RSS contos eroticos

Conto Erotico Seduzido por mamãe

Bom, somente depois que minha mãe foi morar no céu é que tive coragem de relatar nossa história. tinha eu 14 anos e levava uma vida normal, estudando, namorando, jogando bola e logo depois do carnaval meu pai saiu de casa e como era filho único, ficamos morando somente eu e minha mãe numa casa bastante confortável. minha casa sempre foi frequentada por muitos amigos de meu pai e de minha mãe e uma amiga em especial ia a nossa casa quase que diariamente, pois morava no mesmo quintal da vila, bem pertinho. vanessa era uma mulher de 40 anos, também separada, não tinha filhos portanto sempre dedicava bastante tempo a seu lazer, praia, viagens e a relação dela com minha mãe era de irmãs. sempre muito bronzeada, cabelos escovados, roupas bem provocantes mas estava há algum tempo sem namorado. de tanta proximidade entre nossas casas eu sempre estava lá e com 16 anos acabei por me envolver sexualmente com ela e assim ficamos durante alguns meses. o que eu não sabia é que ela contava tudo pra minha mãe, tudo que era mais íntimo nosso, minhas preferências, fantasias, taras, etc. foi ai que quando descobri que ela contava tudo pra minha mãe, terminei a relação pois não achei justo ela fazer isso comigo. 3 meses depois de ter terminado minha relação com vanessa, ainda andava triste e minha mãe sempre em cima me perguntando porque andava tão pra baixo. como sempre fomos muito confidentes, falei pra minha mãe que depois de terminado com vanessa, havia saído com outras 2 meninas mas nenhuma delas era igual que sentia muito sua falta, minha mãe me deu força mas me desencorajou a voltar pra ela porque ela já estava dentro de uma outra relação, com um homem financeiramente estável e mais velho que ela, enfim, que eu deveria tirar vanessa definitivamente da cabeça. numa tarde de sábado eu estava deitado na rede que ficava na varanda do lado de fora da casa e minha mãe veio pra perto, sentou-se na cadeira ao lado e na tentativa de me animar ela perguntou "e aí filho, já esqueceu a vanessa? já tem outra mulher te fazendo feliz?" eu respondi que já havia aprendido a conviver com a falta, que estava sozinho que não tava saindo com ninguém, então ela disse: "filho, preciso de contar que sei muito sobre você e nãoaguento mais te ver assim" eu pedi pra ela relaxar que isso passaria logo e que voltaria a conhecer outra mulher. minha mãe nesse momento pergunta: "o que mais na vanessa te faz falta?" eu tentei desconversar mas ela insistiu na pergunta e eu falei "ah mãe, tem haver com sexo, erotismo, essas coisas" daí ela disse "pode falar, conta pra mim filho, pode confiar e não fique encabulado" então depois de mais alguma insistência acabei entrando no assunto com mais riqueza de detalhes. mãe, a vanessa sempre me recebeu vestida com roupas que eu adoro, tipo, shortinho, calcinhas minúsculas marcando, blusinhas expondo parte dos seios, saias curtas e se fingia de desentendida, andava na minha frente assim... ela usava calças de cintura baixa com aquela tatuagem atrás em cima do bumbum e parte da calcinha aparecendo, mesmo antes da gente ter um caso, ela deixava suas calcinhas em cima da cama, no banheiro, enfim, ela sabia me fazer ficar tarado entende? minha mãe respondeu, "claro filho, os homens são todos malucos por situações assim" agora me diga, e o que ela não fez por vc, que gostaria que tivesse feito? bom mãe, é complicado falar isso pra vc... ela disse: "deixe de bobagem, pode falar" bom... eu sempre quis fuder o cuzinho dela, mas ela sempre negou, dizia que eu tinha... tinha o que filho? ahhhh mãe, posso falar? claro menino, fala... enfim, ela dizia que não tinha coragem de dar o cuzinho pra mim porque eu tinha um pau muito grande e grosso que iria arrombá-la... pronto, falei! nossa é mesmo filho? ela dizia isso? dizia sim mãe... mas ela nunca nem tentou? sim