RSS contos eroticos

Conto Erotico Família - Descobrindo o irmãozinho tarado.

Estava com meus 19 anos quando comecei a desconfiar que meu irmão Tevez (16 anos) andava fazendo alguma coisa com minhas calcinhas que eu deixava no banheiro após o banho. No dia em que peguei uma das minhas calcinhas toda melecada com uma gosma que só podia ser porra, passei a não mais deixa-las no banheiro. Mas, dias depois, tinha em mente colocar uma calcinha nova; bem sensual, pra me encontrar com meu namoradinho quando ao abrir a gaveta do meu armário, não a encontrei. Puta da vida fui até o quarto de Tevez: - Seu filho-da-puta, anda pegando minhas calcinhas no meu quarto; não é? Tevez não se alterou e sorrindo maliciosamente tentou negar. - Pra quê eu ia pegar alguma de suas calcinhas; por acaso eu tenho cara de travesti? - Você as pega pra ficar se masturbando; vou falar pra mãe seu depravado! Ele pegando a calcinha debaixo do travesseiro e me entregando. - Tudo bem Beth, aqui está sua calcinha; não precisa falar nada pra mãe... Ok? Fiquei examinando a calcinha; e ele: - Não se preocupe que a calcinha está limpa; pode usá-la! - Você não fez nada com ela? - Não mana; não fiz não... Você chegou justamente quando eu ia começar! - Começar o quê seu moleque? - Ué... Ia tocar uma punheta em sua homenagem! Foi quando olhei pra bermuda e vi que tinha um volume em sua bermuda indicando que o safado estava de pau duro. - E você ainda tem coragem de falar uma coisa dessas pra mim? - Pô mana... Quem mandou você ser tão gostosa! - Sou sua irmã cachorro... Vai reparar nas meninas da sua turma; vai! - Não tem nenhuma que chega aos seus pés; essa sua bunda me deixa doidão! Foi quando resolvi provoca-lo: - Você ainda é um pirralho... Primeiro precisa crescer pra ter alguma chance com uma mulher! - Se você visse o tamanho do meu pau, não ia falar assim comigo! - Hummmm! Tá querendo deixar sua irmã impressionada; é? Ele descaradamente arriou a bermuda. - Aqui ó; tá vendo! Meu queixo quase caiu; o filho-da-puta tinha um pau bem maior e muito mais grosso do que meu namorado... Era por isso que o pestinha só usava calças largas. Procurei olhar pra outro ponto. - Guarda isso seu moleque; se continuar faltando com respeito comigo, sou capaz de falar até com o pai! Ele guardando e dando a entender que não acreditava que eu ia contar. - Se um dia você quiser brincar com ele; eu deixo! Eu ia saindo do quarto e o safado tirou novamente o pau pra fora. - Não vai ter jeito Beth... Mesmo sem sua calcinha vou ter que tocar uma punheta! Da porta, ainda olhei e o vi movimentando freneticamente a mão no seu imenso pinto e sussurrando: - Oh Beth... Oooohhhh... Como você é gostosa... Naquele dia; sábado, só descobri que meu namorado tinha ido ao maracanã ver jogo com seus amigos quando cheguei em sua casa. Cheguei doidinha pra ele me levar no motel e o candidato a corno preferiu sair com seus amigos. Voltei pra casa e não vendo o carro do meu pai na garagem; ao entrar dei de cara com o tarado do meu irmão sentado no sofá com aquele seu olhar de gavião... Quando ele falou que nossos pais tinham ido a um casamento e que só voltariam de madrugada, resolvi provocar o taradinho sentando no sofá menor deixando que ele visse boa parte das minhas grossas coxas. O safadinho não perdeu tempo. - Deixa eu ver sua calcinha? - Eeeeih... Daqui a pouco vai querer se masturbar na minha frente! - Se você deixar, eu toco uma punheta pra você ver! Fui abrindo um pouco minhas pernas o suficiente pra aparecer a base da minha calcinha, e o sem vergonha tirando seu pau pra fora. - Caralho Beth, faria qualquer coisa pra comer sua bucetinha! Estranhamente comecei a ficar molhadinha e num gesto até que bem atrevido da minha parte, fui tirando minha calcinha. - Quer minha calcinha; quer?... Joguei e ele cheirando antes de envolver sua pica com ela. - Abre mais as pernas; abre Beth... Deixa pelo menos ver sua buceta; vai! Puxei minha saia pra cima e escancarei. - É só pra olhar viu seu moleque atrevido! - Ele levantou e rapidamente ajoelhando entre minas pernas. - Caralho Beth... Que buceta maravilhosa que você tem! - E por acaso você já viu alguma buceta na sua vida? - Só em filme minha irmã... Só em filme! - Quer dar um beijinho na minha buceta; quer? Ele mais que depressa foi enfiando a cara no meio das minhas pernas e ao invés de dar um beijo foi chupando e passando a língua como se ele soubesse fazer aquilo a bastante tempo... Tevez só estava imitando o que ele tinha visto em filmes pornôs e mesmo assim foi uma chupada tão sensacional que gozei rapidamente em sua boca. Tevez alucinado veio com