RSS contos eroticos

Conto Erotico Desvirginei o cuzinho da minha enteada (verídico).

Sou casado há 11 anos e minha esposa tem 2 filhas. Bell tem 21 e Anne 14. Como eu conheci a caçula muito novinha, nossa relação é de muita intimidade. Na verdade eu acho a mais nova mais gostosa do que a Bell, mas só quem é pai (drasto) sabe explicar pq sentimos tesão por uma e não sentimos pela outra. Bell namora o mesmo carinha desde os 15 anos, há 2 anos eles ficaram noivos e eu percebi que aquilo era uma manobra pro Cesar comer minha enteada. Dito e feito, logo em seguida Bell contou a mãe que havia dado pro “noivo”. Bell é morena, cerca de 1,70, famosa falsa magra, zero de barriga, peitinhos lindos, cinturinha fina e aquela bundinha cheia, empinada. Uma boca carnuda, linda. Pele lisinha com pelos loirinhos. Há cerca de 3 meses eles brigaram pois ela flagrou ele com outra. Após os primeiros momentos vim percebendo a Bell mais soutinha. Anne troca de roupa na minha frente, fica só de calcinha, faz xixi quando estou no banheiro fazendo barba, escovando dente, etc. Bell sempre foi bem mais recatada comigo. Duvido que ela sentasse de saia e pagasse calcinha. Fosse o tamanho que a saia tivesse. Fui observando que ela subitamente parou com essas frescuras. Tipo: vi algumas vezes sua calcinha e certa vez até brinquei pq tinha umas estampas do mickey. Semana passada cheguei em casa no almoço e ela estava com o famoso biquinizinho azul passando blond no corpo. Ela sempre fazia isso fora do horário que eu pudesse estar em casa, foi a primeira vez em todos esses anos que eu a vi, e ela nem aí. Tomou banho no chuverão e ficou de papo comigo, como que se estivesse exibindo aquele corpo maravilhoso. Brinquei com ela dizendo: Como Cezinha pode ter perdido um corpo lindo desse. E ela me sorriu meio que com inocência e malícia. Não resisti, fui pro banheiro delas (o social) e toquei aquela punheta. Como sabia que ela ia acabar o banho lá, deixei o papel higiênico bem por cima na lixeira. Ela entrou logo que eu saí e é lógico, que ela entendeu o que aconteceu, tanto que saiu e me olhou diferente. As sextas minha esposa trabalha 24h no hospital da nossa cidade. Anne foi dormir e Bell se sentou na poltrona ao meu lado, onde estava a irmã. Meu coração estava acelerado e a pica estalando de dura, tanto que estava sentado com um travesseiro cobrindo a rola. Ela estava com o baby dol na mão e disse que ia tomar banho, como já eram meia noite, eu passei os canais até chegar em um famoso que após esse horário passa filmes eróticos. Fingi o susto, mas permaneci no canal, ela disse que também não sabia desses filmes, mas ficou hipnotizada com a cena. O homem estava lambendo a xana da parceira. Não pensei, juro! Simplesmente saiu a pergunta: “Vc ta olhando tanto por saudade ou vontade!”. Parece que eu tinha dado um susto nela. Ela subitamente se levantou, olhou pra mim e falou: “Não se pode ter saudade do que nós ainda não vivemos!” Estava aberta a conversa íntima. Eu insisti não acreditar que o ex-noivo nunca havia chupado ela. Ela negou e foi tomar banho, meio que encerrando a conversa. O baby dol dela é super mega transparente e eu fiquei focado esperando ela abrir a porta pra poder ver qual a calcinha que ela estava usando. Tirei minha cueca e fiquei só com o short de seda, mas com a almofada por cima. Nossa!!! Daí veio a visão mais linda do mundo. Bell saiu com o baby dol sem calcinha. De tão transparente dava pra ver os poucos pentelhos, cortados como que um filetizinho, lindos. Meus olhos ficaram vidrados naquela figura. Ela estava Tb com a respiração ofegante. Ela simplesmente parou na minha frente e falou: “Eu estou estourando de tesão, mas não quero fazer isso. Eu nunca levei uma chupada nela e minha mãe sempre fala que vc é o campeão em chupar buceta...” Antes dela acabar eu já estava cheirando, passando meu rosto por ela, dei uma meia mordidinha a abracei, joguei-a no sofá por cima da minha perna, me ajoelhei e fui dando pequenas lambidas entre a virilha e aquela buceta mais linda do mundo. Puxei o shortzinho pro lado com tanto tesão que ela veio junto. Amigos, dei um trato naquela bucetinha com a minha boca que só de escrever da pra ouvir os gritinhos, gemidos e suspiros dela. Ela passava a mãos pelos seios, deslizava pelo corpo, segurava e pressionava minha cabeça. Lógico que ela gozou, e muito! Foram diversos gozos, todos devidamente lambidos e sugados por mim. Enfiei um dedinho no cuzinho mais que lambuzado e fiquei lambendo sua xana, isso a fez explodir. Coloquei ela em pé e com a mão direita enfiei dois dedinhos em sua xana, com a esquerda, um dedinho no seu cuzinho e chupava seus peitinhos feito um bebe faminto. Ela jorrava, gozava, gritava ao ponto de tentar calar sua boca com bjs. A segurei pela cintura, dei aquele abraço e botei minha pica na entrada de sua bucetinha, ela rebolou e encaixou minha pica, a posição e a bucetinha apertadinha deram um trabalhinho, logo a peguei pelo colo e ela entrelaçou as pernas em mim. Minha pica rasgou ela, foi uma estocada linda, forçada mais por ela do que por mim. Ela socou muito aquela buceta e eu fui conduzindo ela assim para o meu quarto, entrei e a coloquei na quina da cama, levantei suas pernas no meu ombro e comecei a judiação. Rápido, forte, devagar, beeemmm devagar, socada, devagar e por aí vai. Aproveitei cada centímetro daquela buceta. Tirei e coloquei ela de 4 (MEU GRANDE SONHO). Gente, que visão linda aquela mulher de 4 pra mim, peguei o KY que eu e a mãe sempre usamos (minha esposa é especialista em anal) e já deixei de prontidão, brinquei muito com aquela buceta. Soquei puxando o cabelo, segurando a cintura, dei tapa na bunda (que ela gostou muito) e com o dedão cheio de KY fui brincando com o cuzinho. Eu estava apreensivo, mas ela estava simplesmente entregue. Tirei a rola daquela buceta deliciosa e chapei de KY, dei uma cuspidinha no cuzinho, botei na entradinha, uma mão na cintura e outra no cabelo e falei pra ela rebolar que nem nos funks que ela dança com a irmão. Foi incrível. Ela era louca pra dar o cuzinho e o noivo não comia pois tinha nojo. Ela deu uma rebolada gostosa e a pica entrou. Ela mesmo tomou a iniciativa e começou a socar, batia aquela bunda linda em mim e não parava de falar que tava dando o cu, que eu tava comendo o cuzinho dela, xingava, dava tapinhas na buceta, tocava siririca com força, até que jorrou muito, parecia que estava mijando. Foi minha vez de travar a cintura dela e socar forte. Não demorei pra inaugurar aquele cuzinho com muito, muito leitinho quente. Gozei demais naquele cuzinho. Quando tirei o cuzinho foi fechando e expulsando o tanto de gozo que coloquei nele. Ela desabou! Depois tive que pegá-la no colo, dar uma limpadinha básica com uma toalha mesmo, limpar a sala, quarto, etc. Mas acredite, faria tudo de novo, 10 vezes mais. Foi uma experiência maravilhosa. Hoje estamos tentando entender toda essa nova situação.