mãe, ela tentou algumas vezes, mas não entrava nem um pouquinho, ela jogava o corpo pra frente e não queria mais tentar... minha mãe pediu desculpas por estar rindo e disse... "esquenta não filho, isso vai de cada mulher". bem, passado mais alguns dias cheguei da escola minha mãe colocou almoço pra mim e disse que ira tomar banho, poucos instantes depois ouvi ela me gritando e eu fui até o banheiro e da porta perguntei o que ela queria, ela disse... "agora que eu reparei não tem sabonete aqui, pega um pra mim ai no armário por favor", o box era de blindex escuro e com o vapor da água quente eu não via nada então passei o sabonete pra ela por cima do blindex aí e ela disse, obrigado filho, aproveita toma e coloca no cesto pra mim, ela foi e me entregou também por cima sua calcinha, eu peguei mas levei um susto porque era uma calcinha minúscula, ainda estava quente, deu até pra sentir o cheiro de bucetinha que estava na peça... peguei e coloquei no cesto, sai do banheiro confuso porque havia ficado excitado, estranho mas aquele cheiro havia feito meu pau levantar na hora... voltei pra cozinha pra continuar almoçando, antes de terminar, minha mãe sai do quarto dela, cheirosa e vestida com um shortinho jeans curtissimo, as poupas da bunda aparecendo e uma calcinha quase sumida dentro do rabo lindo que tinha... foi na pia e eu não conseguia tirar o olho daquele triângulo que fazia quando ela andava ou se movia... ela saiu da cozinha, passou a mão na minha cabeça e foi pra lavanderia... mais uma vez ela me chama e dessa vez com 2 baldes de roupas lavadas me pediu pra estender pra ela no quintal... sempre ajudei em casa, fui pegando as roupas e pendurando, no segundo balde outra surpresa, haviam pelo mesnos umas 8 calcinhas, todas do tipo que adoro, rendinha, pretas, brancas, vermelha, mas todas pequenininhas, deliciosas... nunca tinha visto essas, sempre pendurava calcinhas de tamanho médio pra grande e sem graça... a noite estávamos na sala vendo um filme na tv, ela deitada de bumbum pra cima, de saia branca curtinha, com os cotovelos apoiados numa almofada do sofá e o ângulo que eu sentava, quase dava pra ver por baixo... disfarçava muito pois tinha medo dela perceber que eu estava olhando pra lá e nos intervalos do filme conversávamos sobre vários assuntos até que em dado momento ela levantou e foi a cozinha, antes de seguir pra lá ela deu aquela paradinha pra prestar atenção num comercial e a bunda dela ficou bem na direçãodos meus olhos... pude perceber que a calcinha que usava estava toda atolada no rabo... o pau na hora respondeu e passou a latejar de tanto tesão e eu pus outra almofada por cima pra ela não perceber... quando voltou da cozinha ficou sentada e com as pernas cruzadas, aquelas coxas grossas eram maravilhosas e quase dava pra ver a calcinha tamanha inclinação de seu corpo pro lado... passamos a conversar mesmo durante o filme e ai o papo foi tomando outros rumos... no filme um cara pega a mulher com certa violência e joga ela na cama e começa a fazer sexo... minha mãe faz aquele som de (shiiiiiii) entre os dentes e fala... "nossa que isso... chegou a dar calor" levantou-se falando... "ah não posso ficar vendo essas coisas não... tô muito tempo sem fazer nada" e ria, mais uma vez levantou-se e disse que iria tomar um banho porque tava pegando fogo... eu ri também... fiquei sozinho na sala vendo o filme e não demorou muito ela voltou com o cabelo molhado, descalça, shortinho de malha branco bem curto, mais uma vez aquela calcinha atoladinha, top verde, pegou o telefone sem fio, foi até a janela que ficava ao lado da estante da tv, onde de costas pra mim eu pude ficar me deliciando com o que estava vendo... ela ligou pra vanessa e o papo era exatamente sobre a cena do filme... escutava minha mãe dizendo.... "vc viu aquilo van?... ah não posso ver essas coisas não... tive que tomar