RSS contos eroticos

Conto Erotico Meu irmão e seus amigos.

Resolvi; depois de ler alguns contos, contar a minha própria história. Pra tentar ser bem objetiva, vou descrever os principais personagens que farão parte deste conto: Eu; Joelma; 19 anos; cor branca (só que queimadinha de sol); nem bonita e nem feia (normal); corpinho jeitoso (seios médios e bundinha cheinha); 1,62 Mts; 57 kgs. Meu irmão Tarso; 24 anos; universitário; 1,90 Mts; +- 80 kgs. Seu amigo Paulão; 23 anos; 1,95 mts; +- 85 kgs. Neuza (Irmã de Paulão); 21 anos; morena linda; seios fartos; bumbum volumoso e perfeito; 1,70 mts; +- 62 kgs. Zequiel (outro amigo); mulato lindíssimo; 26 anos; 1,80 mts; +- 80 kgs. Norma (irmã de Zequiel); mulatinha tipo exportação (boazuda); 17 anos; +- 1,60 mts e uns 60 kgs. Como vocês notaram, meu irmão e seus amigos são bem altinhos; pois é devido ao tamanho dos três que esta história começou. Morando em Ipanema/RJ, meu irmão e seus amigos (Paulão e Zequiel) e + outros, viviam jogando vôlei de praia... Tinham até patrocinadores; ganhavam dinheiro expondo as marcas nas camisetas (usavam poucas vezes); sunga; bonés e toalhas. Devido meu irmão começar a namorar a irmã de Paulão, fizemos amizade e estávamos constantemente juntas na praia. Logo começou a aparecer uma festinha aqui, outra ali e Paulão começou a me paquerar... Eu o achava apenas bonitão, mas comecei a namorar mais por curtição (tinha terminado um namoro recentemente). Não era nenhuma santinha, mas por causa de meu irmão procurava manter o namoro só nos beijinhos e alguns amassos. Um belo dia, meu irmão me explicou (era época de férias escolares): que ele, Paulão e Zequiel iam participar de um circuito de vôlei de areia em Angra dos Reis/RJ, que duraria uma semana... Só que ele estava querendo levar a Neuza; e que ela toparia ir se eu também fosse. A minha preocupação foi: Onde íamos ficar e com quem eu ia ter que dormir... Tarso me explicou que já tinha sondado um hotel e que poderiam alugar três quartos; e que, como seriam três casais de irmãos; Zequiel também ia levar a irmã (Norma), pois a namorada não quis ir, não haveria necessidade de ninguém ter que dormir com o próprio namorado. Chegamos em Angra, e ao conhecer o hotel que fomos perceber que os quartos eram bem pequenos: Duas camas de solteiro com um espaço livre de apenas uns 20 cms entre as camas;  um banheiro de 2 mts x 2 mts e um armário pra guardar as roupas. Depois de andarmos pela cidade pra conhecer os pontos limitados pra o torneio e jantarmos, voltamos para o hotel. Norma já tinha decidido que ia dormir com o irmão (Zequiel)... Sobrando os casais de namorados. Paulão logo questionou: - Eu não vou dormir com homem nenhum!... Meu irmão: - Não foi isso que combinamos, você tá querendo é dormir com a Joelma, não é?... Paulão: - Se eu fosse dormir com ela, você teria que dormir com a minha irmã, isso também não vou permitir!... Acabou que, eu fui dormir com o meu irmão e Neuza com o Paulão. Apesar de sermos irmãos, nunca tive tanta aproximação com Tarso a ponto de ter que dormir no mesmo quarto... Mas fazer o quê? Entrei na chuva e tinha que me molhar. Pra tomarmos nossos banhos, foi um Deus nos acuda!... O banheiro era tão pequeno que não se podia deixar nenhuma roupa pelo lado de dentro pra não molha-las. Tarso entrou, se despiu e jogou as roupas pra fora do banheiro... Terminou seu banho e teve que abrir um pouco a porta pra pegar a tolha... Evitei olhar. Saiu com a toalha enrolada na cintura (em seu corpo, parecia tolha de rosto). Entrei, me despi, e quando abri pra jogar minha roupa pra fora do banheiro sem querer olhei e vi meu irmão peladão tentando colocar a cueca... Ele de lado entre as camas deu pra notar seu pinto quando reclinou o corpo pra poder passar uma das pernas pela cueca. Fechei a porta e respirando fundo: O que é aquilo meu Deus? Será que eu vi direito?... Parecia ter visto um pinto de mais ou menos uns 20 cms (mole). Fiquei nervosa e, depois de me enxugar, tive que sair também enrolada na toalha pra me trocar fora... Tarso sentou da beirada da cama e ficou de costas pra eu poder me vestir. Segurando minha calcinha, tirei a toalha me vendo nuazinha a