RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha entiada gostosinha


tenho 35 anos, moro a oito com minha esposa, temos dois filhos e ela uma filha do seu primeiro casamento com 15 anos, no inicio do relacionamento minha relação com a b era ótimo, mas com passar do tempo se tornou um martírio p ambos, rolava ciúmes da mãe.
um dia levantei durante a noite p beber água e chegando na cozinha me deparei c a b só de calcinha e sutiã, ela sem graça e foi logo p o quarto, nunca a tinha reparado sempre a vi como uma filha, mas com aquela visão da menina linda q se tornou, gostosa, seu corpo era td bem feito, cintura fina, peitos médios e durinhos, cabelos longos, penas torneadas e um quadril lindo com uma bunda arrebitada, fui a loucura e qnd voltei p o quarto ñ agüentei tiri a calcinha da minha esposa e transei com ela pensando na filhinha.
de manhã eu estava deitado na cama peado como sempre durmo, minha esposa já tinha levantado p arrumar o café, estava pensando na b e com pau duro, foi qnd ela abra devagar a porta do quarto procurando a mãe e vê meu pau enrrigecido de tesão p ela. totslmente sem graça ela fecha a porta e sai. qnd saio do quarto p tomar café ela sem graça me olha e finjo q nada acontecera, ela fica mais desenvolta e passa a me tratar melhor vou trabalhar e ela vai p escola.
a noite por volta das 0 hrs entro no quarto dela p pegar um shampo no seu banheiro, foi a desculpa q arrumei p vê-la mais a vontade, p meu espanto ela esta dormindo só de calcinha virada de bruço, q vontade de ver aqueles lindos peitinhos, c o barulho ela se mexeu e abriu as pernas, sua pequena calcinha quase ñ tampam aquela linda bocetinha inchada, os pelinhos estavam tds de fora, q visão paradisíaca, tomei um banho gelado e peguei minha esposa fodemos até as 5 da manhã e eu pensando naquela nifetinha linda e tesuda.
no sábado fui trabalhar e minha esposa saiu c nossos filhos, qnd cheguei do trabalho b estava tomando banho com as portas do quarto e do banheiro abertas, fiquei no escritório imaginando, ñ consegui ver o boxe, mas dava p ver o banheiro e de repente para meu delírio ela sai do banheiro totalmente nua e molhada, qnd me viu ficou totalmente sem graça e logo pegou a toalha q estava pendurada na porta, o telefone toca atendo e era uma amiga dela, meu pau parecia q ia explodir, ela veio ao meu encontro atender e olhou rapidamente p o volume dentro do meu short, enquanto ela falava com a amiga eu estava atrás dela apreciando aquela bundinha linda metade fora da toalha, ela percebendo mexia a toalha e rebolava bem devagar apoiada na mesa do escritório, estava difícil de me conter qnd de repente ela se despede da amiga e da um passo p trás encostando aquele corpinho td em mim, ela finge se assustar e deixa a toalha cair ficando td nua, fui a loucura, abaixei e peguei a toalha b estava com sorrisinho sacana e me agradeceu, a puxei pelo braço, sua respiração ficou ofegante segurei nas suas pernas botei a bundinha na minha direção e comecei a lamber e dar umas mordidas naquele rabo lindo e durinho abri seu reginho e comecei a chupar aquele cú, ela começou a mexer a bunda e gemer, botei meu pau p fora do short ela olhou e riu, gemendo e suspirando, subi e cai de boca naqueles peitinhos médios e durinhos.
a levei p seu quarto e a botei deitada na cama abri suas pernas e comecei a chupar aquela bocetinha toda molhada e apertadinha, rapidamente ela gozou na minha boca, que gostinho delicioso seu melzinho. levantei meu pau doía de tanto excitação e ficou na altura da sua boca ela se saber o q fazer a puxei e meti meu pau na sua boca, ela sem experiência começou a chupar, mas rapidamente foi pegando o jeito empurrei td e ela se engasgou ñ agüentei e gozei na sua boca, ela no inicio fez uma cara de nojo, mas engoliu td e continuou lambendo, levei a ao banheiro e a fiz continuar chupando, de repente comecei a mijar na sua boca, ela engolia meu mijo mas deixava um pouco escorrer pelo canto da boca.
a levantei dei um beijo na sua boca e levei-a novamente p cama, ela falou q estava c medo pq era virgem, abri suas pernas e comecei a chupa-la novamente, ela ficou td molhada qnd comecei a enfiar meu pau na sua bocetinha, ela contorcia, gemia e fazia caretas de dor, qnd a cabeça entrou td fui empurrando o resto devagar, rapidamente estava c pau td atolado naquela bocetinha e comecei o vai e vem, ela estava c muita dor e tesão, de repente ela me aperta enrijece o corpo td e relaxa gosando forte eu continuo a foder aquela bocetinha maravilhosa e apertadinha, ela meio mole sem forças falando q ñ agüenta mais e novamente enrigece o corpo e começa a mijar no meu pau, eu tb ñ agüentando mais tiro o pau de dentro dela e começo a gozar na barriga e nos peitimhos dela, a puxo ela fica lambendo meu pau limpando aquele gozo delicioso, a beijo ela volta p o banho e eu vou p meu banheiro tomar uma ducha, pois minha esposa estava chegando c as crianças, depois disso nosso relacionamento ficou ótimo, fodemos sempre q dá uma brecha.