RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha história com meu irmão

Meu nome é liliane. tenho 31 anos, sou casada, castanha clara. o que tenho a relatar pra vocês é um fato que aconteceu comigo no inicio deste ano. desde que casei, só transei com o meu marido e ai já se vão uns 10 anos. nunca tive intenção de traí-lo ou coisa parecida. tudo o que aconteceu não foi planejado. foi tudo realmente por acaso. foi assim : algumas semanas antes do fim de janeiro, eu e meu marido transávamos no sofá de nossa casa. ele estava sentado no sofá e eu montada nele. de repente, meu marido puxou minha cabeça e começou a me beijar e começou a sussurrar em meu ouvido. ele me disse que estava com muito tesão porque havia sonhado comigo. perguntei então a ele o que sonhára ? surpreendentemente, ele disse que havia sonhado que eu estava dando pra outro cara !!! quando ele terminou de falar isso, minhas pernas ficaram trêmulas de tanto tesão. fui surpreendida pelo que meu marido disse porque jamais ele tinha feito comentários deste tipo. o mais longe que fomos, é umas fotos que ele tirou com a câmera digital de mim nua. fiquei muito surpresa e gozei quase que instantaneamente. ele também, não demorou a gozar. achei estranho, pois ele não é muito chegado neste tipo de coisa. nem filmes pornôs ele gosta de assistir, pelo menos comigo. fiquei com isso na cabeça e a noite quando estávamos nos preparando para ir dormir, perguntei a ele sobre isso. ele me disse que sonhou mesmo e que isso o excitou, mas que ele não curtia essa coisa de compartilhar a esposa e se isso acontecesse, seria separação. tranqüilizei-o dizendo que também não curtia isso, mas que tinha ficado espantada com o comentário. ai ele me disse que mais espantada ainda eu ficaria, se soubesse com quem eu estava no sonho. eu quis muito saber e depois de insistir e quase implorar, ele me contou e realmente me surpreendi ! ele sonhou que eu transava com meu próprio irmão!!! renê, meu irmão mais novo, jovem de 18 anos, mora com meu pais numa cidade do interior, a uns 100 kilometros de onde eu moro. meu marido devia ter sonhado isso, pois não parávamos de falar sobre minha família naquela semana. meu irmão, na verdade meu marido pouco conhecia. meus pais nunca aprovaram meu namoro, pois achavam meu marido um desocupado na época. agora que as coisas mudaram e meu marido tem boa formação e ótimo emprego, ele não quis perdoar meus pais por não acreditarem nele. meu marido não os visita e eu estava me preparando para passar uma temporada na casa de meu pais sozinha. talvez de tanto discutirmos isso, meu marido tenha gerado esse sonho em sua cabeça. viajei e cheguei na casa de meus pais numa segunda feira. eles ficaram muito felizes em me ver. não estranharam o fato de meu marido não aparecer. logo chegou meu irmão e a primeira coisa que lembrei ao cumprimentá-lo foi do sonho do meu marido. chacoalhei a cabeça para afastar esses pensamentos. estava muito legal essa estada na casa dos meus pais. eu passeava muito e dormia até tarde, como nos tempos de solteira. eu e meu irmão assistíamos tv até de madrugada. numa tarde, sai para passear e não encontrei em casa, uma velha amiga. voltei para casa e ao chegar, o som estava no ultimo volume, no quarto do meu irmão. me dirigi ao corredor que dava pro quarto dele para avisar que tinha chego e assim talvez ele abaixasse aquele som ensurdecedor. a porta de seu quarto estava entreaberta e antes de empurrá-la, resolvi dar uma espiada. o que vi me causou uma sensação tão estranha e lembro que tão gostosa que jamais vou esquecer. meu irmão estava peladão na cama, tocando uma punheta e seu pau, era enorme. nunca tinha visto um pinto tão grande assim, ao vivo. minhas pernas bambearam. não devia, mas fiquei toda molhada. acompanhei a punheta quase até o fim e quando percebi que ele podia notar a minha presença, saí. fui até o banheiro e me masturbei! fiquei com uma sensação de culpa que logo se dissipou. passei aquela tarde pensando nisso. curioso é que eu não conseguia parar de