RSS contos eroticos

Conto Erotico Foda em familia

minha história se passou quando eu tinha 13 anos
(hoje-
1,85m, 75kg, moreno claro,corpo malhado, pinto com
19x6,5cm/ na época- 1,70m 60kg, pinto 12x 4,9cm )minha
prima(carol) q tinha 16.
ela era muito gostosa, morena clara, olhos azuis,
coxas bem torneadas, um par de peitos médios durinhos e
com uns mamilos rosados, sua bunda era uma maravilha no
tamanho certo, estilo débora secco.
nas férias de fim de ano de 97, ela veio passar a
férias em minha casa, no começo fiquei só a espiar ela
trocando de roupa para mais tarde tocar um a bela de
uma
punheta. fiquei nisso por uns três dias, até q veio à
idéia d começar a pegar suas calcinhas para sentir o
cheiro de sua bucetinha, não sabia se agüentaria até o
final das ferias. como ela dormia no quarto da minha
irmã
( alessandra, moreninha, 18 anos e muito gostosinha)
sempre inventava uma desculpa para entra no quarto de
repente para "pegar um cd", mas o q eu queria mesmo era
pegar carol se trocando. um dia entrei de repente e
peguei ela só de calcinha e sutien, quase cai duro
quando
vi aquilo, olhei diretamente para o meio de suas pernas
pude ver os lábios de suas bucetinha em contraste
naquela
calcinha minúscula. peguei um cd qualquer, pra
disfarçar,
pois a alessandra já estava me olhando meio estranho,
sai
do quarto, corri para o banheiro e bati a melhor
punheta
da minha vida, nunca esporrei tanto, me lambuzei todo e
a
parede também. voltei para meu quarto fiquei pensando
tanto naquilo q tive q bater outra caprichada.
no meio dá noite acordei com a luz da cozinha acesa
e
a tv ligada.
fui lentamente ver quem era, quando cheguei na
cozinha
(para chegar na sala tinha q passar pela cozinha) vi
minha irmã apagar a luz da cozinha e sair para sala com
algo na mão. fui devagar ver o que ela tinha pego,
fiquei
escondido e espiando o que estava acontecendo. vi que a
carol e a ale estavam sentadas no chão na frente do
sofá
vendo um filme pornô.
a curiosidade era tanta que tive que me aproximar,
na
sala havia a mesa de jantar que ficava meio do lado do
sofá, me enfie debaixo da mesa e pude ver as duas só de
calcinha se masturbando.
vendo aquilo não agüentei e comecei uma punheta
frenética.
era muito excitante aquela cena fiquei batendo uma
punheta alucinadamente por uns dez minutos até que não
agüentei e gozei. jorrei meu primeiro jato de porra no
carpete, os outros jatos saíram mais fracos e
lambuzaram
minha mão.
aquilo tinha me excitado tanto que fiquei ali vendo
ainda as duas, até que vi que elas haviam tirado as
calcinhas me mexi para tentar ver melhor quando sem
querer bati na cadeira e elas escutaram e vieram ver o
que estava acontecendo, assustadas a me verem minha
prima
pediu se eu estava há muito tempo ali, então falei
estava
desde quando a alê tinha ido na cozinha.
elas me olharam estranhamente e cochicharam algo
baixinho, e então minha irmã disse:- quer assistir ao
filme conosco, você já começou a ver mesmo, só não
conta
para os nossos pais. claro que eu concordei.
fomos assistir então o filme, elas ficaram sem
calcinha pois eu já tinha visto elas agora pouco sem.
carol falou que tinha que ficar sem cueca já que elas
tinham ficado sem calcinha, assim todos ficariam iguais
fiquei vermelho e não queria tirar até que as duas
puxaram minha cueca para baixo e a tiraram.
fiquei com a mão emcima do meu pinto, com o
desenrolar
do filme fui notando que a alê alisava sua bucetinha e
a
carol enfiava levemente seu dedo na sua raxinha.
comecei a ficar excitado, meu pinto começou a
crescer
e a cabecinha começou a sair de baixo da minha mão,
carol
notou e quando estava distraído ela tirou minha mão de
cima de meu pinto mostrando ele totalmente ereto e
pulsando de tanto tesão.
