RSS contos eroticos

Conto Erotico Delícia de infância com meus maninhos

Olá, gente. Meu nome é Evelyn, hoje tenho 22 anos.
Esse é meu o primeiro conto. Vou relatar à vcs como foi minha infância, morando só com meus irmãos, minha mãe e os machos que ela levava pra casa. Peço desculpas pelo conto ser grande, mas tentei relatar a história como realmente acontecia e com o máximo de detalhes possível.
Bom, vamos ao caso. Sou louca por sexo. Aliás, sempre fui viciada em sexo, transo desde os 10 anos. Sempre fui safadinha, depois que meus pais se separaram, quando eu tinha 6 anos, fiquei com minha mãe que tinha na época 28 anos e irmãos Carlos de 12 e Henrique de 14 anos. Minha mãe era muito puta, ela engravidou com apenas 13 e com 14 teve meu irmão mais velho e foi morar com meu pai que tinha 16 anos. Depois da separação deles, meus irmãos e eu passamos a ver nosso pai só nas férias, no meio e fim de ano.

Meus irmãos já estavam na idade de se interessarem por sexo. Na escola, eles saiam da sala de aula pra ver revistas de pornografia com os amigos no banheiro da escola. Muitas dessas revistas eles traziam pra casa e me mostravam e ficavam me alisando, me beijavam na boca, tocavam minha buceta, passando os dedos na minha fendinha, mas por cima da calcinha. Até os meus 8 anos e eles com 14 e 16, nunca tinha passado disso. Meus irmãos, como sempre foram safados, batiam punheta até gozar espiando minha mãe tomar banho. Gozavam e deixavam a porra deles escorrendo na porta. Quando minha mãe saia do banho, via a porra deles na porta e no chão e nem ligava, pelo contrário, ela ria, gostava de saber que ela deixava os filhos daquele jeito.
Eles sempre foram lindos. Os dois são brancos, cabelos escuros, rosto lindo. Desde criança, já tinham corpo bem gostosinho, corpinho de atleta, pernas fortes, pois jogam futebol e muito altos para sua idade, cada um aparentava ter uns 3 anos a mais.
Com tudo isso, comecei a olhar pra eles com outros olhos desde cedo, quando comecei a entender sobre sexo, afinal, eu cresci numa família que via o sexo como algo natural.

Minha mãe nunca fez questão de esconder seus casos. Ela era muito bonita (e ainda é). Falam que eu sou muito parecida com ela quando ela tinha a minha idade. Sou morena, 1:65m, seios fartos e durinhos, bunda grande e empinada (o que os homens mais gostam em meu corpo), coxas grossas... Todos dizem que ela era muito gostosa (e ainda é), inclusive meus irmãos. Minha mãe, mesmo sabendo que meus irmãos eram safados, deixava eles dormirem no mesmo quarto que eu. Ela usava sua beleza para atrair muitos homens, provocava, se exibia em roupas minúsculas. Vivia rodeada de homens e os levava sempre para nossa casa, transavam e gemiam alto a noite toda.
A gente ouvia tudo do nosso quarto e quando dava, íamos espiar eles transando: Os caras a xingavam e ela adorava, eles comiam a buceta dela, diziam que era apertadinha do jeito que eles gostam. Até hoje não sei como ela podia ser apertada se ela era e ainda é piranha, dava a buceta toda noite...
Minha mãe gemia alto, gritava muita sacanagem, de todo tipo que vcs podem imaginar, e pedia rola no cu. Isso continuou acontecendo até que uma noite, 2 anos depois, quando eu tinha 10 e meus irmãos16 e 18 anos, eu sai do meu quarto e fiquei espiando eles fuderem. Meus irmãos vieram atrás pra ver tudo tbm. O homem comia ela de 4, teve um dia que a vi com 2 caras, ela chupava um enquanto o outro comia a buceta dela e trocavam de lugar, depois comiam o cu dela, outra hora faziam um 69 delicioso. Os caras chupavam a buceta dela com gosto e ela gemia muito, até que deu um berro quando gozou na boca de um deles e o cara chupou todo o líquido dela. Ela era uma verdadeira cachorra e até hoje ainda é, com seus 44 anos e em plena forma, ainda chama muito a atenção dos homens por onde passa.

