RSS contos eroticos

Conto Erotico MINHA IRMÃ MATAVA AULA III

   Acordei as 9 horas e logo depois mamãe chegou. Falei que tinha pizza e ela comeu um pedaço e disse que iria dormir, pois teria plantão no hospital hoje. Logo depois minha irmã acordou e me viu na sala, chegou bem perto me beijou e disse ao meu ouvido: - O tarado dormiu bem? - Não, faltou alguém comigo. Ela sorriu e foi tomar café, e eu fiquei no sofá olhando ela sair rebolando. Logo depois ela da cozinha me chamou e perguntou se queria café, respondi que sim e fui até cozinha, ao chegar ela estava em pé ao lado da mesa de costas para mim e ao pegar a xícara se curvou um pouco para frente, cheguei mais perto e a encoxei e disse ao seu ouvido: - Quero só café, pois leite eu já tenho, se você quiser leite depois te dou. - Quero bem quentinho! Nisso ouvimos nossa mãe vindo para a cozinha, sai de traz dela e sentei na cadeira, pois meu pau estava endurecendo e ela me serviu o café. Mamãe entrou na cozinha e falou que estava com dor de cabeça. Tomou um comprimido e disse que iria dormir e pediu para acordá-la as duas horas. E minha irmã disse: - Quase! Precisamos tomar mais cuidado. E rimos. Durante o dia eu ela ficamos tentando um ao outro, passava a mão na bundinha dela e ela pegava no meu pau, encoxa, abraçava, beijava. E eu de pau duro o dia todo. Quando eram umas duas horas, minha irmã foi acordar minha mãe, que levantou e foi tomar banho, quando saiu foi se trocar para ir trabalhar e eu na sala esperando minha mãe sair para agarrar minha irmãzinha. Minha mãe saiu e logo depois já agarrei minha irmã que tava na cozinha e ela disse: - Fica quieto e espera pra de noite. - Eu no to agüentando. - Você vai ter que agüentar, senão a noite você vai estar fraquinho e eu com fogo. Espera até a noite, ta bom! Concordei e fui para a sala e deite no sofá e fiquei pensando e esperando, o pau endurecia e amolecia toda hora. Uma hora ela passou pela sala e eu tava de pau duro, ela viu e disse: - Apaga esse fogo e deixa pra de noite. Olhou pra mim e riu, e eu sosseguei um pouco, adormeci. Quando acordei eram umas 8 horas, dormi bastante, levantei e fui procurá-la. Não a encontrei em casa e achei estranho, passou uns 20 minutos ela chegou, passou por mim e me deu um selinho e a vi com uma sacolinha plástica e ela disse: - Vou tomar um banho, comprei outra pizza deve ta chegando, quando chegar você arruma como ontem? - Ta bom. Ela entrou no quarto e depois saiu com a tolha, o pijama e sacola plástica e foi ao banheiro, enquanto tomava banho a pizza chegou, arrumei a mesinha da sala como no dia anterior e fiquei esperando. Ela saiu do banheiro e disse: - Vai tomar um banho, depois comemos a pizza. E entrou no seu quarto. Eu levantei fui ao meu quarto peguei a toalha e fui tomar banho, no banho pensei outra vez nela e o pau ficou duro, terminei o banho e sai e a vi na sala sentada no sofá me esperando e falei: - Já volto. Entrei no quarto e coloquei um pijaminha que não usava fazia um tempo e fui para sala. Quando entrei ela já sentou no chão e eu ao lado dela e vimos que a pizza tava fria, ela pegou a pizza e foi a cozinha esquentar no micro ondas. Depois de comemos e ficamos um ao lado do outro, abracei e a beijei, ela correspondeu e deitei sobre ela no chão. Ela abriu as pernas e me encaixei nela e comecei a roçar o pau na xoxotinha dela, comecei a passar a mão nos seus peitinhos e a puxar a blusa do pijama e ela tirou minha mão, me beijou mais uma vez e disse: - Vamos arrumar essa bagunça, depois vamos para o quarto. Ajudei a arrumar, ela lavou os pratos, secamos e guardamos, quando terminamos ela me abraçou e me beijou e falou: - Me espere na sala. Concordei com a cabeça e ela foi para o quarto dela, depois de uns 10 minutos voltou com um babydoll, ficou de pé e me chamou, levantei e a abracei, fomos para o quarto, entrei