RSS contos eroticos

Conto Erotico A academia

Sou professor de educação física e trabalho em uma academia no leme no rio de janeiro, sou moreno, estou agora com 40 anos mais mantenho o meu corpo bem cuidado e procuro fazer uma corrida na areia e jogar um futebol de areia com o pessoal do leme para manter mais ainda a minha forma física. a academia em que eu dou aula e um paraíso de mulheres bonitas e saradas, loiras, morenas, brancas, japonesas enfim de todos os tipos.
um certo dia chegou um morena bem jambo, e através da sua ficha percebi que era de uma comunidade bem próxima dali, do morro chapéu mangueira. ela não era muito bonita, mais o que se destacava nela era a grande bunda avantajada que tinha e uns seios bem pequenos.
eu já tinha conseguido algumas transas naquela academia que é muito freqüentada por garotas de programas de copacabana e do leme. e tinha uma em especial a sheila, uma garota de programa bi que já tinha saído com ela, que armei para pegar junto com ela aquela morena tesuda.
comecei a dar maior atenção para ela nas aulas. e perguntava para a sheila sobre o seu corpo como era quando estavam no chuveiro, e ela foi me falando que já estava começando a ter um bom relacionamento com ela, e até já rolava algumas confidenciais, e em uma determinada conversa que tiveram no chuveiro ela confidenciou a sheila que eu era um gato.
sempre pedia a sheila para ficar por ultima a tomar banho e fazia a cabeça das duas para que assim que acaba-se as aulas de aeróbica eles fossem fazer musculação, o que era um tormento, por que as duas são muito gostosas, e elas ficavam ali abrindo e fechando as pernas, mostrando aquelas xoxotas gordinhas e em alguns exercícios quando ficavam de bruços podia admirar, aquelas roupas de malhas enfiadas na bunda com a calcinha enfiada bem forte no cuzinho delas.
uma certa tarde que chovia um pouco e tinha poucas pessoas na academia a sheila me confidenciou que iria tentar pegar ela na hora do chuveiro e que apenas eu tinha que armar para tirar todos da academia. inventei então uma detetização e fui liberando as pessoas até ficarem somente nós três, e logo a sheila chamou a tânia para tomarem um banho e eu me preparei para fechar a academia, e quando voltei escutei os risinhos das duas no banheiro feminino. fui para o banheiro masculino tomei um banho rápido e voltei para a porta do banheiro feminino somente de toalha já com oitavas intenções.
fui abrindo a porta devagar e ao chegar na parte do chuveiro as duas estavam passando sabonete uma na outra, com a sheila tomando a iniciativa de tudo, e ela deve o cuidado de colocar a tânia de costa para a porta do banheiro, logo tirei a minha toalha e fiquei ali em silêncio me masturbando, enquanto a sheila já abraçada a ela tirava todo o sabão do corpo dela e da tânia, e dava alguns beijinhos no pescoço dela, que a principio ainda estava sorrindo, mas logo depois a respiração dela foi ficando difícil, e elas foram se esfregando coxa com coxa, seios com seios, e as mãos explorando cada parte uma da outra, e eu ali com o caralho durão, apertada o meu pau, e batia uma punheta silenciosa para elas, foi quando a sheila começou a falar para a morena que para ficar melhor só faltava o professor estar ali no meio delas, e a tânia antes calada e ofegante agora dizia que seria tudo de bom se ele estivesse ali no meio delas duas. foi a deixa que eu esperava.

- que gostoso heimm, eu também quero participar desta aula.

a morena levou um susto enorme e quis sair, mais foi logo abraçada pela sheila que deu um longo beijão na sua boca, enquanto eu chegava por trás e roçava o meu caralhão naquele bundão da tânia, que já sem resistência nenhuma se entregava a sacanagem a três, a sheillinha dava uns beijões muitos gostosos na sua boca, enfiando a língua bem no fundo, e eu atrás lambia a nunca daquela tesuda que esfregava aquele bundão no meu caralho, que combinação perfeita, com a água morna caindo sobre nossos corpos me deliciava com aquela loirinha tesuda, e aquela morena rabuda, e sem agüentar mais um segundo, puxei um pouco a sua cintura para trás e meti a piroca na sua buceta já totalmente molhada, fui entrando metendo cada centímetro daquela caverna abrasiva, meu pau queimava entrando nela, e ela gemendo se apoiava nos ombros da sheila e pedia para eu ir fundo, o mais fundo possível. busquei a boca da sheila e acabamos nos beijando a três, brigando língua com língua, chupada com chupada, e ela rebolando pedia para eu meter mais fundo, e eu sentia o meu pau batento na parede do seu útero, fiz um vai e vem alucinante e com vigor, para depois tirar o meu pau babando de dentro dela para puxar a sheila para a mesma posição soquei a minha pica na sua xoxota, e depois meti sem parar fazendo ela também delirar, que delicia, duas bucetudas a minha disposição e a água morna caindo, deixando as duas com aqueles cabelos longos molhados, que deliciaaaaaaaa, a tânia mordia e mamava feito uma bezerra os peitões siliconados da sheila, que gritava para ser estrupada sem piedade, que ela esta gozando sem parar, e com os dedos enfiados na buceta da tânia ela anunciou que já estava gozando. fiquei ali sentindo aquele liquido quente escorrendo pelo meu pau, deitei no chão bem embaixo do chuveiro e fiz a tânia sentar no meu caralho, e na semi escuridão do vestiário tinha a visão daquela morena que agora era a mais bonita, cavalgando o meu caralho gemendo e apertando os próprios seios, me fazendo delirar, eu pedia para ela gozar, pedia para ela esporrar no meu pau, e logo a sheila veio se juntar a gente sentando aquela buceta na minha cara, que lambi e enfiei os dedos sem parar, que tesão do caralho eu estava sentindo. logo a tânia esticou todo o corpo para cima e a água morna caindo sobre nós e gemendo alto, gozava sem no meu caralho e logo a sheila também gozava de novo na minha boca, e não agüentando mais enchi aquela buceta com todo o leite guardado por todo aquele tesão que sentia naquele momento. tomamos um novo banho nos vestimos e prometemos uma nova transa a três onde iria comer o cuzinho daquelas duas tesudas.