pensar no meu irmão peladão, com aquele cacetão na mão. acho que se meu marido não tivesse me contado sobre seu sonho, eu não estaria pensando assim. estava gostoso sentir tesão pelo meu irmão e decidi fazer um teste para ver se conseguia fazer ele sentir também. fiquei imaginando uma forma de fazer isso e decidi que iria provocá-lo. se não desse certo eu desistiria. a noite, quando fomos assistir televisão, levei meu colchão para a sala e arrumei para dormir lá. disse para o rené que iria assistir tv até dormir. rené também gostava de deitar no sofá da sala. meus pais logo foram dormir e eu fui trocar de roupa para me deitar. coloquei uma blusinha e um short de lycra branco bem curtinho, que ficou enterrado em minha bunda. me senti uma prostituta com aquele traje mas confesso que estava adorando aquela situação. fui, me deitei e me cobri. estava friozinho aquela noite. meu irmão ainda estava tomando banho. o colchão estava arrumado na mesma direção do sofá de forma que se meu irmão deitasse ali, na mesma direção de sempre, a hora que eu me descobrisse, ficaria com a minha bunda bem visível. ai era esperar para ver se ele tinha uma reação parecida com que tive quando vi ele nu com aquele pauzão na mão. pelo reflexo das portas da estante, eu poderia espiar a reação dele. fiquei feliz a hora que ele saiu do banho e foi até a sala se deitar. meus pais dormiam cedo porque acordavam muito cedo também para trabalhar. eles tem uma pequena mercearia. meu irmão chegou na sala e se deitou exatamente onde eu imaginava. ficou com a cabeça na direção dos meu pés. assistimos um filme legal na tv e permaneci coberta o tempo todo. depois que o filme terminou, começou um programa de entrevistas que sabia meu irmão adorava. falei pra ele que iria tirar um cochilo e me ajeitei. com os olhos semi-serrados, observei que ele prestava total atenção na tv. aguardei uns quinze minutos e então alterei a respiração para dar a impressão de sono profundo. eu tremia de tensão e de tesão embaixo das cobertas. então, simulando movimentos de quem está dormindo, descobri uma das pernas e joguei por cima dos cobertores, puxando-os para o meio delas, ficando desse modo com a bunda bem empinada. esse movimento fez com que o shortinho entrasse mais ainda, partindo minha bunda ao meio. minha buceta parece que derretia! respirei fundo, me acalmei e simulei dormir novamente. então lentamente abri os olhos para ver como meu irmão reagia. pude notar que ele estava inquieto e parecia que regularmente desviava o olhar da tv para olhar pra mim, mas eu não tinha certeza. o fato é que ele parecia nervoso. não dava pra ver a direção que tomava os olhos dele, mas sua cabeça se mexia muito. minha bunda estava bem empinadinha e eu sentia aquele shortinho me rasgar o cuzinho e tudo isso estava na direção dele. comecei a esfriar e achar que o fato de eu ser a irmã dele pesava muito. fiquei na mesma posição e fechei os olhos por um longo tempo. quando estava realmente quase adormecendo, o sofá que meu irmão estava deitado começou a rinchar. abri meus olhos lentamente e o que eu vi, quase fez meu coração sair pela boca. meu irmão rené, estava tocando uma punheta. o movimento de vai-e-vem do cobertor, na altura da cintura dele, entregava tudo. uma grande felicidade tomou conta de mim! saber que meu irmão estava sentindo tesão e se masturbando, olhando fixamente para a minha bunda não só estava me deixando super feliz, como quase me matava de tesão! estava difícil permanecer imóvel. quando a tv apresentava uma imagem mais clara, eu podia ver claramente os olhos de meu irmão, fixados em minha bunda! pude ver também quando ele pôs a mão na boca para cuspir para posteriormente passar em seu pau. sua punheta começou a ficar barulhenta e aquele nhec-nhec que seu pauzão produzia, foi o som mais gostoso que já ouvi. comecei a sentir o cheiro de seu pau e comecei a imaginar como deveria estar duro. comecei a pensar e adivinhar em que meu irmão pensava? será que imaginava que estava me enfiando tudo por tráz ? sem dó nem