RSS contos eroticos

Conto Erotico Fui criada na rola do meu padrasto

Esse é meu 2º conto aqui, no conto anterior eu comecei a contar como o meu padrasto começou a abusar de mim, gostaria de dizer que o que conto é 90% verdadeiro.

Sou loirinha de descendência sueca,nasci em floripa mais atualmente moro em Sampa e o que conto aqui começou a acontecer quando eu ainda era muito pequena, nesse tempo ainda nem tinha os peitinhos formados e minha xaninha era bem pequena e bem lisinha já que ainda não tinha começado a nascer os pelos, lembro que meu padrasto passava muito tempo fora viajando e quando chegava sempre ficava se aproveitando de mim enquanto mamãe trabalhava, eu adorava tudo o que ele me fazia mais confesso que o que eu queria mesmo era que ele me comesse de verdade. Passamos uns 3 anos só nisso, ele me sentava no colo ficava esfregando a piroca na minha xaninha, mamava muito nos meus peitinhos e dizia que era pra eles crescerem mais rápido e eu adorava, sempre que eu chegava do cole ele estava sentado na sala com o pau duro na mão,nem bem eu entrava em casa e ele já dizia:

-Vem filhinha o papai tava te esperando pra te dar leite quentinho na mamadeira do jeito que a minha filha gosta.

Então eu me agachava no chão e ele empurrava a rola na minha boquinha e começava a bater punheta e puxar os biquinho do meu peitinho, e colocava só a cabecinha pra eu chupar até que ele não aguentava mais e enchia minha boquinha de porra e dizia:

- Abre bem a boquinha filhinha que o leitinho do papai já vai sair, engole a porra do papai vadiazinhaaaa....ahhhh...engole tudo....ahhhhh....To gozaaaandoooo.

Eu ficava sempre cheia de tesão imaginando quando chegaria a hora dele me fuder como uma putinha, queria muito sentir aquela rola veiuda na minha rachinha.

Nesse tempo eu já era bem safadinha e vivia me esfregando com os meninos mais velhos do cole, sempre que dava eu ia chupar alguma piroca no banheiro da escola. Um certo dia a diretora desconfiou quando me viu entrar no banheiro masculino e foi atrás quando ela viu eu caindo de boca num menino do 1º ano ligou pra minha mãe e disse para ela comparecer no cole minha mãe ligou pro meu padrasto para ele ir no lugar dela já que ela não podia faltar do trabalho, meu padrasto foi então saber do que se tratava e quando a diretora lhe disse que tinha me flagrado no banheiro dos meninos fazendo um bokete e ainda disse que parecia não ser a primeira vez, não sabendo ela que estava diante da pessoa que sabia disso como ninguém, meu padrasto saiu de lá prometendo tomar providencias. Quando cheguei em casa meu padrasto me olhou e disse que conversaria comigo no outro dia e disse pra minha mãe que o assunto era à respeito das minhas notas que estavam baixas e prometeu que iria passar a me dar umas aulas particulares de reforço.

No outro dia como de costume fui dormir depois do almoço e quando acordei meu padrasto tava na sala me esperando e disse:

Vem filhinha, tira a calcinha e senta aqui no colo do papai!

Eu me sentei de costa pra ele, com as perninhas bem abertas,com a minha xaninha bem encima do volume da sua rola que ainda tava bamba,ele tava com o mesmo calção de seda que gosta de usar em casa, quando sentei senti a pica dele começando a crescer no meio da minha rachinha que estava toda babadinha de tesão, ele então me sentou de lado no seu colo e começou a chupar o biquinho do meu peitinho que estava começando a crescer e a passar a mão na minha xoxotinha e disse:

-Ahhh filhinha que peitinho mais gostoso, que delicia de biquinho, já ta com peitinho de ninfeta putinha de tanto dar de mamar pro papai e essa xoxotinha molhadinha de tesão...ta querendo a rola do papai aí dentro filhinha, quer ser a putinha do papaizinho princesinha...te lembra que o papai disse que ia te fuder quando minha filhinha já aguentasse levar rola...pois o papai vai te fuder hoje safadinha antes que tu termine dando pra outro macho eu vou dar o que tu quer. Então ele me deitou no sofá me abriu igual uma franguinha desceu a cabeça até minha xaninha e começou a lamber e a sugar meu grelinho e então metendo a lingua na minha xoxotinha ele dizia:

-Abre filhinha...abre bem essa rachinha que o papai vai preparar ela pra levar ferro, e metia a lingua cada vez mais dentro, quando ele viu que eu já tava bem tesudinha ele botou o pau pra fora e encaixou ele bem na entradinha da minha rachinha e começou a forçar, então eu comecei a chorar pois estava com medo e quanto mais eu chorava mais ele metia e dizia:

- Chora filhinha....chora na pica do papai...chora na pica igual a putona da tua mãe, aguenta a rola do paizinho filhinha...não era isso que tu queria...toma putinha...E metia mais e mais, até que eu senti ele todo dentro de mim, me rasgando todinha, eu nem acreditava naquilo, era um sonho, acho que fiquei inconsciente por alguns segundos...Quando abri os olhos vi ele ali me olhando com cara de tarado, aquele corpo enorme encima de mim, aquela rola grande e grossa daquele coroa gostoso entrando e saindo da minha xaninha, ele então começou a socar a pica dentro de mim cada vez mais forte enquanto torcia os biquinhos dos meus peitinhos com os dedos, eu não sabia o que sentia, se gozava ou se chorava e meu padrasto dizia:

-Princesa esse é o sonho de todo padrasto, ter uma putinha como enteada... uma putinha pra ele criar desde pequena na rola...se tu fosse minha filha eu ia te comer do mesmo jeito...vadiazinha...de agora em diante eu vou meter nessa rachinha sempre que eu quiser...vou aproveitar que vc ainda não menstrua pra alimentar bem essa bucetinha de porra. Então eu comecei a sentir o pau dele ficar mais duro dentro de mim, as veias do pau dele começaram a pulsar e ele começou a bombear com mais força dizendo:

-To gozando....caralho... e quando viu que eu estava gemendo de prazer disse:

-Goza cachorra...goza na pica do papai...goza junto com o papai cadelinha......ohhh o papai vai esvaziar o saco dentro da minha princesa...ohhhh...e ficou dentro de mim com o pau latejando e expelindo até a última gota de porra dentro da minha bucetinha, nos desgrudamos e fomos tomar banho, pela noite quando minha mãe chegou eu tava toda desconfiada ela perguntou o que eu tinha e eu disse que não estava me sentindo muito bem, realmente eu estava meio febril com a xaninha doendo muito devido a surra de rola que eu tinha levado pela tarde. Minha mãe me deu um remédio pra febre e eu fui dormir. Pela manhã me levantei par ir pro cole e minha mãe me perguntou se eu estava melhor e disse que tinha pedido pro meu padrasto pegar mais leve no meu reforço escolar, eu disse ok e saí, quando cheguei na escola e me sentei comecei a sentir uma dorzinha na minha xaninha e fiquei cheia de tesão ao lembrar de tudo que tinha acontecido, na verdade não via a hora de chegar em casa pra ir estudar com meu padrasto.

Espero que gostem e aguardem que tem muito mais, no próximo contarei como meu pai me comeu durante umas férias que fui passar com ele...bjus.

G@bizinha.