RSS contos eroticos

Conto Erotico Doce enteada

Doce enteada

fernanda (nome fictício) já estava mocinha. 15 aninhos, 1,70m, cabelos loiros e compridos, bundinha redonda, pernas grossas de malhação. cópia fiel da mãe adolescente.
nunca tinha pensado nada em sexo com ela. até que um belo dia sua mãe faz uma viagem a negócios e vai passar uma semana fora. estava assistindo o jornal por volta das 21:00 e lendo a minha playboy. fê chega só de camisão de dormir transparente. vejo que está só de calcinha.
- o que o tio está lendo? perguntou ela.
- a playboy.
- deixa eu ver? mamãe não deixa, acha que eu ainda sou menina...
começou a folhear a revista e parou em uma modelo nua e disse:
- ela é bonita, mas sou mais eu, tenho os seios mais bonitos e durinhos.
- pode ser.
- quer ver?
- fê, se sua mãe souber disso, me mata.
- eu não vou dizer, você vai?
nem esperou a resposta e tirou o camisão e mostrou aquelas belezuras. durinhos e bicos bem durinhos. parecia que fê estava excitada com aquela situação. estava começando a ficar excitado. ela percebeu e pulou no meu colo.
- que coisa dura é essa? falou sussurrando em meu ouvido.
- você está me deixando excitado. esses seus seios são magníficos. é melhor você ir dormir.
- tá bom, resmungou ela.
deu-me um selinho, pegou o camisão e subiu pro seu quarto.
fiquei pensando em tudo aquilo e só conseguir dormir após bater uma bela punheta.
dia seguinte, um sábado, acordo por voltas das 10:00 e procuro por fê. grito e ela responde:
- estou aqui na piscina, bota uma sunga e vem curtir o sol comigo.
quando chego na piscina quase desmaio com a visão que tenho. fê de bruços em um fio dental branquinho.
- tio, pode passar o protetor solar nas minhas costas?
aproximei-me e peguei o protetor e comecei a passar nas costas. ela desamarrou a parte de cima do biquíni e pude ver a lateral dos seus maravilhosos seios. após alguns minutos desci para sua bundinha, passei bem levemente e senti que ela fechava os olhos e começava a se acomodar melhor, abriu mais as pernas. comecei a passar protetor na parte interna de suas coxas. ela deu um suspiro maior e comecei a passar protetor cada vez mais perto da virilha. ela começava a ofegar e eu completamente de pau duro.
virou-se e desamarrou as laterais do biquíni. tirou também a parte de cima do biquíni.
- tio, passa nos seios. quero ficar sem marquinhas. não se acanhe. estamos sozinhos até domingo, lembra?
comecei pelo pescoço, desci para os seios. ela novamente suspirou e fechou os olhos, desci para sua barriguinha e depois fui descendo mais. a respiração ficava cada vez mais ofegante. passei paras as pernas e fui subindo até chegar nas proximidades da xoxota. observei que o biquíni estava todo molhado. será que ela estava excitada?
bruscamente tirou o biquíni, que estava solto, e disse:
- está vendo, é seu. passa a língua por favor.
- fiquei alguns segundos imóvel. resolvi entrar em ação. passei a mão delicadamente na xoxotinha bem lisinha dela e ela foi se abrindo. passei o dedinho entre os lábios vaginais e percebi que estava totalmente molhada.
acomodei-me no meio de suas pernas e comecei a beijar bem de leve aquele botãozinho. ela arfava, se contorcia.
- tio, sempre sonhei com isso, sempre vi o senhor fazer isso com mamãe. faz eu gozar pela primeira vez na minha vida.
- ai tá gostoso, não pára, não pára, ai, vou gozar, vou gozar, vou gozar, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, que gostoso, estou gozando, gozaaaaaaaaandoooooooo.
após alguns minutos se recuperando, fiquei sentado ao seu lado observando-a.
- tio, me ensina a chupar o cacete. já vi o senhor gozando na boca da minha mãe. ela bebe tudinho. deve ser gostoso.
tirei a sunga e deitei. no início estava machucando com os dentes, mas depois aprendeu e me deu uma chupada sensacional. agüentei até onde deu. depois gozei rios de esperma e ela não desperdiçou nada. engoliu tudinho. depois me deu um maravilhoso beijo de língua. descansamos um pouco, deitados à beira da piscina.
comecei a passar a mão no seu corpo e fomos nos ajeitando e começamos a fazer um 69. eu embaixo e ela em cima. quando sentiu que estava com meu cacete bem duro e sua xoxota bem lubrificada, resolveu que era hora de perder a virgindade.
fiquei deitado e ela foi sentando no cacete aos poucos. quando sentiu o rompimento do hímen parou um pouco, respirou fundo e após alguns segundos sentou de uma vez.
gritou de dor e parou um pouco. foi aumentando o sobe e desce paulatinamente e eu acariciando os seiozinhos dela. até que ela. começou a gozar e chorar ao mesmo tempo.
cena inesquecível. gozando. gozei dentro dela e o gozo escorreu pelos meus testículos juntamente com o sangue da virgindade dela.
passamos o resto do dia fudendo dentro da piscina. fudi ela por trás e ela sentada no me colo. gozei muito e ela também.
no domingo paulinha chegou e tive umas das maiores surpresas da minha vida.
- filha, realizou seu sonho? perdeu a sua virgindade com seu tio? ou melhor seu pai?
- o quê mãe? perguntou fê.
- pode explicar melhor paulinha. falei.
- isso mesmo, fê. quando você era novinha desconfiei que seus traços físicos eram muitos parecidos com o do jú. resolvi fazer um dna sem vocês saberem. peguei fios de cabelo dele e do seu, meu sangue e fiz o exame. o resultado deu positivo e não sabia como contar isso. quando você me contou do desejo sexual que sentia por ele, resolvi que seria uma ótima maneira de poder revelar isso.
- então você sabia da atração dela por mim, e forjou a viagem?
- isso. estava o tempo todo em casa. vi tudo, fiquei frustrada ontem à noite pois pensava que ia rolar. dormi no quarto de hóspedes. ontem assisti tudo e estou morrendo de vontade de fazer amor com vocês dois.
paulinha tirou a roupa e ali mesmo na sala começou a chupar meu pau. fê também topou e tirou a roupa e foi chupar meu pau junto com mãe. depois paulinha sentou no meu pau, enquanto fê chupava seus seios. gozei dentro de paulinha e fê foi chupar a mãe enquanto eu metia na minha filhinha por trás até ela gozar loucamente.
passamos o resto do domingo fazendo amor na piscina. fê fez um 69 com a mãe e gozaram abundantemente. no final, experimentei o anelzinho da minha doce filhinha, enquanto sua mãe chupava sua xoxotinha. fê gozou que desmaiou. terminei a festa gozando dentro da minha adorável esposa. dormimos os três agarradinhos.