Meus irmãos iam à loucura com tudo o que viam, abaixaram os shorts e tiravam a pica deles pra fora e batiam punheta olhando o cara comendo a nossa mãe com tanta força e o quanto ela gostava de tudo, gritando de prazer, pedindo pra ele continuar e enfiar tudo. Vendo tudo aquilo, o homem fazendo o que a nossa mãe pedia, a cada gemido dela e enterrava mais a rola na buceta dela, meus irmãos perderam o controle, Carlos me pegou pelas pernas e Henrique me pegou pelos braços. Me levaram pro quarto. Eu já imaginava que eles queriam fazer comigo, não reagi, eu tava gostando de tudo. Henrique, meu irmão mais velho, me agarrou e me jogou contra a parede. Eles eram bem maiores que eu, mesmo se eu quisesse me defender, não conseguiria. Mas o caso é que eu queria, já tava excitada com aquela cena que tínhamos presenciado. Henrique me segurou com força contra a parede mandando que Carlos tirasse minha roupa. Eu tava de sainha. Assim, Carlos foi “tirando uma casquinha” de mim enquanto me despia. Ele me alisava, subia as mãos pelas minhas coxas levantando a saia. Passava as mãos entre minhas pernas e subia até minha xoxota que, a essa altura, já estava toda molhadinha. Ele sentiu meu líquido molhando a calcinha, dedilhou minha bucetinha por cima da calcinha, eu gemia baixinho. Ele colocou a cabeça por baixo da minha saia ficou cheirando minha xaninha até que não aguentou e abaixou a calcinha e a saia de uma vez. Com minha saia e calcinha nos pés, ele ficou ajoelhado admirando minha buceta, ainda sem pêlos, carnuda e rosinha. -Hmmm... Que buceta linda vc tem maninha... Delícia!!
Eu não aguentei: - Se acha ela tão linda assim, pq não cai de boca logo de uma vez? Vaai! Me chupa logo, que nem os caras fizeram com a nossa mãe.
Nossa, até hoje quando eu penso nisso, ainda não sei o que me deu pra eu falar daquele jeito, pois, mesmo eu já sabendo tudo que eu sabia sobre sexo, eu tinha apenas 10 anos, mas já sentia muito tesão.
Henrique ficou surpreso por eu dizer aquilo:
-Hummm... Tá vendo Carlos? A maninha já tá louquinha de tesão. Novinha e já é putinha. rsrs
- To vendo, mano. Agora ela vai ser nossa putinha! É linguaja na xoxota que vc quer né, sua cadelinha? Então, é isso que vc vai ter! Fiquei louca quando ele disse isso. Sorri maliciosamente pro Carlos e dei um beijo de língua no Henrique
-E vê se não geme alto pra mamãe não escutar, disse Carlos. Henrique falou que a gente podia gemer a vontade, já que nossa mãe e o macho dela urravam feito animais no quarto dela. Eles não ouviriam nada, pensamos. Carlos abriu minhas pernas com um pouco de violência, o que me deixou mais excitada ainda. Ele ficou olhando minha bucetinha pulsando, toda molhadinha e caiu de boca na minha xoxotinha Eu fui ao delírio, nunca tinha sentido uma língua quente e bem úmida na minha grutinha: Hmmm... Ai, que gostoso. Ahhhhhh... Uiiiiiii, que delícia. Vai, seu puto, seu tarado. Chupa a sua irmãzinha, chupa. Vai, continua... É assim que eu gosto. Não para não. Hummmmm... Henrique arrancou minha blusa e ficou chupando meus peitinhos bem pequenos, que começavam a nascer. Ele me pegava pela cintura, me puxava contra seu corpo. Nossa, como era bom, ter um língua na buceta e um irmão super gostoso me pegando de jeito. Ele beijava meu pescoço, me apertava, mordia de leve, me beijava de um jeito que parecia que ia engolir minha língua.
Henrique me jogou na cama e abriu minhas pernas com violência. Ele enfiava o dedo, mas não penetrava muito pra não tirar meu cabaço. Ele tirava gemidos de mim, era uma sensação tão gostosa estar ali com meus dois irmãos me atacando, com tanto desejo. Henrique abria minha bucetinha com as mãos pra ficar com meu grelinho bem a mostra, chupou muito minha buceta, ele dava mordidinhas de leve no grelinho, que já tava vermelhinho de tanto que o Carlos já tinha chupado, lambia meus lábios que já eram carnudos e rosinha. Ele passou a lamber meu cuzinho também. Nossa, como era bom. Henrique deixava a ponta da língua durinha e enfiava nos meus buraquinhos. Eu já tava doida de tesão. Henrique continuou me chupando e enfiava a língua cada vez mais fundo quando me ouvia gemer alto de prazer. Às vezes ele me lambia enquanto olhava pra mim implorando pra eles me comer logo: - Maninho, para de castigar meu grelinho e me come gostoso, vai.
