria dependendo do meu comportamento, e sorrindo do que ela falou informei que iria para a piscina se ela não queria pegar um sol também. Estava na cobertura pegando um sol e tomando uma cervejinha quanto chega a minha sogra enrolada em uma canga e procura logo uma das espreguiçadeira para deitar, estende a canga e começa a passar o bronzeador nas partes onde ela pode alcançar, logo ela deita e fica pegando o sol, eu da minha parte gentilmente me proponho a passar bronzeador nela, nas suas costas e ela se virando mais uma vez reclama que não gosta de nada melecado, que poderia passar mas que teria que passar direito. Fui até a sua espreguiçadeira e sentando na beirada comecei a passar o bronzeador na pele da minha sogra, olhando aquele bundão que ela tinha e o volume da sua xoxota por trás o que logo me deixou com o pau duro, fiquei passando o bronzeador na suas costas e massageando o seu pescoço e nuca, e mais uma vez escuto a sua reclamação dizendo que até que enfim eu tinha algo que fazia direito e que ela estava adorando a massagem. Procurei colocar mais pressão na massagem e fui me posicionando de joelhos primeiro e depois subi no seu corpo fazendo ela sentir o meu caralho duro de encontro a sua bunda e continuei cuidando da nuca e dos ombros principalmente o que a fez ficar arrepiada de imediato, ela voltou a reclamar dizendo que estava muito bom mas que seria melhor parar um pouco, e sem deixar ela sair disse para ela relaxar mais um pouco que ainda faltava as costas e as pernas o que fez ela ficar mais arrepiada e sem ação ficou imóvel apenas fechando os olhos e sentindo todo a pressão que estava fazendo sobre o seu corpão, o meu cacete parecia que iria estourar, forcei ele bem colado ao rabão dela fazendo ela ter vários arrepios, ficando com os pelos todos ouriçados, fui descendo a massagem até chegar na sua bunda onde passei bastante óleo fazendo os meus dedos deslizarem muito entrando pelo seu maior e tocando algumas vezes o seu rego, deixando minha sogra desconcentrada, desci pela suas coxas joguei mais óleo e abrindo as suas pernas fiquei massageando o interior dela e algumas vezes passando os dedos bem próximo a sua xoxota como se fosse sem querer, apenas como se fosse. Ela tentou ameaçar uma reclamação fui perto do seu pescoço e próximo ao seu ouvido e pedi para ela relaxar mais e deixar tudo por minha conta que iria gostar de tudo no final e apenas fazendo o sinal de positivo com a cabeça ela deitou a cabeça mas não conseguia relaxar e muito menos ficar a vontade, voltei a tocar nas suas coxas, abri mais as suas pernas e jogando mais óleo passei a massageá-la com mais força fazendo os meus dedos tocarem varias vezes na sua xoxota o que a deixou muito impaciente e tendo pequenos tremores nas pernas a cada toque mais ousado, comecei a massagear descaradamente a sua xoxota por trás, e ela gemendo baixinho para eu continuar e não parar que estava gostoso, abri mais as suas coxas e passei a ponta do dedo bem sobre o seu grelo e quase que imediatamente ela começou a rebolar levemente aquele bundão pedindo que eu não parasse por favor, que ela a muito não sentia nada igual. Puxei o seu maiô de lado e fui com a boca até a sua xoxota, metendo a língua e lambendo ela por trás, tocando no seu cuzinho com a língua e tocando no fundo da sua bucetona, e ela gemendo pedia para eu parar que não era certo tudo aquilo e ao mesmo tempo pedia para continuar que estava muito gostoso e que nunca ninguém tinha chupado a buceta dela e muito menos passando a língua no meio da bunda dela, e toda arrepiada pedia para eu parar que não era certo, e eu ali metendo a língua na minha sogra via que de mandona e arrogante passou a ser submissa a tudo que eu fazia, meti dois dedos na xoxota dela que estava encharcada e muito mais muito babada, e foi como se ela tivesse levado um choque, jogou o rabão para cima o que fez minha língua ir mais fundo no cuzinho dela, e gritando o meu nome pediu para eu parar - Gilberto, paraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa por favorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr - o que estou fazendooooooooo, hummmmmmmmm, enfiaaaaaaaaaa maisssssssss a linguaaaaaaaaaaa, nossaaaaaaaaaaaaaaaa como é gostosooooooooooo e eu não sabiaaaaaaaaaa, passaaaaaaaaaa maisssssss a linguinhaaaaaaaaaaaaaaaaaa, nãoooooo paraaaaaaaaaaaaa Fiquei socando o dedo nela enquanto lambia o seu buraquinho e fui subindo e mordendo as suas costas, ate chegar a sua nuca e pertinho do seu ouvido ordenei para ela - fala para mim por favor não pare me chupe, passa a língua onde você quiser, fala minha putinha - Gilberto, por favorrrrrrrrrrrrrrrr, lambem assimmmmmmmmmm hummmmm, vem enfiar a linguaaaaaaaaaaaa na minha bundaaaaaaaaaaa - bunda não, pede língua no cuzinhooooooo quero você falando putaria sua gostosaaaaaaa - Gilberto, por favorrrrrrrrrrrrrrrr enfia a língua no meu cuzinhoooooooooo