RSS contos eroticos

Conto Erotico Minha nora acidentada

Meu nome Wandeco, sou um coroa de 50 anos, muito bem conservado, moro no litoral, gosto de praia, bronzeado, corpo ainda bem feito faço academia, cabelos mesclados de branco, não grisalhos,enfim um coroa enxuto. A historia que vou contar aconteceu comigo há 6 meses atrás, tenho uma nora que é uma delicia, mignon, 1,60 cm, olhos azuis acinzentados, corpinho lindo, seios pequenos , cabelos castanhos escuros, uma boca carnuda maravilhosa, enfim tudo que um homem gostaria de ter na minha idade. Aconteceu um acidente de moto com ela e meu filho, com ele não aconteceu nada, mas ela machucou-se bastante, como não tinha quem tomasse conta dela ela veio ficar uns dias em nossa casa, contratamos uma home care que cuidava dela durante o dia e durante a noite minha esposa, que trabalha de dia. A home care cuidava da alimentação higienização, tranporte e tudo o mais, eu estava sempre por perto para qualquer eventualidade. Sempre de olho , para não perder nada de gostoso que eu pudesse ver. Um belo dia a home care não apareceu para trabalhar, ligou avisando ue não poderia ir pois estava com problemas na familia. Entrei no quarto e dei-lhe a noticia...---E agora, como vai ser, vou passar o dia sem banho?---Sei lá, sera que eu posso ajudar?---Ah, acho que sim...Ela estava com um dos braços gessado, e uma perna tambem, o que limitava seus movimentos.---Se o sr me levasse até o banheiro... eu tentarei tomar banho sozinha... acho que dá. Leveia na cadeira de rodas até o banheiro e deixei-a se virar---Me ajuda aqui sogrinho, a tirar o meu vestido...---Eu!!!---É voce não falou que ia me ajudar...Tirei o seu vestido mas nunca que eu iria imaginar que ela estivesse nuazinha por baixo, a ver sua xaninha peladinha , fiquei estarrecido, e ela percebeu...---Ai , que vergonha...---Não se preocupe...---Não é por isso...é que tem que embrulhar o gesso com o plastico, e lavar a seco , e com esses braços... não se i como fazer...---Se voce não se importar...Sei que era uma situação, muito maluca, embrulhei a perna e os braços dela, a coloquei-a sob o chuveiro,---Vai falando o que voce quer que eu faça...---Quero que voce me dê banho...---Normal? Não tem nenhuma recomendação?---Não , é normal...---Por onde eu começo?---De cima para baixo, só cuidado para não molhar o gesso. Comecei então lavando a sua cabeça, seus cabelos na altura das costas , passando o sabonete , no seu ombro e fui descendo, meu pau estava num estado de petrificação, de tão excitado que eu estava, passei o samonete pelos seus peitinhos, e com a bucha esfreguei-os...---Ai, mais devagar, ai dói. ---Tá, desculpa, era pra ser mais rápido, pra não dar tempo de pensar besteira...---Ai sogrinho...pensar besteira da norinha toda estrupiada?---Sim , mas as partes principais estão intactas...---É mesmo, nem tinha pensado nisso...---Verdade, esta estrupiada, é nora , mas sobretudo é mulher, e por sinal, sabes mauito bem, uma das mais belas que ja conheci.---Tá bom sogrinho, dá um banhinho caprichado. Com a nossa descontração, e intimidade, fiquei mais a vontade para continuar. Esfreguei seus peitinhos com muito carinho, sem a bucha, com as mãos, e fui descendo, pela sua barriguinha, um bigo até chegar na sua vulva, totalmente sem pelos. ---Que pena não da pra fazer aquela espuminha, não tem pelos...---Gostou????---Nossa!!!! se gostei, é linda, e gordinha...---Tá me chamando de gorda?????----Claro que não, estou falando que ela é gordinha...fofinha....---Ahhhhhh!---Passa com a bucha?---Não, ai tem que ser com a mão....----Ai, meu Deus...---Faz de conta, que esta dando um banho no seu carro...---Sabe do carinho que tenho com meu carro...---É por isso mesmo. Peguei o sabonete e comecei passar na sua xaninha gorda, senti que ela estava completamente lambuzada, o sabonete nem fazia espuma, meu dedo médio deslizava na sua racha, indo até a portinha do seu buraquinho que deu pra perceber era minusculo, a espuma teimava em não espumar,...---Passa dentro tambem?---Ué, nunca lavou uma xaninha? ---Claro que não, esqueceu que eu tenho pinto...---Ai, não fala assim... ---E falando nisso , ta molhando toda a minha calça...