piedade, comeria a bunda de sua própria irmã ? se eu conseguisse tocar a minha buceta naquela hora, acho que gozaria instantaneamente. permaneci imóvel para não atrapalhar meu irmão. me contentei em ficar espiando. ele continuava com aquela punheta maravilhosa! em dado momento, ele levou novamente a mão a boca para pegar mais saliva e quando foi passar em seu pau, desta vez se descobriu. a luz da tv ajudou e pude ver seu calção na altura das coxas e a grande cabeça avermelhada do pauzão de meu irmão, enorme como uma maçã. a aquela altura eu estava sufocada e tremendo muito. meu irmão novamente se cobriu e continuou naquela atitude maravilhosa! eu pensava em meu marido e juro por deus, dava graças por ele não estar ali e por ter sonhado e me contado. na verdade era meu marido o grande responsável pelo que acontecia naquele momento. então pude notar que meu irmão se arcou um pouco e confesso, achei que ele ia me tocar. pela sua expressão agonizante, enfiando a cabeça no travesseiro, pude notar que ele explodiu e gozou! ele dava algumas mexidas e parava e então o desgraçado, pois a mão pra fora e limpou o pau com o próprio cobertor! suspirou se ajeitou e passou a olhar a tv. aguardei alguns minutos e então resolvi me mexer. meu corpo estava quase paralisado. fiz alguns sons típicos de quem dorme e puxei o cobertor e me cobri. escorreguei minha mão direita para o meio de minhas cochas e senti que o shortinho estava enlameado. só o afastei do lado e coloquei meus dois dedos em cima da minha bucetinha. estava quente. isso por si só quase foi suficiente pra que eu gozasse. comecei a fazer movimentos leves, para não ser notada. movimentos leves e deliciosos. pensava em meu irmão, pensava no pau dele e pensava tentando adivinhar no que ele pensava? mexia no meu clitóris lentamente e escorreguei meus dedos mais para baixo e notei que meu cuzinho também estava quentinho e que gostei de passar os dedos nele. imaginei o estrago que meu irmão faria com seu cacetão no meu cuzinho e imaginei-o me comendo junto com meu marido. 2 homens ? seria fantástico! eu subia os dedos para minha bucetinha. umedecia-os e escorregava pra meu cuzinho e dava uma enfiadinha! fiz isso até perder a conta de quantas vezes até que não deu para agüentar! gozei tão forte que acho que por alguns momentos, perdi os sentidos. o pior foi permanecer imóvel. meu corpo começou a esfriar e parece que eu tinha levado uma surra, mas foi muito gostoso. sondei meu irmão novamente e ele ainda assistia tv. curioso é que não senti remorso ou culpa alguma pelo que aconteceu. adormeci tranqüila aquela noite. quando acordei de manhã, meus pais estavam tomando café e meu irmão não estava mais no sofá. me levantei e fui direto pro meu quarto colocar uma roupa mais descente. tomei café com meu pais e o resto do dia seguiu normal. encontrei meu irmão várias vezes e sempre nos olhávamos de maneira diferente, apesar de ambos fazermos de conta que nada aconteceu. tenho certeza que ele nem imaginava que fiz aquilo de propósito e tenho certeza também que ele nem imaginava que eu estava acordada acompanhando todos os seus atos. era sexta feira e pelas 8 da noite começou a chover. devido a isso, meu irmão disse aos meus pais que não iria sair, pois ficaria em casa assistindo tv. ai me olhou e me disse que teria bons filmes aquela noite. que valeria a pena eu assistir. concluí que ele queria repetir a noite anterior. ou talvez não ? sei lá. falei que iria jogar meu colchão na sala novamente e se sentisse sono, dormiria por ali mesmo. ele pareceu feliz com isso. esperei um pouco depois de jantar e fui tomar banho. no chuveiro, decidi que iria botar um pouco mais de fogo nisso tudo! depois do banho vesti um baby doll verdinho claro e uma calcinha branca bem pequena que desapareceu em minha bunda. queria proporcionar ao meu irmão, uma das melhores punhetas da vida dele. pus uma calça de moletom para não dar bandeira e levei meu colchão pra sala. meus pais ainda estavam vendo novela e parecia uma eternidade. aquela novela parece