poucos metros de meu irmão: - Não olha que eu estou pelada!... Ele rindo: - Você tem um minuto pra se vestir, depois eu vou me virar!... Tentei ser rápida e me desequilibrei: - Não olha Tarso, não olha que eu já estou quase terminando!... Continuou rindo: - Calma sua boba, é claro que eu não vou olhar!... Vesti só a calcinha e joguei a camisola rapidamente por cima da cabeça, com medo dele me ver; deixei até de colocar o sultiã. Ele notando meu nervosismo: - Isso tudo é medo de te ver pelada? Eu só olharia se você permitisse!... Lembrando da cena de tê-lo visto pelado; mesmo que rapidamente, fiquei imaginando como seria a reação dele me vendo nua: - Você tem que olhar é a Neuza pelada, não eu!... : - Ela eu vejo quando eu quiser, mas você não posso!... Deitei e resolvi perguntar: - Então vocês já estão transando?... Ele apagando a luz pra se deitar: - É claro né! E você e o Paulão, já transaram?... Já no escuro: - Com ele ainda não!... Pela minha resposta, veio outra pergunta: - Então, você já transou com outro???... Tive a coragem de responder: - Já!... Custei a dormir, e acordei com meu irmão me sacudindo. Virei me espreguiçando e só fui perceber que estava com um peito pra fora do decote da camisola pelo olhar fixo de Tarso. Cobri rapidamente meu seio e sem falar nada fui ao banheiro... Fiz minhas necessidades, escovei os dentes e lavei o rosto. Ele já estava pronto, e tive que vestir meu biquíni... O estranho era que mesmo ele tão perto (virado de costas), já não tive medo dele virar de repente e me ver nua. Vesti a parte de baixo, e a parte de cima só cobri meus peitos: - Amarra pra mim Tarso!... Ele muito alto, segurou as tiras por trás e quando achei que podia tirar a mão o sultiã desceu... Ri: - Você fez isso só pra ver meus peitos, né!... Ele foi dando o laço: - Foi sem querer, mas vi que seus seios são muito lindos!... Virei pra ele: - Você é muito safado Tarso, olha que eu conto pra Neuza!... Rimos muito e saímos do quarto encontrando os outros já na portaria. Passamos o dia inteiro na praia vendo as várias duplas que participaram naquele dia... Zequiel não jogou, ele participou como técnico de Tarso e Paulão. Já começava a escurecer quando tivemos que ir para o hotel tomar banho e sair pra jantar. Tomei meu banho, e enquanto Tarso foi tomar o dele, de propósito demorei a me vestir e quando ele saiu me encontrou só de calcinha... Não conseguia entender porque estava feliz de estar quase nua perto do meu irmão... Tarso me olhando: - Puta que pariu Joelma, desse jeito eu não vou conseguir nem sair do quarto!... : - Porque meu irmão?... Ele tirando a toalha da cintura: - Olha só como você me deixou!... Quase cai pra trás vendo aquele pinto de +- uns 25 cms duro. Tremendo feito vara verde: - E aí Tarso? Como você vai fazer?... : - Você vai ter que me ajudar!... : - Ajudar como?... Ele me chamou até o banheiro e ficando de pé perto do vaso: - Você vai ter que me masturbar!... Como eu já sabia o que era tocar uma punheta, segurei aquela imensa vara e comecei a movimentar minha mão: - Assim Tarso?... Ele passando a mão num dos meus peitos e a outra na minha bunda por cima da calcinha: - Assim mesmo Joelma! Vai! Vai! Mais rápido!... Ele enfiou a mão por dentro da minha calcinha e passando pela minha bunda chegou na minha xoxota. Eu punhetava e ele enfiava o dedo na minha xoxota... Estava adorando seu dedo dentro da minha buceta. Ficamos assim por uns 5 minutos até Tarso soltar dentro do vaso uma quantidade enorme de esperma... E eu fiquei só no quase (não cheguei a gozar). Como minha calcinha ficou muito molhada, na frente de meu irmão tirei (limpando minha xoxota com a própria) e colocando outra. Saímos, e comecei a sentir ciúmes vendo meu irmão beijando a boca de Neuza... Pra não dar na pinta, beijei também muito o Carlão. 