RSS contos eroticos

Conto Erotico Meu paizão e eu no hotel

Ola Meu apelido e Dinho 19a. o que vou contar aconteceu quando fui passar um fim de semana em um hotel com minha família. Chegamos no hotel e meu pai combinou que deveríamos nos reunir para o almoço as 13hs no restaurante do hotel pois sabia que iriam todos se separar, minha mãe logo pos seu biquíni e foi para o sol bronzear, minha irmã se arrumou e sumiu atrás dos “gatinhos”, meu pai e eu ficamos juntos, pois sempre fomos muito apegados ele é um cara muito divertido, engraçado, bonito tem um corpo em cima para sua idade de 40 anos sem barriga não é trincada mas e sequinha, peito com pelos lisinhos, pele clara, cabelo curto um pouquinho grisalho, um bom volume entre as pernas. Eu sou magro, pele clara sem pelos, não por raspar naturalmente pouquíssimos nas axilas e no púbis. Ficamos na piscina estava muito bom todas de águas termais, quentinha a água, fomos no tobogã de frente de costas, fomos em uma rampa inclinada descia muito rápido, meu pai me chamou para descermos juntos sentei entre suas pernas e senti seu volume em minha bundinha fiquei meio excitado, mas me controlei afinal estava só de sunga, meu coração quase explodiu alem da adrenalina do brinquedo meu pai encostando seu pau em minha bundinha e sentindo seus pelos em minhas costas, foi tão bom que repetimos e percebi que na segunda vez o pau do meu pai estava mais duro, depois disso ficamos um tempo conversando no bar dentro da piscina eu tomando um suco e meu pai caipirinha. Como já estava na hora do almoço fomos e almoçamos e novamente depois de um breve descanso nossa família dispersou pelo hotel. Meu pai e eu ficamos novamente juntos e nadamos, demos cambalhotas na água, plantamos bananeira, meu pai parecia criança, brincamos de lutinha na água e me excitava a cada vez que meu pai encostava seu corpo no meu. Meu pai me chamou para irmos na sauna chegando la tinha apenas um homem em meio a fumaça e quando me acostumei com o ambiente percebi que ele estava pelado tinha um corpo legal também peludo, bem sacudo, nos perguntou se nos importava dele continuar nu dissemos que não e ele voltou a deitar meu pai e eu ficamos sentados e curtindo a sauna, meu pau que já estava um pouco duro ficou ainda mais com a visão daquele homem nu. Depois de algum tempo ele saiu ficando apenas meu pai e eu na sauna, resolvi deitar meu pai me chamou para que eu deitasse a cabeça sobre sua perna o que aceitei. Papai passava a mão sobre seu corpo e começou a passar sobre o meu. _ Esta gostando filhão do passeio? _ Sim esta muito divertido pai. _ Já tinha tempo que não ficávamos tanto tempo juntos ne filho, como você cresceu. Falou meu pai alisando meu peito descendo a mão pela minha barriga chegando a encostar em minha sunga e subindo a mão. _ Já mesmo pai precisamos ficar mais tempo juntos, gosto muito da companhia do senhor mas o senhor trabalha muito. _ É preciso dar mais atenção ao meu garoto! Olha parece que quer ficar como o cara que saiu seu pau esta quase rasgando a sunga. Disse sorrindo meu pai. _ Que isso pai, deve ser o calor. _ Se quiser pode tirar, quer que eu tire para você? Não respondi e meu pai foi tirando minha sunga. _ Olha como meu filhão esta crescido, que pau bonito filho puxou ao papai. Falou meu pai segurando em meu pai, apenas suspirei fundo sentindo seu toque em meu cacete. _ Pai... _ Relaxa filho é só uma massagem, a não ser que não queira. _ Tudo bem papai pode fazer. Respondi com a voz tremula Meu pai se virou no banco e eu fiquei deitado em meio a suas pernas sentindo seu pau duro em minha nuca e meu pai alisando todo meu corpo que cuminou em uma punheta gostosa auxiliada pelo protetor solar, suor e pelo calor da sauna. Meu pai abaixou o rosto me dando um beijo ao contrario carinhoso mas intenso massageando meu peito todo gozado levantei do seu colo e meu pai abaixou a sunga e comecei a chupar gostoso o pau do meu pai que suadinho estava salgadinho uma delicia. Enquanto eu o chupava ele massageava minha bunda e aos poucos foi enfiando seus dedos em meu buraquinho virgem. Ai que delicia lembrei dos nossos banhos juntos na infância, de quando sua mão ensaboava minha bundinha, a possibilidade de entrar alguém me deixava ainda mais excitado. Meu pai gozou em minha boca me trouxe ao encontro de sua boca e nos beijamos novamente com minha boca com gosto de sua porra. Papai falou ao meu ouvido: _ quer continuar lá no quarto filhão aqui esta perigoso. _Sim vamos logo Meu pai e eu vestimos nossas sungas tentamos disfarçar nossos paus duros colocando eles de lado e segurando a toalha na frente. Fomos direto para o quarto e assim que tranquei a porta meu pai me segurou por trás e foi me levando para o chuveiro beijando minha nuca e minhas costas, ensaboou todo meu corpo para tirar o suor e o protetor solar, me fez encostar na parede e abrir bem as pernas e veio lavar meu cu, instintivamente empinei deixando meu rabinho mais a mostra para facilitar os dedos de meu pai que me invadiam. Papai se abaixou e começou a me lamber, lábia muito seu cu enquanto eu gemia, lambeu meu saco e colocou todo ele na boca que delicia, mas o melhor foi ele me virar de frente e me chupar nossa como chupava gostoso meu pai, mamou meu cacete ate eu esporrar em sua boca estremecendo todo meu corpo me deixando de pernas bambas, mas encontrei forças para continuar de pe e ensaboar meu papai gostoso. Fiz como meu pai, ensaboei e o chupei mas ele não gozou pediu para eu parar e fomos para a cama nos enxugamos meu pai pegou um lubrificante me posicionou de quatro sobre a cama abriu ainda mais meu cu que já piscava pedindo rola e foi enfiando ate que senti sue saco peludo roçar em minha bunda, me deixando mais excitado. Papai começou um vai e vem delicioso apertando ao mesmo tempo meus mamilos e foi aumentando a velocidade. Que delicia, que gostoso, meu pau babava enquanto meu pai enfiava seu cacete em meu rabo, me colocou de frente me beijou e voltou a bombar agora começou uma punheta que cuminou em um gozo duplo eu em meu peito e papai em meu cu. Deitamos e descansamos um pouco exaustos suados eu deitado em cima do peito de papai dormimos. Acordei com meu pau duraço, um calor por dentro e perguntei para papai se eu podia come- lo ele aceitou e ficou de quatro eu o lubrifiquei e abri aquele cuzinho peludo lindo que piscava implorando minha rola dura que foi engolida por aquele cu guloso, apertadinho e quente bombei bastante ate gozar la no fundo inundando meu paizão de porra nos beijamos e descemos. Na saída do quarto com sorrisos de orelha a orelha encontramos peladão da sauna ele estava hospedado no quarto ao lado descemos juntos conversando e fomos para a piscina. O que rolou entre nos três prometo que contarei no próximo conto aguardem. Uma chupada deliciosa no pau de vocês ficaram excitados?
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.