agoraaaaaaaa, que gostosoooooooooooo Desci mordendo as suas costas até chegar ao seu bundão e ela com as mãos para trás abria a bundona e deixava eu lamber e enfiar a língua no seu cuzinho que piscava sem para, mandei que ficasse com a bundona empinada para o alto e tinha uma visão espetacular da sua buceta e o seu cuzinho arreganhados para mim, tirei a minha sunga e com o mastro duro feito uma pedra soquei a piroca no coroa que gemeu gostoso. - Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii nossaaaaaaaaaaaa como é grandeeeeeeeeeeeeeee vai me rasgar no meiooooooooooooooooo, hummmmmmmmmmm aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii Tirei tudo de dentro dela e ela jogava mais a bunda para cima querendo o meu caralhão dentro dela, e eu mais uma vez - Pede piroca por favor - Gilberto por favor mete a piroca em mim, não me maltrate - Fala que nunca mais irá reclamar de mim, e fala que quer levar vara na buceta todo final de semana, fala puta - Gilberto eu não vou falar mais nada, mete a piroca por favor, quero levar piroca na buceta todo final de seman E antes que terminasse a palavra semana e meti forte bem no fundo do bucetão dela fazendo ela delirar, coloquei a minha sogra de quatro na espreguiçadeira e segurando pela sua cintura soquei forte nela, fazendo ela sentir no útero a minha piroca alargando toda a sua bucetona e ela gemendo dizia que aquilo tudo era uma loucura e que devia ter dado para mim a mais tempo - Meteeeeeeeeeeeeee gostosoooooooooooooooooo, nosssaaaaaaaaaaaaa que pauzãoooooooooooo tá me rasgandooooooooooooo aooooooooooo meiooooooooo Mandei que arriasse as alça do maiô e virando ela de frente cai de boca nos peitões da coroa e encolhendo as suas coxonas mandei a piroca nela de novo enquanto beijava a sua boca e desci mordendo e lambendo os bicos dos peitos dela, ela me agarrava e abraçava fortemente as minhas costas delirando com tudo, e eu socando a vara na coroa, chupava a sua boca metia a minha língua nela fazendo ela delirar e ficar mais putinha a cada minuto lambendo e enfiando a sua língua loucamente na minha boca, tirei a varona dela e descia e meti a língua no seu grelo que estava durinho e vermelhinho e logo a coroa gozo enchendo a minha boca com o seu leite, virei o seu corpo de lado e mandei o pau para dentro enquanto molhava o dedão e ficava circulando no seu cuzinho deixando ela louca e apavorada com as minhas intenções - Gilberto por favor mete maisssssssssssssssssssss, hummmmmmmmmmm gostosoooooooooooo, mais tira o dedo daiiiiiiiiiiiiiii, que isso que você esta querendooooooooooo Mandei forte e rápido o pau na xoxota dela fazendo ela ficar desesperada anunciando um novo gozo através do gemidos que dava e com a chegada dele soquei o dedo no cuzinho dela e segurou forte no meu pulso querendo tira-lo dei uma tapa forte na sua bunda e mandei ela deixar eu fazer o que quisesse que quem mandava naquelas carne agora seria eu - Tira a mão você agora é minha e vou meter o dedo e a piroca em você onde eu quiser, esta ouvindo sua puta - Pede dedada no cuzinho sua rabuda - Gilberto por favor mete o dedão no meu cuzinho eu vou gozarrrrrrrr de novooooooo, mete a piroca na minha bucetaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii E gozando de novo recebeu mais outras e mais outras pirocadas na buceta enquanto tinha o cuzinho possuído pelo meu dedo e sem deixar ela acabar definitivamente de gozar, coloquei a minha piroca toda babada na porta do cuzinho dela e fui forçando, forçando ate que entrou a chapeleta alargando o cuzinho dela todo - AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII meu rabo porraaaaaaaaaaaaaa, tá doendooooooooooo Segurei a sua cintura e mandei a trolha para dentro daquele cuzão que era muito apertado e com o pau ardendo fui metendo lá no fundo dela enquanto dedilhava o seu grelo - Hummmmmmmmmmmmmmmmm, meu grelo esta todo doloridoooooooooooo, meu cuzinho estaaaaaaaaaaaaa ardendooooooooooooooooo, mas não para meteeeeeeeee maissssssssssssssss que porra é essa que gostosoooooooooooooooooo Acelerei os movimentos e acabei enchendo a rabo dela de leite e mais uma vez ela gozou molhando os meus dedos, fui de encontro a sua boca e beijei muito a minha sogra que aproveitou para tomar um banho na ducha da cobertura o que eu fiz junto com ela, sai da ducha e fui para a piscina curtir o sol e logo depois voltando para a cobertura minha sogra trouxe mais algumas cervejas para mim e para ela o que deixou a empregada boquiaberta porque já tinha presenciado varias brigas nossas. Passei a tarde beijando e chupando a minha sogra, no final do dia com a empregada fora de casa ficando só eu e ela, mandei que ficasse pelada em casa e mesmo sem estar acostumada me obedeceu a tudo que eu mandava e passei a noite toda chupando ela e metendo nela em todos os cômodos da casa, deixando ela louca de tanto que gozou.



Gostou? Então Compartilhe!