RSS contos eroticos

Conto Erotico Família incestuosa - i

há bastante tempo leio os contos deste site... mas é a primeira vez que envio minha história, que é verídica, depois de muita dúvida a respeito, mas com o consentimento de minha esposa. logicamente por razões de discrição e sigilo o nome de todos aqui foram trocados. mas eis aqui a história que começou há 8 anos atrás e até hoje tem me dado muito prazer.
na epóca em que tudo começou eu tinha 32 anos, sempre fui sujeito normal, sem nenhum atributo de beleza que chamasse a atenção das mulheres, apesar de sempre ter me relacionado muito bem com todas elas e ter um pênis que não é nenhum colosso está de bom tamanho com seus 18 ou 19 cm... posso dizer que meu maior atributo físico é a minha disposição para sexo, a qualquer hora ou lugar.
diante disso, por morar numa cidade pequena e não poder estar na farra com as garotas acabei casando cedo. aos 22 anos já estava casado com raquel (nome fictício), que tinha a mesma idade que eu e com quem namorei 2 anos antes de nos casarmos, debaixo da desconfiança de todos os nossos familiares sobre as aventuras sexuais que vivíamos.
raquel sempre muito uma mulher com um apetite sexual voraz. não tem aquele padrão de beleza que a sociedade impõe, mas é de uma sensualidade a flor da pela, com 1,60m, 57 kg, pele clara, olhos e cabelos castanhos lisos até os ombros, além de possuir um par de seios divinos: grandes, firmes e empinados, com aureólas grandes e rosadas com mamilos sempre durinhos e que excitados são uma verdadeira delícia para se chupar.
após 2 anos de casados, já morando em uma cidade grande, resolvemos ter um filho, mas descobrimos após exames que eu era estéril e que nunca poderia ter filhos o que nos causou uma grande frustração no começo, mas por sugestão de familiares passamos e pensar em adotar uma criança e a criarmos como se fosse nosso filho natural. como raquel era louca poara ter uma menina, passamos a procurar por uma, pensando inicialmente em um bebê, mas na busca acabamos por nos apaixonar por uma garotinha linda chamada graziela e que naquela epóca já contava com 8 anos de idade, e que segundo soubemos foi abandonada pela mãe aos 3 anos no orfanato. após ter dado o processo de adoção, fomos com graziela para nossa casa, uma pequena casa com dois quartos, mas que teria um lugar só para ela, o que jamais tivera até então.
bom passemos então a história em si, que é o que interessa:
graziela se adaptou super bem e nos adorava querendo sempre estar junto conosco, mas obviamente nem sempre era possível, principalmente quando eu e raquel queríamos transar e tínhamos que fechar a porta de nosso quarto, explicando a graziela que nós precisavámos \"namorar\" e que quando ela estivesse também namorando iria querer ficar sozinha com o namorado, o que ela aceitou de bom grado. acontece que raquel sempre foi muito voluptuosa e durante a transa sempre gemeu muito alto, o que acabou chamando a atenção de graziela que, conforme descobrimos depois, já sabia o que significava aqueles gemidos todos da raquel.
o tempo foi passando e tudo entre nós era tratado com a maior naturalidade, inclusive o que se referia a sexo, pois sabíamos que graziela não era boba nem nada. aliás, com o passar deste tempo graziela estava se tornando uma garota extremamente bonita, aparentando bem mais que os 16 anos que já contava então, pois chamava muito a atenção de todos pois possuia um corpo muito cheio de curvas, além de seios médios para grandes e que, segundo a raquel me contou certa vez, deveria deixar os namoradinhos de graziela loucos, pois eram muito lindos e naturalmente a raquel tivera oportunidades de ver várias vezes pois vez ou outra tomavam banho juntas, porque só contavámos com um banheiro na casa em que sempre moramos.
até que tudo começou numa noite de sábado em que eu e raquel ficamos sozinhos em casa, pois graziela tinha ido ao cinema com uma amiga e disse que iria dormir na casa desta amiga, por sinal vizinha nossa. assim sendo, nem eu nem raquel tivemos a preocupação de trancar a porta de nosso quarto quando fomos transar, e já estavamos no auge da transa quando raquel chegou e não percebemos. segundo soubemos depois, a mãe de sua amiga estava com visitas, parentes, em casa e estes iriam dormir lá, o que não daria para acomodar todo mundo e graziela acabou voltando para dormir mesmo em casa. bom, como disse, não percebemos a presença de graziela em casa e a raquel estava mandando ver me cavalgando e gemendo como nunca a medida que meu pau socava dentro de sua bucetinha encharcada. como estavamos de costas para a porta do quarto, não vimos quando graziela passou a nos observar, atraída pelo barulho dos gemidos que fazíamos, especialmente os de raquel. pelo que a graziela contou depois, sempre ficava muito excitada quando ouvia do seu quarto os gemidos de quando estamos transando e agora poderia não só ouvir como ver também a transa, escondida no canto da porta. ocorre que, enquanto nos observava há um bom tempo, ficou tão excitada que não percebeu que já estava praticamente nua e se masturbando.
em dado momento, ouvimos um gemido diferente, e quando nos demos conta vimos graziela, nua, se masturbando e gemendo gostoso, suplicando que não parássemos por causa dela pois ela já não era nenhuma criança e sempre adorou nos ouvir e agora que podia nos ver transando estava adorando mais ainda.