e ela depois fechou a porta, trancou e me puxou para a cama. Deitamos de lado e a abracei, beijei-a, e ela disse ao meu ouvido: - Tira o pijama. Deitado tirei o short e depois sentei na cama e tirei a camiseta, ela sentou na cama e levantou os braços e entendi, paguei o seu babydoll pelos lados e tirei por cima e ela ficou só de calcinha e deitou do meu lado e com a mão por cima do meu peito e desceu até meu pau, segurou e apertou, chegou com a boca até meu ouvido e disse baixinho: - Antes de dormir preciso tomar um leitinho bem quente! Você não desperdiçou o leitinho hoje? - Eu guardei pra você, só precisa chacoalhar para sair bem quente. E ela começou a punhetar o meu pau, e ela disse: - Estou com muita sede, vou beber agora. Abaixou a cabeça até próximo ao meu pau e começou a chupar, colocava na boca e passava a lingüinha em volta da cabeça deixando ela todo babado, chupava da ponta até o talo e foi aumentado a velocidade e eu comecei a gemer. Ela percebendo chupava com mais vontade e sentiu a cabeça a inchar e ficou com a cabeça do pau dentro da boca passando a língua na ponta, então fui a loucura e gozei, ela mamava sugando todo o leite que jorrava a cada esguichada, que foram muitas até que parou de esguichar e ela tirou o pau da boca e apertou para sair a ultimas gotas. Chupou o resto e meu pau começava a amolecer. E ela voltou em direção a minha boca e me beijou e senti o gosto da minha porra na boca dela, e disse: - Adoro um leitinho quente antes de dormir! Ficamos abraçados e ela largou o meu pau mole e pegou em minha mão e puxou para sua bucetinha sob a calcinha, senti toda úmida e passava a mão por toda extensão, forcei a calcinha para baixo e ao passar a mão sem a calcinha senti a bucetinha lisinha e falei ao seu ouvido: - Você raspou a xoxota? - Achei que não ia perceber. Você gostou?   - Adorei! E complementei: Antes de dormir preciso tomar mel bem docinho! - Tem direto da colméia, a abelhinha esta produzindo. Ela deitou de barriga pra cima e abriu as pernas, coloquei minha cabeça no meio das pernas dela e com as mãos abri a bucetinha, com a língua passei sobre seu clitóris de cima para baixo e ao contrario e ela apertou minha cabeça travando com as pernas, enfiava a língua dentro dela como uma foda e às vezes passava por toda a xoxotinha, ouvindo ela gemer e pedia para chupar mais, ela começou a esfregar cada vez mais forte a xoxota na minha boca e gozou e deu um gritinho e disse: - Puta que pariu! Que gostoso! Continuei, ela começou de novo e gozou novamente, minha boca toda lambuzada e a bucetinha encharcada. Continuei e ela gozou pela terceira vez até que destravou as pernas, empurrou minha cabeça e colocou as mãos no meio das pernas. Sai e fui com a cabeça em direção da sua boca e a beijei, percebendo minha boca toda melada retribuiu sugando meus lábios. Depois ficamos deitados e abraçados. Depois de um tempo abraçados passei a mão sobre os seus peitinhos e os biquinhos ficaram duros. Virei de lado e fui em cima dela, ela abriu as pernas, entrei no meio com o meu pau duro encostei na xoxota que ainda estava melada, forcei e ela ajeitou o quadril para frente e o meu pau deslizou para dentro da xoxotinha úmida e quente, sincronizamos os movimentos e estávamos fodendo como louco, senti que iria gozar novamente e acelerei, ela começou a gemer e a dizer: - Fode minha bucetinha! Fode gostoso!  Comecei a gozar, a intensidade do tesão foi maior, mas não em sêmen, que foi só uma esguichada. Ao sentir minha porra e falou: - Goza gostoso na minha xoxota! Eu to gozando também! Ficou se esfregando no meu pau até amolecer e sair dentro dela, e finalmente e ela disse: - Filho da puta! Você vai acabar me engravidando. Fiquei preocupado e disse: - Precisamos usar camisinha. Depois de mais carinhos adormecemos. E acordei com ela dizendo: - Que bom! Estou menstruando.