RSS contos eroticos

Conto Erotico Vanessa e o padrinho

Meus pais prescisaram viajar e eu fiquei na casa dos meus padrinhos, Romulo e Hortencia, meu padrinho Romulo tem por volta 50 anos, alto e moreno, minha madrinha Hortencia tem por volta dos 47. Eu tinha 14 anos na época, cabelos castanhos, branca, olhos cor de mel e me chamo Vanessa. A casa dos meus padrinhos ficava no suburbio do rio, meu padrinho era aposentado e passava o dia em casa, minha madrinha vendia cosmeticos de porta em porta. Enquanto eu estava lá, limpava a casa e fazia almoço para o meu padrinho e esses outros serviços domesticos. Certo dia estava limpando o quarto do meus padrinho quando sem querer derrubei uma estatueta de porcelana, que se reduziu a cacos no chão. Meu padrinho ao ver a cena ficou muito bravo, disse que aquela estatueta tinha valor sentimental e es5tava na sua familia por geraçoes e me expulsou do quarto aos gritos. Depois de algumas horas ele me chamou de novo e pediu que eu entrasse no quarto, obedeci. Os cacos continhavam no chao, ele mandou que eu limpasse tudo, quando terminei tudo ele me abraçou por tras e falou no meu ouvido que estava muito zangado, mais se eu me comportasse como uma boa menina ele me perdoaria, dizendo isso ele levantou a saia do meu vestido e beijou meu pescoço, eu me encolhi com o beijo, e tentei sair do seus braços mais ele me apertou mais forte e disse que se eu me comportasse bem seria recompesada. Ele me fez sentar no seu colo, senti o volume do seu membro rigido, estavamos na beira da cama, eu sentada no colo dele, enquanto ele apalpava meus seios que não eram grandes eram duas maças, e me dizia palavras que me deixavam envergonhada, ele beijava meu pescoço, ficamos assim por um tempo até que minha madrinha chegou na hora e rapidamente disfarçamos e ela não percebeu nada. Passou uns dias e nenhum de nós voltou a tocar no assunto, até que um dia ele sorrateiramente entrou no meu quarto e me pegou de roupão voltando do banho( minha madrinha como sempre foi vender de porta em porta) ele no vamente me envolveu com seus braços e me beijou na nuca, o que me deu um arrepio, sua mao passou por dentro do roupão e alcançou meu seio esquerdo, senti seu membro ficar rigido atras de mim, tentei me soltar mas ele me ordenou ficar bem comportada, caso contrario ele iria tornar minha estada lá um inferno. Sua mao livre abriu o roupao e ele caiu suavemente expondo meu corpo nu, percebi que ele iria alem de um assedio, tentei me soltar mais ele me deu um tapa no rosto e me atirou na cama, baixou a calça deixando amostra seu penis grosso e se jogou em cima de mim me beijando na boca e apertando meus seios, senti seu membro na entrada da minha vagina, pedi para ele não fazer isso que era perigoso mas ele não quis me ouvir e penetrou minha vagina apertada, me causando uma dor que nunca tinha sentido antes. Não era virgem mais nunca tinha sido penentrada por aquele membro enorme, meu antigo namorado não tinha nem um terço do volume do membro do meu padrinho. Ele estocava violentamente, cada estocada era um gemido meu, ele gritava de prazer de um jeito cavalar, dava estocadas e maltratava meus seios delicados, passava a lingua por todo meu rosto, que devia estar com uma expressao bem embaraçosa parte de mim estava sentindo prazer com aquilo, ouvia meu padrinho gritando pra mim gemer, me chamava de vadia e continuava bombando, fizemos um missionario por um momento até que ele gozou dentro de mim e desabou sobre meu corpo. E lá ficamos no silencio do quarto, ouvindo apenas nossa respiração ofegante.



Gostou? Então Compartilhe!