RSS contos eroticos

Conto Erotico Filhota crescida!

Filha crescidinha para fotos: www.lindaninfeta.cjb.net

- sou casado com uma atrante mulher que ja era mae de um belo casal. quando nos casamos o casal, do primeiro casamento, dela eram apenas crianças. o rapaz, um pouco mais velho, saiu de casa cedo, preferindo ir morar com o pai. a menina, silvia, morou conosco ate os 12 morar e estudar nos eua. o tempo se passaram ela voltou pra casa, ja com 18 anos. me lembro o susto quando fui, com sua mae peaga-la no aeroporto. era morena, voltou loira, oque ate ficava melhor com seus olhos verdes. mas era tao pequenininha, e voltou com corpo feito. estava com a cinturinha fina, mas tinha um coxão, uma bundinha arrebitada, seios firmes. tinha ficado super gostosa. dei um jeito de disfarçar mas quando ela veio correndo e me deu um abraço meu pau ficou duro na hora. sua mae nao reparou nada. voltamos pra casa e seguimos a vida como era, a nao ser o fato de que tive que me acostumar em ter uma adolescente em casa. e que adolescente. chegava em casa cansado do escritorio, a patroa fazendo curso ou na casa de amigas e a filha la, deitada no sofa de bruços,vendo televisao, usando um shortinho jeans enterrado na bumbum, com camiseta colada, sufocando aqueles peitinhos lindos. era uma tortura. e quando ela chegava da aerobica, toda suadinha, o colant super enfiado. ainda assim ela fazia como quando era criança, me dava um beijo no rosto e vinha assistir qualquer filme sentada no meu colo. ja estava dificil controlar. nesse dia ela chegou do clube, com uma canga minuscula. eu lendo o meu jornal na sala, e ela veio sentar comigo no sofa. disse que estava com muita saudade do "paizinho", que estava com saudade do colo. fazer o que? falei que comigo sempre ia ter colo. ela tirou a canga e eu nem podia acreditar. estava usando um bikini asa delta branco que deixava ver tudo, era minimo. ela se sentou no meu colo e pediu pra contar uma estoria. nao deu outra. aquela bundinha sentada no meu colo me fez ficar duro que nem pedra. e a minha "filha" percebeu. de repente ela ficou sem graça e fez que ia levantar. eu segurei, nao estava mais aguentando de tesao, e tirei a parte de cima do bikini da garota. ela disse - "so uma mamadinha nao tem problema" . suguei aqueles peitinhos ate arrancar um suspiro da menina. ouvi o barulho do carro da mae dela chegando e mandei a mocinha subir pro quarto e colocar uma roupa rapido. dessa vez foi quase. nos outros dias a situaçao ja estava meio chata, silvinha andava com a cara fechada pra mim. ate a mae ja estava desconfiando. deixei estar pra ver como e que ficava. como todo dia de manha, a patroa acordava mais cedo e ia caminhar na praça. eu fui acordar silvinha pra ir pra escola. ela dormia como um anjo. puxei a coberta e dei de cara com a garotinha usando uma calcinha preta super enterrada na bundinha. só!! nao dava pra aguentar! fui passando a mao naquila bundinha sem acordar a garotinha, cheguei a calcinha dela pro lado, mas foi enfiar um dedo na bucetinha que ela acordou: "o senhor e muito atrevido" ela disse, com um sorriso provocador. "e voce me respeite que eu sou seu pai!" falei com autoridade ja pegando meu pau e mostrando pra ela. peguei a garotinha e coloquei deitada no me colo, como quem vai dar umas palmadas no bumbum. ela começou a rebolar enquanto eu arracava sua calcinha e enfiava um dedo naquele cuzinho apertado e e outro na bucetinha mais linda que ja tinha visto. silvinha. como um boa menina tratou de engolir minha pica toda. ja louco de tesao, procurei provar o gosto daquela xana loirinha. a minha lingua explorava cada centimetro daquele grelinho que de virgem ja nao tinha nada. ela gritava, chingava, pedia mais. a filinha era uma putinha na cama. quando eu fui meter na buceta ela saltou da cama e ficou de quatro no chão dizendo : "papai merece o melhor. o cu". fui encaixando a cabeça no rabinho da menina e ela me puxou. enterrei o cacete de uma vez so. ela soltou um berro. enquanto eu comia o cu enfiava meus dedos na buceta dela. gozei, deixei a bundinha da menina todo melada. ela virou pra mim e disse: "sera que agora pode levar sua filinha pra escola?" depois desse dia silvinha so fazia o dever de casa com o papai.