banho pra abaixar o fogo" ria muito e sempre se mexendo, esfregando as pernas uma na outra como se estivesse coçando a xoxota e debruçada pra mim eu conseguia ver aquele volume gostoso, inchado por baixo... a essa altura meu pau tava duro como pedra e eu confuso pensava, mas é minha mãe... meu coração disparado e elas conversando... em um dos momentos da conversa, minha mãe falou baixinho, mas eu conseguia ouvir... "pô van... eu tô ficando nervosa com essa falta de uma boa piroca" e ria, ria, ria... quando desligou o telefone veio novamente pro sofá e o filme no finalzinho... eu estava tão excitado que meu testículos doiam... ai minha mãe puxando papo comigo e o papo foi ficando mais quente... "filho, o que vc acha de sua mãe? eu sou atraente?" eu respondi, claro mãe, vc é gata... "como assim gata" vc é linda de rosto, tem um corpo sensacional... "se eu fosse outra mulher que não a sua mãe, vc diria que sou gostosa?" eu disse: você não precisa ser outra mulher, vc é gostosa sim... muto gostosa... ela riu e disse... "dá pra pegar né?" eu respondi: ô se dá! ela foi e disse... mas sou sua mãe tá seu tarado! eu voltei dos meus pensamentos mais pecaminosos e disse... claro, claro que sim... imagina... é só modo de falar... dai ela disse, tô brincando, fique a vontade, fale o que vc pensa, não tem problema vc ser sincero... dai eu completei... mãe, vc é deliciosa da cabeça aos pés, qualquer homem de bom gosto vê isso... ela mostrou-se curiosa.. "como assim deliciosa?" ah mãe, vc tem belos seios, coxas grossas, bumbum grande e empinado, cabelos lisinhos, sempre muito cuidada e cheirosa, unhas perfeitas e dentes também... ela foi e deu um grito: "caracaaaaaa você reparou isso tudo em mim?" eu disse claro mãe e acho isso bem legal, a mulhern tem que ser assim mesmo... ela ficou tão feliz em ter escutadoi aquilo que veio e sentou-se sobre a almofada que estava no meu colo, me abraço um deu um beijo forta no meu rosto, balando as pernas e disse... "ganhei a noite êeeeeee"... depois disso, sem que ela percebesse, fui para o meu quarto porque estava quase perdendoi o controle, a pressão do pêso dela sobre a almofada, apertando meu cacete contra a perna acabou por me deixar louco de tesão... entrei na internet e fui direto pra páginas pornográficas na intenção de me masturbar, tomar banho e dormir... minha mãe entra no meu quarto sem bater e ainda conseguiu ver a imagem do site na tela antes que eu pudesse minimizar a página... ela falou... "sabe que me lembrei de uma coisa que vc falou já tem um tempo e fiquei muito curiosa e queria conversar sobre... vc pode vir aqui no meu quarto?" eu disse claro mãe... éntrei no quarto dela, sentei-me ao lado dela na cama e ela começou a falar um monte de coisas até que eu perguntei, mas mãe o que eu disse que a deixou curiosa? ela respirou fundo e disse... "não é nada tão sério, mas a gente fica pensativa... lembra que vc um dia me disse que a van não realizava seu desejo de...." fala mãe! "tá... vou ser direta... lembra que vc disse que a van não te dava o cuzinho porque achava que vc tinha uma piroca muito grande e grossa?" lembro, claro.. que tem? "então... achei estranho, porque seu pai não tinha o pau grande assim... sendo vc filho dele, acabei pensando que a van pode ter exageirado entende?" eu disse... bom, vendo por esse lado pode ser, mas eu sou homem e nãosei dizer se é grande ou não... acabo acreditando no que ela disse e hoje quando conheço alguém, nem tento, nem peço, fico com receio de passar por tudo isso de novo... "ela imagina filho... se vc gosta muito de fuder um cuzinho, tem que tentar sim, tem que pedir sim... mas voltando ao assunto... sua piroca é ou não é grande e grossa como a van falou?" ahhhh mãe, como posso te falar isso... é complicado... "complicado porque?" nisso ela levanta, pede pra eu esperar e vai até o ar condicionado andando lentamente