RSS contos eroticos

Conto Erotico Atendendo à domicílio - by teka

14 horas do sábado qdo cheguei ao salão para fazer a depilação, afinal... apresentação e higiene são essenciais.

a moça da recepção informou q a minha depiladora havia entrado de feiras e q contrataram outra para ficar em seu lugar.

sentada na sala de espera com as demais pessoas reparei a porta se abrir e entrar uma ruiva linda. corpo escultural, malhado, cabelos ruivos naturais, olhos verdes, bochechas com sardas, parecia uma alemãzinha. linda. ela entrou na área restrita aos funcionários.

após colocar o uniforme da clínica de estética surge esta beldade abrindo a porta e chamando o meu nome.

meu coração bateu forte. será q é ela a fazer a minha depilação? pois bem. além de linda era muito simpática o q a tornava mais atraente.

entramos na sala e ela foi logo pedindo pra eu tirar a roupa. sou morena de praia, cabelos castanhos com luzes, ondulados até a cintura, olhos castanhos, coxa carnuda, bucetinha rosada, seios fartos e empinados, bumbum durinho.

deitada na mesa de depilação e vendo q estava de costas, pude reparar q corpo maravilhoso ela tinha.

qdo se virou para amarrar as laterais do minha calcinha com o barbante, me pegou no flagra olhando pra ela. fiquei vermelha, roxa, abóbora. sorri sem graça e falei: desculpa, mas vc é linda! sou hétero, mas... tenho q admitir vc é de tirar a respiração de qualquer um! ela deu uma gostosa gargalhada e abriu minhas pernas para arrumar a calcinha. e falou: vc tb é muito linda!

percebi naquela frase um subtexto malicioso. mas resolvi relaxar, pois depilação é coisa séria! rssss depila daqui, depila dalí e logo terminamos.

a ruiva falou q ela tinha um creme para clientes especiais. achei estranho, mas resolvi dar corda pra ela. é mesmo? hummmm deve ser refrescante. ela riu e abril a bolsa e tirou um tubo contento o tão milagroso gel refrescante pós depilação.

inocente, pensei q ela fosse espremer o gel na minha mão pra eu passar, mas pasmem, foi ela mesma q quis. com um toque suave ela abriu as minhas pernas e com as pontinhas dos dedos começou a espalhar o produto. aquele toque cuidadoso me deixou c/ um tesão tremendo. minha bucetinha estava latejando e completamente molhada.

com um sorriso nos lábios disse q essa brincadeira estava me dando uns arrepios. ela sorriu e respondeu. vc ainda não viu nada! congelei depois dessa frase. minha buceta piscou de tal forma, q parecia a bateria da mangueira entrando na avenida... dava até pra ouvir... kkkk

ficamos nessa uns 15 minutos, até q deu horário de outra cliente. me vesti e fiquei na recepção aguardando meu marido me buscar. aquela sensação dela passando o creme em minha virilha não sumia da mente.

maridão chegou. no seu carro imponente. modestamente, eu soube escolher. meu marido além de endinheirado possuía uma aparência deliciosa! moreno de praia, olhos cor de mel, cabelos pretos e lisos, malhado, coxas muito definidas e que combinam perfeitamente com seus braços. abdobem? tanquinho, claro!

chegamos em casa. depois de um longo banho ao som de the corrs, desci para fazer o jantar. após jantarmos subi e coloquei algo mais atraente. aquela ruivinha me deixou com um tesão louco. comecei a fantasiar. minha bucetinha latejava...

qdo meu marido entrou no quarto pra tomar banho, me viu vestindo uma calcinha minúscula transparente, de renda preta e com bordados vermelhos. completando o modelito, uma camisola curta, aberta na frente de forma q deixasse à mostra toda a exuberância do meu cólo de seios fartos e duros. ele na mesma hora arregalou os olhos e falou: vc está um tesão! vou tomar um banho e já volto... me espera assim... desse jeito... abertinha... deixando aparecer essa bucetinha linda... e suculenta...

ele já saiu do banho de pau duro. uma pica linda. cabeça brilhante, parecendo q passou cera. 25cm de pura virilidade.

caminhou lentamente até a cama aonde eu o aguardava na mesma posição em q pediu q ficasse. abri lentamente as pernas e falei: amor, olha o q ruivinha fez na minha bucetinha.

ele tirou os 2 laços laterais q prendiam a calcinha e se deparou com a minha bucetinha rosadinha, molhadinha e quase carequinha. do jeito q ele sempre gostou, só q melhor.

fizemos um amor louco. a noite toda. em nenhum minuto eu conseguia parar de pensar na ruivinha. no dia seguinte, o maridão foi trabalhar e eu de férias, aproveitei pra ir à praia e reforçar o bronzeado.

resolvi ligar para a clínica e ver se ela estava lá. falei com a recepcionista q imediatamente transferiu a ligação para a ruivinha. envergonhada disse q havia ligado apenas para agradecer a depilação e o creme q havia passado em mim. ela riu e disse q qdo precisasse, poderia ligar a qualquer hora do dia ou da noite. anotei o nº do celular dela particular e passei o meu.

saí da praia umas 15h. já cheguei em casa atendendo ao telefonema do meu marido, informando q ele precisaria fazer uma viagem urgente, q ficaria fora uns 2 dias.

tomei banho e me masturbei loucamente. desci e fiquei vendo filme até umas 20h, qdo resolvi ligar para pedir uma pizza. ao invés de ligar para a pizzaria liguei para ruivinha.