que não acabava nunca. estava muito ansiosa. meu irmão ainda estava trabalhando no micro dele. enfim a novela acabou e meus pais me deram o tradicional boa noite e foram para seu quarto. meu irmão devia estar no banho. aproveitei que meus pais foram dormir e me deitei no colchão. embaixo dos cobertores, tirei a calça de moletom e coloquei embaixo do travesseiro. puxei meu baby doll até a altura da cintura para que ele não atrapalhasse a visão do meu irmão e esperei. meia hora depois, meu irmão entrava na sala e se deitava no sofá. conversamos um pouco e começamos a assistir tv. como de praxe fiquei de costas para ele já me preparando para repetir a dose da noite anterior. pacientemente, esperei por quase uma hora, antes de fingir que pegava no sono. me ajeitei e fingi dormir. fiquei olhando meu irmão pelo reflexo das portas da estante e percebi que ele olhava tanto para a televisão quanto pra mim. decerto, torcia para que eu me descobrisse logo. me virei e fiquei de barriga pra cima mas com o rosto virado pro lado da televisão. de olhos fechados, fingindo dormir, tirei minha perna direita pra fora das cobertas. fiquei com a coxa toda exposta. senti que meu irmão ficou inquieto no sofá. mas era só um aperitivo porque num só movimento, como fiz na noite anterior, me virei jogando minha perna por cima das cobertas e toda a minha bunda, só protegida pela minúscula calcinha ficou a mercê do meu irmão. eu me senti completamente pelada e podia ouvir nitidamente a respiração ofegante do meu irmão. pelo reflexo dos vidros, pude notar que ele tirava o calção ou coisa assim debaixo do seu cobertor. não demorou nada pra meu irmão começar a se masturbar como na noite anterior. o movimento, a saliva. só que desta vez, eu estava semi-nua na frente dele. sei que dei bandeira me vestindo assim e acho que ele poderia até estar desconfiando, mas não liguei. meu irmão continuava se masturbando e eu ali imóvel morrendo de tesão. de repente, ele se descobriu até a altura das coxas e ficou tocando sua punheta com o pauzão completamente exposto. quase morri de ansiedade. por um momento, achei que ele viria deitar comigo e me comeria. mas ele ficou no sofá se masturbando. o programa que passava na televisão favorecia minha visão e pelo vidro eu contemplava aquele lindo pau grande, duro por causa de mim. passou mais alguns minutos e ai fiquei apavorada. meu irmão começou a sussurrar meu nome. ele dizia : liliane você tá acordada ? liliane quero te comer!!! desconfiada, continuei imóvel e sem ação. talvez se eu demonstrasse que estava acordada, assustasse ele. mas senti que fui covarde e que perdi a oportunidade. poucos minutos depois ele se cobriu e gozou. me senti frustrada. logo me cobri e tive de repetir minha masturbação. podia muito bem ter levado o pauzão de meu irmão aquela noite. depois de me masturbar dormi. o sábado amanheceu frio e chuvoso. eu estava gelada e descoberta. acho que meu irmão andou me descobrindo durante a noite e talvez tocado mais punhetas. vesti a calça que estava embaixo do travesseiro. decidi que iria pegá-lo. lá pelas 3 da tarde, a chuva continuava. tomei um banho e vesti novamente aquele shortinho de lycra branco, só que agora sem calcinha. estávamos sós, eu e meu irmão em casa. ele estava em seu quarto ouvindo música. peguei uma revista e fui pro quarto de meus pais. me deitei de bundinha pra cima e comecei a folheá-la. a revista acabou me dando uma grande idéia. tinha fotos e instruções de como fazer uma boa massagem. o telefone tocou e meu irmão foi até a sala atender. era minha deixa!!! quando senti que ele desligou e voltava para seu quarto, o chamei!!! ele veio, entrou e deu de cara novamente com minha bunda, com o shortinho branco atolado. com a voz tremula ele perguntou o que eu queria? pedi pra ele deitar ali na cama porque eu iria fazer uma massagem em suas costas, exatamente como na revista, e ele teria que me dizer se era boa pois eu pretendia fazer no meu marido. ele relutou, riu um pouco, mas aceitou. levantei e ele se deitou de