RSS contos eroticos

Conto Erotico Uma pescaria com MEU PAI

Desde pequeno eu já sabia que iria ser homosexual, pois sempre senti atração por homens, não meninas e nem meninos, homens, com seus dotes e pelos. Acho que até por volta dos 9 anos sempre tomei banho com meu pai, era normal pois eramos só nós dois em casa, minha mãe se despediu desse mundo no dia em que eu cheguei, e meu pai me criou sozinho, dono do seu próprio negócio ele tinha bastante tempo pra mim e as vezes dividia esse tempo com uma baba. Me recordo dos nosos banhos, os dois pelados naquele banheiro enorme, meu pai 25 anos mais velho que eu, gordinho com tudo no lugar, bastante peludo, e dono de uma rola deliciosa, é lógico que até os meus 7 anos, não olhava meu pai com desejos carnais, mais eu já sentia o seu cacete duro, quando as vezes eu estava no seu colo brincando de alguma coisa e sentia seu pau pulsar embaixo da minha bundinha. Na época eu imaginava que era qualquer coisa, jamais que ele estava com tesão devido os movimentos que eu fazia. Aos 8 ou 9 anos, não me recordo bem, meu pai ficava de pau duro quando tomavamos nosso banho, e isso acontecia quase sempre, eu ficava olhando o pau do meu pai, grande, grosso, cheio de veias, cabeça esposta e bastante peludo (acho que ele nunca tinha visto um aparador de pelos antes), e ele ficava sem jeito, eu não sabia o porque, dele estar de pau daquele jeito e nem porque ele ficava com um pouquinho de vergonha, queria pegar naquele pau ali na minha frente, queria brincar com ele, mais não falava nada, só olhava, tinha medo da reação do meu pai, de levar uma surra dele se fizesse algo, então ficava olhando e admirando aquele cacete delicioso já quase gozando de tanto duro, depois que meu pai me dava o banho ele pedia pra eu sair e esperar ele no quarto pra ele me vestir, fechava a porta e ficava lá mais uns 10minutos, eu me perguntava o porque da porta fechada, nós estavamos juntos, ele já estava de pau duro, o porque de fechar a porta agora?... Ao invés de ir pro quarto como ele mando, eu fiquei ali para espiona-lo pela fechadura e ví meu pai bater a uma punheta que me fazia arrepiar, eu já batia minhas punhetinhas tbm, mais o meu pai era diferente, era mágico ver o que eu estava vendo, as vezes ele segurava o pau com as 2 mãos e fazia movimentos de quem tava metendo o pau numa buceta, o meu pintinho de criança estava durinho em minha mão, foi quando meu pai gemeu mais alto e eu vi sair de seu pau um leite grosso, ele derramou aquele leite na mão e depois de derramar tudo na mão ele passou na barriga, mexeu no pau mais um pouquinho e foi novamente pra debaixo do chuveiro, nessa hora vim pro quarto pois estava muito nervoso, será que ele sabia que eu estava olhando?... O que seria aquilo que saiu do pau dele? A curiosidade tomou conta de mim, e o meu desejo por aquele pau almentou milhões de vezes. Meu pai saiu do banheiro e veio pro querto enrrolado numa toalha, me secou, me vestiu e mandou eu ir pra sala ver meus desenhos, ficou ainda um tempo no quarto e também desseu pra sala, eu estava vendo meus desenhos na tv e ele sentou do meu lado, eu olhava aquele homem perto de mim, mais minha cabeça estava naquele banheiro, no meu pai esporrando seu leite na própria mão, fiquei de pintinho duro ali no sofá. No outro dia quando estavamos a tomar nosso banho eu perguntei ao meu pai o que era aquilo que saiu do pinto dele, pois era uma coisa diferente e eu queria saber o que era.. Ele perguntou como eu ví e eu não menti, ele me falou que eu não deveria espionar ninguem pela fechadura, era feio, era errado, se a porta estava fechada, era porque a pessoa não queria ser vista, fiquei com medo do que ele me falou, mais ele me tranquilizou e me disse que já estava na hora de saber algumas coisas, disse que depois do banho ele iria me falar o que era aquele leite, como ele saia e o pra que ele servia, fiquei curioso e morto de vontade daquele banho acabar logo. Depois do banho eu estava peladinho no quarto quando ele chega como sempre enrrolado na toalha, foi me olhando e falando: Senta ai na cama filho, vou te contar o que vc quer saber.. (E ME CONTOU TUDINHO), depois tirou a toalha e disse: Vou mostrar pra vc como é o esperma. Como é o nome pai? Esperma