e eu com os olhos cravados no rabo dela, demora-se um pouco e liga o aparelho e volta dizendo... "estou tão curiosa que fico pegando fogo de calor" a essa altura ela olhou pro meio das minhas pernas e perguntou... "sua piroca tá dura ou é impressão minha?" eu super sem graça disse, está sim mãe... ela pergunta... "ué, porque?" eu disse quer mesmo saber? "claro que quero" mãe... a gente fica conversando sobre esses assuntos... vc fica desfilando na minha frente com esses shortinhos, eu já tô um tempo sem fuder uma mulherzinha, então, eu estou perdendo o controle entende? "ah claro que sim filho... eu já havia reparado seus olhares... o engraçado é que vc está conversando comigo e ele continua ai, marcando o seu shorte... mas falando nele, eu preciso saber se a van estava falando a verdade ou se estava exageirando... me mostra" meu coraçãoquase parou... mãe... vc quer mesmo ver? "claro, quero muito", ele não é mais aquele pintinho que vc dava banho não hein? rimos e ela falou... "é isso que eu quero ver... tira esse shorte e mostra pra mamãe vai"... eu meio sem graça mas muito excitado e adorando aquilo tudo, levantei da cama, abaixei o shorte e como uso cueca box, ele estava bem marcadinho... falei pronto, assim já dá pra vc ter uma idéia! "imagina menino... eu quero ver ele soltinho"... me enchi de coragem... deitei na cama e tirei a cueca... ele pulou pra fora e ficou apontando pro teto... ela disse: "meu deus... como meu filhote cresceu... nossa mas a van não exagerou não menino... uma mulher pra botar uma piroca enorme dessa no cuzinho precisa ter disposição... e que lindo ele é, rosadinho, cheio de veias e grosso... nossa que delícia... como ela conseguiu se separar dele?" ria e eu fiz que ia levantar a sunga e ela falou: "peraí, ainda não terminei minha análise... levantou correndo pegou uma régua e voltou correndo... colocou a régua do lado e disse... caraca menino, vc é um jumento... 22cm? e grosso desse jeito!... então ele é grande mãe, maior do que do pai? "se é grande? tá brincando... que pirocão gostoso... do seu pai? imagina, coitado do seu pai... tinha 16cm" ela foi colocou a régua em cima da cama e disse... "filho, vc deixa eu pegar nele só um pouquinho?" fiquei tão desesperado que dãva pra eu ouvir as batidas do meu próprio coração... mas, o tesão era tanto que não tive como negar... então ela se ajeitou e segurou na base e falava: "nossa que piroca dura e gostosa é essa menino? vc pode matar uma mulher com isso tudo" apertada puxava a pele pra cima e pra baixo lentamente... com a outra mão alisava meu saco e eu estava com os cotovelos apoiados na cama fazia força pra continuar naquela posição..."filho, eu nunca vi nada parecido, que delícia essa piroca que vc tem... tá dificil de eu querer largar ela... vc deixaria a mamãe brincar com ele só um pouquinho?" balancei a cabeça positivamente e ela me punhetava um pouco mais rápido e sua cabeça foi chegando perto e ela dizia que cheiro de macho... "a van mamava essa piroca gostoso filho?" eu respondi... sim mãe... "você colocava essa piroca inteirinha na bucetinha dela?" sim, sim... "ela gemia alto?" gemia mãe... a essa altura eu já tava delirando de tesão enquanto ela continuava apertando meu pau, punhetando devagar e alisando meu saco... "a van rebolava nesse seu cacete maravilhoso?" sim mãe... "ah meu deus, a van é louca de perder uma piroca dessa"... eu falei mãe... estou morrendo de tesão, é melhor parar... "ah calma filhote... vc disse que eu poderia brincar com ele"... tá bom mãe... "meu gatinho gostoso... vc deixa a mamãe mamar ele só um pouquinho? tô com água na boca, vc deixa eu chupar, deixa? mãe... "deixa garanhão deixa?" tá... mas eu não tô aguentando de tesão hein!... "pode deixar a mamãe só vai mamar um pouquinho" a partir daí ela abocanhou meu cacete e eu fui nas nuvens... minha mãe era uma profissional... mamava muito