Carlos, ouvindo isso, ficou louco e se aproximou de mim:
- Vc quer dar pra gente, sua putinha?
- Quero muuuuitoo!! Hmmmmm... Eu não aguento mais. Ahhhhhhhh... Por favor, me comam, me comam com força, que nem aquele cara fez com a nossa mãe.. Eu quero sentir vcs dentro de mim. Aiiiiiiiii, que gostoso!!
Henrique dizia não ter coragem de comer a irmã dele.
- E o que é que tem eu ser irmã de vcs? Eu quero dar a buceta. Não agüento mais ver minha mãe todo dia com um cara diferente e eu louca pra sentir um pau na minha xaninha. Eu quero que vcs fodam minha buceta de 4 como aquele cara fazia com a nossa mãe. Por favor, maninho, me come. Esquece que eu sou sua irmã. Eu quero ser sua putinha. Me faz de putinha, faz. Me fode bem gostoso. Quando eu disse isso, percebi que o pau dele subiu na hora. Ele bateu uma ali na minha frente. Ele não aguentou, de tesão depois de me ouvir dizer aquelas coisas. Me tirou da cama e me fez ficar de joelhos, tirou o pau pra fora e meteu na minha boca. Ele disse que queria fuder alguma coisa e que se a buceta ele não tinha coragem, pois eu sou sua irmã, que fosse a boca mesmo. Eu não aguentava colocar o pau dele todo na boca, mas tentava abocanhar o máximo que eu podia, passava a língua por toda a extensão da pica dele, dava umas lambidinhas gostosas na cabeça rosinha... Eu nunca tinha feito isso, mas me vinham na cabeça a cenas da minha mãe fazendo assim nos caras e fiz conforme o que eu tinha visto mamãe fazer, Humm, que delícia. A primeira vez que eu senti um pau na boca.
Quando eu lambia a cabecinha do pau dele, meu irmão delirava de prazer. Ele passou a forçar minha cabeça contra seu pau e começou a fuder a minha boca como se fosse uma buceta:
-Ahhhhhhhh,,, Que boca gostosa vc tem, maninha. Huuummmmmm... Isso, vaaai, me chupa sua cadela, puta safada. Assiimm, Assiimm... Uiiiiii. Que gostosoo!! Me chupa, sua putinha. Ahhhhhhhhh... Ohhhhhhh... Que língua booa, quentinha.
Isso, chupa a cabecinha, chupa, Lambe tudinho, Assimm... hummmmmmm.... Vou gozar, vou gozaarrr... OOhhhhhhhh!! Ele gozou na minha boca e mandou eu engolir tudo, no começo fiquei com nojo, mas ele mandou eu engolir e eu engoli, Escorria porra pelos cantos da boca, mas tentava tomar o maximo do leitinho dele. No final até que eu gostei. Ele colocou o pau pra dentro, Vi que o Carlos tava louco de tesão vendo o boquete que eu tinha feito no Henrique. Ele batinha punheta com violência, parecia que ia arrancar o pau fora. Fiquei excitada ao ver que eu causava tanto tesão nele. Levantei, falei pro Carlos, deitar na cama pelado pq eu queria fazer igual vi o cara fazendo na minha mãe, chupar o pau dele e ele, minha buceta. Eu era nova oor isso não sabia o nome, depois fui saber que era um 69. Mas enfim, Meu maninho deitou na cama e começamos um 69 delicioso. Chupei aquele pau o melhor que eu pudi, queria provocá-lo pra ver se com ele eu conseguiria o que eu tanto queria: ser fudida. Não cabia tudo na boca, mas lambia toda a base do penis e dava linguadas na cabeça, o que deixava ele louco. Nessas horas ele descontava na minha bucetinha, ele enterrava a língua o mais fundo que ele podia e eu gemia do jeito que dava, pois tava com um pau enfiado na boca. Enquanto isso, Henrique enfiava o dedo no meu cuzinho e lambia também. Nossa, foi um tesão, Eu tava louca pra dar. Saí da posição que estava, de costas pro Carlos e fiquei em pé na cama de frente pra ele. Coloquei minha bucetinha a direção da cara do Carlos, abri as pernas e fui descendo colocando minha bucetinha toda meladinha na boca dele. Ele ficou louco, me chupou muito com vontade, a cada linguada dele eu ia nas nuvens .. Que delícia!! Gozei na boca dele, quer dizer, na cara né, pq o rosto dele conforme ele ia me chupando ficou melado do meu gozo. Ele sugou todo o meu líquido. Ai dei minha última cartada pra ver se eu conseguia fazer me comer: eu sentei na barriga dele e fiquei lambendo seu pescoço deixando ele doido, dei uns beijos na boca dele e fui esfregando minha buceta nele, fui descendo deslizado minha xotinha bem gostoso até chegar na pica dele. O pau dele já tava duro, mas nessa hora ficou que nem pedra. Ele ficou doido, nessa hora eu percebi ele visivelmente perturbado, ele não tava conseguindo aguentar eu ali sentada sobre o pau dele, ai era só provocar só mais um pouquinho que eu já conseguiria o que eu tanto queria:
- Tá gostando, maninho? Perguntei, com voz de manhosa, mas com cara de putinha.