11:00 horas da noite quando chegamos no hotel, eu já estava quase subindo pelas paredes de tanto tesão. Fui me despindo na frente no meu irmão e ao mesmo tempo ele também foi tirando suas roupas... Nos dois peladões ficamos um olhando pro outro. Eu vendo aquele monstro de pinto duro: - Quer deitar comigo Tarso?... Ele me abraçou e me colocando delicadamente sobre a cama começou a mamar nos meus peitos: Oh Joelma! Como você é gostosa!... Minha buceta já estava até babando. Segurei sua piroca e quando consegui colocar meu corpo embaixo do dele, abri minhas pernas e sem largar seu pinto encostei-o na portinha da minha xoxota: - Enfia Tarso! Mete na bucetinha da sua irmã!... Mas quando senti aquela pica lá no fundo da minha buceta perdi até a respiração... E quando ele começou a socar fui a loucura e comecei a gritar escandalosamente: Ai Jesus! Ai! Ai! Vou morrer! Vou morrer! Não para! Não para!... Tarso me socava com tanta força que parecia que seu pinto ia furar meu útero... Era como se um cavalo estivesse me fodendo. Tive um orgasmos tão intenso antes dele tirar e me dar um banho de porra. No dia seguinte, acordamos e ao sairmos do hotel notamos o tempo fechado... Meia hora depois desceu um temporal que os jogos tiveram de ser cancelados. Zequiel e sua irmã voltaram pro hotel.  Eu, Paulão, Tarso e Neuza fomos para um barzinho. Depois de algumas cervejas Tarso sugeriu de irmos de carro até Parati. Paulão; talvez com más intenções, disse que não iria. Eu ainda com ciúmes de meu irmão e não querendo segurar vela também não fui. Eu e Paulão resolvemos buscar Zequiel e Norma no hotel para almoçarmos... Ao chegarmos na porta do quarto de Zequiel, ouvimos alguns gemidos. Olhei pro Paulão e sussurrei: - Será?... Paulão me puxou pro seu quarto que ficava do lado e com os ouvidos colados na parede ficamos tentando ouvir o que se passava no quarto de Zequiel... As paredes deviam ser bem finas que dava pra ouvir algumas palavras e gemidos soltos. Não podíamos ter dúvida que Zequiel estava transando com sua própria irmã... Paulão ficou escandalizado e ao mesmo tempo excitado. Tive que fingir que também estava escandalizada; mas no fundo, já que tinha transado também com meu irmão na noite anterior, achei normal; porém, também fiquei excitada. Paulão partiu pra cima de mim e começamos a nos beijar feito dois tarados... Foi um tal de mão passa aqui e passa ali que logo estava deitada com Paulão tirando minha canga e levantando o sultiã do meu biquíni. Ele foi chupando meus peitos e ao mesmo tempo sua mão foi tirando a parte de baixo do biquíni... Eu gemia de prazer, mas querendo me fazer de difícil: - Não Paulão, não faça isso, nós não podemos!!!!.... Sua mão enorme já estava bolinando a minha xoxota: - Você me deixa louco Joelma, não agüento mais de vontade de transar com você!... Mesmo que eu quisesse, não conseguiria sair de debaixo daquele homenzarrão de quase 2 metros: - Tá bom Paulão; eu deixo, mas vai com cuidado!... Ele saiu de cima de mim pra tirar o short. Quando eu vi sua piroca, que era apenas uns 3 cms menor do que a do meu irmão, mas bem mais grossa, percebi que outro cavalo ia me foder. Paulão de joelhos segurou minhas duas pernas pro alto fazendo minha bunda ficar no espaço e foi chegando aquela enorme vara pertinho da minha buceta... Segurei seu pau e fui direcionando até chegar na boquinha da xoxota... Paulão fez um movimento pra frente e seu pau começou a me penetrar. Depois de enfiar até a metade, Paulão largou minhas pernas e foi arriando o corpo sobre o meu e ao mesmo tempo empurrando sua enorme e grossa piroca toda pra dentro da minha buceta... Ele apoiado em seus braços; sem deixar seu peso sobre meu corpo foi fazendo um movimento gostoso e ritmado... Eu gemia tão alto sem conseguir me controlar sentindo cada estocada... Veio o meu orgasmo e Paulão continuou me socando, socando e socando... Meus gemidos viraram gritinhos escandalosos e um novo e profundo orgasmo consumiu todas minhas forças até tomar um novo banho de porra. Quando saímos do quarto demos de cara com os dois irmãos plantados na frente porta. Zequiel com a cara mais sacana do mundo: - Porra! Acho que todo hotel ouviu vocês dois transando!... Não imaginava que tinha feito tanto escândalo; mas fiquei puta pela ousadia de Zequiel e soltei: - Quem é você pra falar isso? O pior foi você transando com a sua irmã; nós também ouvimos!... Foi um constrangimento geral; principalmente pra coitadinha da Norma, resolvi consertar: - Fica fria Norma, ninguém está querendo te recriminar, se você