mais gostoso que a van... eu só gemia e ela chupava, lambia, engolia e olhando nos meus olhos e fazendo cara de safada... resolvi relaxar e esquecer que era minha mãe e comecei a alisar ela... em um dado momento ela tirou o pau da boca e disse... "a van não tinha coragem de sentar nessa piroca, mas eu tenho" eu fiquei louco de tesão ao ouvir isso... primeiro ela veio por cima de cócoras, chegou a calcinha pro lado e sentou na minha cara e continuava segurando o cacete... aquele cheiro maravilhoso de buceta... ela não demorou muito e gozou na minha cara... lambi tudo com gosto... ela abaixou sobre mim e fizemos um 69 inesquecível... "hummmm meu jumento... vc quer fuder o cuzinho da mamãezinha quer?" quero sim mãe... então vai ter que me fazer gozar com o pau na buceta primeiro... ela veio por cima e começo a cavalgar... e como fazia isso bem... enquanto subia e descia... eu via aquele cuzinho minúsculo se contraindo... o visual do pau dentro da buceta era uma espetáculo a parte... depois dela subir, descer freneticamente com a piroca atolada na buceta... segurei a calcinha nalateral... arrebentei com violência e cheirava, lambia o fundinho melado.. que momento delicioso... jogeui ela pro lado, dobrei uma de suas pernas e continuei bombando a xoxota agora toda exposta... ela só gemia e gemial ato... vez ou outra falava muita sacanagem... "vai macho... fode essa putinha toda vai... arregaça essa xereca... assim, assim... hummm não para, não para.... acaba comigo... ai meu deus, que piroca gostosa"... mudamos de posiçãoalgumas vezes até que num franguinho assado enquanto bombava com força, estava com um dos seus pés em minha boca, adoro chupar a mulher toda, literalmente da cabeça aos pés... ela gritou: "vou gozarrrrrrrr goza junto comigoi vai gostosoooo, fode... fode.... assim, assim... gozaaaaaaaa.... filho de uma puta tarada... fode a xoxota, fode machoooooo" eu não aguentei e anunciei que iria gozar... hummmmm gozei cadela, vadia, putinha gostosaaaaa" ficamos em silência durante alguns minutos meu coração disparado e o dela também, apesar do ar condicionado estávamos suados... levantamos ela foi pra cozinha e eu pro chuveiro... quando voltei pro quarto haviam 2 taças de brend (nossa bebida preferida) em cima da mesinha do quarto e ela foi tomar banho... quando voltou, estava com outra calcinha delicisa e nos debruçamos sobre os travesseiros, tomamos aquela bebida e ela perto de terminar a taça disse... "preparado pra fuder o cuzinho apertado da mamãe?" eu disse.. vc tem certeza mãe? posso te machucar e não quero... "imagina... eu quero muito que vc me machuque, quero que foda meu cú até saciar sua vontade... sou sua mulher agora e tenho que satisfazer todos os seus desejos se não vc procura pelo cuzinho de outra, comigo vc vai ter tudo que quer garoto" ela perguntou se eu queria outra taça eu disse que sim e ela foi lá buscar... quando voltou me entregou a taça e disse "o papo tá bom mas deixa eu deixar ele prontinho pro segundo tempo" enquanto eu bebia, ela mamava novamente e não demorou muito pro pau ficar duraço novamente... ela deitou na cama de barriga pra cima, levantou as pernas, arreganhou o bumbum e disse: "lambe meu cuzinho lambe? eu claro passei a lamber prazeirosamente aquele cuzinho apertadinho e meti 2 dedos na xoxota... ela gemia, e uivava... meti a língua com dificuldade no rabinho dela e ela a essa altura já estava gozando novamente... chegava a sentir seu corpo tremendo... "agora meu cavalo... vc vai fuder o cuzinho da mamãe bem gostoso tá? e ficou de quatro, empinou aquela maravilhosa bunda e eu pergunte se queria passar algum lubrificante ela respondeu: "te proibo, quero sentir cada centimetro rasgando meu rabo"... me coloquei atrás dela, eu de pé e ela na cama... esfregava a cabeça na entradinha e o cuzinho piscava mas não cedia... ia tentando empurrar e o cuzinho não