- Muuito!! Vc é muito gostozinha. Não to mais conseguindo aguentar, vc tá me provocando muito, tá me deixando doido. Eu to a ponto de fazer uma loucura.
- Então faz essa loucura, por favor, eu quero e eu sei que vc tbm quer. Vamos, me come, esquece que eu sou sua irmã. Olha pra mim, agora eu não sou mais sua irmã, sou uma putinha safada louca de desejo. Ta sentindo como minha bucetinha ta molhadinha e piscando? -Uhum, tá bem gostoso sentir vc assim.
-Então me come!! Falei isso roçando minha buceta no pau dele. Percebi que ele não iria reagir mais, eu peguei no pinto dele e coloquei na entradinha da minha bucetinha e fui esfregando de leve só pra sentir como era e me acostumar com um pau.
Ele ficou louco na hora, me ergueu segurando minha cintura e me puxou com tudo pra baixo, seu pau entrou em mim de uma só vez:
- Aaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiii, como dói!! Tira, tira, tira. ..
Eu tava com tanto fogo na buceta que não imaginei que ia doer tanto.
Ele não quis nem saber, afinal, eu que tinha provocado:
- Tá doendo, é? Eu não queria fazer isso, mas vc me provocou, agora agüenta. Queria dar a buceta, né? Agora vc vai dar. Aguentei o quanto pudi, mas agora já era seu cabacinho e vc vai me dar gostoso, sua putinha safada. Nossaa, quando ouvi isso, ainda sentia muita dor, mas fiquei tão excitada, que eu nem prestei muita atenção na dor, relaxei. Ele mesmo falando isso tudo, teve pena e me deu uns minutinhos pra minha bucetinha ir se acostumando com o pau dele. Mas foi só nessa que ele aliviou. Depois de uns 5 min. ele pegou na minha cintura e mandou eu cavalgar no pau dele. Como era bom subir e descer naquela pica gostosa dele, seria melhor se fosse na do Henrique pq como ele é mais velho, tinha o pau maior que do Carlos, mas mesmo assim era muito gostoso sentir aquela pica entrando cada vez com mais força na minha bucetinha. E ia até o fundo... Hummmmmmmm. Ia bem La no fundinho da buceta, pois o pau dele não era tão grande como o do meu irmão mais velho, mas pra idade dele era bem gradinho e minha bucetinha, como tinha apenas 8 anos era pequena. O pau dele só entrou pq eu tava em cima dele e ele me puxou com tudo pra baixo, senão seria bem difícil ele conseguir aquela penetração.
Ficamos uns 5 minutos nessa posição, mas eu queria mais, queria saber como era dar de 4 pq eu sempre ouvia minha mãe gritar dizendo que era bom. Pedi pra ele me soltar e fiquei de 4 do lado dele na cama. empinei bem a bunda e abri as pernas, deixando minha bucetinha a mostra, disponível pra ele. Ele não perdeu tempo, quando me viu naquela posição ele pirou, veio logo por cima e me comeu com força, não teve nenhuma dó de mim (nem eu queria que tivesse. rsrs) . Eu tava adorando, ele enfiava o pau dele bem no fundo da minha buceta e eu delirava de prazer: Huummmmmmmmm... Isso manino. Me come, seu puto. Me fode com força. Ahh, Ahhhhh.... Aassiimm, meu irmãozinho gostoso, É assim queue gosto, isso, me come como uma cadela no cio. Aiiii que gostoso, Vaaaaaiiiiiii, Crava esse pau gostoso em mim. Agora eu sou sua... Sou sua putinha! Aaii.. Uiiiiiiiii... Seu gostoso. Isso, me come!! Husssssss... Ahhhhhhhh....