ela me atendeu prontamente. informei q meu marido havia viajado e q eu estava sozinha, com vontade de comer pizza, beber um vinho e jogar conversa fora. ela prontamente aceitou meu convite.

parecia q ela estava esperando eu ligar, pois em menos de 15 minutos a campainha da minha casa estava tocando.

ela foi pra me provocar! colocou um vestido de algodão, um pouco transparente de alcinha, cor amarela, bem clarinha. rasteirinha e bolsa pretas.

depois dos tradicionais 2 beijinhos, convidei-a pra sentar. minha casa é grande e a sala é muito ampla. na frente dos sofás possui uma parede inteira de vidro, deixando à mostra um por do sol esplêndido!

a ruivinha sentou confortavelmente. cruzou as pernas e eu q estava em sua frente, percebi q usava uma calcinha minúscula e preta.

eu estava de short preto, também de algodão, larguinho, q dependendo da forma q eu sentasse, daria pra ver a poupa da minha bunda. camiseta vermelha, também soltinha q faziam os bicos rosados dos meus seios aparecerem cada vez q eu servia a taça de vinho.

ficamos desse clima um bom tempo, até q ela propôs: posso ver como ficou a depilação? naquela hora eu gelei! mas deixei ela ver. dei corda pra ver até onde ela iria.
ela sentada num sofá e eu no outro, de frente pra ela. abri minhas pernas lentamente até q ficasse aparecendo minha calcinha. puxei lentamente para o lado e "sem querer" acabou aparecendo um pedaço dos meus lábios rosados. senti que a ruivinha mordiscou a boca, como se estivesse com vontade de beber algo. ainda com a calcinha para o lado, ofereci mais um pouco de vinho. ao me abaixar, ela colocou a mão na minha virilha, dizendo q queria verificar se estava empolado. eu fechei os olhos e com um pé no chão e outro na mesa de centro, arreganhei mais ainda as pernas, deixando completamente livre o acesso para a bucetinha rosadinha e sedenta por uma chupada.

a ruiva molhou seus dedos no vinho e passou lentamente na minha virilha. ajoelhou em frente e encostou lentamente sua língua macia. soltei um gemido de prazer e cócegas, pois o vinho estava geladinho. ela, docilmente, abriu meu short e baixou deixando apenas a calcinha, já ensopada de tesão. ainda na mesma posição eu fiquei. um pé no chão e outro apoiado na mesa de centro, só q dessa vez eu estava de costas. ela deu mordiscadas na minha bunda e com a mão por entre minhas pernas, acariciava minha buceta molhada. minha calcinha já não tinha mais utilidade. tirei-a num momento de loucura, junto com a blusa. completamente nua e louca pra beijar aquela mulher joguei-a no sofá. beijei-a como se estivesse tentando tirar o sorvete da casquinha, sem morder a casca. minha língua passeava pela sua boca, pescoço, seios, até chegar na sua buceta. nossa! q buceta! branca como a neve. cheia de sardas, pêlos ruivos faziam um conjunto lindo com seus lábios grossos e sedentos pela minha chupada. eu metia a língua para chupar todo aquele mel q descia. subia a língua lentamente até o grêlo e descia até o cuzinho... a ruivinha se remexia toda. rebolava na minha cara. me chama de patroa. chupa a sua depiladora. chupa!

depois dela gozar, foi a minha vez de sofrer. ela me virou de 4 e me chupou como um filhote de lobo. eu por sua vez, rebolada, remexia, esfregava a minha buceta em sua cara. sua mão passeava nos meus seios e depois descia até o cuzinho, aonde com o dedo me fazia gemer de tesão.

lá pelas tantas, depois de muito esfrega esfrega, ela disse q tinha um brinquedinho para gente. tirou de sua bolsa um consolo, grande e grosso, igual ao pau do meu marido.

ficamos nos comendo até tarde. no dia seguinte, meu marido liga e disse q já já estaria chegando em casa, pois conseguiu resolver tudo rapidinho.

eu acordei a ruivinha e informei o q estava acontecendo. ela por sua vez, nem se importou, me tascando um beijão de fazer gosto. o tesão aflorou novamente. resolvemos dar mais uma antes de ir. transamos deliciosamente.nossas bucetinhas, uma rosada e a outra ruivinha ficaram se esfregando e com o consolo acabamos de fazer a festa de despedida.

depois de muito gozarmos, a ruivinha teve q partir..

o maridão chegou e me encontrou mais sedenta. eu estava nua, toda arreganhada na cama e pedido pro maridão: me fode, agora!

transamos muito. no meio da transa o telefone toca. era a ruivinha. eu expliquei para o marido q conheceu na clínica de depilação. q havia uma depiladora q passou a ser sua amiga. sem perceber nada de maldade o marido achou tão legal q ela estava bem e com o tesão mais aflorado q propôs à esposa q ao invés dela ir à clinica se depilar, q ela convidasse sua amiga para atender em domicílio.

eu adorei! imagina a ruivinha?! rsss uma vez por semana a ruivinha ia fazer a depilação na minha casa, aonde ao final de cada depilação rolava um sexo delicioso.

certa vez, o marido chegou mais cedo e pegou nós 2 num 69 delicioso. ao invés dele ficar puto, sentou e começou a se masturbar olhando aquilo tudo, mas... isso... é um novo conto!

by teka