no início ficamos meio sem ação, imóveis, sem saber o que fazer, mas para nossa surpresa graziela veio até nós e disse que queria ver tudo de mais perto. confesso que até então não tinha observado graziela nua, mas quando ela se aproximou de nós e pude ver aquela sensualidade toda, aqueles seios rosados, empinado com umas aureólas grandes, rosadas e pontudas como se fossem um mamilo enorme, meu pau voltou a dar sinais de vida e a ficar tão duro que a raquel, ainda em cima de mim, voltou a se movimentar sem perceber o que estava fazendo. quando ela se deu conta já estava me cavalgando de novo e gemendo alto pedia que eu a fudesse mais e mais... aquela situação toda nos fez ficar com um tesão que nunca havíamos sentido, e quando graziela se acomodou em nossa cama, ao nosso lado, nos observando e se masturbando, foi uma verdadeira loucura. e fomos totalmente ao êxtase quando vimos graziela abrir suas pernas e mostrar uma xoxotinha linda, rosadinha, totalmente encharcada, com poucos pêlos e com os lábios escancarados diante de nós... os lábios de sua bucetinha eram lindos, incrivelmente rosados e grandes, salientes, tão grandes que pareciam as asas abertas de uma borboleta.... aquela visão provocou um tesão tão grande em nós, que a raquel não se contendo caiu de boca sobre a xoxotinha de graziela, a chupando com um prazer enlouquecedor. naquela altura graziela já gemia e implorava para que raquel não parasse de chupar. institivamente fui até graziela e coloquei o meu pau, duro como nunca tinha ficado, em sua boquinha que já estava ansiando por ele, pois me chupava com tanto gosto e pressão dos lábios sobre meu pau, que parecia que iria arrancá-lo... aquela transa virou uma orgia sem fim, sem limites, pois quando me dei conta a raquel me afastou de graziela e enterrou a sua bucetinha no rosto de graziela para que esta chupasse a raquel, que gemia aos gritos, dizendo como adorava ser comida e que ser comida daquele jeito era o máximo para ela... com a bucetinha de graziela a minha disposição passei a chupar aquela delícia, sentindo auqeles lábios grandes, inchados, na minha boca... um prazer indiscritível, sem falar no gosto daquela bucetinha encharcada, que praticamente me molhou todo o rosto.
em dado momento, graziela falou que era virgem mas que queria que eu fosse seu homem, e pediu que eu a fudesse como sempre fudia a raquel... sem hesitar a raquel me disse para fuder a graziela e fazê-la gozar como nunca, pois adoraria me ver fudendo a graziela enquanto esta chupava a bucetinha da raquel... as duas eram insaciáveis, gemiam aos gritos, pediam para serem fudidase para gozar bastante... quando penetrei na bucetinha de graziela senti a resistência de seu hímen que logo cedeu e então pude sentir aquela bucetinha quente, apertada, molhada, latejando em torno do meu pau... ela passou a gemer e a gritar dizendo como era bom ser fudida daquele jeito e que queria mais, muito mais. a comi em praticamente todas as posições, fazendo com que ela tivesse orgasmos tão intensos que seu corpo tremia todo. raquel adorou chupar meu pau quando ele saia da bucetinha de graziela, da mesma forma que graziela adorou sentir o gosto de esperma misturado com o da bucetinha de raquel. depois de todas as posições possíveis e imagináveis gozei como nunca tinha gozado antes, jogando uma quantidade enorme de esperma sobre o rosto das duas, que se beijaravam e chupavam as línguas uma da outras, sem falar das lambidas pelo rosto uma da outras para não deixar escapar nenhuma gota do meu gozo...
fudemos como nunca haviamos fudido, sem qualquer preconceito, tabu ou limite... perdi a conta de quantas vezes fudi a raquel e a graziela, e estas uma a outra, e as duas a mim...
quando fomos dormir já era quase dia, estavámos exaustos, saciados de prazer e de tesão uns pelos outros. dormimos os 3 na mesma cama. quando acordamos pelo início da tarde de domingo, nos demos conta que eu tinha transado sem camisinha, mas raquel me lembrou que eu sendo estéril não teria risco de engravidar a graziela. desde então passamos a transar sempre os 3 juntos. ou quando preciso viajar as duas transam juntas ou quando a raquel está naqueles dias transo com a graziela ou vice-versa...
já se passaram 8 anos desde que tudo começou. hoje eu e raquel temos 40 anos e graziela 24 anos, mas ainda temos o mesmo apetite um pelo outro... graziela está noiva fazem 8 meses e vai casar no mês que vem, mas ela já nos disse que não consegue nem pensar em deixar de transar conosco mesmo depois de casada...
no que dis respeito a mim, enquanto estivermos juntos e tivermos oportunidade transarei com as duas, que depois de passados 8 anos estão muito mais tesudas e insaciáveis.
ah, em outra oportunidade contarei sobre algumas outras transas que tivemos juntos ao longo deste anos, inclusive com aquela amiga da graziela, com a sua mãe e com a duas juntas... lembrando ainda que também transamos com uma irmã minha e com minha cunhada e sua filha, em segredo é claro.
mas estes contos ficam para uma outra oportunidade, em breve.
um abraço a todos, espero que tenham gostado de nossa história tanto quanto nós mesmos.
rricci.