-Fica quieta, Evelyn. Esqueceu que a mãe ta no outro quarto dandp pro cara tbm. ela pode ouvir a gente.
- Que se dane a mamãe e os machos dela, deixa eu gemer, deixa eu gritar.... Aaaaaaaiiiiiiiiiiiiiii, que gostoooso!!
Olhei pro lado nessa hora e vi Henrique só vendo nosso irmãozinho me fuder. Vi que ele tava perturbado pq ele queria me comer tbm, mas não tinha coragem. Vi nos olhos se arrependido de não ter cedido às minas provocações. Aí queue gritei mesmo:
- Aahhhhhhhhh... Isso Carlos, me come. Me come gosttoso. Faz o que eu o seu irmão não teve coragem de fazer. Hummmmmmm... Ai, que delícia de pau. Vaaaaaiiii, com mais força. Mais rápido, que eu quero gozaarr. Uiiiiiiiiii.
tá vendo, Henrique, isso que é irmão de verdade, tá satisfazendo a manina. Vc não quis, agora ta ai arrependido né? Agora é torde descobri um homem de verdade pra me comer gostoso. Esse aqui sim, vai me fuder sempre que eu quiser, não é Carlos? - É lógico, vc é muito gostosa maninha. Tão novinha é já é putinha, que delícia de buceta vc tem. Toma, Toma, sua vadia. Sente a minha pica toda dentro de vc. Eu vou te arrombar, sua piranha gostosa. Assim, Assim. Ahhhhhh... Uiiiiiiii... Que delícia sua bucetinha piscando com o meu pau todo dentro. Ahhhhhhhh... Vou gozar, vou gozaaaaarrrr... Ohhhhhhhhhhhhhh!!
Carlos gozou dentro de mim. É tão gostoso sentir aquele jato de porra quentinha enchendo minha bucetinha e escorrendoperlas coxas. Delícia. Henrique não aguentou ficar só olhando, ele tirou o Carlos de cima de mim.
Carlos não queria sair, mas como Henrique é mais alto e forte que ele, acabou conseguindo. Eu, como putinha que sou, fingi que não queria nada com Henrique só pq ele queria me comer antes, mas era puro fingimento mesmo pq o que eu queroa mesmo era sentir aquele pau enorme dentro de mim. Lutei um pouquinho com Henrique, mas logo cedi e deixei ele fazer comigo o que ele queria. Eu tinha fechado minhas pernas, ele abriu minhas pernas a força, com violência, (o que eu adorei) e cravou aquela pica grande na minha xaninha, que entrou fácil devido a lubrificação do gozo do Carlos e meu tbm quando gozei na boca dele. Adorei ddar pro Carlos, foi uma sensação muito gostosa, mas ele não tinha me feito gozar e eu sabia que o Henrique faria pq tem a pica maior e mais grossa que Carlos e tbm pq eu sempre tive vontade de fuder com ele. Enfim, Henrique me fudeu muito gostoso, Enfiou aquela rola todinha até o talo, bem no fundinho da minha grutinha. Eu delirava de prazer, finalmente tinha uma rola grade e grossa a me fudendo do jeito que eu sempre quis. Henrique. - Aaaaaaaiiii, isso Henrique, me come. Ahhhhhhh, vai meu maninho gostoso. Hummmmm... que pica booa vc tem. Ainnnnn. Hummmmm. Que gostoso, Delícia; Me fode, sou sua putinha agora, Sou putinha dos meus dois irmãos gostosos. Aaaaiiiii, que sorte eu tenho de ter irmãos como vcs, agora eu quero ser fudida todos os dias. Ahhhhhhhhhhhhhh. ohhhhhhhhhhhhhh... Isso, me come com força, seu tarado. Vou gozaaarrrrr... Aaaaaaaaaiiiiiiii!!