costas. montei sobre a bunda dele e comecei a massagear suas costas. perguntei se era bom? ele afirmou com a cabeça que sim!!! então rapidamente me levantei e pedi pra ele fazer em mim, pra ver se era bom!!! ele se levantou e então fui eu que me deitei. de pé, no chão ao lado da cama, ele começou a me massagear!!! falei pra ele que ele tinha que montar em mim, igual eu fiz. sem graça, meu irmão subiu de joelhos na cama e montou em mim!!! suspirei!!! ainda sem graça, ele me disse que não acreditava que eu não conhecia essas massagens? respondi que conhecia, mas que nunca tinha feito. então ele continuou. pedi pra ele ir um pouco mais traz. ele obedeceu. ficou mais sobre minhas coxas, desta forma, para alcançar melhor meus ombros, ele era obrigado a se deitar sobre minha bunda, encostando seu pau nela, além de ficar com total visão daquele shortinho cravado no meu rabo!!! a medida que ele arcava o corpo e me massageava, eu enpinava minha bunda para cima e seu volume debaixo do calção se encaixava no vão de minha bunda. aqueles movimentos começaram a ficar compassados e mais e mais eu empinava minha bundinha, e rebolava sem se importar que estava entregando minhas verdadeiras intenções. senti o pau do meu irmão ficar duro. o volume que encostava em minha bunda estava duro, e meu irmão aproveitava e empurrava seu corpo e seu peso contra mim. quando a coisa ia pegar fogo, um barulho de carro entrando na garagem fez com que meu irmão levantasse rapidamente e anunciasse que nossos pais tinham chego. consegui ver o volumão duro sob o calção, antes de meu irmão novamente se dirigir a seu quarto. levantei e corri colocar uma roupa descente. as cartas estavam em cima da mesa e as intenções de ambos, estavam abertas. só faltava mesmo a oportunidade. noite de sábado, muito chuvosa, meu irmão em casa! enquanto eu tomava meu segundo banho do dia, pensava em tudo que estava acontecendo. estava ligando pouco pro meu marido, pois estava gastando todo o meu tempo e pensamento nessa provável relação incestuosa com meu irmão. tinha até esquecido que meu tempo estava se esgotando e que tinha poucos dias de estada na casa dos meu pais. eu estava me sentindo muito bem! após o banho vesti novamente meu baby doll verdinho e a calça de moletom. não vesti calcinha! ia pro tudo ou nada!!! puxei o colchão pra sala e repeti todo o processo das noites anteriores. já embaixo do cobertor, tirei a calça e fiquei só de baby doll ou seja : pelada !!! meus pais logo foram dormir e mal saíram da sala, meu irmão já chegou. assistimos um pouco de tv e eu queria falar mas não tinha coragem. queria pedir direto pra ele vir se deitar comigo, mas não conseguia falar. então seca e direta, perguntei pra ele se podia terminar a massagem pra mim ? ele respondeu que sim e pedi pra vir. me descobri e fiquei de bunda pra cima. o baby doll ainda me protegia. ele se sentou sobre as partes traseiras de minhas coxas e iniciou a massagem. em poucos segundos, estávamos repetindo os movimentos que fazíamos a tarde. ele se abaixava e eu levantava minha bunda. senti que seu pau estava duro. esses movimentos fizeram com que meu baby doll subisse e não demorou para que meu irmão notasse que eu estava pelada !!! em tom de espanto, ele me disse que eu estava nua!! irônica, confirmei. ele pediu um tempo e se levantou. quando voltou a se sentar sobre mim, estava pelado também e pude sentir seu pau em riste sobre minha bunda. empinei bem e rebolei, mas sem fazer rodeios, meu irmão levantou e afastou minhas pernas. ajoelhou-se no meio delas, abriu minha bunda com uma mão enquanto a outra ajeitava seu enorme cacete na entrada da minha buceta e com ajuda do seu peso corporal, enfiou tudo! lembro que foi a melhor sensação que já senti na vida !!! aquele pauzão entrou como se tudo tivesse amanteigado. me senti toda preenchida e feliz. sentia a grande cabeça daquele pau bater no fundo de minha buceta. meu irmão mexia muito lentamente e isso me dava um prazer fantástico. ele tirava tudo pra fora, se masturbava um pouquinho e voltava