vendo aquilo ela disse: - olha só, o rapazinho tá
excitado com tudo isso. fiquei vermelho na hora. alê
então disse: - fica tranqüilo maninho, pode tocar a sua
punhetinha nós não contaremos nada para ninguém vai ser
o
nosso segredinho, e alem do mais eu já to cansada de
entrar no seu quarto e ver você disfarçar que não
estava
fazendo nada, mas tava vermelho como um pimentão e
suando, vai fundo toca sua punheta. comecei a tocar
timidamente mas em pouco tempo já estava batendo na
maior
tranqüilidade pois as duas também já estavam enfiando o
dedo em suas bucetinha.
comecei a ficar mais excitado e a me esfregar nas
duas, até que sem mais nem menos pedi se podia ver
suas
bucetinha pois sempre tinha curiosidade de ver como é
uma, elas sorriram e falaram que eu podia comecei a
olhar
até que carol disse: - se quiser pode tocar! eu que
tava
louco para fazer isso toquei sem pensar e comecei a
alisar seus grandes e pequenos lábios. comecei a
perceber
que ela soltava leves gemidos, de repente ela pegou
minha
mão e falou para minha alisar outra coisa, era seu
clitóris, ai foi uma loucura ela começou a se
contorcer
toda . alê já louca com tudo isso pediu para alisar ela
também, eu que não sou bobo alisei.
ambas começaram a gemer baixinho (por causa dos meus
pais) e freneticamente, até que percebi que ambas
relaxaram.
pedi o que havia acontecido, as duas deram uma
risadinha e carol disse que agora era minha vez.
empurraram-me pro chão e começaram a me punhetar e a me
chupar, fiquei loco com isso. quando estava quase
gozando
elas pararam e minha prima disse para mim botar meu
pintinho na sua bucetinha, fiquei parado sem saber o
que
fazer até que a alê pegou meu pinto puxo com força e
enfiou na buceta da carol e a me empurrar contra
ela.
comecei a sentir aquele buraco quentinho e úmido
envolver meu pinto, de tanto tesão comecei um vai e vem
igual tinha visto no filme. alê sentou com a sua buceta
na cara de carol, foi uma loucura ver ela chupar minha
irmã .
ficamos nisso por uns 8 minutos, então minha irmã me
empurrou para trás e disse para carol ficar de quatro,
ao
se virar minha irmã começou lamber seu cuzinho e enfiar
um dedinho nele e ficou nisso por uns 5 minutos para
não
perder o pique fiquei batendo um a punhetinha com calma.
de repente a alê me chamo, eu levanto, ela pega no
pinto e puxa pra dentro do cuzinho da carol. apesar de
meu pau não ser muito grosso naquela época era mais
grosso que o dedo da alê, isso fez com que o cuzinho da
carol alargasse mais, carol começa a gemer novamente,
eu
fui empurrando lentamente, pois o cuzinho era apertado
e
doía um pouco, a carol também sentia um pouco de dor
mas
não era tanta pois a alê já tinha alargado seu cuzinho
um
pouco e a acostumada.
depois que estoquei umas duas vezes acostumei e
comecei a enterrar freneticamente, minha irmã deitou-se
em baixo da carol e as duas começaram um 69 alucinado
enquanto eu enterrava no cuzinho da carol. aquilo tava
muito gostoso, aquele cuzinho maravilhoso aquela visão
das duas, não agüentei e depois de uns dez minutos
avisei
que ia gozar.
a alê puxou meu pau para fora do cuzinho da carol me
punhetou um pouco e apontou meu pau para o cuzinho da
carol.
comecei a gozar em jatos fortes e grossos, a alê em
baixo da carol só falava: - goza vai, goza mais que eu
quero engolir toda essa porra que ta escorrendo do
cuzinho da tua prima.
quando acabei de gozar tentei colocar meu pau e
enfiar
mais um pouco naquele cu gozado mas não agüentei e cai
no
chão exausto.
quando olho pro lado vejo uma cena que me deu mais
tesão ainda, a ponto de recuperar todas as minha
energias. minha mãe esfregando o seu grelo como louco e
meu pai espirando porra em cima dela.
caso queiram saber como foi depois quando meus pais
entraram na farrinha nossa me escrevam, para mim saber
se gostaram desta história, e então termino ela pra
vc's.
as garotas que estejam com vontade de conversar com
suas historias sexuais e queiram saber como foi minha
transa com minha tia e minha prima mais nova, me
escrevam, tenho foto minha, da minha prima carol e
minha
priminha mais nova. gatas me escrevam:
okra1234564@yahoo.com.br