Henrique sentiu meu gozo vindo, mas não parou continuou me fundendo até ele gozar, o que logo aconteceu:
- Tá gozando, putinha? É isso aí, goza gostoso no pau do seu irmãozinho, goza. Sua gostosa. Nem parece que tem 8 anos de tão putinha. Sua vadia, goza sua vaca que eu tbm vou gozar daqui a pouco na sua bucetinha. Ainda bem que vc é novinha pra não ter risco de engravidar. Como é bom comer uma novinha, se eu soubesse tinha te comido antes do Carlos, Eu que tinha que ter tirado seu cabacinho. Mas agora tomaa, tomaa que é pra compensar eu não ter sido seu primeiro macho. Toma na buceta, sua gostosa, vadia. Uiiiiiiiiiiiiiii.. Aiiiiiiiiiiiii.. Que delícia de buceta, apertadinha, Eu vou te comer sempre agora, evelyn. A partir de hoje vc não é mais minha irmão... Agora vc é minha mulher. Vou te comer todos os dias agora, sua puta gostosa!! Ohhhhhhhhhhhh.... Chamei Carlos pra chupar o pau dele de novo PE eu queria tomar leitinho e o do Henrique ele queria soltar na minha xotinha. Paguei um boquete daqueles pro Carlos, lambia tudo, da cabeça atébrincava com as bolas dele. Colocava as bolas na bocae deixava cair um fiozinho de cuspe pra deixar ele maluquinho, o que aconteceu: ele gozou jatosos de porra na minha boca e eu engoli tudinho. Finalmente estava satisfeita, quando Henrique gozou na minha bucetinha, que delicia, já era a 2ª vez que elvava uma gozada gostosa na buceta. Sentir aqueles jatos de porra invadindo miha buceta é uma delícia. hmmm Henrique saiu de cima de mim. Estávamos satisfeitos quando olhamos pra porta e vimos nossa mãe e o cara nus que estava comendo ela nos espiando. Nossa, entrei em pânico, pensei que ela ia nos bater, brigar, qualquer coisa assim, mas não... Fui pedir desculpas, tentar explicar, mas ela riu pra gente e falou que “era normal” a gente ter sentido curiosidade de fazer aquilo, mas só que ela ficou surpresa quando ouviu nossos gemidos, principalmente o meu. Ela disse que não sabia eu era tão putinha assim. O cara que tava com ela olhou pra mim com um sorriso malicioso no rosto e disse que eu tinha puxado minha mãe. Ele chegou perto de mim, me puxou pela cintura contra seu corpo, na hora estremeci pois o homem era alto, forte, muito lindo mesmo, deveria ter uns 30 anos. Ele me deu um beijo na boca e alisou minha xoxotinha gozada e sussurrou no meu ouvido que ficou excitada com o que tinha visto, meus gemidos e eu dando de 4 pros meus irmãos e que um dia ele ia querer me comer pra eu saber o que e homem de verdade. Não aguentei ouvir isso tudo sem fazer nada, abaixei e dei uma lambidinha de leve no pau dele na frente de todo mundo e disse que tava ansiosa para que esse dia chegasse logo. e que eu queria sentir o pau dele, que era muito grande, dentro de mim. Dei um beijinho na cabeçona do pau do cara e fui pro banheiro tomar banho, fui rebolando que nem puta, só pra provocar. Todos foram atrás de mim, afinal, todos estavam cheios de porra. Tomamos banhos juntos e trepei de novo com meus irmãos no banheiro e, de quebra, ainda levei uma chupada deliciosa na buceta do macho da minha mãe que tava louco vendo eu fudendo com meus irmãos, gemendo alto.

Isso já faz tempo, mas sempre que eu lembro desse dia, fico molhadinha. Eu sou um verdadeiro furacão na cama,rebolo muito gostoso na pica dos caras, eles ficam loucos quando remexo o quadril freneticamente com o pau deles em mim. Eles dizem que não dá nem vontade de tirar pra gozar na minha boca, mas eu peço porra na boca, eu adooroo. Gosto de dar de tudo quanto é jeito e foi dia desse conto que eu descobri que a minha paixão mesmo é dar de 4. Nossa, como é bom sentir um pau me invadindo toda de 4. Hmmmm
Essa foi apenas a minha primeira foda, tenho muitas outras histórias para relatar à vcs, muuitos incestos.
Continuo fudendo com meus irmãos até hoje, mas com menos freqüência, pois o que eu gosto mesmo é dar pro meu pai desde que eu o provoquei de tudo quanto foi jeito até ele me comer numa das minhas visitinhas a ele. Mas isso é uma outra história que já já conto pra vcs.

Me mandem e-mail, se quiserem me add, fiquem a vontade: evelynmartins90@hotmail.com
Beijos e até a próxima.



Gostou? Então Compartilhe!