a enfiar tudo, me apertando contra o colchão. dizia que eu tinha uma bunda fantástica e que ainda não acreditava que estava me comendo!!! nem eu acreditava que tudo aquilo estava acontecendo. como era bom sentir aquele garoto de 18 anos, pesado e pauzudo em cima de mim. rené puxou meu quadril e me deixou de quatro. enfiava fundo, tirava tudo pra fora e tornava a enfiar. me comeu durante uns 40 minutos. delicia !!!de repente ele começou a gemer e se contorcer. pedi pra ele não tirar, pra gozar dentro, tudo dentro de mim. foi o que ele fez. me encheu de porra !!! cai deitada no colchão. me virei e peguei o calção do meu irmão pois escorria muita porra de dentro de mim. olhei seu pau. ele estava amolecendo. era assustador o tamanho. não sei como entrou tão fácil em mim. ficamos conversando coisas alheias ao que fizemos. ai me levantei e fui ao banheiro me limpar. quando voltei, meu irmão estava deitado no colchão. pediu pra me deitar. fiz o que ele pediu. ele começou a me masturbar com seus dedos. encontrei um lugarzinho para meu rosto no aconchego de seu ombro e peguei o pau mole, porém mesmo assim grande do meu irmão. enquanto ele me masturbava, eu mexia no pau dele. logo ele se excitou e pude sentir o peso do seu pau. era pesado e difícil de movimentar. ao sentir ele daquele jeito fiquei muito molhada. ele então veio pra cima de mim, no melhor estilo papai-mamãe. abri bem as pernas. fiquei completamente a mercê daquele homem potente e viril. meu irmão!!! ele desta vez, metia com força e vontade. eu sentia aquele pauzão entrar, afastando as paredes da minha buceta. depois de meia hora neste ritmo alucinante, gozei, uma sensação alucinante e tive que conter meus gritos. gozei como nunca antes. foi a primeira vez que consegui gozar nesta posição papai-mamãe. com meu marido, depois de alguns minutos transando assim, parecia que o pau dele perdia o efeito. não gostava. com meu irmão foi perfeito. ele percebeu e tirou de dentro de mim aquele pau duro e ainda pulsante. o enxuguei com as mãos e pedi para meu irmão fica de pé. ele rapidamente me obedeceu, pois sabia o que eu pretendia. fiquei de joelhos, agarrei seu pau e pus a cabeça em minha boca. era difícil chupá-lo, mas muito prazeroso. podia sentir o poder desse menino. não demorou para que o primeiro jorro explodisse na minha boca. segurei a respiração e evitei engolir. devolvi toda a porra que pude de volta, por cima de seu pau. quase sufoquei, mas foi fantástico. caímos os dois exaustos. fechei os olhos e dormi. acordei com o cheirinho de café da minha mãe. meu irmão não estava no sofá. me enrolei no cobertor e fui para o banho. eu cheirava a sexo. estava toda dolorida e esfolada. estava bom demais receber um pau daquele tamanho e não ter que pagar nada em troca. neste momento, eu pagava com dor e desconforto mas nada que não fosse suportável. tomei um longo e bom banho. na minha cabeça a situação pesou um pouco e fiquei me sentindo culpada, mas depois de ver meu irmão agir como se nada tivesse acontecido e completamente natural, essa culpa passou um pouco. na tarde de domingo, meus pais saíram para passear e eu fiquei sozinha com rené. o tesão bateu forte novamente mas eu estava toda dolorida. rené não demorou a me pedir para que fossemos no quarto de nossos pais, na cama de casal. eu estava vestida com uma saia rosa e uma calcinha vermelha. entramos no quarto e meu irmão começou a passar a mão em mim. tirei a calcinha e fiquei só de saia. tirei o pauzão do rené de dentro do calção. estava quente e duro como pedra. eu estava dolorida. perguntei se ele queria comer minha bunda ? ele ficou todo em polvorosa. dei essa idéia tentando proteger minha buceta que devia estar no vivo por dentro. dei uma chupada no pau dele e me coloquei de lado na cama. achava mais seguro assim. tentamos primeiro só com saliva e não entrou. abri bem minha bunda com a mão e mesmo meu irmão empurrando com força, não entrou. pedi pra ele pegar algum creme ou óleo. ele trouxe óleo de cozinha dentro de uma caixa de fósforos vazia. fazer