RSS contos eroticos

Conto Erotico Amigas e Biquínis

Final de semana na praia, amigos, diversos casais e muita diversão. Tudo estava encaminhando para uma inesquecível folga. Ao chegarmos, na sexta, fui tomado pelo cansaço e logo fui dormir, sem conhecer todo o pessoal. Meu primo, que havia me convidado, ficou um pouco mais. No sábado, acordei tarde, acreditando que todos já tinham ido para a praia. Levantei, tomei um bom banho e fui tomar café. Encontrei duas meninas deliciosas, Cris e Clarisse, meu primo logo chegou e o bate-papo foi muito agradável. Tomávamos café num balcão da cozinha, o que me permitiu constatar que eram duas delícias de pessoas. Clarisse era moreninha, queimada pelo sol, com cabelos louros, peitinho durinho, de médio a grandes, com bicos que se destacavam, uma boca tentadora e um sorriso convidativo, uma tatuagem no pescoço com o pedido “Kiss me”; Cris era uma morena, ou melhor, mulata, que deveria ser passista de alguma escola de samba. Pernas fortes, seios grandes, barriga sarada e uma bunda que excitaria qualquer homem, além do rosto safado. Bom, conversa vai, conversa vem, logo notei que Clarisse investigava meu corpo por mais que tentasse se discreta. Ela também já tinha visto meu olhar desejando seu atender seu pedido desenhado no pescoço, quando convidou a todos para irem encontrar o restante do pessoal na praia. Estrategicamente, pedi que me emprestasse o bronzeador e, para minha sorte, este estava no quarto. Seguimos para o quarto e confesso que ia atrás admirando seu rebolado sob a saída de praia quase transparente. Ao chegar no quarto, ajoelhei de frente pra ela para que passasse o bronzeador em meus ombros. Fiquei de frente para sua boceta. Perguntei se ela tinha mais tatuagens e ela disse que tinha uma na barriga. Quis ver, ela levantou a saída de praia e fui direta em sua boceta, uma leve e demorada mordida. Ela caiu aos risos e me chamou de louco. Era o que eu precisava naquele momento. Ri também e a joguei na cama. Ela caiu com a perna aberta e logo coloquei seu biquíni de lado. Caí literalmente de boca naquela xoxota lisinha e com grandes lábios. A perna dela estava tão aberta que nem tinha como a xana ficar fechada. Dei logo umas lambidas e ela começou a falar: - Seu louco, você está me deixando com tesão, vai entrar alguém no quarto, eles estão nos esperando... Minha amiga vai me matar, ela queria dar pra você!

Caprichei em mais umas lambidas em seu clitóris e fiquei em pé. Tirei meu pau pra fora e a menina arregalou os olhos! São 26 cm de rola grossa. Confesso, sem modéstia, que é um belo pau. Aproveitei-me de sua boceta molhada para colocá-lo praticamente inteiro numa estocada só. Depois, no papai e mamãe mesmo, caprichei nas bombadas. Fortes, rápidas e até o talo. Demorou pouquíssimo tempo para Clarisse virar os olhos. Clarisse gozou gostoso, ficou todinha mole e sem forças. Mas fez questão de me fazer gozar. Fiquei em pé e ela caprichou numa punheta. Ao ver que ia gozar ficou de quatro e pediu que desse umas bombadas naquela bunda gostosa. Só que não, coloquei na bocetinha mesmo e na hora certa coloquei entre suas nádegas. Foi uma jorrada forte, intensa, que lambuzou suas costas inteiras... e também foi muita porra no cabelo. Uma delícia! Vesti minha bermuda e a avisei sobre o cabelo. Ela pediu que fosse na frente para avisar o outro casal que teria que tomar um outro banho devido a um imprevisto. Foi tudo muito rápido. Cheguei a cozinha e meu primo conversava sobre trabalho com a Cris. Achei um desperdício. Cris tinha um sorriso erótico, sua boca pedia um pau, estava na cara. Elogiei sua roupa, meu primo entendeu que estava sobrando e avisou que nos esperaria no portão. Aproveitei que ficamos sós e a beijei. Ela curtiu. Prolongamos o beijo e ela perguntou ao pé do ouvido se curtia uma rapidinha. Arrastei a moça para o outro quarto, não estava acreditando que meu plano tinha dado certo. Entramos no quarto e nos encostamos a porta. Beijos quentes, mãos safadas. Ela começou a alisar meu cacete e logo o sacou pra fora. Tentou abocanhá-lo inteiro, não conseguiu. Dedicou-se à cabeça enquanto fazia movimentos rosqueados com a mão, uma delícia. Uma chupeta gostosa, barulhenta e cheia de tesão. Tirou a boca, olhou pra mim e disse: - Que delícia de caralho! Quero ele no meu rabo agora! Pirei! Senti-me o cara mais gostoso do planeta e teria de retribuir aquela sensação. Coloquei-a de 4 no chão mesmo. Aproveitei que meu pau estava todo babado e só dei uma leve cuspida em seu rabo. Espalhei a saliva em seu cuzinho e encaixei a cabeça vagarosamente. Era um cu iniciante, não estava acostumado. Ela mordeu uma toalha que estava pendurada e gemia levemente. Aquele rabo conseguiu engolir meu caralho inteiro. Apertado, gostoso, quente. Comecei a por pressão, por força. Ela não aguentou e desabafou: - Porra, vc está me arregaçando, assim eu vou me apaixonar. Cachorra! Gostava da força, comecei a dar umas palmadas e pensei comigo (Foda-se o barulho!). Estava muito bom, bom demais. Enquanto violentava aquela bunda perfeita ela se masturbava cheia de desejo. Gozamos praticamente juntos.

Fiquei exausto. Em menos de duas horas comi duas deliciosas mulheres. Ainda não tinha pensado no que faria nas próximas horas, como ia conduzir aquela situação com duas novas namoradas...
Não permitimos pedofilia neste site! Ajude-nos a identificar.