RSS contos eroticos

Conto Erotico MINHA NORA É UMA GOSTOSA SAFADA

Eu, sou o Marcos, pai do Eder que é casado com a Leila, Eder e Leila, são casados á mais de dez anos e até agora não tem filhos. Eles vivem uma vida conturbada, muito ciomes e desconfiança. Meu filho Eder, não deixa a minha nora, trabalhar fora, ele tem muito ciomes dela, pois minha nora é muito bonita e muito gostosa, ela é baixinha, tem uma bunda redondinha, umas pernas rroliças bem feitinhas, tem uns seios bonitos, sem contar que ela tem um rosto de boneca, ela é moreninha e gostozinha, ela tem uma cara de safadinha, que me deixa desconfiado, da sua fidelidade com meu filho, já vi ela levar varias cantadas, de outros homens e de seus primos, eu já tive vontade de dar lhe uma cantada, só pra ver se ela aceita, eu sempre senti ciomes dela. Depois que a minha esposa faleceu, ela passou a ser a minha paixão, já bati varias punhetas pensando nela, toda as vezes que eu a encontro ao comprimentar-lá, eu aperto ela bem forte contra meu corpo, ela olha pra mim e da uma rrisadinha marota, me deixando com mais tezão, mas sou obrigado a respeita-lá, ela é mulher do meu filho. No mes passado, meu filho Eder, foi escolhido pela firma que ele trabalha a fazer um curso de expecealizasão, na matriz da Alemanha, o curso tinha durasão de trinta dias, para não deixar sua mulher sozinha em casa, Eder me pediu para, ficar morando na casa dele, até ele voltar, já que eu morava sozinho, não teria problema, mudei para sua casa dois dias antes dele viajar, Eder me disse que só assim, ficaria tranquilo e tinha serteza que sua esposa estaria bem protegida por mim. Fiquei com muita pena e remorso, mau sabia ele que eu era apaixonado por sua esposa e achava ela muito gostosa, na primeira noite, em que eu estava morando na casa com eles, vi minha nora tomando banho com aporta aberta, eu vi ela peladinha, que maravilha, mas meu filho estava comigo, fechou a porta e falou pra Leila que, de agora em diante voce precisa fechar a porta, agora tem mais gente em casa, me pediu desculpa, porque eles estavam acostumados a usar o banheiro de porta aberta, eu disse a ele, não se preoculpe eu entendo filho. Tudo estava indo muito bem, uma semana depois da sua viaje, minha nora deixou a porta aberta outra vez, parei na porta e fiquei olhando ela peladinha se esfregando, nisso eu perguntei, quer uma ajuda, ela muito safada, me falou, então esfrega minha costa, rapidamente entrei e comecei a esfregar sua costa, Leila me olhou e falou, tira essa roupa se não vai molhar todo, tirei a calça e a camisa e fiquei de cueca, Leila falou, tira tudo ou esta com vegonha de mim, eu já estava com o cacete duro, pensei um pouco e acabei tirando a cueca também. Aquela bundinha pelada na minha frente, me deixou doido, Leila virou-se de frente pra mim e falou, quer que eu te esfregue também, antes que eu falase alguma coisa, Leila começou a passar sabonete no meu cacete, com a maior cara de pau, minha nora me perguntou, á quanto tempo o senhor não pega uma gatinha, eu fiquei sem saber o que disser, minha nora Leila, começou a me bater punheta, me deixou louco, quando ela pegou minha mão e colocou em cima do seu seio e disse pode pegar que eu deixo, segurei naqueles seios dorinhos e gostosos, depois ela pegou minha mão colocou na sua buceta e ficou esfregando nela, antes que eu gozase, minha nora fechou a torneira e me falou, vamos pra cama que é melhor doque ficar aqui. Eu não estava acreditando, no que estva acontecendo, depois de nos enchugar, Leila me disse, me leva no colo, peguei ela no colo e levei pro quarto, coloquei ela na cama, ela me puxou e me fez ficar deitado, ela deitou-se em cima de mim e começou a chupar meu cacete e esfregava a buceta na minha boca, nossa que buceta linda, estava na minha cara, chupei aquela buceta, com tanta vontade e tezão, que a Leila gozou na minha boca, depois de mais um tempo chupando, Leila gozou de novo, logo ápos gozar na minha boca, Leila deitou-se na cama e falou, vem em cima de mim e soca esse cacete gostoso na minha buceta, quando comei a socar o cacete na buceta dela, ela me deu um beijo de lingua bem demorado e falou no meu ouvido, faz tempo que o senhor queria comer a minha buceta não faz, eu perguntei, como você sabe disso?, Leila me disse, eu sentia o seu pau duro, quando o senhor me abraçava, eu falei é que você é muito gostosa, Leila me falou, agora o senhor não precisa mais bater punheta pensando em mim, quando quiser e só pedir que eu dou, mas é segredo em, fiquei doido e soquei o cacete com vontade, Leila rebolava gemia e dava uma gozada atraz da outra, depois de gozar varias vezes, Leila me perguntou, quer comer meu cu?, eu falei só se for agora, ela ficou de quatro e falou come meu cu come, eu soquei o cacete no cu da Leila, que rebolava e gemia, com aquelas reboladas, gozei feito um cavalo, de tanta porra que saiu do meu cacete, depois de deixar o cuzinho dela cheio de porra, a minha nora, chupou meu cacete de novo, deixou ele bem limpinho e falou amanha eu quero mais.



Gostou? Então Compartilhe!