----Eu ia falar pra voce tirar mas , não deu tempo, mas se voce quizer , pode tirar, eu não ligo não, aproveita. Quando ela disse esse aproveita, eu aproveitei mesmo, talvez nunca mais teria a oportunidade de mostrar-lhe minha pica dura, da qual muito me orgulho, 22cm de carne, com 7cm de diâmetro. Tirei a calca, estava com uma cueca branca quase transparente, quando ela viu aquilo espetado na tecido da cueca, a cabeça molhada...----Noooosssssa!---O que foi?---É grande, como que a sogrinha, aguenta isso, ou melhor acho que ninguem aguenta. O do seu filho não é nem a metade.---É questão de jeito, carinho, paciencia. ---Dá até medo.---Não precisa ter medo não, ele é educado e só faz o que eu mando, ele sozinho, não vale nada, alguem tem sempre que guia-lo.---Vai agora pode jogar água a vontade que não molha mais a sua calça, mas a cueca...---Sim , quanto a isso não posso fazer nada, isso não depende de mim, é involuntário.Continuei, mexendo na sua xaninha, ensaboando, e percebi que sua respiração estava ofegante, sou corpo todo arrepiado e seus musculos retezados, e ela principiava um gozo...---Quer que eu pare? ---Ai que vergonha...não , não para, já que esta deixa...ai sogrinho...mas não conta pra ninguem.... ai....ai... promete...não contar... que vergonha.... hummmmm, mas tá gostoso......mais rápido....mais rápido.....hummmmmmmmmm , aiiiiiiiiii, aiiiiiiiiii, issso, aaasssssssimmmmmmmm, vai ...vai....vai.....aiiiiiiiiiiiiii....como é bom........ acho que vou explodir........ aiiiiiiiiiiii. E acabou de gozar...----Não olha pra minha cara... tô morrendo de vergonha....---Vergonha, de quê ?---Do que aconteceu. Não podia acontecer, principalmente com voce...---Não se preocupe, isso fica entre nos... segredo.E assim terminei de banha-la, enxuguei-a e levei-a para a cama peladinha. coloquei-a na cama, não sem encostar meu pau em suas carnes durinhas.---Ai, sogrinho, voce provoca mesmo...---O que menina, não tem como, não encostar em voce...Coloquei-a na posição e voltei ao banheiro para pegar a minha calça, quando ai vesti-la ela falou:---Pera ai ...já que aconteceu o ue aconteceu,estou morta de curiosidade...voce me mostra ...valendo ainda a promessa do segredo...mostra ele. Abaixei a cueca e mostrei-lhe minha pica em toda a sua enormidade...---Mas é bonito hein...e como é grosso...Voce sentiu o meu buraquinho....isso não cabe aqui...---Com jeitinho cabe....quer experimentar?---Tá louco, dai é que fica tudo errado....----Errado já esta, dá uma pegadinha nele...aproximei-me dela ajoelhado na cama ao seu lado, bem proximo ao seu rosto , ela segurou-o, e puxou-o para trás, ---Mas que é bonito é....mas que eu fico curiosa fico...---Se cabe? é só tentar...---Mas que da vontade dá...Ui.---Deixa eu ver como ela esta...´---Já esta ficando saidinho hein? Desci a mão até a sua xaninha e passei o dedo em sua racha, totalmente lubrificada, enfiei um dedo, depois dois dedos e mais um...---Nossa , tá prontinha, vamos tentar?---Com carinho, mas o gesso não vai atrapalhar...?---Se aptrapalhar eu me viro...Abri as suas pernas com jeitinho pois ela sentia dor ...e ajoelhado entre elas comecei passar na sua racha e fazendo escorregar, a cabeçorra da minha pica que ia até seu burauinho, entrava um pouco, quando ela reclamava de dopr eu retirava e esfregava para deixa-la com mais tesão e a cada enfiada era um pedacinhgo a mais que entreva, e assim foi, entrando e saindo, e sem ela perceber, foi laceando, até que dor já não existia, sentia seu utero na ponta da minha pica, e ela gemia baixinho, e começou gozar como uma louca, rebolando e nem parecia que estava acidentada, se era desse jeito, imagino quando em condições, eu não estav aguentando mais, e ela não parava de rebolar e gemer gritar, e gozar, reirei o pau de dentro dela e deixei porra cair sobre sua barriga, espalhando pelos eios até no rosto, e com a outra mão masturbando-a para que terminasse o gozo, foi demais.---Sogrinho, voce jura que não vai contar pra ninguem?---Juro.---Vamos mandar a home care embora, eu acho que já posso me cuidar sozinha, o que voce acha?---Claro, quando voce precisar de ajuda , estou aqui. Voces amigos leitores não imaginam o que aconteceu, em um mês de convelescencia...continuarei contanto por numeração, I,II,III, assim por diante, me aguardem.