RSS contos eroticos

Conto Erotico Fodendo Minha Filha Pela Primeira Vez

O VESTIDO Olá, meu nome é Rodrigo, tenho 49 anos, sou moreno 1,90 de altura mais ou menos 100 quilos, olhos castanhos esverdeados, resolvi compartilhar com todos vocês este fato que me acontece. Sou divorciado e fiquei com meus filhos. Há mais ou menos 04 anos tenho uma relação homem/mulher com minha filha, o nome dela é Esthefani hoje tem 25 anos, morena 1,74 de altura, mais ou menos 70 quilos de olhos verdes, cursava faculdade de nutrição. Certo dia Esthefani necessitava de ir a uma reunião, seu vestido estava um pouco largo, pois na correria ela havia emagrecido, vendo que eu estava concertando uma roupa minha a maquina, pediu se eu poderia apertar um pouco o vestido dela, pois não dava tempo de comprar outro vestido para ir à reunião que era naquela noite, eu me prontifiquei a ajustar seu vestido. Até então eu não havia notado o mulherão em que ela havia se transformado, ajustando o vestido em seu corpo notei que um dos seios dela era menor que o outro e brincando disse: “vou ajustar o seu vestido de modo que teus seios fiquem iguais”, ela gostou da ideia, comecei a ajustar o vestido em seu corpo para depois ajusta-lo na maquina, quanto mais eu ajustava percebia que ela havia se transformado em uma mulher muito bela, ao passar a mão em seu corpo para arrumar o vestido comecei a ficar excitado e toda hora pedia para ela colocar o vestido para eu ajusta-lo mais à mão. Deixei seu vestido tão apertado que não dava para usar com calcinha ela teve que sair para a reunião sem a calcinha por baixo do vestido, vendo-a daquele jeito com aquele vestido disfarçadamente fui ao banheiro me masturbar, não entendia direito o que estava acontecendo comigo, o porquê daquele tesão. Ela retornou da reunião por volta das 22hs, falando do medo que estava sentindo que o vestido se rasgasse e estava aliviada por ter dado tudo certo. Eu a ajudei a tirar o vestido, visto que o zíper emperrou, naquele dia tudo era desculpa para poder tocá-la. Desse dia em diante começamos a conversar coisas intimas que nunca havíamos conversado, vendo que ela também estava gostando da idéia, mas estava receosa demorou alguns dias para haver mais toques íntimos. Em uma noite ela deitou ao meu lado para assistirmos um filme “Advogado do Diabo”, notei que ela estava com uma camisola vermelha bem fininha e sem sutiã, com uma calcinha preta e ficou abraçada comigo, brincando de pegar em seu ossinho na costela acabei ficando excitado e passando a mão timidamente em teus seios ela fingiu que não estava percebendo o que estava acontecendo e continuamos a brincar. Daí pra frente sempre ficávamos abraçados assistindo televisão e sempre eu brincava com seu ossinho na costela, não demorou muito começamos a brincar de dar selinhos ela dizia que estava com vergonha, mas acabava dando selinho, ficamos muito tempo dando selinho, até uma noite que eu pedi para dar um beijo de língua, ela disse que não, eu pedi novamente ela aceitou, beijando-a bem devagar eu estava muito excitado com aquele mulherão em meus braços, queria fazer mais, porém tinha medo que ela não topasse, beijando-a mais, ela notou que o meu pau estava duro ela passou a mão nele e disfarçou, a chamei para o quarto e pedi para ver os seus seios, ela não quis, disse que ia tomar banho, pedi para que deixasse eu vê-la tomar banho, vendo que ela estava excitada com o olhinho brilhando pedi de novo, ela não falou nada e foi para o banheiro, abriu a porta e começou a tomar banho com a porta aberta e disse: ”Vem Ver” e fui, ainda passei o sabonete nas suas costa e em seus seios, e ela pediu que eu saísse, passado mais alguns dias ela chegando da faculdade, conversando comigo, voltamos a nos beijar, consegui que ela ficasse totalmente nua na minha cama, falei: “deixa eu passar meu pau na sua buceta, não vou te penetrar, só vou brincar com você”, ela pensou mas deixou, comecei a passar meu pau bem duro na sua buceta e comecei falar que ela era muito gostosa, tinha uma buceta linda e estava totalmente molhadinha, na brincadeira forcei um pouco e coloquei todo meu pau na buceta molhadinha dela, ela ficou brava, pois não queria fazer amor com o pai dela, brinquei e pedi desculpas, em seguida paramos de brincar por alguns dias, mas os selinhos continuavam. Certo dia recebemos uma visita de minha mãe, que nem fazia ideia do que estava acontecendo, de vez em quando a Esthefani me puxava escondida da avó e me dava um selinho, ela ficava até tarde assistindo televisão comigo na sala, até que a avó cansava e ia dormir, então ficava só nos dois e eu a beijava e passava a mão em seus seios e beijava seu pescoço, mas parávamos por aí, ela tinha medo que a avó acordasse. Em uma tarde minha mãe fora tomar banho, pois estava cansada de passear na cidade, chamei Esthefani em seu quarto e comecei a beija-la pois o tesão era grande e não havíamos brincado desde aquela noite em que a penetrei pela primeira vez, ela disse: “vamos brincar rápido” com medo que sua avó saísse do banheiro e desconfiasse, tirei a minha roupa e tirei a roupa dela, beijando-a fiquei de barriga para cima para que ela ficasse à vontade, ela de vagarinho passando meu pau em tua buceta que estava molhadinha me surpreendeu sentando e penetrando completamente meu pau em sua buceta, mas logo escutamos barulho no banheiro e tivemos que parar, minha mãe estava saindo do banho. Naquela noite não consegui dormir estava muito feliz com o que havia acontecido e me masturbei varias vezes. Essa foi a primeira vez, mesmo de forma rápida que fiz amor com Esthefani, somos amantes até hoje, as outras transas contarei futuramente e falarei com Esthefani para que ela conte a parte dela também. Até a próxima.



Gostou? Então Compartilhe!