abria... botei o dedo no cuzinho e me abaixei e lambia a xoxota por baixo... ai aos poucos o cuzinho ia abrindo, abrindo, abrindo... até que percebi um relaxamento maior, voltei a tentar.... depois de mais alguns minutos o cu abriu pra receber o cabeção da piroca que mais parecia uma barra de ferro... aos poucos fui metendo e ela chorava e gemia alto "úuuuuu seu puto... que porra de piroca grossa é essa, vc está me rasgando" quer que eu pare? "nem pensar... "vai com calma, mas vai botando tudo na minha bundinha... quero ele todo escondidinho" continuei até que o cuzinho foi cedendo, cedendo, cedendo e quando vi a metade já estava dentro e ela dizia... "ai seu filho da puta, que coisa grande é essa? a van precisava ver isso" quando falou da van meu tesão dobrou porque me lembrei que há muito desejava o cuzinho dela... quando entrou tudo ela teve um espasmo e gritou "nossa que piroca grande e grossa... não acaba nunca?" eu falei, calma mãe, já tá todo dentro do cuzinho... esperamos alguns poucos segundos pro cuzinho acostumar e comecei a bombar devagar e fui aumentando a velocidade e a força aos poucos... ela só gritava e falava sacanagens... "arromba o cuzinho de sua putinha arromba meu jumento gostoso... mete essa pirocona mete... assim, assim, hummm úuuu que delíciaaaaa... me arromba todinha que eu mereço vai... acaba com esse meu fogo no cú"... dado momento eu estava segurando ela pelos cabelos e socava com tanta força que parecia estar fudendo a xoxota e não o cuzinho "não pára, não pára, não pára... assim meu pirocudo" o visual daquela morena com marquinha de biquini e o pau entrando e saindo daquele bundão maravilhoso me fizeram segurar o gozo para aproveitar ao máximo aquele momento... ela dobrou-se e tocava siririca ao mesmo tempo que levava no rabo... "vou te fazer esquecer a van definitivamente... tú só vai querer fuder esse cuzinho de agoraem diante" e eu a essa altura nem me lembrava mais de vna, estava finalmente realizado e justamente por quem eu menos esperava..... mas algumas estocadas anunciei que iria gozar e ela disse "goza meu amor, goza sim... enche o meu rabinho de leite quente e grosso vai... gozaaaaa delicia.... que pau maravilhoso meu deus... gozaaaaaaa que a mamãe ´tá gozandooooo de novooooooooo... gozamos juntos e desabamos na cama mais uma vez... ficamos em silência e o pau foi saindo de dentro do cuzinho voluntariamente a medida que ia amolecendo... estava tentando me recuperar pra tomar outro banho, mas acabamos adormecendo totalmente melados e saciados. tornei-me o macho de minha mãe e minha mãe a minha fêmea... não procurava mais ninguém, era o nosso segredo gostosa e ela sempre caprichando mais no jogo de sedução, shortinhos, calcinhas, situações... a van confidenciava coisas pra minha mãe e ela me contava depois... dizia que apesar dela tentar não fazer comparações, o namorado dela não era tão gostoso na cama como eu e que se eu desse mole pra ela que ela voltaria a sair comigo e que talvez até o cuzinho ela me daria... minha mãe perguntou se eu queria, que ela poderia arranjar, mas eu já estava satisfeito com minha mãe e neguei, não havia mais interesse na van. um dia quis papai-do-céu que minha mãezinha fosse pro céu e depois disso, conheci outra pessoa, casei, tive uma filha, mas a minha mulher é muito "careta" e nunca pude ter com ela os momentosque tive com minha mãe... quando por ventura conheço alguém e saio, procuro tentar vivenciar alguns momentos passados imitando a relação mãe-filho (homem-mulher) que tivemos... às vezes dá certo... às vezes não... o fato é que sinto muita falta do jeito que a minha mãe entendia meu jeito, meus gostos e sempre satisfez todos!
se alguém tiver uma história semelhante por favor me escreva, gostaria de trocar experiências pois não tenho com quem falar sobre isso, por isso, resolvi contar aqui no site.
gatão
m_xlove@hotmail.com