filho, mais tem muitos nomes, porra, gala, leite como vc falou e muitos outros... Vc já brincou com seu pintinho filho? Já sim pai, mais não sai o espema que vc falou... Quando vc tiver maiorzinho vai sair, ainda não é tempo... é gostoso quando vc brinca com teu pauzinho? É sim pai, eu gosto, no final da uma dorzinha gostosa como se eu tivesse com vontade de fazer xixi. Essa dorzinha é o gozo, vc já goza filho, só não sai leitinho ainda, daqui uns dois anos vai sair vc vai ver, e quando sair leitinho é sinal que que vc já pode fazer nenem. Deixa eu ver o leitinho saindo pai, posso ver? Pode sim filho, vou te mostrar, mais não pode contar isso pra ninguem, é coisa de PAI e FILHO, tá certo? Tá bom pai, prometo que não conto pra ninguém. Nessa hora meu pai tira a toalha e fica peladinho na minha frente, passa a mão no pau que começa a ganhar vida, vai ficando cada vez maior e mais grosso, ele começa a se punhetar na minha frente e vai me falando tudo o que tá fazendo. A punheta é assim filho, vc já deve saber, va já se punheta tambem ne? Sim papai, mais ver vc fazer é mais gostoso, é bonito ver vc mexendo nesse pauzão.. Acha o pau do pai grandão é? Acho sim, é grandão e cheio de cabelo, o meu vai ser assim tambem pai? Vai sim nenem, o seu pau vai ficar maior e mais grosso que o do pai. Pai posso pegar, pra ver como ele é quando tá duro assim? Vc quer pegar no pau do pai é seu safadinho? Quero sim pai, posso? Vc deixa? Pode sim filho, mais é como a gente combinou, ninguem pode saber tá? A gora pode pegar no pau do pai, brinca um pouquinho com ele pra vc matar sua curiosodade. Eu peguei naquela rola dura e grande, e começei a fazer igual meu pai tava fazendo, começei a bater uma punheta no pau dele, meu pai estava em pé na frente da cama e não aguentou, tendo que deitar. Eu fiquei entre suas pernas, com as duas mãos naquele cacete, e continuei a unhetar meu pai, estava muito gostoso aquilo, era muito bom sentir o que eu estava sentindo. Isso filho, aperta mais a maozinha, aperta e faz mais rápido, quando o pai for gozar eu aviso pra vc ver o leitinha sair tá? Hummmm, delicia de mão macia filho.... aperta mais nenem.. hummmmm, continua filho, ta muito bom filhinho..hummmm.. hummmm delicia. Não demorou muito, meu pai bateu punheta no próprio pau e disse: Faz as mãos em concha filho o pai já tá quase gozando e vai derramar o leite na sua mão, pra vc ver direito... olha a cabeça do pauzão do pai olha, vai sair o leitinho agora.... haaaaaaaaaaaaaa.... haaaaaaaaaa. E meu pai gozou, gozou muito na minha mão, quase enchendo a minha mão de leite, quente, viscoso e com um cheiro diferente, depois que gozou tudo ele passa a mão no meu cabelo e diz: Tá vendo filho, essa é a porra do papai, foi dessa porra que vc foi feito.. gostou do pai ter gozado pra vc ver? Gostei sim pai, e gostei mais de vc ter gozado na minha mão, é quentinha pai. É sim filho. Meu pai ficou brincando com o dedo na porra em minha mão e me falando o porquer do homem gozar e o pra que a porra servia, depois me mandou lavar a mão, enquanto eu lavava a mão meu pai ligou o chuveiro novamente e foi lavar o seu pau, eu olhava e o pau dele não estava mais tão duro, estava ainda grosso e inchado, eu adorava ver aquele cacete, como eu gostava, adorei a sensação de ter o pau do meu pai na mão, enquanto ele não olhava peguei um pouco da porra e coloquei na boca, tinha um gosto bom, eu queria mais... nessa hora meu pai viu e perguntou: Gostou filho? Vc comeu a porra do pai foi safado? Queria experimentar pai, não pode comer não? Sua mãe adora va o gosto da minha porra filho, ela adorava que eu gozesse na boca dela, mais vc é homem, é macho, não vai comer porra, vai e fuder muita buceta em sua vida. Sorrimos, nos vestimos e eu fui ra sala ver meus desenhos e meu pai ficou no escritório, disse que tinha trabalhos pra fazer.. Quando eu estava na sala, não saia da minha cabeça o que tinha acontecido, fiquei de pinto duro, baixei meu calçao e começei a me punhetar deitado no sofá... depois de um tempo assim, olho pra escada e vejo meu pai me olhando e rindo... ele me olha e diz: Safadinho do pai ficou com tesão, isso garotinho do pai, se punheta e goza gostoso, o pai quer ver tudinho...



Gostou? Então Compartilhe!