aquela pirocona. - Deixa eu meter na sua buceta; deixa? - De jeito nenhum; mas senta ai que eu vou retribuir a chupada que você me deu! Tevez sentou e eu mais que depressa fui engolindo aquele colosso e chupei com vontade... Sempre gostei de chupar o cacete do meu namorado, mas o de Tevez tinha um gosto bastante especial por eu saber que ele ainda era virgem em relação a mulher. Tive que chupar muito antes dele gritar que ia gozar... Bastou tirar a boca pra um torpedo de porra voar longe e em seguida uma quantidade enorme cair no assoalho da sala. - Caralho Beth... Você é a melhor irmã do mundo! - Oh!!!! Bico calado heim?... - Pode deixar Beth; prometo manter esse nosso segredo... Mas, o que eu queria mesmo era poder meter na sua buceta! - Isso não Tevez... Isso você só vai poder fazer quando arrumar uma namorada! A merda toda foi que acabei brigando com meu namorado, e duas semanas sem dar uma trepada e tendo meu irmão azucrinando no meu ouvido; tive que ceder um pouco pro malandrinho. - Tudo bem Tevez; você me faz gozar com sua boca novamente que depois eu deixo colocar na minha bundinha; combinado? O moleque ficou todo ouriçado. No meu quarto tirando somente minha calcinha deixei que ele viesse com aquela língua potente me lambendo e chupando meu grelo. - Iiiissssooooo Tevez... Chupa... Chupa bem gostoso; vai!... Hummm... Hummm... Aaaahhhh... Aaaaaaahhhhh... Nem bem acabei de gozar e Tevez. - Agora deixa Beth; deixa comer seu cuzinho! - Vem cá: primeiro eu tenho que molhar bastante seu pinto e depois você vai ter que passar bastante saliva no meu rabinho; ok? - Pode deixar que eu já sei como é que faz... Chupei um pouco seu pau salivando bastante na cabeça e de quatro levantando minha saia deixei o safadinho passar saliva... Quando Tevez começou a me penetrar com seu grande e grosso cacete fiquei toda arrepiada e soltei meu lado de puta. - Mete meu irmão; mete esse pau gostoso todo no meu cú... Vaiiiii... Oooohhhhh... Eu imaginava que Tevez por não ter nenhuma experiência ia gozar rápido, mas o safado socou tanto no meu rabo que após gozar e tirar; meu cú estava ardendo feito brasa. Passei a não ter pressa pra voltar com meu namorado que vivia me ligando e brincando outras vezes com meu irmãozinho safado... Chupando minha buceta e comendo meu rabo. Tevez que nunca teve nenhum juízo, estava se preparando pra comer novamente minha bundinha comigo de quatro quando me segurando firme pela cintura começou a dar pincelada com o pinto na minha buceta. - Para com isso Tevez; mete logo no meu cú... Vai!... - Calma Beth; só estou molhando mais meu pinto... Senti passando o dedo na portinha da minha buceta e logo seu pau entrando fundo com uma só estocada. - Seu filho-da-puta; já falei que aí não pode! Tentei sair e ele me segurando firme começando a socar. - Fica quieta... Só vou meter um pouquinho... Hummmm... Que buceta apertadinha... Apavorada ainda tentei por alguns segundos fazer ele me largar; mas suas socadas foram me fazendo perceber o prazer daquela pica fodendo minha buceta que fui relaxando. - Só não goza dentro; tá bom?... Me avisa antes... Ele dando socadas cada vez mais fortes. - Pode deixar que eu tiro antes... Era inexplicável como um garoto comendo sua primeira buceta pudesse ficar tanto tempo metendo sem gozar; foram vários minutos que eu gozei feito uma cadela e o safado ainda continuou me fodendo por mais alguns minutos antes de tirar e esporrar tudo sobre minha bundinha. Dois dias depois, estávamos novamente sozinhos e numa tara incontrolável fui até o quarto de Tevez que ao me ver, e sabendo exatamente o porque eu tinha ido até lá foi desabotoando minha blusa. - Hoje eu quero ver você peladinha! Até então, toda vez que fizemos nossas sacanagens eu só ficava nua da cintura pra baixo... Adorando aquela situação, eu mesmo fui terminando de me despir. - Então vamos ficar nós dois peladinhos; ok? Deitei na cama e o chamando. - Vem cá; vem... Vem chupar os peitinhos da sua irmã... Tevez agia como um adulto, ao mesmo tempo que chupava meus peitos brincava com os dedos enfiados na minha buceta... Não demorou pra eu pedir pra ele colocar a camisinha e fuder minha buceta. Tevez deitou entre minhas pernas e com o pau todo enfiado na minha buceta começou a socar com força me arrancando gritinhos de prazer... Tive um delicioso orgasmo e ele continuando a meter forte, estava preste a ter o segundo quando percebi que nossa mãe estava de pé ao lado da cama nos observando... Só sei que dei um grito empurrando Tevez de sobre meu corpo e... (leiam a continuação deste conto... Família – Quando nossa mãe nos pegou no flagra).