gosta ninguém tem nada com isso!... No almoço, particularmente Norma me confessou que transava com o irmão desde seus 14 anos; resolvi perguntar: - Foi ele que tirou sua virgindade?... Norma deu um sorriso envergonhada: - Isso só aconteceu quando estava com 16!... Logo imaginei, mas ela mesma completou: - Antes, ele só fazia atrás!... No outro dia, os jogos voltaram a acontecer e eu a dar pro meu irmão. Dois dias antes de voltarmos; após assistir algumas partidas, Tarso me pediu pra ir buscar sua carteira que ele tinha esquecido no hotel. No corredor do hotel dei de cara com Zequiel que também tinha ido buscar alguma coisa... Quando entrei no quarto, ele entrou atrás: - Quero te pedir desculpas pelo que falei naquele dia, foi sem nenhuma maldade!... Entrei no banheiro pra fazer xixi: - Tudo bem Zequiel, eu também falei merda e deixei sua irmã envergonhada!... : - A Norma te achou legal, ela disse que te contou tudo!... Ainda dentro do banheiro comecei a imaginar Zequiel metendo na bundinha de Norma ainda tão nova: - Pô Zequiel, ela só tinha 14 anos!... Ele: - É; sei que não foi uma coisa correta, mas sempre fui tarado por uma bundinha e vendo a dela que gostava de ficar dentro de casa só de calcinha, não resisti!... E completou: - Não vai pensar que eu estrupei minha irmã a força, ela também quis e até hoje gosta!... Estava procurando a carteira dentro do armário e notei Zequiel olhando pra minha bunda, resolvi brincar: - Pode tirar o olho Zequiel!... : - Desculpa Joelma, é essa minha mania de gostar de ficar admirando uma bundinha bonita!... : - Você acha a minha bonita?... : - Com toda a sinceridade? Acho um espetáculo!... Fiquei toda cheia de orgulho e quando olhei vi sua sunga toda estufada pra frente. Ele percebendo: - Hehehehehe! Sou uma besta mesmo, já estou pensando besteira!... : - O que foi Zequiel?... Notei seu sorriso de tarado: - É que estou te imaginando sem o biquíni!... Resolvi testar a taradisse de Zequiel e puxei um pouco a calcinha deixando aparecer a marquinha do biquíni; - Tá gostando de ver Zequiel?... Não esperava uma reação tão rápida. Zequiel tirou o pau pra fora: - Tira tudo Joelma, deixa eu ver a sua bundinha toda!... Vendo, pensei comigo - “Puta que pariu, outro pauzudo”... Menor e muito mais grosso dos três: - Guarda isso Zequiel!... : - Só depois que você deixar ver a sua bundinha!... : - Tá bom Zequiel, eu deixo você ver!... Arriei a calcinha; estava gostando de me exibir... Mas antes de puxá-la novamente Zequiel já estava me agarrando: - Deixa comer essa bundinha, deixa?... Ele já estava me jogando de bruços sobre a cama: - Não Zequiel, não posso, nunca fiz isso!... Ele terminou de tirar a calcinha do biquíni e foi direto com a boca no meu rego. Tentei sair e sua língua foi me fazendo relaxar... Sentindo a ponta da língua sobre meu buraquinho: - Oooh meu Deus! Que loucura! É muito gostoso!... Aquela língua correndo por todo meu rego e tentando entrar no meu cuzinho foi me deixando tão molhadinha que quase gozei. Zequiel travando seu braço por entre minha cintura me fez ficar de quatro e já foi encostando aquela mangueira grossa no meu cuzinho... Ele teve que fazer muita força pra conseguir abrir meu cuzinho com aquela chapuleta de ponta da sua piroca. Tentei escapar andando ajoelhada sobre a cama e Zequiel me puxando pela cintura fez sua tora entrar e arregaçar meu precioso cuzinho... Berrei feito uma louca desvairada até ter tudo enterrado no meu cú. Ele ficou parado e tive que rebolar muito pra aliviar um pouco a dor... Sentia as paredes do meu cuzinho se contraindo em torno naquela salsicha grossa que começou a se movimentar pra trás e pra frente... A dor e o prazer foram se misturando que acabei gozando antes de sentir inundando meu cuzinho de porra. Voltei pra praia com o rabo ardendo como se estivesse pegando fogo. Passei a ter três pirocudos na minha vida... Em casa, meu irmão vivia me fodendo. Fiquei noiva de Paulão e ele gostava de me chupar e me comer... Zequiel, às escondidas, me levava pro motel e me fodia muito (principalmente na bundinha). Atualmente estou casada com Paulão (adoro sua pica), mas não consegui me afastar de meu irmão e nem de Zequiel.