RSS contos eroticos

Conto Erotico Bebida e sexo numa viagem sem fim

Contei aqui como comecei minha vida sexual, desde criança sempre soube que era lésbicas, porém demorei muito para aceitar, só aconteceu pq uma amiga muito bebada me seduziu a ponto de nao resitir e fazer amor com ela em seu pequeno quarto ao lado do quarto dos pais.
depois da noite em que eu e cris fizemos amor me senti estranha, maluca, com vontade de sumir rsrs mas ela sabia o que queria um dia após nossa noite de loucura me procurou na facu segurou minha mão e disse q tinha amado, e que nunca ninguem saberia de nada.
continuamos amigas, porém sempre cuidava para que nao acontecesse de novo, temia que alguem da facu desconfiasse, uns 4 meses depois de nossa primeira vez fizemos uma viagem para o interior de minas, a galera da faculdade toda, como eu a estava evitando fazia tempo, ela resolveu se esfregar com uma morena que tinha vindo nao sei diabos de onde, queria me provocar ciumes, no começo fingi q nao via, mudei de lugar e deixei a coisa como estava embora tivesse vontade de ir la e arrancar os cabelos da morena, que era linda de seios fartos bumbum empinadinho e olhos verdes, no meio da viagem eu q nao bebo comecei beber, mudei de lugar para nos ver mais os esfregoes que estavam me deixando com mais tezão do que com ciumes.
no começo da viagem a galera estava animada, bebida, muit musica, mas la pelas 4 da manha ja estava todos mortos, so a tv do onibus ligada eu estava sentada do lado de uma moça q era advogada e era um saco, ficou o tempo todo controlando minha bebida, tentava dormir mas o sono nao vinha, de repente ouço um sussurro no ouvido, shhhiii " vem cá nanar comigo" era cris fingi que dormia, ela escorregou os dedos pelos meus braços e cochichou de novo, " vem nanar comigo" aquilo me arrepiou até a alma, levantei de mansinho e escorreguei para o lado dela no penultimo banco, disse para ela, maluca, vc nao aprende, aqui esta lotado, ela disse ta sim, mas quase todo mundo mamado e dormindo, vem ca pertinho, toca eu como fez aquele dia, to morrendo de saudades, puxei o cobertor e sussurrei, ta maluca q tava fazndo com a guria, ela... ciumes em vc, diz q nao ficou, pq faz assim comigo?? eu gosto de vc, sou sincera, quero vc fer, de verdade , podemos namorar na nossa sem q ninguem saiba, to morrendo de saudades.
aquilo doeu na alma pq tbm estava com saudades, na verdade tudo aquilo nao saia da minha cabeça um unico dia.
segurei sua mao por debaixo do cobertor e trouxe ela pra mim, era fato eu estava apaixonada e queria fazer amor com ela ali. trouxe seu rosto até o meu e dei o melhor beijo da minha vida, meu coração batia acelerado enquanto meus labios sentiam os seus, minha lingua e a sua se encontravam frenéticas, mordiscava seus lábios, cris levantou um pouquinho baixou a calça e pediu sussurrando me toca, quero sentir vc, meus dedos percorreram suas coxas, e encontrei aquela gruta quente e umida, ela afastou um pouquinho enqunto eu a tocava com carinha, embora sem experiencia nenhuma sabia onde deveria tocar, como deveria mecher, nossos labios colados para abafar os sussurros, cris movimentava-se ajudando. logo senti seus gozo escorrer por meus dedos. ela pediu para deitar em meu colo, levantou minha blusa e mamou em meus seios, enquanto eu acariciava os seus. cochilei por alguns minutos acordei assustada, achando q ja era dia e o pessoal podia nos pegar ali. toquei o rosto de cris pedindo q se levantasse, ela me segurou e pediu q nao fosse, beijei-lhe e disse q era melhor, ela segurou firme meu braço nao me deixando sair, voltei a beijar lhe, a tv ja tinha apagado e era melhor mesmo ficar ali quietinha antes q acordasse alguem, quando sentei cris me deu uma garrafa que tinha do lado do banco bebi, wisk com alguma coisa eu acho, bebe mais, tomei dois tragos, ela pediu me beija qro sentir o doce da sua boca, voltamos a nos beijar, eu acariciar seu rosto, tocar sirica uma na outra por debaixo do cobertor, abafando os sussurros com os beijos, quando começou clarear levantei, nao tinha dormido um minuto, mas tinha gozado muito, fui ao banheiro, escovei os dentes, troquei a camiseta amassada e voltei para o banco do lado da advogada chata. o onibus começou a despertar a musica voltou.
a viagem que era para durar 14 horas durou quase 20 porque o motorista se perdeu, em cada parada era dificil se conter pq cris sempre entrava no banheiro que eu estava me empurrava na parece e dizia me beija se nao vou beijar a jéssica, nos amassavamos durante alguns segundos no banheiro foi a loucar mais deliciosa que fiz.
continuo no proximo...