o que ? forrei a cama de minha mãe com uma tolha pra não manchar e enlameei a cabeça do pau do meu irmão com aquele azeite. passei o excedente que estava em minhas mãos na parede de minha bunda. deitei de lado e com umas das mãos abri. meu irmão encostou a cabeça do pau dele e começou a empurrar. começou a entra, mas meus deus que dor horrível eu sentia.quando a cabeça entrou, pedi pra ele não se mexer. doía muito. ficamos imóveis por algum tempo e comecei a rebolar lentamente. falei pra ele que achava que não ia entrar e falei se já estava bom assim. ele disse que sim, que já estava bom. continuei rebolandinho. parecia que eu estava com a ponta de palanque enfiado no rabo!!! fiz o pau dele sair e pedi pra ele buscar mais óleo. enquanto ele foi à cozinha, passei os dedos no meu cuzinho e havia uma mistura de azeite e sangue. ele voltou rapidamente e encharquei novamente seu pau e tentamos de novo. a cabeça entrou mais fácil desta vez e então forcei um pouco pra traz e então parece que aquela cabeçona rompeu a argolinha e o cacete foi até a metade. comecei a rebolar. meu cuzinho parece que amorteceu e quando percebi meu irmão já estava fazendo o vai e vem no meu cú. pedi pra ele me masturbar. ele me abraçou firme por traz e me atolou o pau no cú. socava na minha bunda e me masturbava. começou a ficar gostoso e já estava me segurando pra não gozar. quando ele me avisou que não agüentava mais, pedi pra ele gozar e gozei também! gritamos juntos. rené encheu meu cu de porra. pra fora estava apenas seu saco. pedi pra ele não tirar, pois doía. pedi pra ficarmos ali um pouco até o pau dele amolecer. como cachorro e cadela, ficamos ali grudadinhos, apenas respirando. de repente uma voz na porta quebrou o silêncio!!! minha mãe estava postada na porta do quarto perguntando o que estávamos fazendo ? meu coração disparou. meu irmão se virou para baixo com intuito de esconder seu pau e eu com a bunda descoberta, apenas abaixei a saia. meu irmão peladão ficou de bunda pra cima. me levantei rápido e disse a minha mãe que não era nada do que estava pensando! secamente e com cara de brava ela me perguntou se o rené estava me comendo? foi exatamente nessas palavras. eu disse que não, que só estávamos brincado. ela disse alguma coisa como meu deus do céu e se afastou. rené foi pro quarto dele e não saiu mais naquele dia. eu fui pro banheiro me limpar, toda arrebentada, literalmente fudida. resumindo : minha não conversava comigo mais e acho que ela não contou pro pai pois ele agia normal. adiantei minha volta pra casa em 4 dias. na segunda a tarde já peguei o ônibus. minha mãe não me olhou desde o ocorrido e na despedida pediu pra mim tomar juízo e analisar o que eu tinha feito com o coitado rené! preferi não falar mais nada e apenar ir embora em silêncio. meu irmão apenas falou que me ligava e meu pai não entendia porque eu já estava indo embora. de volta a minha casa com meu marido, meu irmão me ligou e numa longa conversa que tivemos, ele me contou que nossa mãe lhe deu um sermão como nunca antes na vida e que disse que nós ficaríamos marcados para o resto da vida com o pecado que cometemos. mas disse que aos poucos o clima ia voltando ao normal. na mesma conversa é que ele me indicou este site para que eu visse que acontecimentos assim são corriqueiros nas famílias. que se não acontecem, ao menos os envolvidos fantasiam esses desejos. pois é! comigo aconteceu e sei que jamais minha mãe me olhará igual antes e não sei quando vou voltar lá. meu irmão disse que quando viajar, virá me visitar mesmo com a desconfiança de nossa mãe. ele prometeu vir em agosto. e se eu tiver oportunidade de transar com ele aqui na cama do meu marido, não tenham dúvidas que vou fazer. particularmente pra mim, o tesão incestuoso que senti pelo meu irmão foi a coisa mais fantástica que aconteceu. no fundo, no fundo sei que até meu marido se excitou com isso quando sonhou, ou previu tudo. e se um dia tiver a chance de trair meu marido com um cara que seja legal, vou fazer. fazer enquanto posso.